Caruaru-PE: Senador Douglas Cintra vai à Câmara e Vereadores fazem apelo em prol da população

O senador Douglas Cintra (PTB) participou da sessão ordinária da Câmara de Vereadores de Caruaru, nessa quinta-feira (19.11). Na ocasião, o parlamentar prestou contas acerca de seu mandato no Senado e também ouviu demandas e questionamentos de praticamente todos os vereadores do poder legislativo municipal. A crise hídrica e a situação do Hospital São Sebastião foram alguns dos temas abordados pelos edis. Além disso, o senador falou sobre a atual crise política e econômica do Brasil. O convite para a palestra partiu do vereador Jaélcio Tenório (PRB), líder do governo, e a coordenação foi mediada pela Mesa Diretora.

DSCN1893

A questão do abastecimento de água foi trazida pelo presidente da casa, vereador Leonardo Chaves (PSD). Ele criticou que o projeto de levar água da barragem de Pirangi, em Escada-PE, para a Barragem do Prata “não sai do papel”. De acordo com estudos, a obra custa R$ 60 milhões. Posteriormente, o vereador Edjailson da Caru Forró (PTdoB) alertou para a possibilidade de a Barragem do Prata atingir o volume morto em quatro meses. Em resposta aos parlamentares, Cintra testificou já ter conversado com o governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), e com o presidente da Compesa, Roberto Tavares, acerca desse tema.

“O governo tem ciência do risco que estamos passando”, pontuou.

DSCN1962

Desta feita, o vereador Jaélcio Tenório propôs que a Casa tomasse medidas contundentes para chamar a atenção no tocante à falta de água no município. Ele sugeriu que o senador articulasse uma reunião com o governador do Estado para procurar saídas para a crise hídrica, com a participação de todos os vereadores, tanto da base quanto da oposição.

“Talvez a preocupação do governador seja grande, mas a nossa é maior. Caso não sejam tomadas medidas urgentes, a sociedade irá cobrar de nós, pois é nossa responsabilidade encontrar soluções para os problemas do povo”, destacou. Cintra mostrou-se favorável à ideia, observando que, na política, as ações acontecem mediante insistência. “Acho importante que seja cobrado um posicionamento do governador sobre isso”, ressaltou.

DSCN1899Por sua vez, o vereador Demóstenes Veras (PSD) pediu que o senador fizesse coro à sua luta em defesa da reconstrução e reestruturação do Hospital São Sebastião, cuja reforma se estende há sete anos e a reinauguração tem sido postergada pelo Governo.

“Anteriormente, fora dito que o hospital seria reinaugurado neste mês de novembro. Ora, o mês já está acabando e ninguém deu sequer um ‘pio’ sobre isso”, disse.

Assim sendo, o senador se prontificou de telefonar para o secretário de Saúde do Estado, José Iran, e procurar informações sobre o assunto. Mesmo assim, Cintra observou que Pernambuco está com dificuldades na área econômica, lembrando que o estado fechou 2014 com um déficit fiscal de R$ 2 bilhões (antes mesmo da crise nacional).

DSCN1892

O senador também se pronunciou sobre o momento político atual. Ele apontou que o Congresso necessita debater temas estruturantes, a exemplo da taxa de juro e da reforma tributária.

“É preciso que o debate aconteça de maneira serena e racional, para que se retome o crescimento econômico. Mesmo com as dificuldades existentes atualmente, quero trazer uma palavra de esperança. Acredito que o Brasil apresentará um clima econômico mais ameno a partir do próximo ano, o que será bom para todos”, opinou.

Os vereadores salientaram a responsabilidade e o destaque que o caruaruense tem obtido na Câmara Alta. Cintra também parabenizou a postura dos integrantes da Casa Jornalista José Carlos Florêncio.

“Sabemos que a oposição deve cumprir seu papel, mas vemos que os vereadores de Caruaru debatem o município, o que nem sempre acontece em Brasília”, comparou, referindo-se aos entraves nas discussões nacionais devido a interesses pessoais ou partidários de alguns políticos.

Cintra ainda prestou contas de seu mandato no Senado Federal. Ele é relator de 47 projetos de lei, entre os quais o Marco da Biodiversidade e a negociação coletiva na administração pública. Cintra também é autor de projetos como a criação de uma lei nacional única para concursos públicos e a modernização do Código de Defesa do Consumidor. O petebista é membro titular de cinco comissões (Assuntos Econômicos, Educação, Meio Ambiente, Desenvolvimento Nacional e Mudanças Climáticas), suplente em quatro (Constituição e Justiça, Desenvolvimento Regional e Turismo, Infraestrutura, Agricultura e Reforma Agrária), bem como é relator da subcomissão de Obras Inacabadas, integrante da subcomissão de acompanhamento das obras da Usina de Belo Monte, integrante das CPIs do Carf e do Assassinato de Jovens (suplente), presidente do Conselho do Diploma José Ermírio de Moraes, presidente da Frente Parlamentar Mista dos Agentes de Abastecimento do Pequeno e Médio Varejo e membro do conselho do Projeto Jovem Senador.

