Blog de Airton Sousa: Jogo difícil e arbitragem prejudica o Santa Cruz

                                       jg7g

Jogando na tarde desse sábado (21), o Santa Cruz empatou contra o Brasil de Pelotas em 1 x 1. Um jogo tumultuado, fraco tecnicamente e uma arbitragem que no final influenciou no resultado do jogo, quando marcou um pênalti inexistente contra o Santa Cruz, provocando revolta em todo o grupo tricolor.

O técnico Marteloti  armou o time com três  volantes,  Derley, Welintgon César jogando atrás na marcação, enquanto que João Ananias teve liberdade para jogar, com a coincidência de ter sido o autor do gol tricolor, em uma jogada bonita, arrancando em um contra-ataque, aos 30 minutos do primeiro tempo de jogo.

Foi um primeiro tempo de poucas jogadas ofensivas, muito embolado pelo meio, no entanto a equipe do Brasil de Pelotas procurou um pouco mais a meta do goleiro Julio César. Porém, graças a boa participação do goleiro tricolor evitou que o gol acontecesse no primeiro tempo de jogo, terminando com a vitória parcial de 1 x 0.

No segundo tempo, o técnico Marteloti  orientou os seus jogadores para não se exporem, facilitando um pouco o trabalho do adversário. Aos 31 minutos, aconteceu o impoderável, o árbitro marcar um pênalti  inexistente, que colocou o Brasil na Igualdade do placar, provocando muitas reclamações por parte do grupo tricolor, com razão.

Com o empate, o Santa Cruz somou 31 pontos continuando na décima oitava posição, e atua agora no Arruda duas vezes, respectivamente contra o  Luverdense e o Náutico. Dois jogos importantes, que poderão provocar ao time tricolor, a condição de somar seis pontos e tentar sair da zona de rebaixamento. Contudo  de qualquer maneira, foi importante o empate.

 

Blog de Airton Sousa: Náutico é dominado, mais termina vencendo

hqdefault

Um jogo em que o time do Brasil de Pelotas, dominou do começo ao fim e foi prejudicado pelo árbitro Antonio Morais de Sousa do Piauí, que  deixou de marcar um pênalti aos 22 minutos e anulou um gol legítimo aos 32 minutos, todos do segundo tempo, influenciando direto no resultado, porém no final o Náutico venceu por 1 x 0 .

A equipe dos pampas, foi muito bem aplicada em campo, teve chances aos 17, 19, 22, 32 minutos, entre elas um pênalti no jogador Marcinho aos 22 minutos, deixado de ser marcado pelo árbitro do jogo, além do erro ao anular um gol do atacante Lincoln aos 32 minutos, destacando-se a atuação do goleiro Jeferson, desde o início .

Muitas faltas, muitos passes errados, um jogo violento e um árbitro perdido em todos sentidos. O Náutico teve chances aos 3 minutos com Bruno Mota e aos 28 minutos com Aislan. Na volta do segundo tempo, saiu Geovani que estava mal no jogo entrando Iago. Porém continuava o domínio do Brasil de Pelotas, com o Náutico encurralado sem espaço para jogar, pela forte marcação do adversário.

Novamente começava a avalanche de bolas chutadas contra a meta de Jeferson. Aos 3 minutos Juninho chutava forte de fora da área, aos 15 minutos era a vez  de Itaqui na cobrança de falta,  outra vez Itaqui cobrava  para uma grande defesa de Jeferson, aos 30 e 31 minutos era a vez de Cassiano, que houvera entrado aos 10 minutos, no lugar de Lincoln.

Porém, o Náutico que apenas e defendia, teve   chances com Ávila aos 26 minutos,  Shuster aos 37 minutos e finalmente a surpresa, Vinicius que houvera entrado no lugar de Gilmar, aproveita uma sobra de bola e faz o gol aos 42 minutos, dando a vitória ao Náutico por 1 x 0. Com a vitória o Náutico foi a 20 pontos, continua na décima nona posição e tem o desafio de vencer oito jogos, somar mais 24 pontos, para chegar aos 44 e escapar do rebaixamento.

Blog de Airton Sousa: Givanildo estreia com vitória

givanildo oliveira
Existia uma expectativa para a estreia de Givanildo Oliveira no Santa Cruz, depois de 12 anos. E a verdade, é que nada melhor poderia acontecer, uma goleada de 3 x 0 no Brasil de Pelotas, um futebol vistoso, principalmente no primeiro tempo, e um jogo coroado de três belos gols, feitos por Derley aos 26 minutos e João Paulo aos 42 minutos do primeiro tempo. No segundo tempo, aos 26 minutos, foi a oportunidade de Ricardo Bueno fechar o placar.

