Blog de Airton Sousa – RESUMO DOS JOGOS – Técnico do Corinthians é demitido. Sport joga nesta segunda-feira e os principais pontuados das séries A e B

                                 demitido                              

Após a goleada sofrida na tarde deste domingo (03), o técnico Carille terminou deixando o time do Corinthians. Foram sucessivos resultados negativos e a goleada sofrida diante do Flamengo foi o estopim para a sua saída. Não existia mais clima, apesar do time está na oitava colocação do Campeonato. Vários nomes são especulados, porém oficialmente nada de concreto.

Enquanto isso é a seguinte a classificação dos principais clubes da série A, após a 30ª rodada:

Flamengo 71 pontos – Palmeiras 63 pontos – Santos 58 pontos – São Paulo 52 pontos – Grêmio 50 pontos – Internacional e Athlético do Paraná 46 pontos.

Por outro lado, a série B tem a seguinte classificação, com 32 rodadas:

Bragantino 62 pontos (Já classificado) – Sport 56 pontos – Coritiba 52 pontos – Atlético de Goiás 51 pontos – América Mineiro 49 pontos – CRB e Paraná 47 pontos.

Teremos na noite desta segunda-feira (04), um jogo importante pela série B envolvendo o Coritiba e o Sport. As equipes se confrontam pela vaga no G4, principalmente na tentativa de aproximarem-se do líder Bragantino. O time pernambucano vem de uma derrota frente ao Guarani, jogando um futebol abaixo da crítica.

Blog de Airton Sousa – Grêmio de fora; agora é esperar pelo milagre

Gremio-x-River-Libertadores-AFP

O Brasil na noite dessa terça-feira (30), vestiu a camisa do Grêmio para torcer por uma vitória contra o River Plate. Tamanha era a expectativa em face do resultado positivo no primeiro jogo, na casa do adversário. Ninguém era capaz de imaginar que a classificação fosse para a Argentina, deixando o futebol brasileiro de fora.

Porém, futebol é futebol. Por isso a surpresa no final do jogo de ver o time dos pampas de fora da final, e da maneira como aconteceu. Partiu na frente grande parte do jogo, porém na hora que mais precisava, cometeu erros infantis, o que aliás não é padrão do time comandado pelo técnico Renato Gaúcho, que sempre demonstrou competência em jogos finais.

O empate saiu com uma jogada tola do zagueiro Bressan, que além de cometer o pênalti, recebeu cartão vermelho prejudicando mais ainda o time gremista. O empate ainda beneficiava o tricolor dos pampas, porém o pior estava para acontecer, e muito pior no finalzinho do segundo tempo.

E nada mais a fazer, a Arena do Grêmio silenciou na hora em que o time do River Plate marcou o segundo gol, pois aquele gol tirava o Grêmio e colocava o River Plate na final da Libertadores, com amplas possibilidades de termos uma final entre dois Argentinos, o que mais chato.

Nossa chance de evitar uma final com dois times da Argentina, é hoje à noite. Caso o time de Felipão consiga ter competência e não tremer como aconteceu no primeiro hoje, onde 2 x 0 foi o placar que favoreceu e muito ao time do Boca Juniors, que está na vantagem pelo placar construído em casa.

Qualquer empate classifica o Boca, derrota de 1 x 0 também classifica, derrota de 2 x 0 leva a decisão para pênaltis, e aí não tem favorito. Agora, se porventura os comandados de Luiz Felipe fizerem três gols, muda a história. Difícil é acreditar que o Palmeiras reverta essa situação, no entanto, em futebol tudo pode acontecer.

Blog de Airton Sousa – Internacional é o próximo obstáculo do Sport

                                                                 27887a71996fee0dfff2cd31845407f3

Apesar das derrotas sucessivas, parece que a tempestade está passando na Ilha do Retiro. Bem que tivemos uma semana com mais calma, sem tantos desencontros e reclamações, dando a entender que os rubro-negros já estão prevenidos do que está para acontecer, com relação ao rebaixamento para o próximo ano.

