Cachoeirinha-PE: SEGURANÇA – “O município diante de suas condições já dá todo um aparato as polícias civil e militar; procurei o vereador Major Morais, me prontifiquei pra dar todo apoio ao BEPI e até hoje não fui solicitado para nada!” – Afirmou o prefeito – PARTE IV

Em meio aos números assustadores de violência que ultrapassam recordes históricos e que desafiam o Governo do Estado de Pernambuco, os menores municípios amargam a dura realidade em dispor de apenas uma viatura e dois policiais militares, é o caso da cidade de Cachoeirinha, localizada no Agreste pernambucano.

Ainda que não esteja constando nas estatísticas da polícia como uma cidade violenta, o município de Cachoeirinha tem sofrido com a insegurança. Além da defasagem de efetivo, um outro agravante, a falta de agentes e de um delegado para atender as ocorrências registradas. Dessa forma, os municípios e seus gestores carregam consigo as cobranças da população que sofre com a criminalidade que outrora parecia estar distante das cidades do interior, e hoje muitas vezes são refúgios para criminosos.

Diante do medo, manifestantes estiveram protestando na Câmara de Vereadores, pedindo dos poderes legislativo e executivo, providências em relação a falta de segurança pública, o que motivou ainda mais a discussão para a implantação de uma guarda municipal mediante audiência pública. A guarda municipal é um projeto que tramita pela Câmara de Vereadores de Cachoeirinha há algum tempo, porém, nunca foi implantada.

Na ocasião, onde “O papel das guardas municipais” esteve em discussão, foram levantadas diversas hipóteses quanto ao Poder da Policia Ostensiva da Guarda Civil Municipal, havendo com isso, diversas divergências quanto ao assunto.

Como os vereadores da Comissão Especial de Segurança Pública já teriam se posicionado e defendido a implantação da guarda municipal como um mecanismo que possa vir amenizar a questão da insegurança no município, a sociedade aguardava um posicionamento do poder executivo em que também pudesse trazer uma resposta em meio aos últimos acontecimentos, quando alguns cidadãos se sentiram lesados em meio a criminalidade.

Guarda Municipal e Segurança.Still001

Alvo de críticas, o prefeito do município, Ivaldo Almeida, que não esteve presente na audiência pública em que o assunto “segurança pública” esteve em evidência, se pronunciou em entrevista à TV Replay.

O prefeito afirmou que em nenhum momento foi contra a implantação da guarda municipal, no entanto, a segurança necessita de investimento, e para isso, faz-se necessário dispor de orçamento, e no momento delicado em que o país está passando onde os repasses por parte do governo federal e estadual estão cada dia mais reduzidos, precisa-se sentar e avaliar de onde iria retirar recursos para bancar a despesa com pessoal. 

No entanto, destacou que o município diante de suas condições já dá todo um aparato as polícias civil e militar, e que já teria procurado o vereador Major Morais, e se prontificado pra dar todo apoio ao BEPI, um efetivo que vem prestando um trabalho inconstestável à população de Cachoeirinha, mas até hoje não foi solicitado para nada. Segundo o prefeito está sendo feito um projeto em que câmeras de monitoramento serão espalhadas em locais estratégicos pela cidade,  e que através de convênios com o governo do estado será possível minimizar a atual situação de insegurança no município.

Ivaldo Almeida destacou que vem buscando medidas para promover a segurança junto com alguns gestores dos municípios do Agreste, onde ações para combater a criminalidade foram formalizadas, e posteriormente entregues ao governador do estado.

Encontro onde os prefeitos Ivaldo Almeida (Cachoeirinha), Heraldo Oliveira (Sanharó), Álvaro Marques (Tacaimbó), Débora Almeida (São Bento do Una), Jadiel Braga (São Caetano) e Douglas Duarte (Angelim)

Encontro dos prefeitos Ivaldo Almeida (Cachoeirinha), Heraldo Oliveira (Sanharó), Álvaro Marques (Tacaimbó), Débora Almeida (São Bento do Una), Jadiel Braga (São Caetano) e Douglas Duarte (Angelim)

Dentre as solicitações e reivindicações levantadas pelos gestores estiveram: ampliar a frota de viaturas; policiamento ostensivo com polícias especializadas, do Batalhão Especial de Polícia do Interior (Bepi), Grupo de Apoio Tático Itinerante (Gati) e da Ronda Ostensiva Com Apoio de Motocicletas (Rocam), além do aumento no efetivo policial.