Fonte: Jénerson Alves de Oliveira

Confira!

Douglas Cintra Douglas

Nova Replay, o que é bom se repete!

Recife-PE: Tecnologia Italiana agiliza serviços de esgoto na RMR

Para dar mais agilidade e eficiência na execução dos serviços de esgoto na Região Metropolitana do Recife (RMR), a Compesa está utilizando uma nova tecnologia como parte das ações do Programa Cidade Saneada, a PPP do Saneamento que está sendo tocada entre a companhia e o seu parceiro privado, a Odebrecht Ambiental. Trata-se de um caminhão combinado de hidrojato e vácuo capaz de limpar e desobstruir redes de esgoto durante prolongados períodos, sem interrupções ou necessidade de deslocamentos, sendo três vezes mais potente que um caminhão comum.Outro diferencial do veículo é que ele é sustentável, já que é possível reciclar toda a água utilizada. De origem italiana, a tecnologia começou a ser utilizada há cerca de um mês e já conseguiu limpar e desobstruir mais de 2,3 mil metros de redes de esgoto.

Segundo o presidente da Compesa, Roberto Tavares, a expectativa é, até dezembro, limpar e desobstruir 12 km de redes de esgoto das principais ruas e avenidas do Grande Recife. “Já percebemos uma melhora significativa nos casos de extravasamento em bairros como Jardim Atlântico e Casa Caiada, em Olinda. Com esta tecnologia, estamos economizando tempo, agilizando os serviços e ganhando produtividade”, diz. Para se ter uma ideia da eficiência do novo caminhão, ele foi utilizado nessa terça-feira (14) durante um serviço de  limpeza e desobstrução do principal coletor de esgoto da cidade de Olinda, localizado no cruzamento da Rua Maria Judith Lins com a Rua Joaquim Elisio Maia e Silva, em Casa Caiada. O veículo trabalhou no local das 7h30 às 17h, de forma ininterrupta.

De acordo com o superintendente de Operações da Compesa, Reginaldo Lopes, o novo caminhão, por ser mais eficiente, pode substituir até quatro caminhões comuns. “Nos veículos mais antigos, é necessário realizar várias viagens para descarregar o material que é recolhido nos serviços de desobstrução. Além disso, o reservatório de água, que ajuda na limpeza das redes, precisa ser enchido periodicamente. Já no caminhão mais moderno isso praticamente não acontece, pois ele recicla os detritos e ainda reutiliza a água do próprio esgoto para fazer a limpeza”, explica Lopes.

O novo caminhão é composto de duas mangueiras: a de jato d’água (hidrojato), para limpar e desobstruir, e a de sucção (vácuo), que puxa todos os detritos presentes nas redes de esgoto. Elas são comandadas remotamente por um controle de operação e podem percorrer uma extensão de até 100 metros, sendo indicadas principalmente para tubulações de grande porte. No serviço realizado em Olinda, por exemplo, o coletor de esgoto tinha 900mm de diâmetro. Graças ao sistema de auto reciclagem, o veículo consegue economizar até 80 mil litros de água por dia.

unnamed (1) unnamed (2) unnamed (3) unnamed (4) unnamed (5) unnamed

TV Replay, o que é bom se repete!

Goiana-PE: Compesa inicia obras em Tejucupapo

O distrito de Tejucupapo, em Goiana, na Mata Norte de Pernambuco, ganhará um novo sistema de abastecimento de água. O presidente da Compesa, Roberto Tavares, assinou na manhã do dia (1) a ordem de serviço para o início das obras. A solenidade ocorreu na sede da  companhia, no bairro de Santo Amaro, área central do Recife, e contou com a presença do secretário de Planejamento, Frederico Amâncio, e do vice-prefeito do município, Carlos de Joca  e vereadoras do município. Serão aplicados R$ 3 milhões no empreendimento, cujas ações devem ser finalizadas em 18 meses. Segundo o presidente da Compesa, Roberto Tavares, a iniciativa faz parte de um conjunto de obras idealizadas pelo governo do Estado nos últimos sete anos. “A ampliação do sistema de água do distrito era almejada há anos pela população. O pleito foi feito ao então governador Eduardo Campos, que prometeu realizar o projeto, captar os recursos e executar as obras. E é isso que a Compesa irá fazer nos próximos meses”, frisou o dirigente da estatal.