Esse é o melhor caminho, tentar manter a calmaria,deixar que as coisas aconteçam uma de cada vez, dá ao treinador a serenidade que ele precisa, para tentar pelo menos cair de pé, sem cometer tantos erros, nem matar o torcedor de vergonha pelo rebaixamento e pela campanha medíocre deste ano.

Existem derrotas e derrotas, porém é preciso cair com dignidade, honrando as cores do clube e a própria tradição adquirida ao longo de mais de cem anos. O que foi feito de errado já não tem conserto, agora é cumprir os onze jogos que faltam e começar tudo de novo para 2019, principalmente na organização administrativa.

Fim do ano e as eleições irão acontecer, aí a vez dos verdadeiros e tradicionais rubro-negros darem a volta por cima, fazendo uma limpeza administrativa e financeira no clube, com a certeza das dificuldades que haverão de vir, inclusive com a queda de arrecadação, da primeira para a segunda divisão.

Não é pessimismo, e sim uma realidade que há bem pouco tempo atrás estava muito distante da Ilha do Retiro. Os erros foram sucedendo, sendo jogados em baixo do tapete pela prepotência dos dirigentes e hoje o que se vê é um clube cheio de dívidas, sem um elenco de qualidade e com problemas diversos a serem administrados.

Dentro desse contexto, o Sport entra em campo nesta sexta-feira (04) a noite, em mais um compromisso difícil, desta feita contra o Internacional, segundo colocado do Brasileiro com 53 pontos, e disputando a primeira colocação com o Palmeiras. O Sport deverá entrar bastante desfalcado e com as improvisações de sempre.

Blog de Airton Sousa – O que faz o futebol brasileiro está mal financeiramente

 shutterstock_143045899

Até a década de 80, o futebol brasileiro era semiamador. Não tínhamos auto salários, nem mordomias exageradas, campos e concentrações humildes, a própria vida dos atletas relativamente frágil financeiramente. É tanto que os grandes jogadores, viviam modestamente nas suas vidas particulares.

Aos poucos, com a transferência dos nossos craques para fora do país as coisas foram mudando, desde o exagero dos dirigentes, as contratações e salários fora da realidade, além do que nós podemos chamar transações em dólares, colocando a nossa moeda em um patamar de desvalorização.

O jogador que recebia uma proposta do exterior, ficava maluco porque nunca tinha visto tantos números. Finalmente começava a supervalorização dos que militavam no nosso futebol, e de repente a situação começou a ficar insustentável. Difícil era resistir as propostas, e de cara o futebol nacional ficava sem condição de competir.

Aos poucos os dirigentes começavam a aceitar os desafios das propostas, promovendo uma verdadeira avalanche de altas propostas para os que resolviam ficar no Brasil e assim sendo, os clubes foram se endividando, sem conseguirem manter os compromissos e de repente a avalanche de débitos.

Também é bom lembrar a decadência técnica sofrida pelo nosso futebol , é só analisarmos as últimas participações no continente sul-americano e europeu. Participações decepcionantes, ausência da conquista de títulos, deixando a torcida brasileira decepcionada com as respostas negativas.

Contribuindo para a atual situação financeira dos grandes e intermediários clubes, os altos salários, por exemplo. Técnicos como Cuca recebendo em média 700 mil reais por mês, Luiz Felipe chegando a 800 mil reais por mês e tantos outros, em patamar inferior porém, não muito distante desses pisos.

Aí vem outra questão: Se o trabalho for convincente tudo bem, porém muitas vezes com menos de seis meses, os dirigentes resolvem romper o contrato e aí vai mais uma avalanche de reais. Recentemente só para dá dois exemplos, Dorival Júnior e Levi Cupi no Santos, com questões trabalhistas em torno de 4 milhões de reais.

Tudo isso vem deixando os clubes em situações vexatórias, porque além das rescisões dos comandantes técnicos, também dos jogadores que não ficam distantes na média salarial. O pior, o dirigente passa, os débitos ficam, e aí surge a perda de patrimônio entre outros itens que fazem o clubes estarem em estado de falência.