IMG-20170909-WA0014

Ao final da entrevista, o prefeito fez um apelo aos vereadores da oposição, para que juntos dos seus possíveis candidatos a deputados, possam estar viabilizando emendas para que juntos tenham resultados e respostas o mais breve possível para a sociedade cachoeirinhense.

 

Cachoeirinha-PE: Audiência pública discutirá o papel das guardas municipais

Nesta segunda-feira (11/9) às 16h será realizada na Câmara de Vereadores de Cachoeirinha-PE, por meio da Comissão Especial de Segurança Pública, uma audiência pública para discutir “O papel das guardas municipais”. 

images

Durante o debate serão abordados o modelo de legislação e atuação das guardas municipais nos municípios que implantaram o sistema. Segundo o Presidente da Comissão, vereador Major Morais, “o evento é uma oportunidade da sociedade conhecer o trabalho desenvolvido e entender o papel das guardas municipais”.

Confirmaram participação representantes das guardas municipais de Caruaru, Toritama, Panelas e Tabira, além do Poder Legislativo e Executivo.

A audiência será aberta ao público. A comissão Especial de Segurança Pública é presidida pelo vereador Major Morais (PSDB), e composta também pelos vereadores André Raimundo (PMDB), Valmir Silva (SD) e Narciso Silva (PCdoB).

Estudos revelam que a cada meia hora acontece um assassinato no país

Dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública referentes a 2014, mostram que uma pessoa é assassinada a cada meia hora, em média, nas capitais do país. Os números constam do 9º Anuário Brasileiro de Segurança Pública, que está em fase de conclusão.

CAPITAL TAXA (a cada 100 mil)
Fortaleza (CE) 77,3
Maceió (AL) 69,5
São Luís (MA) 69,1
Natal (RN) 65,9
João Pessoa (PB) 61,6
Teresina (PI) 53,1
Belém (PA) 51,2
Salvador (BA) 48,1
Cuiabá (MT) 47,4
Aracaju (SE) 47,1
Goiânia (GO) 46,7
Manaus (AM) 41,6
Porto Alegre (RS) 40,6
Vitória (ES) 38,3
Rio Branco (AC) 36,5
Macapá (AP) 32,5
Curitiba (PR) 32,4
Recife (PE) 32,0
Belo Horizonte (MG) 30,8
Porto Velho (RO) 30,6
Palmas (TO) 27,9
Brasília (DF) 25,8
Rio de Janeiro (RJ) 20,2
Campo Grande (MS) 18,9
Boa Vista (RR) 17,5
Florianópolis (SC) 16,9
São Paulo (SP) 11,4

Juntas, as capitais registraram uma taxa média de 33 mortes violentas a cada 100 mil habitantes em 2014. Fortaleza (CE) é a que tem o maior índice (77,3) e São Paulo (SP), o menor (11,4). De acordo com o anuário, houve 15.932 mortes decorrentes de crimes violentos intencionais (homicídios dolosos, lesões corporais seguidas de morte e latrocínios) nas 27 capitais no ano passado – o que equivale a uma vítima a cada 30 minutos aproximadamente.

Para a Organização Mundial da Saúde (OMS), locais com índices iguais ou superiores a “10″ são tidos como zonas endêmicas de violência, desta forma, todas as capitais podem ser incluídas nessa classificação.

A diretora-executiva do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, Samira Bueno, diz que o quadro é bastante preocupante.

“Os dados revelam as dificuldades encontradas no enfrentamento da violência letal nos grandes centros urbanos.”

Ela ressalta, no entanto, que há disparidades regionais.

“O Brasil tem experiências de sucesso, como São Paulo, que desde o início dos anos 2000 tem apresentado uma redução expressiva das taxas de homicídio, o Rio de Janeiro, com as UPPs, e Pernambuco, por exemplo. Só que essas experiências localizadas acabam anuladas pelo aumento em outras. Fortaleza é um exemplo de um quadro muito grave de violência, que infelizmente a gente não tem tido sucesso em enfrentar. A taxa permanece praticamente idêntica ao longo dos anos e elevada”, afirma Samira.

