PF avalia com cautela a possibilidade de invadir sindicato para prender Lula; ex-presidente mantém decisão de não se entregar voluntariamente

Diretor da PF só invadirá sindicato para prender Lula se tiver respaldo

O diretor da Polícia Federal, Rogério Galloro, está monitorando pessoalmente todas as ações em torno da prisão do ex-presidente Lula. Segundo policiais que estão acompanhando o processo, ele já avisou que cumprirá a determinação de prender o petista caso ele não se entregue até às 17h desta sexta-feira (6/4), como sentenciou o juiz Sérgio Moro. Galloro vem ressaltando, porém, que a PF só invadirá a sede do Sindicato do Metalúrgicos do ABC, onde está Lula, se houver total respaldo para isso.

(foto: Miguel Schincariol/ AFP )

(foto: Miguel Schincariol/ AFP )

Galloro é um ótimo cumpridor de ordens, mas também é muito cauteloso. Por isso, está trabalhando para que Lula cumpra a determinação de Moro e não crie embaraços para a PF. O ex-presidente vem sendo insuflado por aliados a não se entregar e a se refugiar no sindicato. Certamente, como o prédio onde o petista se encontra está cercado por manifestantes favoráveis a ele, o risco de haver confronto é alto.

Agentes da PF dizem que estão prontos para agir, qualquer que seja a determinação do comando da corporação. A torcida, porém, é para que tudo transcorra da melhor forma possível. Lula tem até às 17h para se entregar, mas haverá tolerância com o horário. O ideal é que ele se entregue ainda sob a luz do dia.

Em Curitiba, o clima também é de expectativa. O juiz Sérgio Moro estuda medidas adicionais para convencer Lula a cumprir a ordem de prisão. Pessoas próximas ao juiz explicam que ele pode acelerar outros processos contra o petista, como os que investigam irregularidades no sítio de Atibaia e em um terreno doado ao Instituto Lula, decretando prisão preventiva do ex-presidente, o que derrubaria até possíveis habeas corpus concedidos pela Justiça, pois seriam outros os casos.

Lula foi condenado a 12 anos e um ano de prisão por ter recebido um triplex da empreiteira OAS em troca de contratos com a Petrobras. A doação foi confirmada pelo ex-presidente da empreiteira Léo Pinheiro, que está preso. Lula diz que é inocente e que não há provas concretas de ter sido beneficiado por propina.

Por Correio Braziliense

Campanha da PF recebe 5 armas por dia em Pernambuco

A Polícia Federal em Pernambuco recebe, por meio da Campanha do Desarmamento, 5 armas por dia, 35 por semana e 140 por mês. Já as munições totalizam 8 entregues por dia, segundo a PF.

A entrega voluntária de armas tem indenizações que variam de R$ 150 a R$ 450, dependendo do calibre e do tipo. De acordo com a PF, o balanço corresponde a 2.245 dias de campanha – de 14 de maio de 2011 a 8 de setembro de 2017.

Durante os seis anos de campanha, já foram entregues 10.824 armas e 18.120 munições. As armas mais entregues em Pernambuco são revólveres, espingardas e pistolas. As munições mais entregues são as de calibre 38.

Armas foram recolhidas Foto: Divulgação

Armas foram recolhidas
Foto: Divulgação

Além das armas de fogo, também serão recebidas munições, armas de brinquedo, simulacros, armas artesanais ou de fabricação caseira, porém sem o pagamento de indenização. As armas arrecadadas na campanha são enviadas para o Exército e, em seguida, destruídas.

Além dos postos da Polícia Federal no Recife, em Caruaru e Salgueiro, também recebem armas 22 postos Polícia Militar (15 Batalhões e 7 Companhias), além de um posto itinerante.

Da Folha de PE

Joesley e Saud se entregam à PF após Fachin decretar prisões

O empresário Joesley Batista, um dos sócios da JBS, e o executivo da empresa Ricardo Saud se apresentaram, neste domingo (10), na sede da Polícia Federal, de São Paulo, após o ministro do Supremo Tribunal Federal, Edson Fachin, acatar o pedido de prisão da dupla, feito na última sexta-feira (08) pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Eles ficarão preso por ao menos cinco dias.

20170910144315205105u

Com a autorização de prisão por Fachin, o acordo de delação premiada firmado entre a JBS e a Procuradoria-Geral da República (PGR) foi suspenso. Isto porque o termo de delação prevê que o acordo perderá efeito se, por exemplo, o colaborador mentiu ou omitiu, se sonegou ou destruiu provas.

Sobre a validade das provas apresentadas, mesmo se os termos da delação forem suspensos, continuarão valendo – provas, depoimentos e documentos.

Na decisão, Fachin argumenta que Joesley e Saud omitiram informações que era obrigados a prestar e, por isso, suspendeu provisoriamente de parte dos acordos celebrados. Quanto a Miller, o ministro disse que, apesar de indícios de que Miller cometeu delito, estes não são consistentes.

O centro da crise é uma gravação, datada de 17 de março, em que Joesley e Saud indicam possível atuação de Miller no acordo de delação quando ainda era procurador – ele deixou o cargo oficialmente em 5 de abril. O áudio foi entregue pelos delatores no dia 31 de agosto.

* Com agências

Comunicado da Polícia Federal sobre Bolsa Família

“NOTA SOBRE FALSAS INFORMAÇÕES ENVOLVENDO O BOLSA FAMÍLIA”

A Polícia Federal em Pernambuco vem a público esclarecer que o “boato” ou “falsa informação” envolvendo o bolsa família começou no sábado e se espalhou rapidamente em vários Estados do Nordeste, alcançando também as redes sociais; O programa de transferência de renda do governo federal beneficia 13,8 milhões de famílias em todo o país.

As várias informações falsas davam conta de que:

• O Bolsa Família seria extinto;
• Que os beneficiários só poderiam sacar o dinheiro até neste sábado;
• Que havia um bônus extra referente ao Dia das Mães.

O Ministério do Desenvolvimento Social, responsável pelo programa, já desmentiu a informação de que não existe qualquer possibilidade de suspensão do programa Bolsa Família e que ele continuará sendo pago em dia, segundo o calendário.

O Ministro da Justiça também solicitou à Polícia Federal a abertura de inquérito com apuração rigorosa para investigar as falsas informações que podem envolver “diferentes crimes”.

Em Pernambuco houve grande aglomeração de pessoas em diversas agências da CEF, porém até agora a Polícia Federal não recebeu nenhuma ocorrência no plantão sobre depredações ou danos ao patrimônio público envolvendo a caixa econômica federal;

Diante dos fatos em questão a Polícia Federal informa a todos os cidadãos pernambucanos que não existe motivo para que haja tamanha aglomeração de pessoas com receio de que seus benefícios sejam suspensos e orienta a todas as pessoas que ainda estejam esperando em longas filas nessas agências que voltem para as suas respectivas residências porque não existe a menor possibilidade do benefício ser suspenso.

E que na data programada estipulada pelo governo federal dirijam-se até às agências da Caixa Econômica Federal na certeza de poder sacar o referido valor a que tem direito. Fazendo isso a população estará evitando um tumulto desnecessário, e não correndo o risco de no calor das emoções serem envolvidos em situações de depredações ou dano ao patrimônio da CEF por terceiros, o que estaria sendo passivo de detenção por parte da Polícia Militar com conseqüente encaminhamento até à Polícia Federal para a lavratura de auto prisão em flagrante.

Giovani Santoro

Chefe  de Comunicação

Policia Federal  Pernambuco