Blog de Airton Sousa: Trágico fim de um sonho

Bem recentemente, os clubes intermediários e que não dão sequência a um trabalho ou conquista, admiravam a ascensão e o crescimento  de um clube chamado Chapecoense. Um dos exemplos que cabe nesse momento, são os três clubes de Pernambuco, que no momento estão em situações difíceis no Campeonato Brasileiro. O Santa Cruz de volta a série B, o Náutico sofrendo a maior das humilhações, sendo derrotado em plena Arena de Pernambuco, para o Oeste, e o Sport mais ameaçado do que nunca de voltar à série B, principalmente depois de empatar com o já rebaixado América, em 2 x 2, e principalmente após o resultado do Vitória  da Bahia, segunda-feira(28), contra o  Fluminense.

Pois é, o  segredo estava na maneira séria, organizada e planejada como a Chapecoense estava sendo gerida pelos seus Dirigentes. Um clube com menos de 50 anos de existência, pela terceira vez consecutiva na série A, e as vésperas de decidir o título do torneio  Sul-Americano. Tudo isso foi inesperadamente interrompido, por uma fatalidade chamada “MORTE”, e morte de um grupo de profissionais  do  futebol e  da comunicação, que terminaram sucumbindo e deixando as conquistas, as esperanças e os exemplos para trás.

A lição que fica de tudo isso, é que sempre é possível  viver em harmonia e solidariedade, está  provado aí, com as manifestações de apoio e companheirismo de todas as partes do mundo, independentemente de cor, raça, ou situação econômica. Agora é aguardar para ver o que vai acontecer, com a última partida do Campeonato Brasileiro, decisão da Sul-Americana e as competições programadas para o ano de 2017. De uma coisa todos tem certeza, é possível ter um clube enxuto financeiramente, organizado e executando todos os planejamentos. Que a lição do Chape permaneça para todos os clubes.