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará, informa, por meio de nota, que conseguiu parar a curva de crescimento de crimes violentos no estado, como homicídios, latrocínios e lesões corporais seguidas de morte, neste ano. A mudança ocorreu devido ao Programa em Defesa da Vida, segundo a secretaria.

“A consolidação do Programa no início de 2015 possibilitou que, no acumulado dos oito primeiros meses deste ano, Fortaleza registre queda (nos crimes violentos]) de 19,3%, passando de 1.372 casos, em 2014, para 1.107 em 2015. São 265 óbitos a menos no período”, diz a nota. “A queda é resultado da integração entre as forças de segurança [...]; do trabalho das polícias focado nas áreas, horários e dias que apresentam maiores taxas de crimes, com base em análises estatísticas e criminais; dos levantamentos realizados pelas áreas de inteligência; da interiorização de serviços especializados das polícias; entre outras iniciativas.” – declarou a secretária de Segurança do Ceará.

Esta é a primeira vez que o fórum realiza um levantamento focado nas capitais brasileiras. Os dados foram obtidos por meio de solicitações às secretariais estaduais da Segurança Pública com base na Lei de Acesso à Informação e por meio de cruzamento de informações disponibilizadas pelos órgãos na web.

Homicídios, lesões e latrocínios

Fortaleza-CE, aparece no topo do ranking de crimes violentos em razão principalmente do número de homicídios. A cidade tem o maior número absoluto de assassinatos do país (1.930) e, consequentemente, a maior taxa (75 a cada 100 mil).

Já São Luís (MA) é a capital com o maior número absoluto de lesões corporais seguidas de morte (35) e, por isso, detém também a maior taxa (3,3 a cada 100 mil).

Aracaju (SE) aparece na primeira posição com relação aos latrocínios (os roubos seguidos de morte). A cidade tem um índice de 5,3 mortes a cada 100 mil habitantes.

Campo Grande (MS) é a capital com a maior variação na taxa de crimes violentos intencionais de 2013 para 2014: 36,5% de aumento. A cidade, no entanto, ainda possui o quarto menor índice do país.

A Secretaria da Segurança do Maranhão diz que vem trabalhando para diminuir os índices de violência e criminalidade em todo o estado e afirma:

Os dados refletem o resultado da falta de investimentos no setor ao longo de anos. Em apenas nove meses, a atual gestão conseguiu editar medidas que estão garantindo um salto na segurança do estado e que se refletem, com ênfase, na capital. A redução dos crimes em 10% no estado e em 5,9% na Região Metropolitana de São Luís são resultados do caminho correto que a gestão da área vem trilhando.”

A pasta diz que concedeu aumento a PMs, que há 1.322 alunos em fase treinamento para atuar como soldados e que a criação de quatro novas superintendências descentralizaram os atendimentos e agilizaram a elucidação de casos.

Já a Secretaria da Segurança de Sergipe diz que houve um equívoco porque os dados enviados para a confecção do relatório foram referentes a todo o estado.

“O número correto de latrocínios em 2014 foi 13 (e não 33). O diretor do Centro de Estatística e Análise Criminal (Ceacrin), delegado Gefferson Alvarenga, emitiu um ofício para o fórum retificando os dados e solicitando a devida alteração.” – afirmou a secretaria de Segurança de Sergipe.

A Secretaria da Justiça e Segurança Pública de Mato Grosso do Sul diz:

“Trabalhamos diuturnamente na prevenção, combate e repressão a todos os crimes, especialmente aqueles que mais impactam a sociedade, que são os cometidos contra a vida e o patrimônio, e estipulou uma meta anual de redução dos crimes de 6 a 8%.”

A pasta diz que houve de 2014 para 2015, redução no número de latrocínios e de homicídios.

“Dos estados brasileiros, Mato Grosso do Sul é o que mais elucida esse tipo de crime, com índice de 69% no estado e de mais de 70% em Campo Grande, percentual comparado aos dos países de primeiro mundo, como a Inglaterra, por exemplo.”

