Recife-PE: Orquestra Pernambucana de Fotografia reúne fotógrafos e músicos em projeto pioneiro que será lançado nesta sexta (16)

Um concerto de sons e imagens, nascido do sonho e da teimosia do artista visual Gilvan Barreto. Assim surgiu a Orquestra Pernambucana de Fotografia (OPEF), projeto que reúne músicos e fotógrafos em diálogo livre entre som e imagem. Na sexta (16/10), o livro-cd da orquestra (ed. Tempo D’Imagem e Jaraguá Produções) é lançada no CCI – Capibaribe Centro de Imagem (r. da Aurora, 533, Boa Vista, Recife), em evento aberto ao público a partir das 20h. O projeto tem incentivo do Funcultura.

OPEF BARBARA WAGNER

O sonho de Gilvan tem suas origens no Manguebeat, movimento que sacudiu o Recife na década de 90 e ganhou projeção no Brasil e no mundo.

Há cerca de 20 anos, Recife, a Manguetown, ferveu com parabólicas fincadas na lama. Fotógrafo profissional, vivendo na cidade, tentei registrar o máximo que pude de tudo que ouvia e sentia daquela cena. Queria mais”, conta.

Na orquestra-estuário inventada por Gilvan, sons e imagens se fundem em braço de rio para desaguar em vazante universal. Em duplas formadas por músicos e artistas visuais, brota um arsenal de obras inéditas. A imagem é o estímulo à criação musical, com os artistas convidados escolhendo livremente a temática dos ensaios fotográficos. A resposta às imagens é dada nas músicas.

OPEF PIO FIGUEIROA

Jorge Du Peixe se depara com a fotografia de Pio Figueiroa e, com os Afrobambas, compõe sobre o escuro. Para o trabalho Corpo Duro do artista visual Rodrigo Braga, Otto escreve Pode Falar Cowboy. As irmãs Priscila e Karina Buhr geram Rimã.  Bárbara Wagner recorre ao vídeo para fazer Faz que Vai, uma releitura criativa do frevo ao som da Orquestra Popular da Bomba do Hemetério. Ao todo, a OPEF envolve 20 participantes, entre eles os produtores musicais Berna Vieira e Pupillo.

Sobre o ‘regente’

Gilvan Barreto é pernambucano e mora no Rio há nove anos. Seu trabalho foca em questões políticas, sociais e na relação do homem com a natureza. Sua fotografia é influenciada pelo cinema e literatura. Em 2014, venceu o Prêmio Brasil de Fotografia, Prêmio Marc Ferrez (Funarte), Prêmio Conrado Wessel de Arte e fez parte do Rumos Itaú Cultural com o projeto Orquestra Brasileira de Fotografia. Tem três livros publicados: Sobremarinhos (independente, 2015), O Livro do Sol (Tempo D’Imagem 2013) e Moscouzinho (Tempo D’Imagem, 2012).

OPEF GILVAN BARRETO

SERVIÇO:

Lançamento da Orquestra Pernambucana de Fotografia

  • Quando: 16/10 (sexta-feira) às 20h
  • Onde: CCI – Capibaribe Centro de Imagem (r. da Aurora, 533, Boa Vista, Recife)

Informações: (81) 3032-2500

ENTREVISTAS E IMAGENS:

TV Replay, o que é bom se repete!

Agrestina-PE: Atrações Culturais marcam a semana do folclore do município

Oficializou-se em 1965 que todo dia 22 de agosto seria destinado à comemoração do folclore brasileiro e desta forma foi criado o Dia Nacional do Folclore. A partir disso, a cultura popular ganhou mais importância e passou a ser preservada e valorizada.

Em alusão a esta data, a cidade de Agrestina antecipadamente deu inicio às comemorações nesta quarta-feira (19) com “A semana do Folclore”, que além de serem apresentadas Danças populares e a Exposição de fotos por Adriano Monteiro, terá também a exibição do Filme “Vida e Obra” do Caruaruense Nelson Barbalho.

19.08.2015_Comemoração_Dia_do_Folclore_Fotos_Adriano_Monteiro-8032

SAM_0621

O Secretário Josenildo Santos, destacou a importância das comemorações Culturais no Município.

CLIQUE E ESCUTE:

19.08.2015_Comemoração_Dia_do_Folclore_Fotos_Adriano_Monteiro-9488

A Diretora de Turismo, Anayran Santos, fala da semana do folclore e principalmente da adesão de outras cidades neste evento.

CLIQUE E ESCUTE:

Anayran Santos

Já o Diretor de Cultura, Milvio Cordeiro, fez questão de enaltecer a iniciativa da pasta, que teve o apoio da Prefeitura Municipal.