A expansão da região de Tejucupapo ocorreu de forma acelerada e em áreas de topografia elevada, o que tem gerado grandes dificuldades de abastecimento de água. Para resolver a questão, a Compesa desenvolveu um projeto que irá disponibilizar água com regularidade, quantidade e qualidade aos moradores de Tejucupapo. “Estamos felizes por cumprir mais uma meta estabelecida pelo ex-governador Eduardo Campos em prol do bem-estar da população. A obra irá acelerar o crescimento desta localidade histórica, além de melhorar as condições de vida da população local”, afirmou o  presidente Roberto Tavares.

Para o vice-prefeito de Goiana, Carlos de Joca, que foi o condutor do pleito junto ao governo estadual e à Compesa, a obra será muito importante para melhorar a vida dos moradores de Tejucupapo, que enfrenta hoje dificuldades de abastecimento. “Goiana está crescendo muito e a água terá papel importante para acelerar esse desenvolvimento. Estamos contentes com essa conquista, fruto de um pleito antigo. Fomos perseverantes até alcançarmos o nosso objetivo e já estamos ansiosos para a inauguração desta valiosa obra para todos nós”, afirmou Carlos de Joca.

Para ampliar a oferta de água da região, a Compesa irá construir um novo reservatório, com capacidade para armazenar 800 m³ de água, e um novo sistema de bombeamento (estação elevatória). Serão implantados ainda cerca de 10 quilômetros de novas tubulações. Além destas ações, a Compesa ainda irá setorizar (dividir o distrito em setores de distribuição de água) e utilizar a tecnologia para monitorar toda água produzida e distribuída à população. “Iremos implantar equipamentos modernos para controlarmos essa vazão e com isso atender melhor a todos os moradores, de forma igualitária”, informou Tavares.

unnamed

TV Replay, o que é bom se repete!

Brasília-DF: AESBE qualifica profissionais em direito do saneamento

A Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento (Aesbe), presidida por Roberto Tavares, também presidente da Compesa, está promovendo uma ação pioneira para qualificar o corpo técnico e gerencial das companhias de saneamento associadas em todo o país. A entidade lançou o curso de pós-graduação em Direito do Saneamento, em parceria com o Instituto Brasiliense de Direito Público (IDP). A aula inaugural aconteceu nessa segunda-feira (29), na sede da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), em Brasília-DF, e foi conduzida pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes.

Com duração de 15 meses e aulas ministradas à distância, o curso é uma oportunidade para as companhias buscarem qualificação num conteúdo completo, específico e direcionado para a realidade do setor. “Essa é uma das metas da nossa gestão à frente da Aesbe, que é estimular a qualificação dos profissionais que atuam no setor de saneamento a fim de promover a melhoria dos serviços prestados à população”, lembrou o presidente da Aesbe, Roberto Tavares. Participaram do primeiro encontro cem representantes de 23 empresas das 25 associadas do setor.

Durante a aula inaugural, o ministro Gilmar Mendes reconheceu que a administração pública “ainda possui graves déficits de gestão”, o que pode ser atenuado com iniciativas como esta da Aesbe. “O país tem hoje uma grave crise de gestão e isso é notório. Mas tem também uma grave crise de governança. Nós precisamos, de fato, definir qual o papel do município e qual o papel do Estado”, declarou o ministro. A necessidade de discutir a regulação do setor de saneamento também foi destacada. “O setor precisa de um melhor arranjo institucional, com legislações e normativos que privilegiem a eficiência e a segurança jurídica para que sejam realizados os investimentos”, complementou Roberto Tavares.

A oferta de um curso de pós-graduação específico sobre saneamento é uma ação inédita no Brasil. Apesar de o setor estar consolidado desde a década de 1960 no país, ainda não havia sido implementada na área uma graduação lato sensu e na modalidade Educação à Distância (EAD). Além do ministro Gilmar Mendes e dos representantes da Aesbe, estiveram presentes na aula inaugural o doutor e professor da Universidade de Brasília (UnB), Márcio Iório Aranha, o procurador do Banco Central e professor de Direito Bancário e Direito Econômico, Fabiano Jantalia, e o doutor e mestre em Economia de Empresas pela Fundação Getúlio Vargas, Frederico Turolla.

unnamed (1) unnamed

TV Replay, o que é bom se repete!

São Lourenço da Mata-PE: PPP do saneamento chegou a cidade

São Lourenço da Mata, na Região Metropolitana do Recife (RMR), terá sua cobertura de esgotamento sanitário elevada de 10% para 80% nos próximos 12 meses. A cidade será a primeira a receber as obras com recursos privados do Programa Cidade Saneada, executado pela Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) em parceria com a Odebrecht Ambiental. Serão investidos cerca de R$ 90 milhões, contemplando 75 mil pessoas. A ordem de serviço para o início das obras foi assinada ontem (30), na sede da prefeitura do município. A obra tem início imediato e as intervenções de rua começarão na segunda quinzena de outubro no bairro de Ersina Lapenda.

