Blog de Airton Sousa: Decisão para as finais sem favoritos

O placar apertado entre Santa Cruz x Salgueiro, com apenas 1 x 0 para o time tricolor, torna o jogo desse sábado (22), no Sertão, uma partida onde um detalhe pode decidir o classificado. Um simples placar de 1 x 0, com um pênalti duvidoso, faz com que aumente a emoção para a partida de volta entre as duas equipes.

No jogo de sábado passado no Arruda, tecnicamente o Santa Cruz foi melhor. Porém encontrou dificuldade nas finalizações e poucas foram as chances criadas pelas duas equipes. No entanto, a vitória apertada do time tricolor, lhe permite jogar por um empate, o que é um pequeno percentual de vantagem.

Está aberta a vaga, porque sabemos a força do Salgueiro em casa, bem como conhecemos a capacidade do técnico Vinícius Eutrópio, em aplicar retranca, só saindo para o jogo em um descuido do adversário. Portanto, o fato de jogar em casa, com o apoio da torcida e por conhecer o campo de jogo, torna o resultado mais indefinido ainda. Não arriscamos nenhum favorito para o jogo entre Salgueiro x Santa Cruz.

Enquanto isso, uma história mais ou menos parecida, entre Sport e Náutico. 3 x 2 foi o placar a favor do Sport, que teve mais desempenho, mais chances de gols, principalmente  no primeiro tempo. Porém, Marco Antonio abriu o placar para o Náutico aos 44 minutos de jogo. As chances do Sport no primeiro tempo, foram as seguintes: Mena, aos 3 minutos; Rogério aos 5;  outra vez Rogério aos 12; mais uma vez Rogério aos 24; Fabrício aos 29; André aos 33, 34 e 36 minutos. Enquanto que o Náutico teve as seguintes chances: 23 minutos com Anselmo; 40 com Thiago Alves e aos 44 minutos, o gol de Marco Antonio.

No segundo tempo também não foi diferente. Prevalecia o domínio ofensivo do Sport. Aos 12 minutos uma cabeçada de André e aos 7 minutos o gol de empate com Diego Sousa. Continuavam as chances para as duas equipes. Aos 10 minutos uma cabeçada na trave de Diego Sousa; e aos 19 minutos Anselmo desempatava para o Náutico. Depois do segundo gol do Náutico, os treinadores resolveram mexer nas equipes.

Um equilíbrio no jogo pelo cansaço de alguns jogadores, a exemplo de Diego Sousa pelo Sport e Marco Antonio pelo Náutico. Porém a surpresa estava para acontecer. O iluminado Juninho, que tinha entrado no lugar de Ronaldo, faz aos 45 e aos 47 minutos, os dois gols que fecharam o placar de 3 x 2 para o Sport.

Também a vaga está aberta. O Sport joga por um empate e qualquer vitória do Náutico, leva a partida para penalidades. Portanto, teremos um sábado e domingo de muita emoção, para conhecermos os dois finalistas do Campeonato Pernambucano de 2017. Também não arriscamos apontar qual será o finalista, por tudo que vimos entre as duas equipes.

Blog de Airton Sousa: Vitória do Náutico no último jogo do Hexagonal

Com o resultado dessa segunda-feira (10), quando o Náutico venceu ao Santa Cruz, no Arruda, pelo placar de 2 x 1, encerrou-se o Hexagonal decisivo do Campeonato. As semi-finais ficaram formadas da seguinte maneira: Salgueiro x Santa Cruz; Náutico x Sport, observando-se que as primeiras partidas serão respectivamente, no Arruda e na Ilha do Retiro.

Consequentemente, os jogos de volta serão em Salgueiro e na Arena de Pernambuco. A pergunta é a seguinte: Quem leva vantagem sobre quem?  Sinceramente, o único ponto que pode alterar, é um placar elástico no primeiro jogo, caso contrário, ninguém leva vantagem.

Quanto ao jogo dessa segunda-feira (10), foi uma partida em que as ausências do Santa Cruz e do Náutico, influenciaram para que tivéssemos uma partida pobre tecnicamente. No entanto, o time timbu saiu na frente no placar, com um gol de Erick, aos 18 minutos do primeiro tempo, e só na segunda fase, é que o Santa Cruz empatou aos 7 minutos com Everton Santos.

Um jogo disputado, onde pelo Santa Cruz se destacaram Pereira e William Barbio, e pelo Náutico, tiveram destaque os jogadores Erick, Dudu e Rodrigo Sousa. O gol da vitória do Náutico, foi através da cobrança de pênalti de Dudu, onde o goleiro Jackson defendeu, e no rebote, Dudu complementou, fazendo Náutico 2 x 1 Santa Cruz.

Agora, é aguardar as decisões da Federação Pernambucana de Futebol, inclusive com relação às arbitragens, onde o Sport Clube do Recife, através da sua Direção, oficializou o seu desejo de ter nos seus jogos, árbitros de outras Federações. Só faltava essa agora no Campeonato, que teve de tudo, principalmente no aspecto negativo.

Blog de Airton Sousa: Náutico vence o clássico

No clássico da Arena de Pernambuco, neste domingo(12/03), o Náutico venceu pelo placar de 1 x 0. Foi um jogo nivelado por baixo tecnicamente, no entanto o Náutico entrou com mais volume, ocupando os principais espaços do campo e anulando com uma boa marcação, as principais peças do Santa Cruz.

Enquanto isso, o time tricolor entrou acomodado, sem alma, com pouco interesse, além da lentidão que o time se apresentou na maioria do tempo de jogo. As peças de decisão do Santa Cruz, não tiveram como jogar, e na verdade, o Náutico mereceu a vitória, inclusive com um placar mais elástico.

Aos 17 minutos do primeiro tempo, o técnico Milton Cruz faz uma substituição colocando o jogador Nirley, estreante no timbu. E o futebol tem dessas coisas, porque bastaram apenas 15 segundos em campo, para o jogador aproveitar um cruzamento, cabecear e colocar a bola nas redes de Júlio César, colocando o time alvi-rubro na vantagem do placar.  E ao final do jogo, a vitória foi do Náutico, pelo placar de 1 x 0.

Por outro lado, o Campinense, já classificado, goleou por 4 x 0 ao Uniclinic, e assumiu a liderança do grupo com 11 pontos. O Santa Cruz, para não ter a sua situação complicada, soma 10 pontos, e com apenas um empate, no último jogo (22/03), no Arruda, contra o Campinense, passa para a segunda fase da Copa do Nordeste. O Náutico com 7 pontos, ainda tem sua situação complicada, com remotas possibilidades, tendo que golear ao Uniclinic em Fortaleza, torcer por uma derrota do Santa Cruz, além da combinação de outros resultados, dos outros grupos.

Blog de Airton Sousa: Pernambucanos jogam pela Copa do Nordeste

Teremos neste sábado(11/03), às 20:30 h, o Sport jogando na Ilha do Retiro, contra a fraca equipe do Juazeirense. O primeiro jogo na cidade de Juazeiro da Bahia, o time pernambucano venceu pelo placar de 1 x 0. Temos que reconhecer, que  é muito grande a disparidade entre as duas equipes. O Sport com elenco milionário, e que até agora não convenceu totalmente a sua torcida, do outro lado um adversário com um elenco humilde, e que está nas últimas classificações do Campeonato baiano.

Sendo assim, o Sport que está bem posicionado na Copa do Nordeste, e com amplas possibilidades de ser cabeça de chave na competição, tem tudo  para emplacar uma vitória, e se garantir de vez na próxima fase da competição. O técnico Daniel Paulista, que desabafou, após  a vitória contra o Boa Vista, quarta-feira(08/03), não contará com o volante Rithely e deverá repetir o mesmo time para o jogo contra o Juazeirense.

No domingo(12/03), às 16 h, teremos o clássico entre Náutico e Santa Cruz, na Arena de Pernambuco. Outra vez um clássico entre essas duas equipes, também pela Copa do Nordeste. O Santa Cruz, bem posicionado ao lado do Campinense, enquanto que o Náutico tem remotas possibilidades de seguir na competição. Tratando-se de clássico, e em razão do momento positivo que atravessam as duas equipes, fica imprevisível qualquer resultado.

Os tricolores perderam apenas uma partida, enquanto que o Náutico vem de um empate e uma vitória contra o Sport, pelo Campeonato pernambucano. Daí o equilíbrio dos dois times. A pontuação do Náutico é desesperadora, tendo que vencer as duas partidas, respectivamente, contra o Santa Cruz, na Arena de Pernambuco, e contra o Uniclinic, no Ceará, além de torcer por uma derrota ou do Campinense ou do Santa Cruz.

Com muita franqueza, não acreditamos na sequência do timbu, na próxima fase. Existe sim, muita perspectiva, da classificação do Santa Cruz e do Campinense, para a outra etapa da Copa do Nordeste. A Diretoria timbu homenageia as torcedoras do time timbu, não cobrando ingressos para o jogo, o que também é um bom incentivo.

Blog de Airton Sousa: Nova classificação na 6ª rodada do Hexagonal

Tivemos na tarde deste domingo (05/03), o início dos jogos de volta do Hexagonal do título, com o Náutico na Arena de Pernambuco vencendo ao Sport por 2 x 1, o Santa Cruz se impondo e vencendo ao Salgueiro por 1 x 0 e o Central conseguindo a sua primeira vitória, vencendo ao Belo Jardim por 4 x 1.

O clássico teve o Náutico supremo nos dois tempos do jogo, anulando principalmente, a criatividade do Sport, que não teve espaço para jogar com o sistema tático aplicado pelo técnico Milton Cruz, que obteve a primeira vitória sob o seu comando. O Náutico marcou 2 x 0, com uma certa tranquilidade, e mesmo tomando o gol do Sport, o time não se abalou, aproximou mais a marcação e administrou a partida até o final. Com o resultado, o Náutico foi a 11 pontos e agora é o segundo colocado no Hexagonal.