CLIQUE E ESCUTE:

19.08.2015_Comemoração_Dia_do_Folclore_Fotos_Adriano_Monteiro-9281

Nesta quarta-feira (19), também foi comemorado o Dia da Fotografia e durante entrevista, o expositor Adriano Monteiro disse que já está fazendo planos para outras exposições fotográficas.

CLIQUE E ESCUTE:

Adriano-Monteiro[1]

Entre os grupos que se apresentaram no evento, o de Capoeira fez uma homenagem a cultura angolana e o Mestre Mimi falou não só apenas da importância do evento mas também sobre a satisfação de poder participar.

“É uma satisfação enorme poder mostrar nosso trabalho de uma forma tão especial, principalmente na semana do folclore; gratos a Secretária de Cultura, Turismo e Juventude, ao Prefeito Thiago Nunes e ao público presente que nos deram a oportunidade de mostrarmos os três principais tipos de Capoeira: a Regional, Angolana e Matulêlê com o facão.” – Acrescentou o Mestre Mimi.

19.08.2015_Comemoração_Dia_do_Folclore_Fotos_Adriano_Monteiro-8603

19.08.2015_Comemoração_Dia_do_Folclore_Fotos_Adriano_Monteiro-8238

O evento teve incio às 15h e o público que esteve presente pode prestigiar várias expressões culturais que se estenderam até as 22h, com apenas um intervalo entre 18h as 19h, quando retomaram as comemorações.

19.08.2015_Comemoração_Dia_do_Folclore_Fotos_Adriano_Monteiro-8510

19.08.2015_Comemoração_Dia_do_Folclore_Fotos_Adriano_Monteiro-8717

Marcaram presença no longo de todo o evento os seguintes grupos:

  • Escolas Municipais Floriano Peixoto e Leonila, Alunos da APAE, CCI, Dança popular, Musical do instrutor Joel da Banda, Capoeira Pulo do Gato e a Mazuca – Agrestina, Folclorico Asa Branca – Caruaru, Convivência de Fortalecimento e Vinculos e Dança do CCI – Santa Cruz do Capibaribe.

19.08.2015_Comemoração_Dia_do_Folclore_Fotos_Adriano_Monteiro-9060

Na manhã desta quinta-feira (20), o Prefeito Thiago Nunes se reuniu com integrantes das bandas de garagem para definir detalhes em relação a estrutura para ensaios, datas de apresentações e principalmente mais incentivo à cultura musical. Na ocasião, o prefeito falou com a nossa reportagem sobre a reunião e enfatizou a semana do folclore.

CLIQUE E ESCUTE:

Thiago1[1]

Fotos: Adriano Monteiro

TV REPLAY, O QUE É BOM SE REPETE!

Agrestina-PE: Exposição e dança marcarão as comemorações aos Dias do Folclore e da Fotografia nesta quarta (19)

O folclore é comemorado no dia 22 de Agosto e em alusão a esta data, a partir desta quarta-feira (19), a Secretaria de Cultura,Turismo e Juventude da cidade de Agrestina promoverá apresentações musicais de grupos independentes, das escolas municipais e haverá a exposição fotográfica “É Festa e Tradição”, com imagens de autoria de Adriano Monteiro.

Mulher

As 29 fotografias que serão expostas retratam as emoções através de expressões faciais e corporais dos quadrilheiros que resistem e mantêm viva a cultura das Quadrilhas Juninas, em nosso Estado. O acervo estará disponível para visitação gratuita no Mercado Público da cidade, das 15h às 19h.

casal

Homem

O Dia do Folclore é marcado por várias comemorações em todo território nacional. No entanto, a cidade de Agrestina também comemorará o Dia da Fotografia, que é em 19 de Agosto e aproveitando-se do ensejo, a exposição das fotos de Adriano Monteiro também farão parte das comemorações na cidade.

“Em agosto de 1839, o francês, Louis Jacques Mandé Daguerre, apresentava oficialmente a fotografia ao mundo. Embora haja controvérsia da data real, o dia 19 de agosto ficou fixado como tal. Apesar de Daguerre apresentar a fotografia ao mundo e ser considerado o pai desta arte, outros três nomes merecem ser lembrados: Fox Talbot, Niepce e o também francês radicado brasileiro, Hércules Florence”, destaca Adriano Monteiro, fotógrafo.

Adriano Monteiro

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO:

foclore

Fotos: Adriano Monteiro

TV REPLAY, O QUE É BOM SE REPETE!