O fato de ser cortado pelo Rio Capibaribe, um dos principais mananciais de água doce do estado, pesou para que o município fosse escolhido para receber logo as obras de esgotamento sanitário. Como a atual rede é insuficiente para atender a demanda da população, muitos dejetos acabam sendo lançados indevidamente no rio, poluindo suas águas. Com coleta e tratamento do esgoto, a expectativa é que o município possa dar um salto na qualidade de vida oferecida a seus habitantes. “Estamos muito felizes por dar essa ordem de serviço para uma obra tão importante e desejada pela população de São Lourenço. É a realização de um projeto que foi idealizado ainda pelo ex-governador Eduardo Campos e que começa a dar seus frutos agora”, comemorou o presidente da Compesa, Roberto Tavares.

Na ocasião, o presidente da Compesa lembrou que o Programa Cidade Saneada foi eleito pela revista Exame, na semana passada, como o segundo empreendimento mais importante para o desenvolvimento do Brasil, em meio a uma lista que considerou 1.500 obras no país. “Essa é uma obra que tem reflexo direto na qualidade de vida da população, que passará a conviver num ambiente com menos doenças de veiculação hídrica, e de extrema importância para o desenvolvimento sustentável das cidades”, afirmou Roberto Tavares.

Além dos benefícios diretos para a saúde da população, que deixará de conviver com esgoto a céu aberto em toda a área urbana, as obras do Programa Cidade Saneada em São Lourenço trarão impacto para a infraestrutura da cidade. “A chegada do esgoto tem repercussão na melhoria dos indicadores de saúde pública e traz também benefícios econômicos, uma vez que o setor imobiliário passa a valorizar mais imóveis inseridos em áreas saneadas”, avaliou o presidente da Odebrecht Ambiental, Pedro Leão.

O prefeito de São Lourenço da Mata, Ettore Labanca, acrescentou que as obras darão fôlego para outros projetos de urbanização previstos para a cidade. “São Lourenço está preparada para, dentro de 20 anos, triplicar sua população, por conta dos projetos de empreendimentos imobiliários em análise. Então, a cidade precisa ter essa estrutura, principalmente nos bairros de baixa renda”, declarou. A geração de empregos também foi celebrada. Ficou acordado que a mão de obra local terá prioridade na ocupação dos cerca de 700 postos de trabalho diretos que serão criados no decorrer das obras.

A expectativa da Compesa e da Odebrecht Ambiental é que, até o final de 2015, o novo sistema de esgotamento sanitário de São Lourenço da Mata já esteja em operação. Os principais bairros onde as obras terão início são Ersina Lapenda, Vila do Reinado, Caiará, Pixete, Centro, Nova Tiúma, Chã da Tábua, Várzea Fria, Capibaribe, Bela Vista, São Paulo e São João, dentre outros.

NÚMEROS DA OBRA
- R$ 90 milhões de investimento
- 75 mil pessoas beneficiadas
- Seis estações elevatórias e uma de tratamento serão construídas
- 200 km de redes coletoras serão implantados
- 700 postos de trabalho serão gerados
- 80% será o índice de cobertura de saneamento no município ao término da obra

unnamed (1)

TV Replay, o que é bom se repete.

Pernambuco: PPP DA COMPESA É O SEGUNDO PROJETO MAIS IMPORTANTE PARA O PAÍS

O Programa Cidade Saneada, parceria público-privada feita pelo Governo de Pernambuco através da Compesa, foi escolhido como o segundo empreendimento mais importante para o desenvolvimento do país. O levantamento, apresentado pela revista Exame, analisou 1.500 obras em andamento e previstas para os próximos anos no Brasil, e selecionou as 15 que deveriam ser tratadas com prioridade absoluta pela relevância que têm para o crescimento sustentável nacional. O estudo foi divulgado nesta quarta-feira (24), no Rio de Janeiro, durante fórum promovido pela revista Exame. O Cidade Saneada está em execução há pouco mais de um ano e prevê um investimento de R$ 4,5 bilhões em obras de construção de novos sistemas de coleta e tratamento de esgoto e ampliação/recuperação dos sistemas existentes. A PPP do Saneamento irá contemplar 14 municípios da Região Metropolitana do Recife, além da cidade de Goiana, na Mata Norte, um projeto que está sendo tocado pela Compesa em parceria com a Odebrecht Ambiental.