O torcedor do Sport, que viu desta feita o time titular não se encontrar em campo, porque na quarta-feira (01/03), na Ilha, o time que jogou foi o reserva, ao contrário do time deste domingo, e mesmo assim, o técnico Daniel Paulista, não encontrou uma maneira de superar a qualidade do time timbu.

O Santa Cruz depois de seis jogos sem vencer ao Salgueiro, lá no sertão, conseguiu vencer por 1 x 0, com gol marcado no início do primeiro tempo, onde o técnico Vinícius Eutrópio, reconheceu que tres pontos, favoreceu muito ao desempenho do seu time neste jogo:  a garra, a força e a superação do grupo.  Mais um detalhe do Santa no jogo contra o Salgueiro, foi a maneira como o time aproximou a marcação, não permitindo que o adversário soltasse a bola e impusesse velocidade ao jogo, pontos fortes do time do sertão. Porém, mesmo perdendo, o Salgueiro continua na liderança com 13 pontos, com 2 a mais que o Náutico. Enquanto isso, o tricolor soma 9 pontos, é o quarto colocado, mas sem a ameaça do Belo Jardim, que perdeu para o Central.

No estádio Antonio Inácio de Sousa, o Central, depois de perder as cinco partidas da primeira fase, aplicou uma goleada de 4 x 1 no time do Belo Jardim. Coincidência ou não, a primeira vitória aconteceu, justamente depois da saída do ex técnico Laelcio Lima. O Central continua na lanterna com apenas 3 pontos. No entanto, houve a motivação, da primeira vitória no Hexagonal.

O Belo Jardim que tem como ponto forte a bola parada, não teve tantas chances, pela boa presença do goleiro Gleidson, do Central. Ao final da partida, observava-se um misto de decepção do Belo Jardim, enquanto que no Central, havia a comemoração da primeira vitória.

Somente no dia 19/03, é que teremos a sétima rodada do hexagonal.

Blog de Airton Sousa: Clássico sem vencedor

Não sabemos até quando a Federação Pernambucana de  Futebol, vai continuar sem o planejamento necessário para uma tabela mais coerente do Campeonato  Estadual. É inadmissível que em plena quarta-feira de cinzas, na terra do frevo tenhamos um clássico entre duas equipes tão rivais, mesmo com a ideia do técnico Daniel Paulista de escalar, para alguns jogos do Estadual, o seu time reserva, ou alternativo, como queiram.

Tivemos um jogo bem movimentado no primeiro tempo, com o Náutico desenvolvendo um melhor futebol, e  taticamente mais encorpado. O time timbu teve cinco chances concretas de gol, contra três do time leonino. Já aos 4 minutos, a primeira chance com Tiago Silva; aos 7 minutos, com Marco Antonio; aos 16 minutos, uma cabeçada de Rodrigo Sousa, e finalmente, um pênalti de Rodrigo em David, aos 28 minutos. Erick cobra com categoria e coloca o Náutico na frente do placar.

A partir daí o Sport avança  um pouco, melhora a produção do meio de campo para o ataque, e aos 39 minutos, Neto Moura chuta uma bola de primeira, indefensável e empata o jogo, encerrando o primeiro tempo com o placar de 1 x 1. Destaca-se na primeira fase pelo Náutico, Marco Antonio, Erick e Manoel. Enquanto no Sport, não tivemos destaque  especial.

O segundo tempo começou co  o Náutico tendo a primeira chance aos 2 minutos com Agenor, Dudu chutando uma bola aos 26 minutos, e o Sport sem ter um bom trabalho na sua meia cancha, dificultando o rendimento dos atacantes. Muitas modificações aconteceram nas duas equipes, e somente aos 41 minutos, Fábio chuta uma bola perigosa, para uma boa defesa de Tiago Cardoso.

Quando tudo parecia estar definido, o Náutico sofre um pênalti aos 44 minutos e colocam o jogador André para a cobrança, aí aconteceu o que vem sendo repetido, André cobra mal, e permite que Tiago Cardoso evite que a bola entre. Placar final 1 x 1, para uma renda de R$ 58.425,00, e um público de 3.430 expectadores. Náutico e Sport voltam a se encontrar neste domingo(05), na Arena de Pernambuco, às 16 horas, também pelo Hexagonal.

Um ponto positivo, foi a arbitragem do desconhecido José Washington, que esteve muito bem, no campo técnico e disciplinar, ao lado de Elam Vieira e Ricardo Chianca.

Blog de Airton Sousa: Santa Cruz e Central jogam pelo Hexagonal nessa quinta-feira

Só a Direção da Federação Pernambucana de Futebol para entender, porque até agora, a Diretoria do Central e a imprensa, estão buscando justificativa para a realização do jogo contra o Belo Jardim, em plena quinta-feira à tarde, na cidade de Vitória de Santo Antão.

Um Campeonato deficitário técnica e financeiramente, desmotivado pelo nível e pela ausência do torcedor. Mesmo assim, a Federação entende que os clubes do interior estão bem sob o ponto de vista financeiro, ganhando dinheiro com a participação no Hexagonal e com o público se fazendo presente.

Fazer o quê? É a velha história, manda quem pode, obedece quem é doido. Nesse clima de desmotivação, o Central que até agora não somou um único ponto, enfrenta ao Belo Jardim, que pelo menos tem um ponto. Aí já faz a diferença.

À noite, pelo menos à noite, também dessa quinta-feira(02/03), o Santa Cruz quarto colocado do Hexagonal, enfrenta ao Salgueiro. Um jogo complicado e difícil para os dois times. Muito embora, dos três clubes da capital, o tricolor é o que mais evoluiu tecnicamente.

Não dá para apontar favorito, mesmo entendendo que jogando no Arruda, crescendo como está, o tricolor leva uma pequena vantagem sobre o Carcará. Porém, não é de causar surpresa, se o time Salgueirense vier  pregar um susto em pleno Arruda, aos comandados de Vinicius Eutrópio.

Blog de Airton Sousa: Clássico na Ilha nessa quarta-feira

Terminava o jogo no Ceará e logo o técnico Daniel Paulista, na coletiva, já adiantava que para o clássico contra o Náutico, pelo Hexagonal, iria colocar o  time misto, deixando os jogadores da Copa do Nordeste de fora. Nenhuma novidade, porque tem sido esse, o critério do treinador, para as duas competições.

Sendo assim, o time rubro-negro para enfrentar o Náutico nessa quarta-feira(01/03), será basicamente um misto com poucos titulares e a maioria de jogadores que o treinador pretende utilizar em um futuro não muito distante. Esse time vem jogando, vencendo, porém ainda não conseguiu conquistar a confiança da torcida.

Enquanto isso, o Náutico que vem de um empate pela Copa do Nordeste, na Arena de Pernambuco, contra o Campinense, pretende tirar proveito da escalação do adversário e tentar vencer o clássico, para levantar a confiança da torcida, em razão de que o alvi-rubro, dificilmente passa para a outra fase da Copa do Nordeste, e no Hexagonal, também não vem convencendo.

O técnico Milton Cruz, teve um tempo mais longo para conhecer e trabalhar o grupo. Pretende dar um novo sentido tático ao time, que vem falhando em todos os setores. Como o adversário, tecnicamente não vai colocar em campo o que tem de melhor, nos Aflitos, todos estão esperançosos de uma vitória.

Fica meio confuso para as duas torcidas. De um lado o Sport com o time misto ou reserva, deixando entender que não está ligando muito para o Estadual. Do outro lado, o Náutico que ainda não conseguiu a credibilidade da sua torcida e também quer mostrar a cara de um elenco com qualidade técnica. É aguardar para ver, quem erra menos nesse jogo que ainda pode ser chamado de ” Clássico em Pernambuco ” .

Blog de Airton Sousa: Náutico se complica na Copa do Nordeste

Esperava-se que o time de Milton Cruz, apresentasse um futebol pelo menos diferente e criativo, no entanto, foi o mesmo time medíocre de sempre. Enquanto isso, o técnico Sergio China, estudou o time timbu e anulou na marcação, as principais peças do Náutico, principalmente Marco Antonio, que é um jogador diferenciado e não teve espaço para jogar, complicando dessa maneira, o sistema que seria responsável pela criatividade e transição para o ataque.

Poucas foram as oportunidades do time pernambucano, e o Campinense, pela orientação do seu treinador, passou a jogar por uma única bola. No entanto, os dois times pouco criaram e chutaram no primeiro tempo. Porém, para o visitante, o empate era um bom resultado, e foi assim que o time campineiro se comportou no primeiro tempo, que terminou em 0 x 0.

Na segunda fase, o Campinense se fechou mais ainda, mesmo assim, obrigou o goleiro Tiago Cardoso a fazer duas grandes defesas, enquanto que o Náutico somente aos 45 minutos do segundo tempo, teve a melhor chance através do jogador Everton Páscoa, que no desespero e na falta de capacidade de finalização, desperdiçou a grande chance, deixando a pequena torcida presente na Arena de Pernambuco, desesperada.

Com o empate, o Campinense assumiu a liderança do grupo, com oito pontos e um jogo a mais, enquanto que o Náutico tem complicada a sua situação, com apenas quatro pontos, e tendo pela frente, o clássico contra o Santa Cruz e o Uniclinic, no Ceará. Quanto ao técnico Milton Cruz, saiu decepcionado com o que viu e está consciente das dificuldades que virão. Fora da Copa do Brasil, e com remotas possibilidades de continuar no Nordestão, o Náutico agora pensa no Estadual, e em breve, também começam os preparativos para o Brasileiro da Série B.

