Gameleira-PE: População agora conta com terapeuta no combate ao álcool e drogas

Estivemos no CAPS (Centro de Atenção Psicossocial em Gameleira), onde conversamos com a Sra. Sayonara Queiroz Coelho, Terapeuta Ocupacional, ela que vem desempenhando um trabalho em combate ao álcool e drogas na cidade. Na ocasião ela relatou como vem desenvolvendo o mesmo.

Foto0244IMG10129IMG10125IMG10131IMG10126“Atendemos nessa unidade de saúde pessoas com transtorno mental e pessoas que tem problemas decorrentes do álcool e drogas. Para ter condições de atendimento, decidimos enquanto equipe, realizar o serviço em dois turnos, manhã (pessoas com transtorno mental) e tarde (pessoas que tem problemas decorrentes do álcool e outras drogas). Na clínica do transtorno, não atuamos apenas nos momentos de crise, mas na reabilitação do psicossocial, construindo os projetos terapêuticos singulares, estimulando a qualidade de vida e a ocupações do indivíduo em geral, como mecanismos de renda. O trabalho é fundamentado da pessoa não ter uma qualidade de vida de funcionalidade mesmo com transtorno mental, buscando vencer essas dificuldades, bem como os obstáculos que o indivíduo possua decorrentes do transtorno, mas se exercitando enquanto ser que tem folego, capacidade e potencialidade.

E aí nesse processo que construímos junto com ela, vínculo e vamos tentando interferir e intervir no adoecimento e na manutenção da qualidade de vida e das funcionalidades.

Na clínica do AD (álcool e outras drogas), nós trabalhamos fundamentados na proposta de redução de danos que é a Diretriz do Ministério da Saúde, entender que o individuo é um sujeito de direito de escolhas independente de juízos que a população venha fazer do mesmo, temos que cuidar da saúde de nossos pacientes independente do que escolheu pra si.

E dentro dessa proposta da redução de danos, vamos construindo uma caminhada para ela entender qual é o lugar que a droga ocupa em sua vida e onde ela pode buscar outras estratégias e alternativas de mudança de vida.

Dentro disso, construímos também o projeto terapêutico singular com essa pessoa, construímos as possibilidades e alternativas pra que ela venha entender e se entender como pessoa no contexto do uso de drogas, independente dela parar ou não da importância do cuidado com a saúde.

Estramos trabalhando a proposta nos grupos, buscando fazer com que cada um compreenda suas potencialidades onde possam modificar sua vida, o que precisa ser melhorado, o que se pode construir, como que junto se pode indicar retorno ao trabalho, o ingresso nos estudos, acesso a cultura, inclusão social e outros.

É importante desmitificar a forma como as pessoas não entendem e colocam o individuo no lugar de sujeito que não são mais funcionais quando se segrega a ele ao “doidinho”, “bebinho” ou “noiado”, essas taxações que a sociedade faz, define a pessoa ao tipo de substância que ela usa e não a um ser social, cidadão que tem potencial e que pode mudar sua vida, precisando apenas de oportunidade e também da percepção que a pessoa tem de si mesma, porque muitas vezes entra mesmo nesse lugar do segregado e do excluído e se perde o seu potencial e as possibilidades que ela tem de escolha para sua vida.

E aí, não devemos está estabelecendo enquanto perito de saúde o juízo de valor, estamos aqui para prestar cuidados à saúde da população, qualquer tipo de julgamento, das dívidas relacionadas à cidadania e assuntos de interesse policial, devem ser cuidadas pelos profissionais na área de segurança, pelo jurídico e não pela área da saúde.

É importe ampliarmos o olhar pra a droga, entendendo a pessoa, as circunstancias de uso e as possibilidades que é estimular ela a se reabilitar, independente dela parar ou não o uso da droga.

Muitas vezes é necessário entendermos o momento e a situação em que o indivíduo se encontra se ela não sente a necessidade de parar, não tem interesse no tratamento, como podemos ofertar o cuidado pra ela, independente de todo o contexto em que ela esteja, então, precisa-se entender que essa pessoa é um ser que vive num território em comunidade.

Precisamos ampliar os potenciais que essa comunidade tem de cuidar da saúde do mesmo de e de percepção dos indivíduos que acessam os serviços, além disso, necessitamos compreender que a substancia por si só é uma química, devemos saber o contexto de uso e a pessoa e isso se chama um círculo, onde existe a substancia, a pessoa que acessa a droga e consequências do uso.”

De acordo com informações dadas pela Sr. Sayonara Queiroz, a população de Gameleira agora pode procurar o serviço especializado em álcool e outras drogas, pois, estão disponíveis para todos os munícipes e esclarecer qualquer dúvida.

Assista, comente, curta, comente e divulgue. Mande sugestões e denúncias. Nossos contatos:

Facebook: CENTRAL GAMELEIRA Email:jornalismo@tvreplay.com.br Portal:www.tvreplay.com.br

Watssapp: 81 – 99317525

 

TV Replay, o que é bom se repete!  

Caruaru-PE: Novos semáforos e placas indicativas geram confusão no trânsito, na via de acesso aos bairros Boa Vista

Os motoristas que trafegam pelo viaduto de acesso ao bairro Boa Vista, foram pegos de surpresa com as novas mudanças no trânsito daquela localidade.

Semáforos e placas indicativas foram instalados, sem que os motoristas tivessem sidos orientados com antecedência, e isso vem causando transtorno e engarrafamento, complicando ainda mais o trânsito e causando acidentes .

Assista, comente, curta, compartilhe e divulgue. Mande sugestões e críticas.

Nossos contatos:

Facebook: TV REPLAY

Email: tvreplay@tvreplay.com.br

Site: www.tvreplay.com.br

Confira!

TV Replay, o que é bom se repete!