Caruaru-PE: Elenco do Central não treinou e não concentrou, mas vai entrar em campo hoje contra o Sport

O elenco do Central se recusou a participar do coletivo apronto e a concentrar devido o atraso no pagamento da folha salarial do mês de Março, nesta terça-feira (28.04), mas, promete entrar em campo ás 20h de hoje diante do Sport, no Estádio Luiz José de Lacerda (Lacerdão), em Caruaru, buscando um bom resultado no 1º jogo do confronto que vai definir o 3º colocado do Campeonato Pernambucano 2015, e consequente, definirá o clube que vai representar o estado nas Copas do Brasil e do Nordeste em 2016.

Mesmo com todos os problemas o técnico Humberto Santos preferiu fazer mistério sobre qual formação utilizar, mas a provável escalação do Central deve ser: Beto; Fabinho, Sinval, Natan e Jailton; Erick, Jucemar Gaúcho, Fernando Pires, Juninho Silva; Candinho e Róger.

Os zagueiros André Lima, lesionado no joelho esquerdo, e Matia Binatti, com uma lesão na coxa direita, além de Éverton, expulso na última partida, não enfrentam o Sport.

Pelo menos uma notícia boa. O meia Juninho Silva volta de suspensão e deverá voltar ao time titular.
Ingressos: R$ 30,00 (arquibancada), R$ 15,00 (estudantes e sócios) e R$ 50,00 (cadeiras)

No Sport, sem poder contar com Vitor, suspenso, o técnico Eduardo Baptista escolheu Oswaldo para o setor. Com isso, a tendência é que o Sport entre em campo com Magrão; Oswaldo, Durval, Ewerton Páscoa e Renê; Rithely, Neto Moura (Wendel), Elber e Diego Souza; Samuel e Felipe Azevedo.

1 2

TV Replay, o que é bom se repete!

Capitão rubro-negro voltou a sentir lesão na coxa

No jogo contra a Ponte Preta na próxima quinta-feira o Sport não poderá contar com uma importante peça, o goleiro Magrão voltou a sentir dores na coxa direita e foi vetado pelo departamento médico rubro-negro. Essa mesma lesão já havia tirado o capitão rubro-negro de outros quatro jogos no Brasileirão deste ano.

Apesar de chateado com a situação, Magrão se mostrou tranquilo por saber que o seu substituto é de muita qualidade.

Magrão ainda não confirmado, segue treinando

Mesmo que o goleiro Saulo não tenha comprometido os resultados dos jogos do Sport, a torcida espera anciosamente pelo retorno do goleiro Magrão ao time titular. Ainda se recuperando de uma contusão, no jogo passado tentou o retorno, mas acabou ficando de fora.

Magrão hoje treinou normalmente, cobrou vários tiros de meta, acompanhado dos preparadores de goleiro e do médico, para ver se a dor iria permanecer.

Ainda sem a certeza se joga ou não, Magrão preferiu não falar ainda com a imprensa.

Goleiro Magrão vetado do jogo de domingo

Magrão retornou aos trabalhos com bola no treino da manhã desta quinta-feira, na Ilha do Retiro. Separado do restante do elenco do Sport, agarrou normalmente, porém evitou dar chutes para que a sua lesão na coxa direita não se agravasse. Embora tenha mostrado sinais de evolução, o goleiro acabou sendo vetado do jogo de domingo, contra o Coritiba, em casa. Será o quarto duelo consecutivo que o jogador ficará de fora nesta Série A do Campeonato Brasileiro. Saulo novamente irá ser o seu substituto.

Um dos médicos do Sport, Paulo Girão, comentou o processo de recuperação do atleta. “Magrão está na fase final do tratamento, tem ainda que passar pela readaptação. Estamos poupando ele de alguns movimentos ainda, por isso fizemos esse treino à parte”, analisou o profissional do DM rubro-negro.