Blog de Airton Sousa – Sport decepciona outra vez, Náutico lidera o grupo e o Santa Cruz empata

84568-futebol_brasileiro_jpg

Aconteceu neste fim de semana, a penúltima rodada do grupo A da série C. O Náutico com a vitória frente ao ABC  pelo placar de 2 x 0, garantiu a sua passagem para a fase de mata-mata, ficando com 30 pontos e tendo a vantagem da derrota do Atlético do Acre pelo placar de 3 x 0, diante do Confiança.

A campanha do alvi-rubro é irretocável, principalmente se lembrarmos os primeiros jogos do time no inicio da competição. O Náutico tem amplas possibilidades de terminar em primeiro lugar, principalmente porque o Atlético do Acre joga fora de casa, tornando mais difícil ainda a situação para o time acreano que tem tido uma sequencia de derrotas e empates.

Por sua vez o Santa Cruz bastante desfalcado foi ao Juazeiro da Bahia, enfrentando um gramado péssimo, uma temperatura altíssima e os desfalques de peças importantes do elenco, principalmente o atacante Pipico. O empate favoreceu ao tricolor, que joga a ultima partida no Arruda contra o Salgueiro. Todos os jogos serão no sábado à noite, no mesmo horário.

Entende-se que é quase certa a presença de dois representantes de Pernambuco na fase de mata-mata da série C, o que é muito importante para o nosso futebol pela história dos tricolores e alvi-rubros no cenário Nacional. Contudo, entraremos em uma fase bastante difícil, pela qualificação das equipes que comporão a próxima fase.

Decepção mesmo, foi o futebol que o time do Sport jogou mais uma vez  na Ilha do Retiro, contra a Chapecoense. O time não se encontrou de novo, demonstrando desinteresse total na partida e levando o gol, aos 12 minutos do primeiro tempo, ocasionando ainda mais vexame para o rubro negro.

Foi um Sport apático, sem interesse no jogo, com um futebol abaixo da critica, pouco diferenciando das partidas anteriores. No balanço após a Copa, o time tem quatro derrotas e um empate, ocupando a décima segunda colocação com 20 pontos, no entanto com apenas três pontos do décimo sétimo colocado, que abre a zona de rebaixamento.

Pior que tudo isso, é a maneira como os dirigentes respondem a atual situação, juntamente com a comissão técnica e os jogadores, com poucas e raras exceções. O gol de empate, aconteceu aos 47 minutos do segundo tempo, já na fase de descontos. Contudo, não deixou de ser um resultado vergonhoso. E a pergunta: contra o São Paulo domingo, o que pode acontecer?

Blog de Airton Sousa: Libertadores-2018

                                         libertadores

Após sorteio, ficou da seguinte maneira a Fase de Grupos:

 

Blog de Airton Sousa: Novidades dos grandes Clubes em 2018

                                       vai e vem

Todos sabem que final e começo de temporada é assim, uma verdadeira maratona de trocas, empréstimos e vendas de jogadores principalmente nos grandes Clubes do Futebol Brasileiro. A questão maior é a maneira como foi inflacionado o nosso futebol, tornando-se um verdadeiro escândalo, quando se trata de cifras.

Pouco importa para a maioria dos dirigentes a situação financeira do clube. O que importa é esbanjar e deixar o pepino para o próximo dirigente, assim vem vivendo a maioria dos Clubes no Brasil. Sem planejamento, sem meta, sem organograma. Vale tudo para superar a vaidade e tentar com isso aparecer junto ao torcedor, que muitas vezes também é culpado, porque o que vale é a conquista, ou não.

Estamos acompanhando por exemplo o que está se passando no Palmeiras, Fluminense, Flamengo, Santos, Cruzeiro, Atlético MG, Corinthians e tantos outros. O São Paulo tentando recuperar a imagem deixada este ano, busca reforçar o seu elenco. Por isso toda essa correria visa principalmente o jogador Diego Sousa. Aí vem a história, o Sport nega, o empresário do jogador silencia e o São Paulo insiste em dizer que a ida do jogador pode acontecer.

Enquanto isso é notícia prá aqui, noticia prá ali. Diego Sousa nos Estados Unidos, a diretoria fincando o pé em negar a saída do jogador, e a crônica principalmente de São Paulo, dando como certa a ida de Diego para o time do Morumbí. Dá para perceber que essa história começa a ser uma repetição daquela anterior, quando o Palmeiras deu em cima do jogador, e todos negavam. É bom a diretoria do Leonina ficar de olho bem aberto.

