Blog de Airton Sousa – Muita confusão ainda na decisão da Libertadores

1543324082_258129_1543324636_noticia_normalInfelizmente, o mundo viveu no último fim de semana um verdadeiro clima de guerra, por ocasião do que seria a decisão da Libertadores 2018. No primeiro jogo, tivemos o empate de 2 x 2, e no que seria a decisão uma vitória para um lado, ou para o outro daria o título inédito para a história do futebol argentino.

A Argentina sempre teve nos seus representantes grandes conquistas na Libertadores e Sul-Americana, porém uma decisão entre dois clubes argentinos nunca tinha acontecido, daí a motivação maior ainda para a decisão, além da rivalidade entre os dois clubes, no é tanto mais uma vez, a exemplo da primeira partida, um jogo de uma só torcida.

Mesmo assim as torcidas do River Plate e do Boca Juniors, não satisfeitas com essa determinação, trataram de criar uma situação fora do estádio que terminou com o apedrejamento do veículo e de alguns jogadores do Boca Juniors, terminando com muitas pessoas feridas, a maioria jogadores.

Adiado o jogo do sábado, acertos para a realização no domingo. Nada feito, os clubes citaram a condição emocional, e mais uma vez a partida foi adiada. Data e local indefinidos, e depois de muita discursão com a inclusão da Conmebol, representantes dos dois clubes e a data final e local sem nada determinado.

Estados Unidos, Qatar, Itália e até o Brasil, no caso nas Arenas do Corinthians, Palmeiras e outros estádios. Infelizmente isso é péssimo para o futebol do nosso continente, diante da imagem que ficaremos com o resto do mundo, com tanta desorganização. Aguardar agora as decisões da data e local, para conhecermos o campeão.

Blog de Airton Sousa – Só deu Argentina na final da Libertadores

benedetto-comemora-gol-do-boca-juniors-contra-o-palmeiras-1541040400850_956x500

Depois da decepção com a saída do Grêmio da final da Copa Libertadores, restava ao Brasil a classificação do Palmeiras, se bem que com remotas possibilidades em razão do primeiro resultado na casa do adversário. Até que o Palmeiras começou bem o jogo. Ofensivo, marcando bem, e tentando chegar ao gol do adversário.

Porém foi como que uma ducha fria, o primeiro gol do Boca Juniors deixando a arena em silencio e começando matar as pretensões iniciais do time de Luiz Felipe. De repente bateu um astral para baixo, porque se sabia que a partir daquele momento as coisas ficariam mais complicadas, sem que o alvi-verde pudesse sonhar com a classificação.

Mesmo assim aconteceu o empate, a virada, no entanto nada  interessava, porque não era uma vitória simples, mais sim uma vitória com uma diferença mais exagerada. De novo, o placar era alterado porque aos poucos o tempo passava, o desanimo também e a verdade é que o Palmeiras, a exemplo do Grêmio  também deu  adeus a competição.

Agora, a final acontecerá entre dois argentinos pela primeira vez, um fato inédito na história da Libertadores e nós brasileiros iremos nos recolher a nossa limitação, vendo dois ferrenhos adversários disputarem o título, e nós só temos que parabenizar os argentinos, mesmo diante da rivalidade existente.

O que ficou de lição com mais essa decepção, só o tempo dirá porque mais uma vez nos rendemos a dois adversários do nosso continente, provando assim que o futebol brasileiro está em baixa, principalmente em competições do nosso continente. Quando iremos aprender, só o tempo dirá?

Selecionar arquivos