Bom retrospecto – Mesmo com a ausência do ídolo debaixo das traves, a torcida do Sport tem se mantido tranquila quanto a goleiro. Saulo vem substituindo Magrão à altura. O jovem reserva de 23 anos sofreu quatro gols em três partidas disputadas, numa média 1,3 gol levado por jogo.

Magrão retorna aos trabalhos nesta quinta-feira e poderá enfrentar o Coritiba

Em mais uma semana encarada como decisiva pelos rubro-negros, a boa notícia fica por conta do goleiro Magrão. Depois de cerca de 15 dias afastado do time em razão de um estiramento no adutor da coxa direita, o capitão do time e ídolo da torcida do Sport está praticamente recuperado e poderá ser reforço para o duelo das 18h30 do próximo domingo, contra o Coritiba, na Ilha do Retiro.

Liberado pelo departamento médico, na segunda-feira, o goleiro já realizou um trabalho específico na piscina do clube. Na terça-feira, iniciou a transição com o departamento físico. De acordo com o médico Antônio Bezerra, a previsão é que ele retorne aos trabalhos com bola, junto ao restante do grupo, a partir da próxima quinta-feira.

“Evidentemente, somente o dia a dia dele nos trabalhos é que poderá dizer se ele está apto ou não para voltar. Magrão é um atleta experiente, sabe a hora de voltar e não é pelo fato de o exame ter dado no normal que ele está pronto. Respeitamos a palavra do atleta e só vai depender dele agora”, ressaltou o médico rubro-negro.

Em relação ao volante Rithelly, que deixou o jogo contra o Internacional novamente sentido dores, Antônio Bezerra afirmou que o jogador está bem e não será problema para enfrentar o Coxa. “Foram apenas dores musculares. Se no jogo com o Bahia ele sentiu pelas dores na perna esquerda, agora foi a vez da perna direita. Mas ele é um jogador forte, que não se machuca fácil”, pontuou o médico.

Goleiro Saulo do Sport atuou em três jogos, mas contra o Coritiba o posto deve voltar às mãos de Magrão

Depois de defender a meta do Sport por três rodadas, o goleiro Saulo pode voltar ao banco de reservas para o confronto com o Coritiba, domingo, às 18h30m, na Ilha do Retiro. O jovem goleiro foi bem quando acionado, mas o capitão e ídolo leonino Magrão está recuperado do estiramento na coxa esquerda e deve ser reintegrado ao grupo durante a semana.

O camisa 87 do Sport enfrentou Cruzeiro, Bahia e Internacional e sofreu quatro gols, numa média de 1,3 gol por partida. Teve boas atuações, disputando, por exemplo, o posto de melhor goleiro da rodada pelo GLOBOESPORT.COM no último fim de samana.

 

Rubro negro não terá Edcarlos contra o Coritiba, mas contará com três retornos garantidos

Para pegar o Coxa, às 18h30 do próximo domingo, na Ilha do Retiro, o Sport contará com o reforço de três atletas: o zagueiro Diego Ivo, que cumpriu suspensão, além de Gilberto e Marquinhos Gabriel, que não puderam enfrentar o Inter por questões contratuais. Em contrapartida, o zagueiro Edcarlos tomou o terceiro cartão amarelo e está suspenso. No seu lugar, Bruno Aguiar, que fez uma boa partida frente ao Inter, deverá ser mantido – dessa vez ao lado de Diego Ivo.

Já o goleiro Magrão, por sua vez, ainda poderá ser outro a voltar ao time, caso se recupere do estiramento na coxa longo desta semana.

Jogadores do Sport miram nos bons exemplos para fugir do rebaixamento

A vitória sobre o Cruzeiro, no último domingo, trouxe um pouco de tranquilidade aos jogadores, comissão técnica e torcedores do Sport, que sofrem ao ver o Rubro-negro afundado na zona de rebaixamento. Principalmente porque o triunfo fez com que o Coritiba, primeiro clube fora do Z-4, ficasse a apenas três pontos do Leão.