Para selecionar os empreendimentos, foram indicados especialistas de cada setor envolvido, como os de saneamento, transportes e energia, e as macro-tendências mundiais que devem nortear os governos das maiores economias até o ano de 2030. Pesaram na escolha fatores como a necessidade de infraestrutura nos centros urbanos e o aumento da demanda por serviços públicos de melhor qualidade. Nas contas feitas pela consultoria, para tirar as 1.500 obras do papel, será preciso investir cerca de R$ 1 trilhão. Desse total, o país já investiu 28%.

Além do Programa Cidade Saneada, outra obra do setor de saneamento aparece entre as 15 mais importantes. Trata-se do Tratamento e Abastecimento de Água São Lourenço, na Grande São Paulo, tocada pela Sabesp e que ficou em 4º lugar. Assim como o Cidade Saneada tocado pela Compesa, também é uma parceria público-privada. “Ficamos muito satisfeitos de ter a nossa PPP sendo reconhecida como uma das mais importantes para o país. Pela sua complexidade, tem sido referência no setor de saneamento, que precisa de um choque de gestão e de novos modelos de financiamento para resolver o grave déficit existente no país”, declarou Roberto Tavares, presidente da Compesa.

O Programa Cidade Saneada, em vigor desde julho de 2013, pretende dotar, em 12 anos, as cidades da RMR e Goiana com 90% de cobertura e 100% de tratamento de esgoto, beneficiando mais de 3,7 milhões de pessoas.

tabela_ok

TV Replay, o que é bom se repete!

Caruaru-PE: Compesa e Universidades japonesas firmam parceria para aprimorar estudos sobre água e esgoto

A Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) está estreitando o relacionamento com universidades japonesas para a troca de experiências e de know how técnico em produção e distribuição de água e saneamento ambiental. Na quarta-feira (3), três professores japoneses das universidades de Yokohama, Mie e Tsukuba estiveram na sede da companhia para conhecer a estrutura organizacional e operacional da empresa. Hoje (4), a comissão estará nas unidades produtoras de Tapacurá e Pirapama. A próxima parada será em Petrolina, no Sertão, onde deverá conhecer os sistemas de água e esgoto do município. As visitas às unidades da Compesa irão até o próximo dia 11.

A visita dos professores japoneses faz parte do intercâmbio iniciado pela Compesa com aquele país em maio deste ano, quando o presidente da Compesa, Roberto Tavares, e o diretor Comercial, Franklin Azoubel, estiveram nas universidades de Tóquio, Yokohama e GIFU. Eles foram conhecer iniciativas semelhantes ao L’acqua, o centro de pesquisas e treinamento na área de saneamento que a Compesa vai construir em parceria com a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), para prospectar atividades que possam ser desenvolvidas, futuramente, nesse laboratório junto com os japoneses.

Em fevereiro de 2014, a Compesa e a UFPE firmaram protocolo de intenções para a criação do laboratório que irá investigar soluções para a melhoria dos serviços prestados pela Compesa à população. “Desde então, temos buscado parceiros que possam nos ajudar a desenvolver pesquisas na área de saneamento e meio ambiente e os japoneses se mostraram interessados em conhecer melhor nossa realidade e trocar experiências”, contou o diretor Comercial, Franklin Azoubel. Ele recebeu a comitiva, que estava acompanhada do professor da UFPE Frederico Nunes, junto com o diretor Regional Metropolitano, Rômulo Aurélio Souza, e uma equipe técnica da Compesa.

A ponte entre a Compesa e as universidades nipônicas foi feita pela UFPE, de quem os japoneses já são parceiros. Há 20 anos, eles iniciaram estudos na caatinga pernambucana a fim de investigar o impacto da escassez hídrica sob o ponto de vista econômico e social. Preocupados com as questões ambientais, como a oferta de água disponível no planeta e a qualidade dos mananciais de água doce, e estimulados pela visita feita em maio para tratar do L’acqua, os japoneses voltaram a se debruçar sobre o tema e, para isso, estão contando com o apoio da Compesa. 

A visita deste mês é apenas a primeira que eles deverão fazer ao estado. Os japoneses estão iniciando estudos que deverão durar, em média, quatro anos sobre os recursos hídricos, com foco em Pernambuco. Já em outubro, eles retornarão ao estado para avançar nas pesquisas. “Esses estudos se encaixam nos objetivos do L’acqua e nos interesses da Compesa, que é aprimorar o conhecimento nas questões de água e meio ambiente. Temos que pensar que o resultado disso será importante não apenas para Pernambuco e para o Japão, mas para todo mundo que se dedica a esse tema”, completou Azoubel.

Segundo o professor da UFPE Frederico Nunes, o contraste climático e a escassez hídrica, sobretudo no interior, chamaram a atenção dos japoneses para Pernambuco, bem como o esforço feito pelo governo do estado para ampliar e melhorar a distribuição de água em todas as regiões do nosso território. “Os nipônicos também deverão incluir em suas análises a questão da elevação do nível do mar na costa pernambucana, que também é um efeito do desequilíbrio ambiental mundial”, adiantou Nunes.