Agrestina-PE: Estudante de Jornalismo promove exposição de fotografias em Caruaru retratando o festival de quadrilhas

Beleza e tradição das quadrilhas juninas estão em exposição até o fim deste mês em Caruaru

Exposição Festa e Tradição_Adriano Monteiro (3)

Será realizada até o dia 29 de junho, em Caruaru, a exposição fotográfica intitulada ‘Festa e Tradição’, que retrata em detalhes as emoções dos participantes do 7º Festival de Quadrilhas de Agrestina deste ano. Cerca de 30 fotografias estarão expostas no Centro de Informações Turísticas, localizado no Pólo Cultural da antiga Estação Ferroviária, das 14h às 0h. A entrada é gratuita.

Exposição Festa e Tradição_Adriano Monteiro (2)

As imagens são de autoria de Adriano Monteiro, estudante de Jornalismo e fotógrafo da Prefeitura de Agrestina. Ele explica que a ideia de realizar uma exposição surgiu após as duas eliminatórias do Festival.

Exposição Festa e Tradição_Adriano Monteiro (1)quadrilha materia hj 5

Depois da divulgação, as imagens ganharam repercussão e foi por este motivo que surgiu a proposta de fazer uma seleção das fotos e as expor, tendo como objetivo a demonstração das expressões faciais e corporais dos quadrilheiros, bem como suas roupas caracterizadas.

“Desde que comecei a fotografar, percebi que tinha afinidade em retratar emoções, então quero mostrar a beleza representativa de nossa cultura”, detalha o profissional.

Adriano afirma que a intenção é evidenciar o resgate da atenção do espectador aos detalhes de uma apresentação, o induzindo a observar minuciosamente os gestos, roupas, coreografias e outras peculiaridades de uma quadrilha junina.

quadrilha materia hj 7

quadrilha materia hj 13

 

Fotos: Adriano Monteiro

TV REPLAY, O QUE É BOM SE REPETE!

Coluna Clik-se: Manual de poses masculinas, confira!

Segundo o dicionário, pose está relacionada a maneira que o corpo se encontra posicionado, denotando também a atitude do indivíduo. É fundamental que a postura do modelo seja coerente e a expressão facial harmoniosa, pois a imagem tem o poder de transmitir vários sentimentos.

É muito comum homens se sentirem perdidos na hora de criar poses. Sempre acaba batendo aquele nervosismo por não saber como proceder em frente a câmera, principalmente por não saber fazer o uso das mãos, dar destino a elas. Aqui vão algumas dicas básicas de poses masculinas!

a6

Eleve um dos braços para trás e coloque a mão na nuca, coloque a outra mão no bolso ou na cintura para criar um clima casual, causar a impressão que você se expressa de maneira irrefletida. A posição correta dos braços é muito importante para que tudo fique bem harmonioso. Você pode variar o movimento dos braços até encontrar o ângulo mais confortável. Nesse caso, o objetivo desse tipo de pose é dar ênfase ao look usado pelo modelo. O ideal é manter uma certa distância do fotógrafo para que a roupa seja vista detalhadamente.

a3

Use e abuse das modificações dos membros superiores e inferiores.

Fique atento ao posicionamento da cabeça e da expressão facial na hora da realização de uma pose por mais simples que seja.

a1

Relaxe, sinta-se à vontade! o sucesso de uma boa pose, está na espontaneidade na hora de ser clicado, naturalidade é tudo.

a5

Se o seu objetivo é fazer algo mais elaborado use sua criatividade, atitude seria a palavra chave. Invista em um look descolado, ousado.

Esse tipo de pose exige um pouco mais das características distintivas e particulares refletidas no rosto do modelo, como por exemplo feições e traços. Poses inerentes exigem expressões inerentes. Nesse caso, sorrir ou gesticular com as mãos não é a melhor escolha. Para dar um charme a mais na composição da imagem, incline levemente o rosto para frente, esse detalhe garante mais atitude à pose.

Se você é o único elemento que compõe a imagem, se envolva, viva o momento. Assim você  evitará que a fotografia se torne sem essência, sem vida. A entrega do modelo com o assunto fotografado é tão importante quanto o envolvimento do modelo e o fotografo.

a6

Espero que tenham gostado, por hoje é só e até a próxima!

Bons cliques!

Amanda Rocha – Fotógrafa

TV Replay, o que é bom se repete!

Escada-PE: Clik-se: Perspectiva forçada, aprenda e boas fotos!

Quer conhecer um truque fotográfico divertido e surpreendente? Existem vários tipos de ilusão ótica, uma delas se chama perspectiva forçada, pode ser feita facilmente por qualquer tipo de câmera em qualquer local.