Gastos com segurança

O anuário mostra que, apesar da crise, os estados têm investido mais em segurança. Foram R$ 67,3 bilhões em 2014 – um aumento de 17% em relação a 2013, quando a despesa com a área chegou a R$ 57,5 bilhões.

Os municípios, somados, também gastaram R$ 3,9 bilhões com segurança no ano passado.

“É preciso ressaltar que foi um ano eleitoral e é natural que os governantes queiram mostrar serviço, mas houve, sim, um aumento expressivo no gasto, inclusive com a crise econômica. Só que não há nenhum estudo que mostre uma correlação direta entre aumento de despesas e redução de crimes contra a vida. E o Brasil é o grande exemplo disso, pois gasta o equivalente ao que Alemanha, França e outros países desenvolvidos gastam com segurança pública, e esse gasto não tem se traduzido em eficiência da política pública, em melhoria”, afirma Samira Bueno.

Os dados mostram exatamente isso: a taxa de mortes a cada 100 mil nas capitais se manteve estável em comparação a 2013 – ano com um número de crimes violentos menor, mas próximo (15.804).

O estado que mais investiu em policiamento, informação e inteligência e em Defesa Civil foi São Paulo: R$ 10,3 bilhões. Já o Acre foi o estado com o maior gasto per capita: R$ 568,88 por habitante.

Apenas três unidades da federação diminuíram a verba destinada à segurança em um ano: Mato Grosso, Piauí e Tocantins. O Piauí é o que tem o menor gasto do Brasil, tanto absoluto (R$ 59 milhões) quanto per capita, de R$ 18,48 – muito abaixo da média nacional (R$ 332,21).

“Trata-se de um padrão de gasto muito baixo e que tem apresentado um decréscimo. Neste caso, é claro que a área precisa de mais recursos”, afirma a diretora-executiva do Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

“O problema é quando se tem muito e o dinheiro é mal gerido. Mas há também a questão do modelo de segurança pública. Há duas polícias que não têm ciclo completo, que não dialogam no âmbito estadual, que deviam compartilhar informações, mas não o fazem, que não trabalham, em geral, de forma integrada. É um modelo dispendioso”, diz Samira.

A União também colocou menos dinheiro no setor no ano passado. Foram R$ 8,1 bilhões – contra R$ 8,3 bilhões em 2013.

Do G1

TV Replay, o que é bom se repete!

Lajedo-PE: Prefeito Rossine Blesmany convida população para audiência Pública sobre segurança

O Prefeito do município convocou a todos os lajedenses, comerciantes e empresários para amanhã (26.06) às 9h na Quadra do Colégio Normal participar da Audiência Pública sobre segurança. O objetivo é debater a violência no município, como a prefeitura pode agir e quais as atitudes que cabem à sociedade, governo municipal e estadual. É aguardada também  a presença do secretário de Defesa Social de Pernambuco.

A prefeitura informa que o funcionamento das repartições públicas será das 7h às 9h (com exceção do hospital), e o prefeito pede que os comerciantes contribuam fechando as lojas para que todos possam estar presentes. Um dos pontos discutidos antecipadamente é a solicitação ao Governo do Estado de instalação de um Batalhão e uma Delegacia Seccional.

10389361_680375585440349_4096489719038775417_n

TV REPLAY, O QUE É BOM SE REPETE!

Garanhuns-PE: Conselho Municipal de Segurança Comunitária será criado

O prefeito de Garanhuns, Izaías Régis, sancionou a Lei nº 4070/2014, que institui o Conselho Municipal de Segurança Comunitária. Entre os objetivos da criação da instituição estão o monitoramento e avaliação das ações especiais de segurança, o estímulo ao enfrentamento à violência, por meio de medidas preventivas e socioeducativas; e elaboração de relatórios sobre as condições da segurança para posterior envio aos órgãos operativos locais, estaduais e federais.

O conselho, que será vinculado à Autarquia Municipal de Segurança, Trânsito e Transportes (AMSTT), terá em sua formação membros titulares, suplentes e observadores, respeitando a paridade entre integrantes do poder governamental e da sociedade civil. Totalizando, assim, oito membros do poder governamental e outros oito da sociedade. “Outras disposições gerais serão como acontece em outros conselhos. Esperamos alavancar as ações em Garanhuns, principalmente com a execução de projetos recém-aprovados pelo Ministério da Justiça”, destaca a presidente da AMSTT, Ana Rossini.