Blog de Airton Sousa: Finalmente o Náutico vence

Com o técnico Milton Cruz acompanhando o jogo e Leví Gomes na àrea técnica, finalmente o Náutico vence uma partida, depois de quatro derrotas sucessivas. Um jogo em que o time do Belo Jardim mais se defendeu, e o Náutico sem se encontrar, principalmente na sua peça ofensiva, onde Jefferson Nem, outra vez, não esteve bem. Daí o resultado de 0 x 0 no primeiro tempo.

O segundo tempo começou diferente. Já aos dois minutos, em uma jogada iniciada por Erick, o experiente Marco Antonio abre o placar, deixando o time timbu na vantagem. O time da terra do Bitury, teve algumas oportunidades, porém encontrou em Tiago Cardoso, uma barreira, evitando acontecer o pior para o Clube Náutico Capibaribe, que se sentia acuado, sem muitas opções de reação.

No apagar das luzes do segundo tempo, brilhou outra vez a estrela do jovem jogador Erick, que ao penetrar na área  adversária, sofreu falta e a arbitragem marcou pênalti. O mesmo Erick demonstrando muita personalidade, pegou a bola, cobrou fechando o placar de 2 x 0, e deixando a torcida mais aliviada. O técnico Milton Cruz, acompanhou o jogo, e a partir de hoje, assume o comando da equipe timbu.

Um público próximo de 800 torcedores esteve na Arena para testemunhar a partida, onde, cada vez mais, é pífia a presença dos torcedores nos Estádios, principalmente tratando-se da Arena de Pernambuco, por toda estrutura necessária para a realização de uma partida, o que é lamentável.

Blog de Airton Sousa: Pernambucanos estreiam bem na Copa do Nordeste

Os três clubes de Pernambuco, começaram com o pé direito a Copa do Nordeste, neste meio de semana. O Náutico que jogou na Arena de Pernambuco, contra o Uniclinic e venceu bem pelo placar de 4 x 0, não tomando conhecimento do time cearense e tendo o que nós podemos considerar uma excelente estreia.

Enquanto isso o Sport Clube do Recife, estreou jogando na Ilha do Retiro, contra o Sampaio Correia. Um jogo difícil para o rubro-negro, que não contou com a presença do jogador Diego Sousa, que estava a serviço da Seleção Brasileira, no Engenhão contra a seleção da Colômbia. O placar foi apertado de 1 x 0, porém também o time leonino começou a competição com o pé direito, somando três pontos.

Dos pernambucanos, apenas o Santa Cruz jogou fora de casa, em Campina Grande, contra a boa equipe do Campinense e não conseguiu vencer. O Placar de 1 x 1 foi o resultado final entre pernambucanos e paraibanos. Apesar de não ter vencido, temos que levar em consideração, que o tricolor pernambucano, é o único dos três que sofreu maior número de baixa pela quantidade de jogadores dispensados no final de 2016.

Blog de Airton Sousa: Náutico sem rumo na estreia

Vejam só o que está acontecendo com a estreia do Clube Náutico Capibaribe, na Copa do Nordeste, no dia 24 deste mês: Por ocasião do último jogo do Brasileiro, na Arena de Pernambuco, contra o Oeste, houve uma série de invasões, e a CBF, a princípio, retira do Náutico o direito de jogar algumas partidas no Recife, e coincidência ou não, o primeiro jogo do Nordestão tem o mando de campo dos Pernambucanos.

Agora, os Dirigentes estão a procura de um local para o time jogar, considerando que, na Arena não pode; os Aflitos estão impraticáveis, em razão das reformas, que aliás caminham a passos muito lentos, por falta de dinheiro. A primeira opção, de cara, pode ser o estádio Almeidão, em João Pessoa. Aí vem o principal obstáculo, além do campo, o deslocamento do torcedor, em uma noite de terça-feira, às 19 horas. É muito complicada a situação do timbu, além de difícil solução.

Tudo isso em consequência da irresponsabilidade de alguns torcedores, que por conta disso, o clube que eles dizem amar, fica em uma situação extremamente complicada, além do prejuízo financeiro e as dificuldades técnicas que o Uniclínic deverá oferecer. Agora é aguardar se existe alguma alternativa jurídica, para que possa mudar a decisão, e assim, espera-se que o Timbu vença mais essa batalha, dentro e fora de campo.

Blog de Airton Sousa: Futebol de Pernambuco em 2016

Está na hora de avaliarmos o que foi o futebol Pernambuco em 2016. Faremos um retrospecto da participação do Sport, Santa Cruz, Náutico e Central nessa temporada esportiva, onde aconteceram muito mais erros do que acertos, nas mais diversas participações que tivemos durante o ano. Entendemos que alguns dos principais erros cometidos pelos Dirigentes dos três clubes da capital, foi a mudança frequente dos treinadores e a contratação de muitos jogadores, a maioria sem qualidade, tornando assim o time impraticável de formação.

Começando pelo Santa Cruz, que vinha de acesso para a primeira divisão, aproveitando a estrutura anterior e começando o ano. Coincidência ou não, em razão do desmonte dos concorrentes, consegue ser Campeão Pernambucano, e avançando na Copa do Nordeste, até chegar a conquista da competição. Além do mais, na própria Sul-Americana, podemos dizer que foi boa a participação. Também na Copa do Brasil, o tricolor foi convincente, deixando o seu torcedor satisfeito. Ou seja, além das duas conquistas, o Santa Cruz também não decepcionou nas demais competições aqui evidenciadas.

Agora, tratando-se de Campeonato Brasileiro, foi um desastre, chegando ao rebaixamento, por razões diversas: troca de técnicos, contratações de baixa qualidade, um elenco inchado e a desorganização financeira. Porém, de todas as competições que participou,  exceção o rebaixamento 2016,  foi um ano positivo para o Santa Cruz. Como nota para o tricolor, seria 7, sobretudo porque, apesar do rebaixamento, foi o único clube que conquistou duas competições.

Com relação ao Náutico, mais uma vez nada de conquista, nada de acesso. Um ano em que o timbu passou pelos Campeonatos Pernambucano e Brasileiro, sem nada crescer, e na Copa do Brasil, uma participação extremamente discreta. Ressaltando-se também, que a mudança de treinador, as contratações em grande quantidade e sem tanta qualidade, foram os principais erros.  O lado mais positivo, foi a contratação do técnico Givanildo Oliveira e o trabalho da Diretoria no campo financeiro, ao contrário de anos anteriores. Se fosse para dar uma nota ao Náutico em 2016, essa nota seria 6.

O Sport, em contra partida, foi outro clube Pernambuco que apenas gastou, e gastou muito, sem os resultados devidos. Uma folha de pagamento em torno de quatro milhões, jogadores que chegaram a ganhar até 350 mil reais por mês. E nada veio em retorno, pelo contrário, uma participação pífia nos Campeonatos Pernambucano e Brasileiro, nas Copas do Nordeste, do Brasil e Sul-Americana, sendo também uma vergonha, sem dar um bom resultado à sua torcida.

A exemplo do Náutico e Santa Cruz, o Sport pisou na bola, com a contratação de treinadores. Esperar que a nova Diretoria rubro negra, possa errar menos que a atual e traga conquistas para o clube, o que não aconteceu este ano. Quer saber a nota que o Sport merece, para a sua temporada em 2016? Apenas uma nota 5.

Para  falar de um clube do interior, escolhemos o Central, que a exemplo dos três grandes, teve uma participação extremamente negativa na fase importante do Campeonato Pernambucano, e ao chegar no Campeonato Brasileiro da série D, não foi diferente, ficando apenas na primeira fase, ao contrário dos anos anteriores, onde conseguia avançar no Brasileiro. O que justificar dessa participação negativa? Uma parceria que não deu certo em nada, a desorganização financeira, a falta de senso administrativo  dos Dirigentes, o descrédito junto ao empresariado e a torcida, além da maneira amadora de administrar.

Como será 2017 para o Central, é uma pergunta de difícil resposta, porque não se vê muita perspectiva, há não ser acreditar que o técnico Laelcio Lima, possa aproveitar alguns jogadores da base, juntando-se aos poucos contratados e fazer o milagre da reprodução técnica. Para não falar apenas de coisas negativas, temos um fato positivo do alvi-negro, que foi a participação pela primeira vez, na Taça São Paulo de Futebol Júnior, fato aliás que tem como mérito principal, o esforço e qualidade dos técnicos Laelcio e Elivelton.

Agora, é esperar que o complemento de mandato da atual Diretoria, possa trazer algo de positivo para o clube, porque até agora, poucos ou quase nenhum fato positivo podemos veicular do presidente Licius Cavalcanti. Sim, devemos registrar, em torno de 7 a 8 meses de atraso de salário, com os funcionários do clube, e esse é também um fato extremamente lamentável. A nota para a Diretoria, é nota 4; se melhorar a gestão do clube no próximo ano, talvez essa nota possa subir um pouco.

Que venha 2017 com melhores resultados para o futebol pernambucano!

Blog de Airton Sousa: Uma decisão inconsequente

Após a derrota para o Oeste, e a manutenção do time na série B, vários comentários foram veiculados sobre a saída de Givanildo Oliveira, do comando técnico do Clube Náutico Capibaribe. No entanto, esperava-se que o bom senso prevalecesse, mesmo porque o melhor caminho seria, no mínimo, a manutenção do treinador, a seleção dos jogadores que iriam ficar e os reforços para 2017. Porém, nesta sexta-feira(02), a Diretoria do clube anunciou a saída de Givanildo Oliveira e automaticamente a contratação do Pernambucano Dado Cavalcanti, que estava recentemente no Paysandu e  volta ao timbu, consolidando a sua segunda passagem no time.

