Pernambuco: Triunfo tem apresetações de circo, dança e teatro para todos

Quem estiver na cidade de Triunfo, nesta sexta-feira (01/08), tem agenda garantida para aproveitar bons espetáculos de circo, dança e teatro. A programação de Artes Cênicas do Festival Pernambuco Nação Cultural (FPNC) – Sertão do Pajeú levará produções do Estado, sempre às 16h, no Cine Theatro Guarany.

Na grade do festival, estão os espetáculos “Jogo coreográfico” (31/07) e “Haru – A Primavera do aprendiz” (01/08).

Hoje, o Acupe Grupo de Dança, apresenta o projeto “Jogo coreográfico”, que reúne dança, improvisação e interatividade com base no ato de coreografar e ser coreografado. Em um espaço que simula a estrutura e a forma de um jogo, o público é convidado a compartilhar com o grupo a criação/autoria das coreografias. Com isso, o processo criativo é aberto, e se assenta na singularidade da plateia, a cada espetáculo.

Encerrando a programação, na sexta (1ª), o mágico pernambucano Raphael Santa cruz apresenta “Haru – A Primavera do aprendiz”. No espetáculo, o ilusionismo e o teatro se unem em uma dramaturgia original, que se desenrola numa tenda de feira livre, local e universal ao mesmo tempo.

O jovem mágico busca reconhecimento e orientação de um sábio mestre para aperfeiçoar os seus dons ilusionistas. Sem que ele perceba, cada ação que se desenrola é uma lição e um teste de magia ao mesmo tempo, que põe à prova sua vocação. O mágico Rapha Santacruz contracena com o ator Sóstenes Vidal.

A direção é de Marcondes Lima, que também assina cenografia, figurino e maquiagem.

SERVIÇO:

Festival Pernambuco Nação Cultural – Sertão do Pajeú Cine Theatro Guarany ( Praça Carolino Campos, s/n, Centro, Triunfo – PE)

Sempre às 16h

*Quinta, 31/8

“Jogo Coreográfico ” Acupe Grupo de Dança – Recife

*Sexta, 01/9

Haru – A Primavera do aprendiz

Rapha Santa Cruz – Recife

Foto: Costa Neto/Secult-PE

Foto: Costa Neto/Secult-PE

TV Replay, o que é bom se repete!

São José do Egito-PE: Obras e Ações do Governo do Estado ultrapassam R$ 32 milhões

O Governo de Pernambuco já realizou (e está realizando) no município de São José do Egito, Sertão do Pajeú, um total de 60 obras e ações. Com recursos próprios, ou através de parcerias e convênios, essas intervenções representam um total de R$ 32,5 milhões que foram aplicados nos zonas rural e urbana do município. Isso sem incluir os R$ 52,2 milhões aplicados na recuperação e pavimentação da rodovia PE-320 ligando a Capital da Poesia à cidade de Serra Talhada. Também não estão incluídos nessa conta os recursos repassados pelo Fundo de Apoio ao Desenvolvimento Municipal (FEM), no valor de R$ 1,1 milhão.

Na zona rural de São José do Egito, as obras realizadas pelo Governo já beneficiaram diretamente mais de oito mil pessoas. Na zona urbana, as ações vão da construção de adutoras, praça e casas; pavimentação de ruas; reforma ou ampliação de escolas; até o alargamento de ponte com passarela para pedestres. Entre as obras de maior porte realizadas na cidade, duas são na área de educação: a construção de uma Escola Técnica Estadual, que envolveu recursos de R$ 4,5 milhões, e a reforma e ampliação da Escola Oliveira Lima, que custou R$ 1,5 milhão.

A obra estadual de maior envergadura na Capital da Poesia foi a Adutora do Rosário. Com 52 km de extensão e custo de R$ 10,5 milhões, a adutora foi construída em caráter de emergência para restabelecer o abastecimento de água na cidade que há dois anos dependia totalmente dos carros-pipa. “Antes da adutora,– relembra João Paulo dos Santos Silva, do bairro Planalto – os carros-pipa colocavam a água em 30 caixas espalhadas pelas ruas e nós ia pegar com baldes, num sofrimento triste”.

Outra ação governamental bastante significativa para o município foi a desapropriação do Hospital Geral Menino Jesus, ao custo de R$ 3,7 milhões. Desativado há vários anos, a unidade hospitalar (privada) foi adquirida pelo Estado e repassada ao município. No prédio, que tem capacidade para 240 leitos e três UTIs, funciona o Hospital Maria Rafael de Siqueira, com estrutura que também atende outras cidades do Alto Pajeú como Tuparetama, Brejinho, Itapetim e Santa Terezinha, além de parte do Cariri paraibano, como as cidades de Ouro Velho e Prata.

A solenidade oficial de entrega do prédio do hospital ocorreu no dia 29 de março passado, na quadra da Escola Técnica Professora Célia Siqueira, com a presença do então governador Eduardo e outras várias autoridades.

Na ocasião, em seu discurso, o prefeito de São José do Egito, Romério Guimarães, falou “da grande alegria de inaugurar obras junto com o governador” e fez questão de dizer que a reabertura daquela unidade de saúde foi uma conquista resultante da luta não apenas sua, mas de várias lideranças políticas da região.

unnamed (1)

unnamed (2)

unnamed (3)

TV Replay, o que é bom se repete!

Flores-PE: Firmado convênio para reposição de pavimentação no município

A Compesa e a prefeitura do município de Flores, no Sertão do Pajeú, firmaram nesta sexta-feira (25), um convênio para reposição de pavimentos em ruas e avenidas da cidade. No acordo, caberá à prefeitura a recuperação de vias – sejam elas calçadas ou asfaltadas – após serviços de manutenção das redes de abastecimento de água executados pela Compesa. O convênio foi assinado na sede da companhia, no Recife, pelo presidente Roberto Tavares e pela prefeita Soraya Murioca.

De acordo com Roberto Tavares, o acordo segue o mesmo modelo já adotado em outros municípios.

“Sempre que concluirmos alguma intervenção, como o conserto de um vazamento, por exemplo, faremos o reaterro do trecho escavado, juntamente com a sinalização, e em seguida a prefeitura fará a reposição do pavimento”, explica o presidente da Compesa.

No último dia 7 de março, a companhia já havia firmado convênio semelhante com o município de Ribeirão, na Mata Sul do Estado.

INVESTIMENTO – Desde o final do ano passado a Compesa retirou o município de Flores do racionamento de água. A Companhia investiu cerca de R$ 300 mil em uma nova Estação de Tratamento de Água (ETA), que juntamente com o antigo sistema de poços reforçou o abastecimento da cidade. A ETA também recebe água da Adutora do Pajeú e tem capacidade para tratar 10 litros por segundo.

unnamed

 

TV Replay, o que é bom se repete!

TV Replay, o que é bom se repete!