Com um discurso bem ensaiado, os atletas usam exemplos de clubes que já estiveram em situação semelhante a que hoje vive o Sport. Casos como o Fluminense, que livrou-se do rebaixamento em 2009, após uma impressionante arrancada na reta final da competição, foram usados como inspiração pelo goleiro Magrão, que não acredita que o Rubro-negro disputará a Série B em 2013.

O otimismo do goleiro ganha um pouco de respaldo se observarmos o histórico da Série A desde 2006, ano em que o Brasileirão passou a ter a mesma quantidade de competidores que possui atualmente. Desde então, das 24 equipes que estavam na zona da “degola” na 24ª rodada, nove conseguiram escapar da temida Série B.

Números que enchem os rubro-negros de esperança. Porém, para o atacante Gilsinho, ainda não é o momento para olhar a tabela de classificação.

Se para o atacante os números não devem fazer parte da rotina dos jogadores, o mesmo não se aplica ao seu companheiro de ataque, Felipe Azevedo. De acordo com o jogador, o grupo precisa mirar nos bons exemplos, para ganhar mais ânimo.

Já para o meio-campo Willians, o Sport precisará se superar para fugir do Z-4, para isso, o atleta confia na força do grupo e pede um apoio incondicional da torcida.

Magrão fora por 10 dias, Willian Rocha não preocupa e Renan Teixeira está liberado

Como já era esperado, o goleiro Magrão está novamente vetado para a próxima rodada, contra o Bahia. O exame de ressonância do atleta acusou um estiramento muscular de grau 1 e a previsão é que ele fique de fora por mais dez dias. Com isso, Saulo permanece no time. O prata da casa, inclusive, está recuperado das cãibras que sentiu durante boa parte da vitória sobre o Cruzeiro.

“Desde o jogo contra o Flamengo, Magrão vinha sentindo esse incômodo. Não atrapalhava, porém nem tiro de meta ele estava batendo. O estiramento não o impede de jogar, já que ele faz praticamente todos os movimentos sem dor. Mas como goleiro também tem que usar os pés, é um jogador como qualquer outro, ele só irá voltar quando estiver 100%”, explicou o médico Antônio Bezerra.

Mesmo tendo saído no intervalo do jogo sentido dores no joelho operado (que o fez ficar cerca de seis meses longe dos gramados recentemente), o lateral esquerdo Willian Rocha não preocupa para o jogo desta quarta-feira. “Ele sentiu apenas uma dor no joelho, mas é normal pelo campo duro. Uma sobrecarga pode acontecer. Ele está bem e relacionado para esta rodada”, disse o médico.

Já o volante Renan Teixeira, depois de desfalcar o Leão nas últimas três rodadas, está recuperado da contusão na posterior da coxa direita e voltará a treinar com bola a partir desta terça-feira. O atleta, então, tem chances de ser relacionado para pegar o Bahia.

400 vezes Magrão

A quinta-feira será especial para o goleiro Magrão. Hoje, quando a bola rolar em Volta Redonda para o jogo diante do Flamengo, ele estará completando 400 jogos com a camisa rubro-negra. Uma marca histórica e que foi construída ao longo dos pouco mais de sete anos que ele está na Ilha do Retiro.

A estreia de Magrão foi no ano de 2005, logo após a sua contratação, em uma partida contra o Gurani, pela Série B do Campeonato Brasileiro. “Dos 399 jogos que já fiz até agora, esse é um dos que está marcado na minha memória. Era o começo em um clube com uma história gloriosa e que eu queria marcar o meu nome. Consegui ser muito feliz aqui e ainda quero muito mais”, comentou o goleiro.

Na Ilha do Retiro, Magrão já conquistou seis títulos. Cinco deles foram do Campeonato Pernambucano (2006, 2007, 2008, 2009 e 2010) e ainda a Copa do Brasil de 2008, quando o Leão enfrentou os melhores times do futebol brasileiro e conquistou o seu terceiro título nacional.