A saída ou chegada de um profissional, é um fato de rotina, mesmo porque o imediatismo sempre prevalece no futebol Brasileiro. Sempre que acontece uma decisão, observa-se que além da precipitação, uma decisão injusta e humilhante, em razão da maneira como Givanildo chegou no clube, com um time limitado, precedido de resultados negativos e com uma perspectiva de rebaixamento.

Givanildo remontou o time, sem condições nem reforços substanciais, que teve, de início, uma sequência de sete vitórias. Algumas derrotas aconteceram, principalmente fora de casa, exemplo a que aconteceu com a Luverdense,  o Clube de Regatas Brasil, o Avaí sofrendo uma goleada, e o estopim de tudo, que foi a derrota na última rodada para o Oeste, que provocou a ausência do time na primeira divisão do próximo ano. Reafirmo e vejo como precipitadas e injustas tais decisões, a dispensa do treinador, que não tem nada a ver com a falta de dinheiro para as contratações e a manutenção de peças que dariam um suporte estrutural, para o início das competições em 2017.

Acho até que Dado Cavalcanti, poderá fazer um bom trabalho, desde que seja dada condições para isso, com reforços, pagamento em dia e outros aspectos importantes para bons resultados. Entretanto, a saída de Givanildo é que não foi bem explicada. Porém, quando se trata de dirigente de futebol e suas decisões, sempre entendemos como mais um fato inconsequente e pouco convincente. Givanildo segue seu trabalho para onde for, e com muita dignidade, e Dado Cavalcanti com certeza terá muita dor de cabeça para remontar o time em 2017.

Foto: INternet

Foto: INternet

Blog de Airton Sousa: Disputa acirrada pelas últimas vagas do G4

Depois dos resultados da 37ª rodada da série B, o G4 tem uma definição dos dois primeiros classificados e uma disputa pelas duas últimas vagas,  para o complemento dos clubes que estarão na primeira divisão do próximo ano. Atlético de Goiás e  Avaí já  estão na primeira divisão em 2017. Probabilidades maiores para Bahia e Vasco da Gama também terem acesso. Porém o  Náutico corre por fora, porque depende de uma vitória na última rodada, contra o Oeste, na Arena de Pernambuco, que luta para não ser rebaixado. Além da vitória contra o Oeste, o Náutico depende dos resultados do Vasco da Gama contra o Ceará, e do Bahia que joga fora contra o Atlético de Goiás. Portanto, a situação timbu, comparando os três clubes que buscam o acesso, é a mais difícil.

Quanto ao jogo contra o já rebaixado Tupi, mesmo com as dificuldades iniciais, o Náutico conseguiu uma vitoria folgada por 4 x 1, chegando a somar agora  60 pontos, 3 a menos que o Bahia e 2 a menos que o Vasco da Gama. Observa-se nessa reta final da competição, a falta que faz perder pontos para clubes de menor porte, a exemplo dos jogos do Náutico contra Luverdense, Clube de Regatas Brasil, entre outros. Jogando contra times inferiores, quem quer ter o acesso ao G4, tem que vencer, a exemplo do que aconteceu ontem contra o Tupi, muito embora temos que reconhecer que foi um pouco tarde, considerando  a posição dos quatro times que estão à frente do timbu.

Contra o Oeste, o importante é o time não se entregar, a torcida fazer o seu papel mais uma vez, e torcer que os correntes possam errar, e com isso, contribuir para o  acesso do Náutico. Sinceramente, acho complicada a situação do time de Pernambuco, e se fosse preciso colocar percentuais de credibilidade, daria apenas 10% de chances para o alvi-rubro Pernambucano. Se acontecer o acesso, para mim será uma surpresa, mais só resta aguardar.

Blog de Airton Sousa: Náutico diminui chances do G4

Com um futebol fraco, produzindo muito pouco, o Náutico perdeu neste sábado(12), para o Avaí em Santa Catarina pelo placar de 3 x 0. Opinião unânime, inclusive do treinador Givanildo Oliveira, afirmando que o time teve uma fraca produção, observado-se que do grupo todo, poucos foram os jogadores que se destacaram na partida, a começar pelos dois alas, os zagueiros, os meias e o isolamento dos atacantes. Além do mais, o Avaí com  mais posse de bola, finalizando com mais qualidade, ficava difícil para o timbu esboçar reação. O primeiro gol, de pênalti duvidoso, aos 25 minutos, cobrado por Marquinhos; o segundo gol, também de Marquinhos, aos 48 minutos, fechando o placar de 2 x 0.

Se no primeiro tempo, o grupo não se encontrou, pior foi na segunda etapa, com o Avaí fazendo o terceiro gol aos 7 minutos, através do jogador Rômulo.  As modificações feitas pelo treinador Givanildo Oliveira  não corresponderam e a principal peça do Náutico, o jogador Marco Antonio, não esteve bem e terminou sendo substituído, além da expulsão de Mailson. Vamos esperar pra ver o que vai acontecer na próxima rodada, onde o Náutico continua fora, contra o Tupi, e depois encerra em casa, contra o Oeste.

Diminui a possibilidade do Náutico de entrar no G4, pela posição dos demais concorrentes e porque dá para sentir que o grupo está perdendo fôlego, nessa reta final da competição. Os mais críticos, já começam a ensaiar o chavão que tem caracterizado a participação do Náutico, em momentos importantes das competições, “o Náutico nada, nada, e termina morrendo na beira da praia”. Não é ser pessimista, é simplesmente vivenciar a situação do time timbu, também no atual momento do Campeonato Brasileiro da série B.

Blog de Airton Sousa: CRB sem chances de entrar no G4

Um obstáculo foi derrubado a favor do Náutico nessa sexta-feira(11), no Estádio Rei Pelé, por ocasião do jogo entre o Clube de Ro egatas Brasil e Payssandu. Um jogo em que interessava de perto ao time timbu, pelo fato de que o time alagoano é o sexto colocado com 55 pontos, apenas 2 a menos que o timbu. Uma vitória do Regatas, complicava mais ainda a situação do Náutico, que cairia uma posição, até o jogo deste  sábado, contra o Avaí.

A verdade é que, dominando o jogo no primeiro tempo, e no segundo tempo, até tomar um gol surpreendente, o Clube de Regatas Brasil, não teve competência ofensiva, mesmo contando com a participação do artilheiro Zé Carlos, que saiu machucado no meio do segundo tempo. O time de Dado Cavalcanti, se defendeu o tempo todo, bateu muito e jogou por uma bola, tendo a competência de faturar no tempo certo.

Após o gol, o desânimo abateu o time do Clube de Regatas Brasil, que se entregou ao resultado e aos desespero. Com a derrota, as chances diminuíram, parou com 55 pontos, e só chega no máximo a 61 pontos, sendo quase impossível a chance de chegar ao G4. Esse resultado favoreceu diretamente ao time de Givanildo Oliveira, desde que consiga vencer ao Avaí neste sábado(12), onde a vitória é fundamental. O empate complica, e a derrota, afasta mais ainda o time Pernambucano do G4 do Campeonato Brasileiro da série B . É aguardar para ver o que acontece neste sábado, entre o Avaí e o Náutico.

Blog de Airton Sousa: Náutico vence mas permanece fora do G4

Vejam só, que prejuízo o time do Náutico sofreu, por ocasião da derrota para o Clube de Regatas Brasil, no momento, e após o jogo. Com a vitória o time alagoano, voltou para a briga pelo G4, somando 52 pontos; como se não bastasse e com o resultado contra o Tupy, em Juiz de Fora, foi a 55 pontos e fechou a rodada na 6ª posição. Quanto ao Náutico, mesmo vencendo em casa pelo placar de 1 x 0 ao time do Goiás, não entrou no G4, em razão da vitória do Bahia, pelo placar de 1 x 0, contra o Sampaio Correia, no final do segundo tempo. A briga pela primeira divisão, aumenta cada vez mais. O Atlético com 67 pontos, em primeiro lugar. O Bahia, com 59 pontos é o segundo colocado. O Vasco, após o empate em São Januário, fica na terceira posição, com 59 pontos. E finalmente, o  Avaí fecha o G4, somando 58 pontos, na quarta posição.

Na sequência, o Náutico tem 57 pontos, sendo  o  quinto  colocado, e é perseguido  pelo C R B e Londrina, ambos  com 55 pontos. A disputa promete muito mais, nessa reta final do  Campeonato Brasileiro da segundo divisão.

Quanto ao jogo dessa terça-feira, na Arena de Pernambuco, o Náutico fez um jogo apenas sofrível, diante de um adversário que possui um bom conjunto técnico e jogadores de valores indiscutíveis, para um time de segunda divisão. Um primeiro tempo, em que o time do Goiás predominou do meio de campo para frente, e o Náutico em raros momentos, tentou chegar ao gol do time Goiano. Terminando em 0 x 0, a primeira fase, onde o goleiro Julio César trabalhou bastante, e evitou uma derrota do seu time.

No segundo tempo, muita disposição do time de Gilson Kleina, buscando sempre o atacante Walter, que preocupou muito a zaga timbu. De repente, o técnico Givanildo Oliveira, faz Mailson entrar em campo, e como que um capricho da sorte, é o Mailson que em uma jogada individual, envolve a zaga do  Goiás e chuta para marcar o gol da vitória timbu.

Agora o Náutico parte para um compromisso difícil e direto, contra o time do Avaí, em Santa Catarina, nesse sábado. Só a vitória interessa ao time de Givanildo, porque o adversário tem dois pontos a mais, portanto se beneficiaria com o empate, ao contrário do time Pernambucano. Agora, é tudo ou nada. Um erro é fatal, e pode diminuir as chances do time que errar, principalmente em casa.