 

Blog de Airton Sousa: Mundial de Clubes ficou na Espanha

                              gremi

Todos estavam torcendo que o título do Mundial de Clubes ficasse com o Grêmio, no entanto, foi grande a disparidade técnica entre as duas equipes. Um Grêmio nervoso, fragilizado e sem criatividade nenhuma, além da deficiência nos erros do toque de passe. Depois disso a esperança do time de Renato Gaúcho, não funcionou, Luan pisou na bola e não correspondeu.

Outras justificativas foram buscadas, exemplo: a ausência de Artur. Nada disso, o que aconteceu é que o time espanhol, tinha tudo demais, inclusive grandes jogadores e muita qualidade. Foram dez bolas por uma chutada a favor do Real Madrid, e é bom lembrar que Cristiano Ronaldo não estava em uma tarde inspirada.

Um primeiro tempo de um time só, e começou a segunda etapa do mesmo jeito, e logo saiu o gol do Real Madrid, bola parada e a barreira abre para Cristiano Ronaldo fazer o dele e ter o mérito da conquista. Ficou um gostinho de conquista para o Grêmio, no entanto o que prevaleceu mesmo  foi a vitória de Cristiano Ronaldo e seus companheiros de uma qualidade invejável.

Para o Grêmio fica o consolo do vice-campeonato, com muita luta durante  o jogo, no entanto não era suficiente para superar o adversário. Renato Gaúcho trabalhou ao longo das competições com algumas limitações, porém foi um belo ano para o tricolor dos pampas. Agora é uma avaliação geral e vê o que pode ser projetado para 2018.

 

Blog de Airton Sousa: Grêmio é tricampeão da Libertadores

luan-comemora-o-segundo-gol-do-gremio-diante-do-lanus-na-final-da-copa-libertadores-1512003652679_615x300

A quem creditar o título conquistado pelo Grêmio na noite dessa quarta-feira (29)? A organização do Clube, ao técnico Renato Gaúcho, aos jogadores, ou a imensa torcida gremista? Sinceramente, fica difícil porque todos tiveram a sua parcela de contribuição na conquista da Libertadores 2017.

Foi algo inacreditável o que o nosso Continente assistiu. Em Porto Alegre, na Avenida Goethe uma das mais tradicionais da Capital Gaúcha, uma multidão incalculável. Na Arena do Grêmio outra multidão, e no Estádio aproximadamente 5.000 torcedores, formando uma corrente de incentivo e otimismo, para o seu Clube do coração.

Aquela história de dizer que 1 x 0 é goleada, vingou e como vingou. Porque foi o placar do primeiro jogo em casa, que deu a serenidade aos comandados de Renato Gaucho, que entraram em campo nessa quarta-feira (29), administrando o regulamento da competição, contra a pressão sofrida pelo time do Lanús.

No primeiro tempo além do gol de Fernandinho aos 27 minutos, o time Brasileiro aproveitou o nervosismo do adversário, impondo  velocidade nos contra-ataques e mandando na partida. Aos 42 minutos, o jogo começava a ter um campeão, com o segundo gol gremista, através do jogador Luan, fechando o placar em 2 x 0.

Era de se esperar uma reação mais coinsciente do Lanús, e foi o que aconteceu. O Grêmio se encolheu no jogo, passou a ser dominado na maioria do tempo, e aos 25 minutos jailson cometeu  um pênalti. Na cobrança o jogador Sandi, converteu e deixou o placar em 2×1. Nada de preocupar, porque o gol tinha acontecido com mais da metade de segundo tempo, e naquele momento era necessário que os Argentinos fizessem mais dois gols, para ter direito a prorrogação.

O jogo ficou tenso, muito embora sem violência e aos 36 minutos por desrespeito ao árbitro, veio a expulsão do jogador Ramiro. Mudou todo esquema de Renato Gaúcho, o Lanús ficou nervoso porque via o tempo passar, e o lado emocional começou  a pesar.  Como se não bastasse, aos 45 minutos o jogador Luan perde um gol incrível, através de uma jogada de Fernandinho.