A lei, com os seus capítulos completos, foi publicada na edição desta segunda-feira (15) no Diário Oficial dos Municípios/Amupe, através do seguinte endereço eletrônico: http://www.diariomunicipal.com.br/amupe.

Foto: Valber van der Linden

Foto: Valber van der Linden

TV Replay, o que é bom se repete!

Primavera-PE: Polícia Civil e Prefeitura falam sobre violência na cidade

A equipe de jornalismo da TV Replay esteve na delegacia de Primavera, Zona da Mata Sul do Estado, e entrevistamos Henrique Cunha, Comissário da Polícia Civil da cidade, que nos solicitou não ser identificado e relatou os histórico de poucos crimes registrados no município:

”Nos dias 8 e 9 de novembro, aconteceu a tradicional festa do padroeiro da cidade, Santo Antônio. A festa ocorreu tranquilamente sem nenhum incidente grave. A cidade já tem um histórico de poucos crimes, e estamos trabalhando para que esses índices de violência continuem caindo.”

???????????????????????????????

Após ouvido o comissário, fomos até a  Prefeitura Municipal , onde entrevistamos a Sra. Severina Moura, Prefeita do Município, que falou sobre a questão de Segurança Pública.

???????????????????????????????

Perguntamos para a Prefeita, como está o trabalho para uma melhoria na Segurança Pública na cidade, e ela nos respondeu:

???????????????????????????????

”Os primaverenses podem ficar tranquilos em relação a Segurança Pública, porque já estamos trabalhando para que a polícia local e também a polícia das cidades adjacentes possam nos dar um total apoio neste quesito.‘’

A TV Replay, esteve presente em todo o período das comemorações, e percebemos que o trabalho da Polícia junto com a Prefeitura Municipal  está surtindo efeito, esperamos que esses índices continuem sendo favoráveis, e que a população sinta-se segura.

Assista, comente, curta, compartilhe e divulgue. Mande sugestões e críticas. Nossos contatos:

Reportagem e imagens: Alex Costa

TV Replay, o que é bom se repete!

Garanhuns-PE: Vereador quer Programa do Ministério Público “Pacto dos Municípios pela Segurança Pública”

O vereador Paulo Leal (PSB) sugeriu ao Governo Municipal, por meio do requerimento Nº 148/14, que firme parceria com o Ministério Público Estadual para aderir ao Programa Pacto dos Municípios pela Segurança Pública.

O Programa, que já conta com adesão de vários municípios pernambucanos, está em seu primeiro ciclo de implementação no Estado, e tem como objetivo a implementação de políticas públicas de caráter preventivo, voltadas à redução dos índices de violência local que vem se expandindo nas cidades de Pernambuco.

Paulo Leal esclarece que o Pacto dos municípios é dividido em 10 eixos, entre eles o cadastramento de bares, segurança no perímetro escolar e iluminação publica, estruturação dos Conselhos Tutelares e criação das Comissões de Controle de Conflitos. Instalações de câmeras de segurança nos principais locais das cidades, serão usadas como inibidor de violência. Após a apresentação do projeto, os prefeitos e representantes das prefeituras que aderiram ao Pacto dos Municípios, assinaram o convênio.

O município terá ainda que criar o Comitê Integrado de Fiscalização, composto por representantes do Poder Público e da sociedade, de cinco a 10 componentes, no total. O Comitê será responsável por monitorar e validar as metas pactuadas, subsidiando o promotor de Justiça no processo de avaliação. Outra ação a ser desenvolvida pelo município é a nomeação de um interlocutor que será responsável pela coordenação dos compromissos assumidos com o MPPE.

“A questão da segurança pública não é de responsabilidade exclusiva do Executivo estadual e sim de toda a sociedade. Por isso as prefeituras devem contribuir com a segurança pública em seus municípios, aderindo a esse pacto que praticamente não tem custo” – Finaliza o parlamentar.

unnamed

unnamed (1)

TV Replay, o que é bom se repete!