Blog de Airton Sousa: Náutico perde e continua fora do G4

Num jogo, em que a torcida timbu fez o seu papel, indo a capital alagoana, incentivando o time, e saindo decepcionada, o Náutico terminou perdendo para o desesperado Clube de Regatas Brasil, pelo placar de 1 x 0. O time alagoano jogava uma cartada decisiva, porque se não conseguisse vencer, teria afastada de uma vez por todas, as chances de brigar por uma das vagas no G 4.

Tivemos um primeiro tempo com os goleiros trabalhando muito, as defesas superando os ataques e as finalizações erradas, foi esse o padrão da primeira fase, com o Náutico encontrando dificuldades na transmissão e também sentindo a falta de um jogador com presença de área, enquanto que o adversário tentava a todo custo, principalmente com o artilheiro Zé Carlos, que não fez um bom jogo. Daí o 0 x 0 do primeiro tempo.

No segundo tempo, o Clube de Regatas Brasil, voltou mais agudo e ofensivo, principalmente com o jogador Wellington Junior, que apavorou o sistema defensivo timbu, pela direita, onde o Náutico sentiu a ausência do jogador Gaston Filgueira, entre outros jogadores. A transição do time alvi-rubro foi complicada, e a verdade é que o time alagoano foi dono absoluto do segundo tempo. De tanto insistir e diante das facilidades, terminou marcando o gol da vitória aos 35 minutos, com Matheus Galdezani, após uma troca de passe errada entre os jogadores Marco Antonio e Igor Rabelo.

Se o Náutico estava mal, piorou muito mais,depois do gol sofrido, sem encontrar a capacidade suficiente de reagir. A derrota complicou a situação do Náutico, principalmente pelos resultados dos concorrentes diretos: Avaí, Bahia, e o próprio Regatas. O Náutico continua fora do G4, agora com uma diferença de 2 pontos para o Bahia e 3 pontos para o Avaí, que venceram os seus jogos. O próximo jogo do timbu, será terça-feira(08), na Arena de Pernambuco contra o Goiás, que perdeu o clássico para o Atlético por 4 x 2.

Se quiser continuar na disputa por uma vaga no G4, o time timbu terá que vencer ao Goiás, e partir para outra vitória contra o Avaí, em Santa Catarina, no próximo final de semana. O ponto negativo do jogo de hoje, além da derrota do Náutico, foi a arbitragem de Alinor Silva da Paixão, que anulou um gol legítimo do Náutico, e deixou de marcar um pênalti claro, a favor do Clube de Regatas Brasil. Ou seja, uma arbitragem que terminou influenciando no resultado do jogo, mais uma vez.

Blog de Airton Sousa: Náutico sai do G4

Nessa reta importante e final da série B do Campeonato Brasileiro, continua bastante acirrada a disputa pelas quatro vagas à primeira divisão. Nesse instante, estão praticamente garantidas duas vagas, Atlético de Goiás com 61 pontos e o Vasco da Gama com 58 pontos. A disputa está entre o Bahia, com 56 pontos, após vencer nesta sexta-feira(04), o time do Vila Nova em Goiás; o Avaí com 55 pontos, que  joga em Santa Catarina, contra o Londrina, que tem  54 pontos; o Náutico que está também com 54 pontos e que joga neste sábado(05), no Estádio Rei Pelé, contra o Clube de Regatas Brasil, que tem 49 pontos, e que também tem chances, se vencer ao Náutico,  de entrar na disputa do G4.

Observa-se principalmente agora, quando a competição chega na reta final, como faz falta as vitórias que não acontecem em casa, além de derrotas para times inferiores fora de casa. O Náutico tem hoje o jogo da vida, contra o Clube de Regatas Brasil, se vence avança e faz a diferença, se perde tem complicada sua situação, principalmente se o Avaí que joga em casa, vencer ao Londrina, que tem a mesma pontuação do time timbu.

O alvi-rubro tem depois do jogo deste sábado(05), os seguintes adversários: Goiás na Arena de Pernambuco;  o Avaí em Santa Catarina(confronto direto); o Tupi em Minas Gerais e finalmente o Oeste na Arena de Pernambuco. Ou seja, dois jogos em casa, dois jogos fora. Porém, antes de tudo, é vencer neste sábado(05), ao Clube de Regatas Brasil, uma missão muito difícil.

Blog de Airton Sousa: Náutico volta ao G4

Beneficiado com a vitória de 2 x 1, diante do Atlético de Goiás, o Náutico está de volta ao G4 do Campeonato Brasileiro da série B. Um jogo que teve o placar de  0 x 0 no primeiro tempo, com o time goiano, muito bem projetado taticamente, e dificultando o trabalho de transição do alvi-rubro, daí as dificuldades entradas pelos comandados do técnico Givanildo Oliveira. Basicamente, o Náutico teve uma chance concreta de gol, com o jogador Bergson, com uma bola na trave , enquanto que o time do Atleticano teve também uma excelente oportunidade aos 15 minutos com o jogador Michell. Ou seja, um jogo muito bem disputado na linha intermediária, sem tanto trabalho para os dois goleiros.

No segundo tempo, o Náutico surpreende e marca com Rony no início, há um minuto de jogo. O gol deu uma certa tranquilidade emocional ao alvi-rubro, que passou a predominar, com mais jogadas ofensivas, ampliando aos 15 minutos, e chegando ao placar de 2 x 0. Depois do segundo gol, o Atlético que até então equilibrava o jogo, passou a ser dominado e o Náutico predominou, diante de 15.239 torcedores, que incentivando, levavam o alvi-rubro a uma tranquilidade maior no jogo. Quando tudo parecia definido no placar, o Atlético surpreende e marca o gol de honra, através do jogador Magno Cruz, porém tarde, porque a história do jogo estava desenhada, a favor do time de Givanildo Oliveira.

A vitória deixa o Náutico com 54 pontos, inclusive sendo favorecido com com o empate do Avaí, que chegou aos 55 pontos e não avançou. Agora, esperar a reação do Londrina, Bahia, C R B, Ceará, Luverdense e Criciúma. Contudo, nesse instante o Náutico depende exclusivamente dele, onde não pode cometer erros, a exemplo do que aconteceu contra a Luverdense., em Lucas do Rio Verde. O próximo jogo do time timbu, será fora de casa, contra o C R B, no dia 06 de novembro em Maceió. A renda de ontem na Arena de Pernambuco, somou R$ 275.090,00. O governo de Pernambuco, encontrou uma maneira de ajudar o time do Náutico, abrindo mão dos 25% que lhe cabe, creditando o valor total da arrecadação a favor do alvi – rubro, o que não deixa de ser um estímulo a excelente participação do time no Campeonato Brasileiro.

Blog de Airton Sousa: Náutico sai do G4

Foi quebrada nessa sexta-feira(21), a invencibilidade do Náutico sob o comando do técnico Givanildo Oliveira, onde o time vinha de dois empates e seis vitórias. Uma maratona de jogos,  mesmo sem jogar bem contra alguns adversários, o resultado positivo acontecia, graças a determinação de alguns jogadores, entre eles, Marco Antonio, Rony e Vinícius. Na partida contra a Luverdense, as ausências de Júlio César, Rony e Vinícius, influenciaram muito, inclusive no rendimento do jogador Marco Antonio, que terminou sendo substituído no segundo tempo de jogo. O time pernambucano, encontrou muitas dificuldades, também pela aplicação do  adversário.

O time de Givanildo Oliveira abriu o placar através de um pênalti, cobrado por Bergson, aos 10 minutos do primeiro tempo, terminando com o placar parcial de 1 x 0, a favor do alvi rubro, apesar de não estar jogando bem, em todos os setores. No segundo tempo, a pressão da Luverdense aumentou mais ainda, e aos 9 minutos, através do jogador Alfredo, o empate acontecia, coincidência também, na cobrança de um pênalti. A partir daí, o time da Luverdense, passou a predominar e logo se percebia que o segundo gol, não demoraria a acontecer, pelo desespero do time alvi rubro. Sem render um bom futebol, Marco Antonio é substituído, e nem assim, o time de Givanildo, melhorava a produção. Com a supremacia da Luverdense, não demorou muito e aos 37 minutos, saía o gol da vitória, também através  do jogador Alfredo, quebrada assim, uma invencibilidade de 8 jogos.

Para o próximo compromisso, o Náutico tem os retornos de Julio César, Rony e Vinícius, onde espera-se que o time volte a praticar um bom futebol, mesmo contra o líder da série B. A derrota trouxe algumas consequências para o time timbu:  saída do G4 e a obrigação de vencer ao Atlético de Goiás, na Arena de Pernambuco. No mínimo empatar contra o  C R B,  no Rei Pelé, além de outras dificuldades que o time terá pela frente. Lembrando da importância de não tomar distância do G 4. Sabemos que invencibilidade, não é para sempre, porém a derrota e a maneira como o time jogou, causa preocupação.

Blog de Airton Sousa: Náutico joga mal, mas vence

Com a Arena de Pernambuco, recebendo um público superior a 25.000 torcedores, o Náutico conseguiu uma vitória milagrosa de 1 x 0, aos 49 minutos do segundo tempo. O time do Ceará jogou melhor o tempo todo, bem aplicado taticamente, adiantando sempre a marcação e evitando que o time Pernambucano executasse a transição. Daí as dificuldades enfrentadas pelo time alvi rubro. As oportunidades surgiam a cada instante para o time cearense, porém, a defensiva timbu, esteve bem o tempo todo, ao contrário do restante dos setores, que não se acertavam, em razão, principalmente, da aplicação do adversário. Zero a zero foi o placar do primeiro tempo, com o técnico Givanildo reconhecendo a fragilidade do seu time, comparando inclusive, com o jogo contra o Bragantino.