“Estou muito alegre por poder chegar aos 400 jogos por um time centenário e que teve vários goleiro bons em sua história. Para mim é uma satisfação muito grande em poder estar completando esses 400 jogos e em vestir a camisa 400 no jogo de logo mais”, comentou o goleiro, que deixará o número 1 de lado na noite desta quinta-feira, contra o Flamengo.

Além do número 400 nas costas, Magrão também será homenageado nas camisas dos jogadores de linha, que terão fotos de torcedores e uma foto especial do capitão rubro-negro. “É mais uma horna para mim. Fiquei muito feliz quando soube disso e espero que essa camisa dê sorte ao nosso time”, disse ele.

Filho de Magrão ganha de presente camisa que o pai ganhou de Rogério Ceni

Reconhecimento nacional, idolatria da torcida, representatividade entre os jogadores. Aos 35 anos, Magrão obteve no Sport uma projeção que poucos atletas conseguem. No último jogo do Leão, o camisa 1 rubro-negro foi destaque mais uma vez, fazendo defesas difíceis e impedindo que a equipe fosse goleada pelo São Paulo no Morumbi.

No entanto, apesar de honrar a profissão que abraçou, Magrão não gostaria de ver seus herdeiros como goleiro. O capitão do Sport tentou de todas as formas interromper o sonho do filho Rafael Beti, que aos 12 anos começa a trilhar o mesmo caminho do pai.

Com a insistência de Rafael, que atualmente atua nas categorias de base do Sport, Magrão não teve outra alternativa a não ser apoiar a escolha do filho.

Como prova de que mudou de opinião, Magrão fez questão de presentear Rafael com a camisa que ganhou de Rogério Ceni, após a partida contra o São Paulo, no último domingo.

Com a atuação no Morumbu, Magrão igualou o recorde do goleiro Júlio César, do Corinthians, que havia feito seis defesas difíceis no Brasileirão 2012. O goleiro do Sport já havia se destacado no jogo contra o Grêmio (fez cinco defesas difíceis, mas o Leão perdeu por 3 a 1) e contra a Ponte Preta (foram quatro defesas difíceis no empate por 1 a 1 com a Ponte Preta).

Com defesas difíceis, Magrão é eleito craque da 14ª rodada

Uma atuação quase impecável. Em um dos melhores desempenhos de sua carreira, Magrão evitava uma goleada histórica do São Paulo sobre o Sport em pleno Morumbi. Ao menos seis defesas difíceis, posicionamento e saídas de gol excelentes. No entanto, aos 33 minutos do segundo tempo, após mais uma grande defesa em um chute cara a cara com Cícero, a bola sobrou para Ademílson, sozinho, estufar as redes. Ainda assim, mesmo com a derrota, o goleiro recebeu nota 9,0 por uma apresentação histórica e receberá o prêmio Armandinho por ter sido o melhor jogador da 14ª rodada do Brasileirão.

Maior ídolo do sport, Magrão fica pelo menos até o fim de 2013

A diretoria de futebol do Sport acaba de acertar a primeira contratação do Sport para a temporada 2013. E não é um jogador qualquer. Maior ídolo do atual elenco rubro-negro, goleiro da seleção histórica do Sport e atual capitão da equipe, Magrão renovou o seu vínculo com o Leão da Ilha do Retiro por mais um ano.

O contrato entre o jogador e o clube iria até o final deste ano. Assim, Magrão permanecerá na Ilha pelo menos até o fim de 2013. Até agora são 393 jogos com a camisa rubro-negra e seis títulos conquistados. Cinco Estaduais (2006 até 2010) e uma Copa do Brasil (2008).