L’acqua – O Centro de Estudos Sobre Água, Saneamento e Meio Ambiente será construído dentro do campus da UFPE do Recife. Ainda este mês, deverá ser lançado o edital do concurso público para elaboração do projeto de arquitetura do edifício do laboratório. A proposta é construir um prédio de seis andares em uma área de cerca de 1 mil metros quadrados doada pela universidade.

Quando for concluído, o laboratório será totalmente aberto às pesquisas que a universidade queira desenvolver em relação à água e ao esgoto. Estudantes de engenharia e de áreas afins interessados em se especializar em saneamento também poderão estagiar no L’acqua. O estudo de equipamentos utilizados nos procedimentos cotidianos da Compesa também será contemplado. 
O laboratório deverá, ainda, apontar métodos de tratamento de água mais eficazes que poderão gerar uma economia de recursos para a companhia, o que será revertido em melhores serviços para a população. A partir dos estudos que serão feitos no L’acqua, será possível encontrar soluções mais eficazes e menos onerosas para problemas como localização e contenção de vazamentos e mapeamento das redes de água e esgoto. No que diz respeito à qualidade da água, os estudos devem ser direcionados para a criação de novas metodologias, tecnologias e equipamentos de análises químicas, físicas e biológicas.
unnamed (7) unnamed (8) unnamed (9)
TV Replay, o que é bom se repete!

Pernambuco: Programa cidade saneada completa um ano de operação

Sistemas de esgotamento sanitário modernizados e ampliados, atendimentos realizados com maior agilidade, aperfeiçoamento de técnicas com o uso de novas tecnologias e população mais consciente do seu papel no contexto do saneamento. Os resultados obtidos no primeiro ano do programa Cidade Saneada, o maior do setor de saneamento do país, demonstram que a parceria firmada entre a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) e a Odebrecht Ambiental (Foz) está no rumo certo. Nesse período, as empresas compartilharam conhecimentos e metodologias de trabalho e implantaram as bases da nova infraestrutura do saneamento da Região Metropolitana do Recife (RMR) e de Goiana. O balanço desse primeiro ano de parceria foi feito nesta segunda (28) pelo secretário de Infraestrutura, João Bosco de Almeida, pelo presidente da Compesa, Roberto Tavares, e pelo presidente da Odebrecht Ambiental, Pedro Leão.

O ineditismo dessa parceria e os bons frutos que o Estado de Pernambuco já está colhendo deram o tom da apresentação dos resultados. Na avaliação do secretário de Infraestrutura, não há, no Brasil, nenhum programa de saneamento planejado, contratado e em execução com o porte do Cidade Saneada. “Já estamos mostrando que é possível resolver a questão do saneamento”. Segundo Bosco, a meta era universalizar, no início desta gestão, os serviços de esgoto em 12 anos. Diante das dificuldades para cumpri-la, considerando a falta de recursos financeiros e a  capacidade técnica para elaboração de projetos e gestão das obras, o governo  decidiu estudar um novo modelo que envolvesse a participação do privado. Os estudos foram iniciados em 2007 e em julho de 2013 foi lançado o Programa Cidade Saneada, que prevê a universalização dos serviços de esgotamento sanitário em 12 anos nos 14 municípios da RMR mais Goiana, na Mata Norte do estado. Os investimentos previstos são da ordem de R$ 4,5 bilhões. “Desde 1837 a questão do saneamento é discutida e apenas em 2007 foi instituído o Marco Regulatório do Saneamento (Lei 11.445). Com a meta audaciosa do programa, a RMR, que conta hoje com 30% de cobertura, terá esse número elevado para 90% em 12 anos”, enalteceu Bosco.

Para o presidente da Compesa, Roberto Tavares, as ações do primeiro ano do Programa Cidade Saneada ocorreram dentro do previsto e em algumas áreas superaram as expectativas. O dirigente considerou extremamente positiva a redução do prazo de execução dos serviços de esgoto nas cidades onde já há operação de sistemas. “Estamos atendendo 3 mil solicitações de serviços por mês e estamos conseguindo atender em 48 horas 90% das solicitações geradas pelo 0800 da companhia e 70% delas em 24 horas. Esses números já demonstram que estamos melhorando a prestação dos serviços e que a população já percebe isso”, observou Tavares.