Essa técnica usa a distância relativa dos objetos para criar efeitos incríveis, basicamente feita com qualquer tipo de coisa, sem contar que é muito simples realizar fotos em perspectiva, diga adeus  a pratica de montagens complicadas no Photoshop.

am1

O primeiro passo é estar atento ao modo de composição da sua imagem. Para criar o efeito (foto perspectiva) você deve posicionar seus assuntos de forma que o mais próximo pareça estar interagindo com os elementos do fundo, alterando a percepção de tamanho e profundidade.

Vamos ao que interessa, você já pensou em brincar com  nuvens? Isso pode render vários resultados criativos. Elas podem ser transformadas em inúmeras coisas como algodão doce, fumaça, vapor. Enfim, em tudo que sua mente for capaz de criar. Nesse caso precisamos ser bem rápidos, já que as nuvens estão sempre se movendo.

am2

Brinque com as forças naturais, com esse tipo de ilusão usando a perspectiva forçada você pode criar imagens fantásticas e realizar desejos impossíveis, como abraçar o sol, arranhar o céu, brincar com inúmeras possibilidades. Use a sua imaginação e coloque em pratica o que você sempre teve vontade de fazer.

am3

Ah! nesse caso o princípio é o mesmo, usando esse tipo de cenário você dependerá das condições do céu. Para fotografar utilizando o sol, por exemplo, prefira horários nos quais ele não está tão alto, como o nascente e o poente.

am5

Outra maneira comum de se fotografar ilusões de perspectiva é deixar os objetos muito maiores, ou menores, do que eles realmente são (os famosos objetos desproporcionais), isso é feito exatamente da mesma maneira com pessoas.

Se o objeto precisa ficar gigante, ele deve estar mais à frente e se ele precisa ficar menor, caso de prédios e elementos arquitetônicos, por exemplo, quem deve estar para frente é a pessoa que está interagindo com ele. Cabe a pessoa que está fotografando enquadrar a cena e instruir a pessoa fotografada sobre como ela deve se posicionar para encaixar a sua pose com o monumento.

am6

Por hoje é isso…

Não se esqueçam da distância aparente entre os objetos e pessoas.

Deixe as ideias fluir, criatividade é fundamental, não tenham medo de tentar, mesmo que no começo pareça que é algo muito difícil.

Boa sorte bons cliques sempre.

Assista, comente, curta, compartilhe e divulgue. Mande sugestões e denúncias. Nossos contatos:

Coluna assinada por Amanda Rocha

TV Replay, o que é bom se repete!

Escada-PE: Coluna Clik-se: Curiosidades sobre fotografia

Fotografias, fazem parte do nosso mundo de uma maneira impressionante. Seja em computadores, smartphones, tablets, câmeras digitais, não importa, aonde olharmos haverá com certeza uma câmera embutida pronta para registrar o mundo ao redor.

am1

Há algum tempo atrás as fotografias tinham que ser obrigatoriamente reveladas para sua visualização.

Com o advento das câmeras digitais, as fotos podem ser rapidamente “reveladas” diretamente no computador, ou nem isso; com os smartphones, as fotos são tiradas e logo em seguida já postadas nas redes sociais, o que tornou todo o processo muito mais rápido, dinâmico e acessível.

Se cogitarmos o início da fotografia, mais precisamente no que é conhecido como a primeira fotografia, já tirada em todo o mundo, veremos o quanto essa arte se desenvolveu.

am2

Câmera fotográfica, o primeiro inventor a obter uma imagem fixada pela ação da luz (que é o princípio da fotografia) foi o francês Joseph Nicéphore Niépce (1765-1833). Em 1827, Niépce demorou mais de oito horas para conseguir fazer a primeira “fotografia” da História. Captada em uma lâmina de estanho e feita com a luz do Sol, a imagem mostrava parte de um celeiro e uma árvore, a visão que Niépce tinha de sua oficina. Em 1929, ele passou a trabalhar com Louis Jacques Mandé Daguerre (1787-1851), que acabou inventando a primeira máquina fotográfica, 12 anos depois. O “daguerreotype” (“daguerreótipo”) exigia 30 minutos de exposição da imagem à luz, o que significa que cada foto levava meia hora para ser tirada. A máquina impedia que a imagem desaparecesse – um grande avanço em relação ao o projeto original de Niépce.

Mas como essa câmera rudimentar funcionava? Uma lâmina de cobre era bem polida, até ficar parecida com um espelho, e depois recebia um banho de iodo, para ficar sensível à luz. Depois, era colocada em uma “câmera”, uma caixa de madeira bem simples e com lente, para que a imagem fosse captada. Em seguida, a placa era “revelada” com mercúrio quente e a imagem aparecia. Para fixar a cena, a foto recebia outro banho, dessa vez de tiossulfato de sódio, e então ganhava uma corzinha com cloreto dourado.