No segundo tempo, permaneceu a mesma superioridade do Ceará, que demonstrava estar satisfeito com o empate, a cada instante que o tempo passava, reforçando mais ainda a marcação e dificultando o toque do time da Conselheiro Rosa e Silva. O castigo estava para acontecer, e exatamente aos 49 minutos, Igor Rabelo manda de cabeça uma bola para o gol cearense,  o milagre acontece e o Náutico vence o jogo por 1 x 0. Todos reconhecem que o Ceará jogou melhor, taticamente foi mais aplicado, no entanto, futebol não tem essa, ganha quem faz, e o Náutico terminou escapando mais uma vez.

O próximo jogo do time alvi rubro, será com a boa equipe do Luverdense, que está no meio da tabela, sem condição de atingir o G 4, nem tão pouco ser rebaixada, ou seja, uma posição comoda, muito embora sabemos como é difícil enfrentar o time de Lucas do Rio Verde, inclusive a logística para chegar àquela cidade.  A competição está chegando ao final, e com certeza, um erro pode ser fatal.

Faltando sete rodadas para terminar o Campeonato Brasileiro da série B, a classificação dos 8 primeiros colocados é a seguinte: Atlético de Goias 58 pontos; Vasco da Gama 54 pontos; Náutico 51 pontos; Avaí 51 pontos; Bahia 49 pontos; Londrina 49 pontos; Criciúma 46 pontos e o CRB 46 pontos. Na zona de rebaixamento, a classificação é a seguinte: Bragantino 30 pontos; Joinville 29 pontos; Tupi 26 pontos e Sampaio Correia 26 pontos.

Blog de Airton Sousa: Incerteza na tabela da Copa do Nordeste 2017

Os clubes Nordestinos em reunião festiva, tomaram conhecimento ontem(04), da tabela e novidades da Copa do Nordeste 2017. O fato que chamou a atenção de todos, foi o anúncio por parte de três clubes cearenses, da desistência de participarem da competição. A razão explicada e não convincente, foi de que os referidos clubes não teriam suporte financeiro. Uniclínic, Guarani de Juazeiro e o Guarani de Sobral, através dos seus representantes, comunicaram tal desistência. Em contrapartida, o argumento dos que fazem a competição, é de que custos maiores esses clubes terão, participando do Campeonato Estadual do Ceará.

Com uma vaga pendente no grupo A, ficou assim a formação dos grupos:

GRUPO A

Náutico – Santa Cruz – Campinense  e possivelmente o Ceará (ainda incerto).

GRUPO B

Bahia – Fortaleza – Moto Clube – Altos do Piauí

GRUPO  C

Sport – Sampaio Correia – River – Juazeirense.

GRUPO  D

ABC – CRB – CSA – Itabaiana.

GRUPO  E

Vitória – América – Botafogo(PB) – Sergipe.

Só como detalhe, as Federações de Pernambuco e Alagoas, estão com dois representantes no mesmo grupo, casos de Santa Cruz e Náutico,  CRB e CSA, respectivamente.

Agora, esperar a decisão com relação ao Ceará, em razão do protesto dos Dirigentes de Náutico e Santa Cruz, da inclusão do time cearense, porque não teve critério, cujo caminho, seria através de sorteio.

Blog de Airton Sousa: Náutico se aproxima do G4

Uma vitória considerada fundamental, foi exatamente o que o Náutico teve nesta terça feira(04), contra o time do Bragantino. No primeiro tempo, o time timbu com um futebol irreconhecível, principalmente na troca de passes, e na liberdade que o time de Bragança encontrou, com as bolas cruzadas na área, destacando-se principalmente o goleiro Júlio César, que foi inegavelmente o nome do jogo no primeiro tempo, evitando a vitória do time paulista, já na primeira fase. No entanto 0 x 0, foi o placar do primeiro tempo.

No segunda fase, pouca coisa mudou, porque o time pernambucano, chutou apenas uma bola, aliás uma bola parada, com uma bela cobrança de Marco Antonio, aos 39 minutos. Estranha-se no entanto, a diferença de futebol jogado contra o Bragantino, ao contrário da qualidade que o time apresentou diante do Vasco da Gama. Porém, não importa.  A essa altura, o que está valendo é essa sequência de resultados positivos, com o time no comando do técnico Givanildo Oliveira. Um balanço de dois empates e quatro vitórias, ou seja, 18 pontos disputados e somando 14 pontos, o que podemos considerar como um aproveitamento espetacular.

Agora o Náutico volta para casa, para enfrentar respectivamente o Brasil de Pelotas e o Ceará, dois adversários muito bem montados, onde teremos de novo, uma prova de fogo para o time de Givanildo Oliveira. Se o Náutico vence essas duas partidas, aí sim, pode começar a pensar de uma maneira mais concreta no G4 da série B. Agora, será importante também que o torcedor faça a sua parte, repetindo no mínimo, o que foi feito no jogo contra o Vasco da Gama. Cabe a Diretoria timbu, providenciar também a logística, para facilitar o deslocamento na ida e volta da torcida.

Blog de Airton Sousa: Náutico vence o líder

Uma tarde diferente na Arena de Pernambuco, com um público perto de 13.000 pessoas, ao contrário de jogos anteriores e o Náutico vencendo bem ao Vasco da Gama pelo placar de 3 x 1. O time alvi rubro, jogando com os alas, dominando o meio de campo e o ataque aproveitando grande parte das oportunidades surgidas, principalmente no primeiro tempo, onde a figura maior do timbu foi o jogador Rony, que marcou dois gols e apavorou a defensiva vascaína. Marco Antonio, foi o grande maestro e finalmente tudo deu certo, com o técnico Givanildo Oliveira completando cinco jogos, acumulando dois empates e três vitórias, sem conhecer ainda uma derrota sobre o seu comando.

No primeiro tempo o timbu teve chances aos 10 minutos com Rony, aos 16 minutos com Vinicius, aos 24 minutos o primeiro gol com Rony, aos 38 uma cabeçada de Bergson e aos 41 um chute de Bergson. Em contra partida, o Vasco teve chances aos 19 minutos com Nenê, aos 40 minutos com Ederson e aos 42 minutos com Nenê, sem contudo conseguir furar as redes do goleiro Julio César. O registro principal do jogo foi a aplicação e determinação  do time de Givanildo, sendo superior ao time do Vasco, registrando-se ainda o futebol de João Ananias e Joasi.

No segundo tempo, o técnico Jorginho já volta com a entrada de Alan, no lugar de Jorge Henrique. No entanto, sofria o segundo gol aos 2 minutos através de Bergson, desmantelando outra vez, o poder de reação do time carioca. As chances foram acontecendo, no entanto os atacantes do Vasco tinham pela frente o goleiro Julio César e a segurança da zaga timbu. Aos poucos, outras alterações ocorreram nos dois times: Talis e Edér Lopes pelo Vasco, Negreti, Renan Oliveira e Yuri Mamute pelo Náutico. Aos 39 minutos Madson fazia o primeiro gol para o Vasco, enquanto que Rony, em um lance de rara felicidade e garra, fechava o marcador aos 48 minutos, finalizando 3 x 1 a favor do time timbu. O Náutico joga nesta terça-feira(04) contra o Mogimirim, no interior de São Paulo, enquanto o Vasco da Gama joga em Belém do Pará, contra o Payssandú.

Blog de Airton sousa : Náutico vence fora de casa

Existia muita expectativa para o jogo do Náutico contra o Paraná na tarde deste sábado(24), em Curitiba. O técnico Givanildo Oliveira teve a semana toda para trabalhar o seu grupo, e vê qual seria a melhor formação, em razão de que a vitória contra o Payssandu foi importante, porém havia sido na capital pernambucana. E na definição de Givanildo Oliveira, estava a responsabilidade de escalar um time ofensivo, para surpreender o time Paranaense, que não vem bem na competição e que buscaria encontrar também o caminho da vitória. O alvi rubro surpreendeu, chegando ao placar de 2 x 0, acomodando-se em seguida, tomando o primeiro gol e dando  espaço para uma reação do adversário. Entretanto não chegou nem mesmo ao empate, apenas a marcação do gol de honra.

Outra vez o treinador Givanildo Oliveira, tem a oportunidade de trabalhar o time durante a semana toda, em razão de que só volta a jogar no próximo sábado(01/10), na Arena de Pernambuco, contra o Vasco da Gama, líder absoluto da competição, e com certeza será mais um jogo difícil a ser encarado pelo alvi rubro.

Com o resultado contra o Paraná, o torcedor do Náutico volta a sonhar com o G 4, e o técnico alvi rubro, promete colocar em campo, um time precavido na marcação e na defesa, e ao mesmo tempo ofensivo, procurando surpreender o líder da série B, que com certeza merece todo respeito pelo elenco e também pela campanha. Com a vitória contra o Paraná, Givanildo Oliveira completou quatro jogos no comando do Náutico, sem perder nenhuma partida, ou seja, dois empates e duas vitórias, o que não deixa de ser uma campanha, a principio, muito boa e cheia de esperanças.

Blog de Airton Sousa: Primeira vitória com Givanildo

Depois de dois empates sob o comando do técnico Givanildo Oliveira, finalmente o Náutico desencanta e vence ao Payssandú pelo placar de 3 x 1. Foi uma vitória construída com muita dificuldade, em razão da maneira como o técnico Dado Cavalcanti montou um esquema, para jogar por uma bola, na marcação sobre setores, dificultando o toque de bola do time timbu. No entanto, Givanildo começou a abrir espaços no jogo e terminou construindo um placar onde não deu chance de reação ao time Paraense. Foi um resultado importante para o Náutico, porque após Givanildo Oliveira assumir o grupo, não havia conseguido nenhuma vitória. Agora o time alvi rubro, dá uma respirada na série B, somando três pontos importantes, fazendo o dever de casa e diminuindo a pressão emocional da torcida.