Somente neste primeiro ano, o Programa Cidade Saneada alcançou a marca de cerca de R$ 115 milhões investidos. Para o segundo ano, o  valor previsto é de R$ 230 milhões (privado) e R$ 198 milhões (público), totalizando R$ 428 milhões. Os resultados positivos também foram compartilhados pelo presidente da Odebrecht Ambiental, Pedro Leão. Segundo ele, os números indicam que a parceria está sendo exitosa, lembrando que agora serão iniciadas, já a partir deste ano, as obras de implantação dos sistemas de esgoto  em Goiana (Centro e Pontas de Pedra), São Lourenço da Mata, Cabo de Santo Agostinho, Prazeres (Jaboatão dos Guararapes) e Jardim São Paulo (Recife).

O primeiro ano do programa foi marcado pela manutenção e recuperação de sistemas já em funcionamento. Em mais um ano, a expectativa é que todos os sistemas existentes tenham sido recuperados. Até agora, quase mil quilômetros de tubulações foram limpos e desobstruídos, 36 mil serviços de menor porte foram realizados, mais de 550 obras de recuperação foram concretizadas e cerca de mil tampas de poços de visita foram substituídas. “Esses números indicam as tarefas e áreas nas quais decidimos focar nesse primeiro momento. Antes de começar a expandir a rede e fazer cumprir nossa meta de elevar a cobertura de esgoto na RMR e em Goiana, optamos por mapear, adequar e modernizar nossos sistemas. Está tudo ocorrendo segundo o nosso planejamento”, afirmou o presidente da Compesa, Roberto Tavares.

Na RMR, 40 estações elevatórias e 19 estações de tratamento de esgoto começaram a ser restauradas. A unidade de Peixinhos é uma das que já estão recebendo investimentos. A estação passou a contar com um novo Laboratório Central de Controle de Qualidade de Efluentes, capaz de analisar amostras dos esgotos das 15 cidades contempladas pelo Cidade Saneada. O laboratório pode fazer 500 análises por dia e está equipado para verificar as amostras segundo todos os parâmetros exigidos pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) e pela Agência Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (CPRH).

Também foram realizadas obras de ampliação da rede coletora já existente e implantados novos sistemas. Os bairros da Imbiribeira e do Ipsep, na Zona Sul do Recife, são exemplos de áreas que agora podem contar com sistema de saneamento. Uma nova rede de esgoto já está operando e os dejetos estão sendo devidamente coletados para a nova Estação de Tratamento de Esgotos (ETE) Dancing Days. O investimento foi de R$ 53 milhões para implantar 28 quilômetros de redes e construir sete estações de bombeamento e uma de tratamento. Em Setúbal, Boa Viagem e Porta Larga, estão sendo implantados 130 km de tubulações e construídas nove estações de bombeamento. O investimento é de R$ 70 milhões e o objetivo é beneficiar 124 mil pessoas.

Além dessas, destacam-se também as obras de ampliação do sistema de esgotamento sanitário nos municípios de Olinda, Paulista e Ipojuca que estão em curso e que, juntas, beneficiarão mais de 115 mil habitantes, com investimentos da ordem de R$ 75 milhões. Nos próximos meses, serão iniciadas as obras de ampliação dos Sistemas de Esgotamento Sanitário (SES) de São Lourenço da Mata, que possibilitarão o atendimento de 93 mil habitantes, Jaboatão, Prazeres, Ponte dos Carvalhos, Camaragibe e Goiana (Catuama e Ponta de Pedras). “Nossa expectativa é que, nos próximos 12 meses, já tenhamos iniciado as obras de seis sistemas na Metropolitana, beneficiando mais de 650 mil pessoas”, adiantou o diretor de Novos Negócios da Compesa, Ricardo Barreto.

Novas tecnologias – O uso de novas ferramentas tem contribuído para modernizar os métodos de trabalho, diminuindo o custo e o tempo das intervenções na rede e, conseqüentemente, causando menos transtornos à população. Um exemplo é o uso do seesnake, uma câmera operada remotamente que filma as tubulações, ajudando a Compesa a localizar, com maior rapidez e precisão, pontos de obstrução e extravasamento.

Também está em estudo a possibilidade de implantar tecnologia de esgoto a vácuo em alguns sistemas. A Compesa vem utilizando, ainda, o método não-destrutivo para interferir nas redes coletoras. Por esse método, são feitas pequenas perfurações no pavimento, o que evita a abertura de valas nas ruas e interfere menos na mobilidade. Esse mesmo método já vinha sendo utilizado em serviços relacionados ao sistema de abastecimento, sobretudo nas vias de grande fluxo de veículos da capital.

Programa Cidade Saneada - Executado pela Compesa em parceria com a Odebrecht Ambiental (Foz), está em vigor desde julho de 2013. A empresa foi escolhida por meio de licitação para ampliar, manter e operar o sistema de esgoto da RMR e de Goiana por 35 anos. O investimento total para esse período é de R$ 4,5 bilhões, sendo R$ 3,5 bilhões de responsabilidade do parceiro privado e R$ 1 bilhão do Poder Público. Ao todo, 3,7 milhões de pessoas devem ser beneficiadas.