Foi um jogo bastante movimentado, onde observou-se a mudança de comportamento do time tricolor, o rendimento maior de algumas peças e o que foi lamentável é que o jogador Elí Carlos, aos 39 minutos do primeiro tempo, sofreu uma contusão, diminuindo o rendimento do time, mesmo com a entrada de Wellington César, que não foi bem recebido pelo torcedor.

Com a vitória, o Santa Cruz aproximou-se do G-4, teve o otimismo voltando ao grupo, e a expectativa que esse crescimento possa continuar. O time tricolor tem o desafio de jogar contra a Luderdense, em Lucas do Rio Verde. A Luverdense jogou nesta sexta-feira (07) e perdeu pelo placar de 3 x 1 para o Goiás.

Blog de Airton Sousa: Givanildo no banco e o Santa Cruz tenta a vitória

Na noite desta sexta-feira (08), o Santa Cruz volta a campo na Arena de Pernambuco, para enfrentar ao Brasil de Pelotas do Rio Grande do Sul. O time do Arruda vem de uma sequência de resultados negativos, daí a razão do afastamento do comando técnico do ex-jogador Adriano, que havia assumido temporariamente o time.

A contratação de Givanildo Oliveira é como se fosse a salvação para o grupo de jogadores que vem levado o clube a uma queda acelerada na competição, e hoje está em jogo duas citações. No caso de uma vitória, somando três pontos o time respira e aproxima-se do G-4, em contra partida, se perder terá o fantasma da zona de rebaixamento ameaçando o time no final desta rodada, o que tornaria o clima extremamente ameaçador.

São poucas mudanças que o técnico Givanildo fará na equipe, porque o treinador teve apenas 5 dias para trabalhar os jogadores. As possíveis mudanças poderão acontecer no decorrer do jogo, a depender do comportamento do time. O Brasil de Pelotas, também não tem uma boa campanha, no entanto, como sempre as equipes gaúchas dão muito trabalho, pelo estilo de jogar, e marcação forte.

O próximo jogo do Santa Cruz será contra a Luverdense, fora de casa, o que torna mais necessário ainda a vitória contra o Brasil de Pelotas, para que o time possa respirar mais tranqüilo, e sair para o Mato Grosso, onde além das dificuldades do adversário, a lojistíca da viagem, que é um tanto quanto complicada. No entanto, o importante é que nesta noite de sexta-feira (07), o tricolor possa fazer o seu dever de casa.

 

 

 

Blog de Airton Sousa: Náutico perde mais uma

Jogando na noite desta terça-feira (30), no Rio Grande Sul, o Clube Náutico Capibaribe perdeu pelo placar de 2 x 0, para o Brasil de Pelotas. Mais uma vez,  o técnico Waldemar Lemos tentou escalar o time com as condições que ele tem, porém, nada mudou. O técnico teve uma equipe fragilizada, com pouca criação e também sem a mínima criatividade.

Com um detalhe, o adversário do time Timbu, ainda não havia vencido na competição, demonstrando também a sua fragilidade. No entanto, aproveitando o fraco futebol do time Pernambucano, somou três pontos e melhorou a sua classificação na série-B. Quanto ao Náutico, sem esboçar nenhuma reação, demonstrou ao longo do jogo, uma fragilidade repetida nas partidas anteriores.

Oito foram os jogos sem o Náutico vencer, pior ainda, quatro sem marcar um gol se quer, e com isso, a qualidade do elenco é demonstrada a cada partida, e isso tem trazido muita preocupação para a comissão técnica, e muito mais para a torcida, que ver o time descendo na classificação cada vez mais. O próximo jogo alvi-rubro será na Arena de Pernambuco, neste final de semana contra o Oeste, o mesmo Oeste que evitou o ano passado que o Náutico subisse para a primeira divisão.