Alessandro Beti Rosa, ou simplesmente Magrão, chegou ao Sport no ano de 2005 como um ilustre desconhecido. Sempre determinado e muito profissional, ele trabalhou bastante até ter a primeira chance no time titular, que veio naquele ano mesmo. Na ocasião revezou a camisa 1 com Maisena.

Em 2006, Magrão começou o ano como titular, mas perdeu a vaga para Gustavo ainda no decorrer do Campeonato Pernambucano e viu o companheiro ser o herói do título daquele ano ao defender três pênaltis na final. Sem se abalar, Magrão seguiu trabalhando e recuperou a camisa 1 ainda na Série B daquele ano e foi peça fundamental do Sport no acesso para a Série A.

No ano seguinte, Magrão conseguiu se manter na titularidade durante todo o Estadual e foi mais uam vez peça importante na conquista. Aquele era apenas o seu segundo título com a camisa rubro-negra.

Apesar de já ser uma referência do elenco, a história de amor de Magrão com a torcida do Sport começou mesmo no ano de 2008, quando ele foi titular absoluto e um dos principais jogadores de mais um Campeonato Pernambucano e da conquista inédita da Copa do Brasil daquele ano. A partir daquele momento, o camisa 1 do Leão deixava de ser um bom jogador para se tornar um dos grandes ídolos da história do Sport Club do Recife.

Em 2009, foi novamente Campeão Pernambucano e teve boa participação na Taça Libertadores. Nos anos seguintes (2010, 2011 e 2012) Magrão seguiu como o dono absoluto da camisa 1 do Leão e foi escolhido pela torcida rubro-negra como o maior goleiro da vitoriosa história do clube.

Para Magrão não existe jogo fácil

Após três jogos sem conseguir vencer, o Sport terá uma boa oportunidade para se reabilitar no Campeonato Brasileiro neste domingo, quando encara o Atlético-GO, às 16h, na Ilha do Retiro. Mas para o goleiro Magrão, o fato de o adversário estar na zona de rebaixamento não fará com que os três pontos possam ser dados como certos.

Acostumado às cobranças da torcida do Sport, o camisa 1 não mostrou preocupação com a forma que o time será recebido na Ilha do Retiro na próxima partida.

Feliz pela atuação que teve diante da Ponte Preta, o goleiro fez questão de dividir os méritos com os companheiros.

Torcida apoia o time na volta de Campinas

O empate por 1 a 1 com a Ponte Preta, na última quarta-feira, não foi o resultado esperado pelos torcedores do Sport, que já começam a se preocupar com a campanha do time no Brasileirão. No entanto, no desembarque dos atletas, nesta quinta-feira, no Aeroporto Internacional dos Guararapes, os protestos deram lugar ao apoio.

Quando a delegação rubro-negra apareceu no saguão, dezenas de torcedores a esperava. Pedidos de autógrafos, fotografias e gritos de incentivos marcaram a recepção dos jogadores. Para o goleiro Magrão, isso mostra a força da torcida rubro-negra, que entendeu que o clube está necessitando de apoio.

Feliz com o carinho dos torcedores, o zagueiro Bruno Aguiar acredita que o resultado contra a Ponte Preta foi importante para o restante da competição.

Magrão brilha em empate contra a Ponte Preta

Apesar de ter levado um gol, o grande destaque do Sport no empate em 1×1 contra a Ponte Preta foi o goleiro Magrão. O camisa 1 do Leão teve participação fundamental no ponto conquistado em Campinas com defesas importantes e até milagrosas no Estádio Moisés Lucarelli. Apesar da boa atuação, Magrão fez questão de dividir os méritos com os companheiros.

“Fiz boas defesas e defesas difíceis, mas o resultado aqui em Campinas não é mérito só meu. Os outros jogadores também fizeram as suas partes e ajudaram nesse ponto conquistado. Agora temos que seguir em frente e trabalhar nos dias que faltam para o próximo jogo, contra o Atlético Goianiense”, comentou o capitão rubro-negro.