Com essa vitória, o Náutico fica na linha intermediária da tabela, com uma posição cômoda, guardando uma certa distância da zona de rebaixamento e sonhando ainda para entrar no G4, muito embora, os resultados dessa rodada, não ajudaram ao time timbu nesse sentido.

Agora, Givanildo prepara o time para o próximo jogo, dessa feita fora de casa, contra a equipe do Paraná, onde mais uma vez o treinador vai tentar superar as adversidades de jogar no campo do adversário, e conseguir um bom resultado. No entanto vitória, sempre é vitória e não resta dúvida que o clima nos Aflitos levantou o astral do grupo, e principalmente da comissão técnica, à frente o experiente treinador Givanildo Oliveira.

Blog de Airton Sousa: Náutico continua sem vencer

Em outra circunstância, se o Náutico tivesse melhor colocado no Campeonato Brasileiro, e não tivesse perdido tantos pontos principalmente em casa, a exemplo do jogo contra o Bahia e outros jogos, o empate dessa terça-feira(13), seria considerado como um bom resultado. Porém, a situação do time timbu começa a complicar-se, porque está próximo da zona de rebaixamento, e a cada partida se distancia do G4. Não adianta querer enganar o torcedor, porque o alvi rubro tem um elenco limitado nos diversos setores e o técnico Givanildo Oliveira sabe dessa limitação, principalmente na peça ofensiva. Aliás esse é o setor mais carente, e termina nessa sexta-feira(16) o período de inscrição, onde o treinador insiste na contratação de um atacante, que chegue e vista a camisa com a verdadeira condição de um matador.

Muitas explicações e justificativas para os resultados que não chegam. Agora o técnico Givanildo debita a sequência de jogos e a falta de condição para treinar. Só que ele esquece que essa situação é passada por todos os técnicos e jogadores, em razão do calendário do Brasileirão, principalmente da série B. A questão é muito simples, o Náutico tem um time fraco tecnicamente, só não ver quem não quer. Por essa razão, esse empate simplesmente distancia o Náutico cada vez mais dos que estão na linha de frente da série B.

Quanto ao jogo contra o Joinville, o goleiro Júlio César foi o salvador da pátria, efetuando defesas espetaculares, principalmente no segundo tempo. É bem verdade que também faltou competência ao time do técnico Lisca, que a cada rodada complica cada vez mais a sua situação na tabela, e aproxima-se das chances de sofrer o rebaixamento. O time de Santa Catarina dominou o jogo, criou oportunidades, envolveu o alvi rubro pernambucano, que apenas se defendeu, sem ter qualidade de reagir. No entanto o placar de 0 x 0, debita as duas equipes um futebol apenas razoável. Agora é ver se depois de tanto tempo, o time de Givanildo Oliveira vence, desta feita ao Payssandu, na tarde desse sábado(17), na Arena de Pernambuco.

Blog de Airton Sousa: Nem Givanildo fez o Náutico vencer

Com um primeiro tempo em que as equipes tiveram mais poder defensivo do que ofensivo, poucas foram as chances de gols dos dois times. Náutico e Bahia jogaram o tempo todo pelo meio, esquecendo as laterais do campo, e isso tornou o jogo muito tumultuado, com uma disputa extremamente individual. Só no final do primeiro tempo, o Bahia teve uma oportunidade pontual de gol, com o jogador Moisés, enquanto que o Náutico teve uma bola na trave com Renan Oliveira,  jogador que no esquema do técnico Givanildo, atuou mais avançado.

No segundo tempo, as equipes voltaram sem alterações, e a exemplo do primeiro tempo, pouca criatividade e também poucas finalizações. Aos 19 minutos, Bergson e Rony perderam uma boa oportunidade, com uma troca de passes. O erro maior do time timbu, era a insistência das bolas rifadas, passando a trabalhar com um futebol aéreo, principalmente após a entrada de Vinícius. O jogo e o empate só beneficiou o Bahia, que mesmo com a expulsão de Moisés, valorizou cada minuto, porque o empate favorecia ao time baiano. Após 35 minutos, os jogadores começaram a sentir o desgaste físico, e o jogo ficou mais ainda lento.

No final, só deu mesmo o 0 x 0, que só favoreceu ao Bahia. E o Náutico vira mais uma rodada sem vencer, mesmo com a estreia do técnico Givanildo, acostumado a promover a ascensão dos times que dirigiu, de uma série para outra. O público de 4.859 torcedores, e uma renda de R$ 65.970,00. Na coletiva após o jogo, o treinador do Náutico afirmou a necessidade urgente de um camisa nove, autêntico. O próximo jogo do timbu, é fora de casa, contra o Joinville. Hoje o Náutico soma 32 pontos.

Blog de Airton Sousa: Givanildo de volta ao Náutico

Depois de perder para o lanterna da série B, no último sábado (03), o técnico Alexandre Galo foi demitido pela diretoria do Clube Náutico Capibaribe. Os problemas foram se acumulando, os erros se sucedendo e os resultados negativos acontecendo, até que culminou com uma derrota vergonhosa para o Sampaio Correia, onde o ex-treinador, deixou de fora jogadores importantes, sem explicação lógica, colocando atletas limitados tecnicamente. Realmente acabou a era Galo no alvi rubro, e agora é tentar recuperar os pontos e o tempo perdido.

Vários nomes foram evidenciados, entre eles o de Givanildo Oliveira, onde eu tenho a impressão que já estava sendo contactado, esperando só a hora da queda de Galo. Agora Givanildo é mais uma vez o treinador do time timbu, já que ele dirigiu por várias vezes os três grandes clubes de Pernambuco. No curriculum de Givanildo a passagem por vários clubes do Norte, Nordeste e principalmente no futebol mineiro, com o estigma de fazer os clubes por onde passou, subirem de divisão.

Essa é a esperança do torcedor do Náutico, que o treinador chegue, organize a casa e possa fazer o time dar a volta por cima. Porém, algumas perguntas se faz necessária, e o time? E as condições de trabalho? E o lado financeiro? Bem, é esperar para ver, no entanto se fazia necessário tomar alguma providência, e essa foi tomada com a substituição do treinador. Givanildo já tem um grande teste nesse sábado(10), enfrentar ao Bahia na Arena de Pernambuco e é realmente um grande e bom teste para o experiente treinador.

Blog de Airton Sousa: Náutico perde para o lanterna

Com um time diferente, da escalação  ao comportamento, o Náutico fez nesse sábado (03), um jogo apenas razoável, em São Luiz do Maranhão, contra o Sampaio Correia, que há nove rodadas não conseguia vencer. Mesmo assim, o time pernambucano perdeu pelo placar de 4 x 3. A sequência do placar foi a seguinte: o Náutico marcou no início do jogo; posteriormente o Sampaio empatou; depois o Náutico fez 2 x 1 e parou de jogar. Enquanto isso, bastou um só jogador para exterminar o alvi rubro. PIMENTINHA, esse foi o nome do jogo, marcando dois gols e provocando dois pênaltis para o seu time. Estando o Náutico vencendo por 2 x 1, o árbitro marcou um pênalti duvidoso e o Sampaio empatou.  Logo em seguida, mais um pênalti, e esse sim, foi legítimo, e o time do técnico Alexandre Galo deixou que o adversário tomasse conta do jogo e ainda fizesse o  quarto gol, diante de uma defesa esfacelada.

O Náutico chegou ainda a marcar o terceiro gol, porém era tarde e terminou perdendo mais um jogo, dessa feita para o lanterna da competição, pelo placar de 4 x 3. Com o resultado ficou bastante complicado, principalmente com a distância da zona de classificação, visto que o seu próximo jogo é na Arena de Pernambuco, nesse sábado (10), contra o Bahia. As alterações feitas pelo técnico Alexandre Galo, prejudicaram mais ainda o rendimento do time, inclusive a ausência do goleiro Júlio César. No final do jogo, o treinador  bastante abatido e decepcionado, deixou transparecer as dificuldades do momento, e principalmente, se continua no comando técnico do time. É esperar para ver o que vai acontecer, com o futuro do técnico e com situações diferentes e melhores para o elenco.

Blog de Airton Sousa: Náutico surpreende e vence

Demonstrando mais uma vez, a inconstância dos nossos times, o Náutico na tarde desse sábado (27), surpreendeu vencendo ao Vila Nova em Goiás pelo placar de 2 x 0. Esse tem sido o ritual dos times pernambucanos, quando ninguém espera vencem, quando tem a vantagem de jogar em casa, perdem, a exemplo do que aconteceu com o próprio Náutico no jogo anterior, na Arena Pernambuco perdendo para o Criciúma, deixando o técnico Galo e a torcida insatisfeitos.

No caso desse sábado, o time do Vila Nova era favorito, principalmente pelo fato de jogar nos seus domínios. Se não foi um grande jogo, pelo menos as equipes lutaram, em busca da marcação de gols. O Náutico alterado, trabalhando bem sua peça de criação, e os atacantes desperdiçando as oportunidades, enquanto o Vila Nova, fragilizado com poucas finalizações e encontrando no goleiro Júlio César, uma barreira quase intransponível. Os gols do Náutico surgiram de jogadas trabalhadas, envolvendo a defensiva do time goiano, e se tornando impossível para o goleiro do Vila Nova, evitar que a bola entrasse.