Blog de Airton Sousa: Náutico vence mais um jogo

Provando mais uma vez que o técnico Givanildo Oliveira, é competente, o time do Náutico venceu mais uma partida sob o seu comando, a quinta, e desta feita, a vítima foi o time do Brasil de Pelotas, por 2 x 0. Um jogo em que até os 25 minutos do primeiro tempo, os dois times só faziam se marcar, inclusive o time gaúcho segurando os espaços dentro do campo timbu. Após os 25 minutos, o Náutico começou a se soltar, e a partir daí, as dificuldades começaram a diminuir, sem contudo os dois times terem poucas chances ofensivas, onde os dois goleiros tiveram pouco trabalho. O gol do Náutico,  saiu aos 44 minutos, numa jogada extraordinária de Marco Antonio para Bergson, que aproveitou com categoria e colocou o Náutico na frente do placar, vencendo a primeira fase pelo placar de 1 x 0.

No início do segundo tempo, o time de Givanildo Oliveira, começou a dar demonstração de desgaste físico, porém,  o Time do Brasil de Pelotas, já não tinha poder de reação, sentindo evidentemente, o fato de está com um jogador a menos, porque Washington havia sido expulso aos 42 minutos do primeiro tempo, dificultando o trabalho do time gaúcho. Aos 14 minutos, quase Bergson ampliava, com um lançamento primoroso  de Marco Antonio; 4 minutos depois, foi a vez do Brasil, com o bom jogador Felipe Garcia. No entanto, o gol não  aconteceu. Porém, aos 37 minutos, surgiu outra chance e Rony, lançando uma excelente bola para Bergson que chutou e Marcão, tentando defender, terminou jogando contra suas próprias redes, fazendo Náutico 2 x 0, e definindo de uma vez por todas, a vitória alvi rubra. Agora do histórico de Givanildo Oliveira, credita-se dois empates e cinco vitórias para o time timbu. Um excelente resultado.

O próximo jogo ao Náutico será  na Arena de Pernambuco, desta feita a vítima é o time do Ceará, um confronto nordestino, onde o time pernambucano vencendo, começa a se fixar no G 4 da competição. É inegável de que, houve no time, uma mudança radical para melhor, evidentemente. É aguardar que nesta reta importante da competição, o time pernambucano não venha a fazer como nos anos anteriores, como exemplo, o ano passado, contra o CRB.

Blog de Airton Sousa: Náutico empata e Santa, como será?

Uma noite fria, um gramado que não ajudou, e um time que outra vez não jogou bem: foi esse o resultado do Náutico ontem, contra o Brasil de Pelotas. Entendemos que para o time da casa o empate foi pior do que para o timbu, porém, o Náutico necessitava desses três pontos, para continuar no G 4, até porque o próximo jogo será outra vez fora de casa, desta feita contra o Ceará, em Fortaleza. Estamos entendendo que o técnico Alexandre Galo terá muita dor de cabeça para colocar o time numa situação, que não venha a complicar mais na frente.

Às vezes um empate fora é muito bem recebido, porém, para a situação do alvi rubro, esse resultado representa mais uma rodada sem vencer. O time vem de uma derrota fora, contra o Vasco, um empate em casa contra o Bragantino, o pior de todos, e o empate de ontem, fora, daí entende-se que uma vitória seria fundamental para o time melhorar na classificação e voltar a ter a credibilidade da torcida, que hoje está bastante preocupada com os últimos resultados. Chegam os reforços e nada resolve, porque o nível técnico não corresponde.

O Ceará, sem sombra de dúvidas, é um adversário mais difícil, onde prevalece principalmente, a rivalidade da região nordestina, fato que sempre aconteceu. Só que no momento, o time timbu necessita urgentemente de uma vitória para não descer mais ainda na classificação. O Náutico que vinha bem e dentro do G 4, agora deixou essa posição privilegiada, só voltando a depender de uma vitória contra os Cearenses.

Ainda sobre o futebol Pernambucano, outro clube que entra em campo esta noite (22/06) é o Santa Cruz, que vem de resultados negativos com um futebol bastante irregular em todos os setores do time e ainda com muitas carências. O adversário é nada mais nada menos que o Flamengo, que mesmo não tendo um time tecnicamente organizado, mas tem o peso da camisa, a tradição e uma torcida muito forte.

Cabe ao tricolor, que joga sem dois jogadores importantes, Neris e William Correia, se superar e partir para a vitória, se não quiser tem uma situação complicada, além da aproximação da zona de rebaixamento. Vejamos então o que faz o treinador tricolor para melhorar o rendimento do grupo, evitar a repetição dos erros anteriores e os jogadores corresponderem a confiança do torcedor, conseguindo essa vitória importante e fundamental.

Espera-se um bom público, além de um grande trabalho que a polícia terá para conter a violência, entre torcidas extremamente rivais.