Final de jogo, com a vitória de 2 x 1, o Grêmio foi campeão da Libertadores, provocando uma verdadeira festa no Brasil, com detalhe de que Renato Gaúcho foi campeão da Libertadores duas vezes, como jogador e agora como treinador. Também como detalhe, Fernandinho que ainda não tinha feito nenhum gol na competição fez o gol mais importante, abrindo o placar aos 27 minutos e levando o Grêmio a iniciar a conquista do título.

Blog de Airton Sousa: Sport faz a diferença em casa

Jogando na noite dessa quinta-feira (07), na Ilha do Retiro, o Sport Clube do Recife conseguiu um resultado positivo, ao vencer o Arsenal de Sarandí, pelo placar de 2 x 0. A vitória foi importante por vários aspectos. A diferença de dois gols, podendo empatar ou perder no jogo de volta por até 1 x 0. Também deu sequência a uma série de resultados positivos, após a chegada do técnico Wanderley Luxemburgo, além da credibilidade da torcida.

No jogo de volta na Argentina, o time joga sem tanta pressão, porque sabemos que não é fácil enfrentar qualquer equipe naquele país, pela rivalidade existente e pela maneira como o torcedor se comporta, principalmente quando enfrenta aos brasileiros. Daí o placar ter favorecido e muito ao time leonino, que poderá jogar com mais tranqüilidade, sem a pressão que seria, se tivesse obtido um resultado negativo no primeiro jogo.

O Sport foi construindo o placar de uma maneira consciente, mesmo porque a condição do gramado, com as freqüentes chuvas, não estava boa, bastante pesada e deixando os atletas das duas equipes temerosos de uma contusão. Porém, o importante é que no final, o resultado favoreceu ao rubro-negro, e agora parte com vantagem, para o próximo jogo e também a fase seguinte da Sul-Americana, de uma maneira inédita.

Blog de Airton Sousa: Difícil recomeço para o futebol

Após uma semana cheia de tristeza, lembranças, perdas, homenagens e emoções, o mundo do futebol tenta voltar pouco a pouco à rotina. Como será esse recomeço, em meio a necessidade que o futebol tem de sequenciar as suas competições. O Campeonato Brasileiro deverá terminar nesse dia 11 de dezembro e o jogo que seria entre Atlético Mineiro e a Chapecoense, ainda é uma interrogação. A partida que seria entre o Atlético de Medelim e a Chapecoense, qual definição terá? Como será o reinício do time de Chapecó?

Bem, tudo isso só os dias é que poderão mostrar. Porém, em meio a palavras e gestos, com certeza, aos poucos o mundo da bola deverá girar, de uma maneira ou de outra. No entanto, alguns exemplos que merecem ser ditos, as torcidas principalmente dos grandes clubes, sempre demonstraram uma selvageria sem precedentes, marcaram encontro na Praça Charles Miller, em frente ao estádio do Pacaembu, desta feita não para se digladiarem, como sempre fizeram, mais para fazer alguns minutos de reflexão. Lá estavam os chefes das torcidas do Palmeiras, Corinthians, São Paulo e Santos. E o mais impressionante, firmaram um compromisso de paz e não de guerra. Foi preciso uma tragédia, para que essas torcidas usassem a sensibilidade de perceber que violência só gera violência. Torcer que isso possa, de fato acontecer, após o momento de toda essa comoção.

Agora, espera-se para os clubes que encerrarão, no próximo final de semana o Brasileirão, superarem todas essas emoções. De um lado a luta pela inclusão na Libertadores de 2017, dos que estão no bloco de cima; de outro lado, na parte de baixo,  a disputa entre Internacional, Vitória e o Sport Clube do Recife, para escaparem do rebaixamento. Esta é a situação da última rodada. Que os profissionais da bola, do microfone, das câmeras, possam se unir às torcidas, para fecharem o Campeonato Brasileiro, que, apesar de ser de uma maneira triste, que seja de forma digna da tradição e do conceito no nosso futebol.