Josepf Blatter renuncia presidencia da Fifa, após ser reeleito

O mundo esportivo foi pego de surpresa na tarde desta terça-feira (02.06, com quase uma semana após as primeiras prisões na Suíça, o presidente da Fifa, Joseph Blatter, renunciou ao cargo em pronunciamento na sede da entidade. Mandatário da entidade desde 1998, o chefe maior do futebol mundial foi eleito na última sexta-feira para o quinto mandato, mas, quatro dias depois, anunciou que convocará um novo congresso, que deve ser realizado entre dezembro e março, para eleger outra pessoa para o cargo.

“Esses anos foram muito ligados à Fifa. Eu aprecio e amo a Fifa mais que tudo, e só quero fazer o melhor para o futebol e para a Fifa como instituição. Fifa precisa de uma reestruturação profunda. Enquanto eu tenho o apoio dos membros da Fifa, sinto que não tenho do resto do mundo do futebol. É por isso que vou reunir um congresso extraordinário e colocar meu cargo à disposição, será decidido o novo presidente. Um congresso o mais rápido possível para eleger meu sucessor”, anunciou Blatter em entrevista convocada na sede da entidade.

TCHBlatter anuncia renúncia e marca novas eleições na Fifa

A saída do presidente contrasta com a manifestação de força que Blatter exaltou após a eleição da última sexta-feira. À época, o mandatário afirmou que não tinha medo de ser preso e mostrou tranquilidade com as investigações feitas pela Justiça dos Estados Unidos. A entrevista desta terça foi marcada com a expectativa de que fosse uma declaração de defesa de Valcke após as últimas denúncias, mas culminou com a renúncia do suíço.

Na última quarta-feira, o escândalo de corrupção foi deflagrado com a prisão de sete membros do alto escalão da Fifa em um hotel de luxo na Suíça, inclusive José Maria Marin, ex-presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). A Justiça americana ficou mais próxima de chegar a Blatter após a divulgação pelo New York Times na última segunda-feira de que o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, estaria envolvido em um pagamento de propina. Valcke é o braço direito do mandatário na entidade.

“Não temos controle sobre os membros das confederações, mas suas ações são de responsabilidade da Fifa, Por isso precisamos de uma reestruturação, O tamanho do comitê executivo tem que ser revisto. Gostaria de agradecer todos que sempre me apoiaram em uma maneira leal e contrutiva e que fizeram muito pelo futebol. Eu repito: o que mais vale para mim é a instituição Fifa e o futebol ao redor do mundo”, discursou Blatter.

Ironicamente, o presidente ainda defendeu em seu pronunciamento que os mandatos, tanto do presidente quanto dos membros do congresso executivo, sejam restringidos na Fifa – isso dias após ganhar eleição para um quinto mandato.

A renúncia do presidente, contudo, não se aplicará imeditamente: Joseph Blatter ficará no poder até a passagem do bastão para o sucessor. De acordo com Domenico Scala, que será o responsável pelos trâmites das novas eleições, um congresso extraordinário será convocado para os próximos meses.

“A eleição do presidente e qualquer reforma fundamental precisa ser votada pelos membros do congresso da Fifa. O próximo congresso é em maio de 2016, na Cidade do México. Isso seria uma demora desnecessária. O presidente vai pedir ao comitê executivo um congresso extraordinário. O comitê executivo é que vai decidir, pode acontecer entre dezembro deste ano e março do próximo ano”, explicou Scala.

Blatter deixa o poder marcado pelo escândalo de corrupção, que envolve compra de votos e diversas irregularidades acusadas pela Justiça dos Estados Unidos. Nos últimos dias, a Uefa retirou o apoio ao mandatário e até ameaçou uma Copa do Mundo alternativa em 2018, como forma de pressão.

 Foto: Philipp Schmidli / Getty Images

 Foto: Ennio Leanza / EFE

A cadeira de Blatter será ocupada por uma nova pessoa após ocongresso

TV Replay, o que é bom se repete!