Como uma espécie de porta-voz do elenco, Magrão fez um pedido para a torcida rubro-negra. “Queria pedir para que os torcedores lotem a Ilha no domingo. Não será um jogo fácil e vamos precisar da ajuda vinda das arquibancadas. O Sport sempre é forte quando torcida e time jogam juntos”, disse ele.

Sport e Atlético Goianiense se enfrentam no próximo domingo, às 16h, na Ilha do Retiro. O jogo será válido pela 13ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro.

Para Magrão o time do Sport precisa ter mais concentração

Duas derrotas, sete gols sofridos e apenas dois marcados. As últimas rodadas explicitaram as falhas do sistema defensivo do Sport, que chegou a ser considerado o ponto forte da equipe nas primeiras partidas do Brasileirão. Consciente dos erros, o goleiro Magrão atribuiu o mau rendimento à postura com que os atletas estão entrando em campo. Está faltando mais atenção, mais concentração. O time está deixando a desejar.

Nos últimos jogos, se levou uma quantidade de gols exagerada. Mas Magrão acredita que o time terá uma evolução nas próximas partidas. O goleiro tenta minimizar a pressão sofrida pelos atletas da defesa e para ele o cenário será diferente quando o clube voltar a vencer.

Na avaliação do goleiro, os gols sofridos pelo Sport estão acontecendo justamente quando a equipe está apresentando um bom futebol.

Mesmo o Corinthians com time reservas, Magrão não espera jogo fácil

Apesar de no último domingo o Sport não ter tido um jogo fácil contra a equipe reserva  do Coritiba, o mesmo não é esperado pelo time no jogo contra o Corinthians. Magrão afirmou que o Rubro-negro não pode esperar facilidades contra os paulistas. O time ainda está na zona do rebaixamento e vai querer sair dessa situação, então, não tem como esperar nada fácil. Magrão também espera que a torcida do Sport lote a Ilha do Retiro.

No entanto, o camisa 1 do Sport acredita que a conquista da Libertadores pelo o Corinthians poderá fazer com que os jogadores do clube paulista percam o foco na disputa do Brasileiro. “É complicado você ganhar um título muito importante e manter o foco. Então, é possível que o Corinthians perca um pouco o foco nos primeiros jogos. Mas não podemos pensar nisso. Temos que estar preparados para enfrentar o Corinthians que foi campeão da Libertadores.”

Magrão quer ver fim de jejum de vitorias fora de casa na série A

Sem vencer fora de casa no Brasileirão Série A desde 2008, o sport não tem um retrospecto muito bom e espera acabar com esse jejum no domingo contra o Bahia.
No clássico nordestino o time do Bahia deve vir com tudo e o time terá a tarefa de segurá-los, apesar de não ter um retrospecto bom.

As partidas disputadas fora de casa pelo Leão tiveram um empate contra o Santos e uma derrota contra o Cruzeiro. O Sport precisa de vitórias fora de casa para ter sucesso na Série A e evitar aperreios na competção.

Magrão frisou a importância de ganhar os jogos fora de casa, pois nem sempre vencerão os jogos dentro de casa. Com os pontos conquistados fora terão mais tranquilidade.

Magrão não sabe se continua no Sport

Em sete anos vestindo a camisa do Sport, Magrão transformou-se no principal ídolo da história recente do clube. Status construído ao longo dos 382 jogos pelo Leão, onde conquistou seis títulos (cinco estaduais e uma Copa do Brasil). Com contrato até dezembro, o goleiro ainda não sabe se permanece da Ilha do Retiro, pois ainda não foi procurado pela diretoria do clube para renovação, outro agravante é que o clube não prolonga os contratos com jogadores acima dos 30 anos.

Em boa fase, Magrão não acredita que sua idade seja um empecilho para sua carreira. Titular absoluto do Leão da Ilha, o goleiro pretende continuar no Sport por mais duas temporadas