Pernambuco: Governador João Lyra Neto garante incentivo para recuperação do comércio de Abreu e Lima

“Além de manter a ordem e a segurança pública, nós estamos preocupados em realizar diversas ações no município de Abreu e Lima, no sentido econômico e social”. Foi o que afirmou o governador João Lyra Neto, nesta terça-feira (27), durante reunião com lideranças de Abreu e Lima, município localizado na Região Metropolitana do Recife.

Além de se comprometer em intermediar questões antigas, como o desvio da BR-101, João Lyra Neto se mostrou disposto a reforçar as políticas públicas no município. O encontro aconteceu na Sede do Governo de Pernambuco, no Palácio Campo das Princesas e contou com a presença do secretário da Casa Civil, Luciano Vasquez. Para o governador, após os recentes incidentes de vandalismo e violência registrados no município, o Estado deve intensificar a sua atuação e garantir a manutenção da ordem.

“Eu deixei que tudo ficasse mais calmo no município para que pudéssemos fazer uma reunião mais ampla e debater outros assuntos”, completou João Lyra, explicando que as questões sociais no município devem ser analisadas com atenção.

“Nós recebemos algumas demandas que não são apenas de responsabilidade do Governo de Pernambuco. Alguns pontos dependem da prefeitura e do Governo Federal, a exemplo da BR-101, rodovia que corta o município de Abreu e Lima, causando transtornos à população”, destacou o governador, garantindo que todas as demandas apresentadas serão analisadas e atendidas na medida do possível. “O está previsto em Lei nós vamos fazer, e o que não estiver vamos fazer o maior esforço para atender”, completou.

Sobre o comércio, um dos setores prejudicados com os saques e roubos da última semana, o governador garantiu que vai apoiar os comerciantes no que for possível. “O que foi solicitado hoje pela Câmara de Dirigentes Lojistas já está previsto em Lei, que permite um comportamento tributário de acordo com a necessidade dos comerciantes prejudicados em ocasiões excepcionais, como aconteceu em Abreu e Lima”, explicou o chefe do Executivo pernambucano.

Após a reunião, o sentimento do prefeito do município, Marcos José da Silva, era de conforto e alívio. “Estou convencido que tudo vai funcionar, pois quando o chefe do Estado se compromete a ajudar tudo dá certo”, disse o gestor, adiantando que o governador solicitou um estudo mais profundo de como poderíamos ajudar o comércio e a segurança pública em Abreu e Lima.

Foto: Paulo Sérgio Sales/SEI

Foto: Paulo Sérgio Sales/SEI

TV Replay, o que é bom se repete!

Caruaru-PE: Demóstenes Veras pede criação de Academia para Guarda Municipal

Na vigésima reunião ordinária da Câmara de Vereadores de Caruaru, nesta quinta-feira (24), Demóstenes Veras (PROS) teve seu requerimento de número 913/2014 aprovado. Através deste, o vereador pede a criação de Academia para Guarda Municipal na cidade de Caruaru. Em entrevista a TV Replay, o edil falou sobre a importância do papel da Guarda Municipal na segurança pública e sobre o valor de melhor capacitar esses profissionais.

25 04 14 Caruaru-PE Sessão da Câmara.Still001

TV Replay, o que é bom se repete!

Cabo de Santo Agostinho-PE: Um homicídio a cada 24 horas

O secretário de Articulação Social do Governo do Estado, deputado Aluísio Lessa (PSB), reuniu-se com o prefeito do Cabo de Santo Agostinho, Vado da Farmácia (PSB), nesta terça-feira (27), para apresentar o programa “Governo Presente” cujo objetivo é levar serviços de utilidade pública para a população.

O Governo está preocupado com os elevados índices de violência naquele município que podem comprometer as metas do programa “Pacto pela Vida”.

De acordo com a Secretaria de Defesa Social, de junho de 2012 a maio de 2013 ocorreram no Cabo de Santo Agostinho 172 homicídios.

Só em junho deste ano foram 23 assassinatos, o que dá uma média de quase um homicídio a cada 24 horas.

homicidio

Fonte: Blog do Inaldo Sampaio