 

Cidade Saneada em números

1 ano de operação do programa

90% dos chamados no 0800 atendidos em até 48 horas

36 mil serviços atendidos pelo 0800

558 obras de recuperação realizadas

980 km de tubulações limpas e desobstruídas

15 mil poços de visitas desobstruídos

1,1 mil tampas de PVs trocadas

449 vistorias em caixas de gordura de pontos comerciais

304 estabelecimentos notificados por caixa de gordura irregular

24.162 pessoas beneficiadas diretamente

1,3 mil funcionários trabalhando no programa

70 mil horas de treinamento realizadas

unnamed (1)

 

unnamed (2)

 

unnamed

 

TV Replay, o que é bom se repete!

Ribeirão-PE: Compesa e prefeitura fecham convênio para reposição de pavimento

O presidente da Compesa, Roberto Tavares, e o prefeito de Ribeirão, Romeu Jacobina, firmaram na tarde de hoje (7) um convênio de cooperação técnica e administrativa para que o município realize a recuperação e reposição de pavimentos em ruas e avenidas da cidade após serviços de manutenção das redes de abastecimento de água.

Ficou definido que a prefeitura terá que realizar a reposição de pavimento em vias de tráfego intenso até 48 horas após a Compesa comunicar sobre as intervenções emergenciais e a necessidade da pavimentação dos trechos. Em ruas e avenidas com trânsito mais traquilo, esse prazo sobe para 96 horas. A companhia, por sua vez, deverá realizar o reaterro e a sinalização do local da intervenção até que o município realize a reposição do pavimento. No caso de manutenções programadas em vias de tráfego intenso, a empresa terá que comunicar ao município o início da execução dos serviços com uma antecedência de 72 horas.

Para o presidente da Compesa, Roberto Tavares, o convênio possibilitará uma melhoria na qualidade dos serviços prestados à população de Ribeirão, uma vez que o município tem know-how no assunto, o que irá garantir mais agilidade. “Iremos trabalhar em sintonia com a prefeitura para repassar de imediato as informações  dos serviços realizados e com isso permitir o conserto o mais rápido possível”, pontuou Tavares.

A Compesa já tem convênio firmado com prefeituras de outros municípios para a reposição de pavimentos, como Recife e Jaboatão dos Guararapes. No último mês de janeiro, a companhia também formalizou convênio com a prefeitura de Caruaru, no Agreste do Estado.

ABASTECIMENTO DE ÁGUA

A  obra de ampliação do sistema de abastecimento de água realizada pela Compesa em Ribeirão permitiu retirar 65% da cidade do racionamento de água, um investimento de R$ 900 mil. A companhia já está realizando estudos para readequar a rede de distribuição do restante da cidade para que todo o município receba água 24 horas por dia.

Foto

TV Replay, o que é om se repete!

Sistema SIRIJI reforça abastecimento na Zona da Mata Norte

Até o início de março, o Governo do Estado, através da Compesa, reforçará o abastecimento de água potável para mais de 40 mil pessoas residentes nos municípios de Buenos Aires, Vicência e Aliança, todos estes localizados na Zona da Mata Norte. Eles serão beneficiados pela entrada em operação da primeira etapa do Sistema Produtor do Siriji.

O Sistema Produtor do Siriji é um empreendimento estruturador que está sendo tocado pelo Governo do Estado e pelo Ministério da Integração Nacional. Ao todo, estão sendo investidos R$ 72 milhões na ampliação do abastecimento de água para cerca de 115 mil pessoas. Além dos três municípios contemplados na primeira etapa do projeto, serão atendidos, ainda, Condado e Itaquitinga, na segunda etapa, e São Vicente Férrer, Macaparana e Machados, na terceira. A previsão é que o segundo bloco do sistema comece a operar em abril e o terceiro, até setembro de 2014. Segundo o presidente da Compesa, Roberto Tavares, o empreendimento irá gerar desenvolvimento para a região e melhorar a qualidade de vida das pessoas.

Estão sendo implantados 114 quilômetros de tubulações, sendo 43 quilômetros na primeira etapa e 71 quilômetros nas segunda e terceira etapas. Do primeiro bloco, fazem parte estações elevatórias de água tratada e de água bruta – que ainda não foi tratada -, uma estação de tratamento de água com capacidade para 300 litros por segundo e um reservatório com capacidade para 900 mil litros de água. Já nas duas etapas seguintes serão construídas uma estação elevatória de água tratada para Machados e outra para São Vicente Férrer e Macaparana, além de um reservatório com capacidade para 650 mil litros.

siriji01

TV Replay, o que é bom se repete!