Com a vitória, o Náutico voltou a se aproximar do G4, joga na Arena nesta terça-feira (30), contra o Londrina, onde espera-se que o time pernambucano, empolgado com a vitoria contra o Vila Nova, possa encontrar o caminho do gol e vencer ao time do Paraná. Se acontece a vitória, o que é uma obrigação do time timbu, a condição na tabela fica cada vez melhor. Se porventura o resultado não for negativo, de nada valeu a vitória contra o Vila Nova. Espera-se que depois desta vitória, o time possa adquirir mais confiança e tenha uma sequência de bons resultados. Quanto ao torcedor, essa é a grande questão, a aversão que a torcida do Náutico tem a Arena Pernambuco, por uma série de razões. No entanto há a expectativa de uma presença, pelo menos razoável, do torcedor timbu. A diretoria iniciou uma campanha junto aos associados, para angariar fundos, com a finalidade de iniciar o projeto da reforma dos Aflitos, com a condição de em 2017, o Náutico  voltar a jogar no seu estádio.

Blog de Airton Sousa: Sport e Náutico jogam mal e perdem

Abrindo a segunda fase do Brasileiro série B, o Náutico jogou na Arena Pernambuco e perdeu para o Criciúma pelo placar de 1 x 0. Um jogo em que nada deu certo, com todos os setores do time jogando mal, errando passes e finalizações. O técnico Alexandre Galo viu a derrota acontecer, sem qualquer condição pelo menos para empatar o jogo. No final, as explicações não convincentes e as justificativas que não tem qualquer sentido. Com essa derrota, o Náutico se afastou mais ainda do G4 e vem a preocupação, porque nessa fase, será imprescindível que a vitória em casa aconteça, além de jogando fora, ocorram empates ou vitórias, para que se tenha uma boa classificação na série B. O próximo adversário do time alvi rubro será o Vila Nova em Goiás, onde o Náutico tem que recuperar pontos, em razão da derrota em casa.

O Sport também perdeu, e perdeu de goleada para o Botafogo. Até então na zona de rebaixamento, com essa vitória, o time carioca aproximou-se dos dez primeiros colocados, respirando na competição e partindo para uma recuperação total. Por outro lado o técnico Oswaldo de Oliveira, saiu revoltado com o futebol que o time jogou, não quis dar entrevista e prometeu mudanças durante a semana, para o jogo contra o Internacional em Recife. A facilidade com que os gols do Botafogo aconteceram, foi algo impressionante. O primeiro gol, aos 47 minutos da primeira fase, uma falha individual do jogador Paulo Roberto e o goleiro Magrão, entregando de presente, ao jogador Sassá . O segundo gol, já no segundo tempo, também uma falha, desta feita de Magrão que largou a bola nos pés do atacante Sassá, que só fez empurrar para as redes. Quando se esperava mais empenho e correções do time leonino, aí veio o terceiro gol, também uma bola largada pelo goleiro Magrão nos pés do jogador Camilo. O técnico do Botafogo Jair Ventura, descobriu ao longo do jogo, que o mapa da mina era em cima de Renê, que voltou a jogar e jogar muito mal. Esperar para ver o que vai acontecer contra o time gaúcho no próximo final de semana.

Blog de Airton Sousa: Náutico em busca de mais uma vitória

Com uma semana extremamente tranquila e com o técnico Alexandre Galo satisfeito com o último resultado contra o Avaí, o Náutico entra em campo nesta sexta-feira (29), para enfrentar uma equipe que, em uma das piores campanhas da série B, é um concorrente direto para o rebaixamento. O time pernambucano busca somar mais três pontos, e avançar rumo ao G4. Vinte quatro pontos é o que soma o  timbu, que abre a rodada na oitava posição e cinco pontos a menos que o quarto colocado, o time do Atlético de Goiás. A semana foi tranquila para a comissão técnica e jogadores, já que mais uma vez a escalação, a princípio, deve ser repetida, mesmo sem a confirmação oficial do treinador.

Mais uma vitória será importantíssima, pela condição de não tomar distância do G4, e também ficar longe na zona de rebaixamento. Além disso, o jogo é na Arena e após essa partida, o Náutico sai para jogar contra o Oeste, que está na zona do meio do campeonato, com 21 pontos e na décima terceira colocação. Sendo assim, o torcedor timbu deverá comparecer pela evolução que o time apresentou nos últimos jogos. Portanto, é aguardar para ver que comportamento terá o time alvi rubro, principalmente pela fragilidade do adversário que hoje se encontra na décima nona posição, com apenas 15 pontos, e tem muitos resultados negativos fora de casa. Daí a certeza da torcida de que o Náutico, a exemplo do que fez contra o Avaí, somará mais três pontos, nessa marcha rumo ao G4.

Blog de Airton Sousa: Arbitragem prejudica o Náutico

Depois de manter uma invencibilidade de cinco jogos, o time alvi rubro perdeu nesta terça feira(14), para o Vasco da Gama, em São Januário, pelo placar de 3 x 2. Apesar das falhas no sistema defensivo, inclusive do goleiro Júlio César, o Náutico criou oportunidades. No entanto, foi a não validade de um gol, que evitou o Náutico voltar para casa, no mínimo com um empate. Invencibilidade é isso mesmo, um dia cai, e foi o que aconteceu com o time Pernambucano, apesar de ter acontecido, através de um erro do árbitro.

O próximo jogo do Náutico será nesse sábado(17), ás 16 horas, na Arena, contra o Bragantino. Como a derrota foi fora de casa, inclusive para o líder, que houvera perdido apenas para o Atlético de Goias, provando a qualidade técnica do time vascaíno, cabe ao time pernambucano, manter em casa o aproveitamento dos jogos anteriores, buscar a vitória e somar três pontos, que serão importantes, nesta fase inicial da competição. Porque sabemos que quando a competição chegar aos 50%, alguns times estarão reforçados, e logicamente, os jogos serão mais difíceis, principalmente os clubes tradicionais que fazem parte do Campeonato.

Agora é esperar a participação do torcedor, como aconteceu no jogo contra o Paraná, onde tivemos um público na faixa de nove mil pessoas. Quanto a vitória, essa sim, é fundamental, porque é em casa e contra um adversário, que a exemplo do Náutico, briga para se manter na linha intermediária da tabela. O ataque funcionou desta feita mais uma vez, e vamos esperar que sábado, o mesmo aconteça, porque as estatísticas mostram que esse é o melhor ataque da série B . Que o sistema defensivo se encontre, evitando o time passar por momentos de pressão, a exemplo da noite desta terça feira, contra o Vasco.

Foto: Internet

Foto: Internet

Blog de Airton Sousa: Náutico faz o dever de casa

O time alvi-rubro, consegue mais um resultado importante, depois da sequência de uma vitória e um empate.  São sete pontos somados em três jogos, contra adversários do nível da equipe pernambucana, desta feita a vítima foi o Joinville. Tecnicamente o jogo foi fraco, com o Náutico não fazendo uma boa partida, diante de um adversário que também não apresentou um bom futebol. Porém, o placar de 2 x 0, dá a credibilidade de que o time começa a despontar ofensivamente, coisa que não vinha acontecendo antes do jogo do Sampaio Correia. O G 4 continua olhando para o time timbu, que avança a cada partida e aproxima-se dos quatro melhores colocados.

Agora, é trabalhar, reforçar e esperar que essa sequência continue, porque assim o time está no caminho certo, mesmo sabendo-se que  alguns setores continuam deficitários e o técnico Alexandre Galo tem essa consciência. Além do mais, ainda faltam 32 rodadas, consequentemente mais de 80%, daí um caminho muito longo a ser percorrido, onde a competição exigirá, principalmente elenco, e elenco de qualidade.

O próximo jogo do Náutico será fora, onde o adversário é o Paysandu, terça feira(07), uma equipe organizada e difícil de ser batida nos seus domínios. Observando-se a dinâmica do Campeonato Brasileiro, da série B, com a sequência de jogos, nas terças  e nas sextas, constatamos que é mais um desafio para os comandados do técnico Alexandre Galo.

Fonte: Internet

Fonte: Internet

Blog de Airton Sousa: Náutico vence mais uma

Depois de empatar com o Bahia em Salvador, o torcedor timbu criou uma expectativa para o jogo contra o Joinville na Arena Pernambuco. E não era para menos, o time havia vencido de goleada ao Sampaio Correia por 5 x 0, e o placar já fazia vibrar o mais sensato torcedor. Veio o Joinville e eis que uma vitória aconteceu, mesmo apenas pelo placar de 2 x 0, porém, qualquer vitória soma 3 pontos, e são esses 3 pontos que aproximam o time do G-4.

Para quem não vinha conseguindo vencer nas rodadas iniciais, de repente emplaca uma sequência de duas vitórias e um empate. Há de se convir que houve uma evolução, na produção ofensiva e no somatório de pontos. Agora é baixar a guarda, manter a humildade, trabalhar os erros e esperar que os reforços que estão chegando, possam somar mais ainda, e cobrir as deficiências que o time ainda apresenta, como todos sabem.

Quanto ao jogo contra o Joinville, não foi bom tecnicamente. O Náutico não teve a tranquilidade suficiente, principalmente no primeiro tempo, fazendo um gol e criando muito pouco para surgir mais um gol. Enquanto isso, o adversário se mostrava tímido e sem produzir e até se acomodou com a derrota parcial de 1 x 0.  No segundo tempo, o time de Santa Catarina, melhorou com as modificações feitas cresceram e produziram muito mais do que o Náutico, porém não conseguiu marcar, e merecia. No finalzinho do jogo, o Náutico marca o segundo gol, e vence pelo placar de 2 x 0.

Agora, outro teste espera o time timbu, o Paissandu, em Belém do Pará. Um adversário torcida difícil, principalmente nos seus domínios, com a torcida e a valentia do time paraense. Portanto,  mais um teste nessa sequência de desafios para o alvi-rubro pernambucano.

Fonte: Internet

Fonte: Internet