Alguns anos depois (1872), surge a primeira fotografia colorida do mundo. Uma paisagem da cidade de Angulema-França Meridional, de autoria do fotógrafo Louis Ducos dü Hauron. Proponente do método conhecido como “subtrativo”, aperfeiçoado somente em 1930 para fins comerciais.

A primeira câmera fotográfica popular a ser comercializada, foi produzida pela Companhia Eastman Kodak, em 1888. Permitia tirar até 100 fotos, cuja bobina de filme deveria ser apresentada para revelação. “Você aperta o botão, nós fazemos o resto”, era o slogan de venda da câmera.

Já em 1975 foi criada a primeira câmera fotográfica digital do mundo. Seu inventor foi Steve Sasson, e o aparelho por ele desenvolvido levava em torno de 23 segundos para formar as imagens. Após isso, essas imagens eram gravadas em uma fita cassete comum e exibidas na televisão, sem a necessidade de revelação.

am3

Como surgiu a fotografia em série?  A partir de uma aposta. Um ricaço americano tinha feito uma aposta com seus amigos. Ele dizia que durante o galope de um cavalo, havia um momento em que nenhum dos cascos tocava a terra. Para isso contratou o fotógrafo inglês Muybridge e ganhou a aposta. Ele colocou 14 câmeras num trecho de pista de corrida de cavalos, cada uma ligada a um fio que atravessava o caminho. Assim o animal vinha galopando, disparava a máquina e tirava uma foto de si mesmo. Era verdade: em determinado instante da corrida, o cavalo ficava mesmo com as quatro patas no ar. Isso contribuiu para o aparecimento do cinema, pois para mostrar o movimento era preciso fotografá-lo em série.

O que era o Lambe-Lambe e como surgiu esse nome?

Lambe-lambe era o fotógrafo ambulante que tirava foto das pessoas nas ruas. Foram chamados assim porque em épocas passadas, era obrigatório que as fotografias de alguns documentos fossem datadas. Para isso, costumava-se fazer uma plaquinha de papel fotográfico. Como no instantâneo o negativo é em papel, que é refotografado, a plaquinha era feita em um minúsculo pedacinho de papel fotográfico, colado ao negativo. Até aí tudo bem. Mas o que essa história tem a ver como o nome lambe-lambe??? É que para fazer a colagem, o fotógrafo passava a língua na plaquinha para molhá-la e criar aderência. Daí, a famosa denominação, Lambe-lambe.

am4Um professor de psicologia da Universidade de Nova York, chamado Arthur Aron, explorando o cérebro de 15 voluntários através da ressonância magnética, constatou que ao olharem a foto do seu parceiro, espontaneamente ativavam certas áreas cerebrais produzindo o paracetamol em até 44%. Deduzindo que, olhar a foto da pessoa amada reduz qualquer tipo de dor.

Espero que vocês tenham gostado, é sempre bom saber novas informações sobre coisas que nos interessam!

Colunista: Amanda Rocha

1618675_510444782399512_1995515606_nTV Replay, o que é bom se repete!

Escada-PE: Coluna Click-se – Você sabe o que é selfie?

Selfie é a grande sensação do momento, um tipo de autorretrato que tomou conta da internet e das redes sociais.

a1

A palavra selfie vem do inglês, e já foi adicionada ao dicionário Oxford, o mais importante da língua inglesa. O primeiro aplicativo de selfie foi criado pelo vietnamita Joshua Nguyen. Para tirar essas fotos tão populares, os jovens usam smartphones ou webcam. Com objetivo de postar a publicação do retrato na rede social preferida em busca de “likes” e comentários.

Tirar selfies é uma forma divertida de mostrar ao mundo sua personalidade e senso de moda. Mas você não deve apenas apontar a câmera para o seu rosto e tirar uma foto sem planejá-la antes. Há uma arte por trás das selfies que chamam atenção e que os seus amigos adoram ver em seus feeds de notícia.  Confira algumas dicas para sair bem na “selfie” e garantir muitos likes.

Iluminação

A luz é o elemento fundamental da fotografia. Você consegue grandes resultados tanto com luz natural quanto artificial (quando bem utilizada), mas a luz natural ganha pontos extras pelo seu resultado, se for utilizar luz natural, vale destacar que os melhores horários são a luz matinal (uma luz branca, suave, difusa) e a luz no final de tarde (também suave, dourada),no entanto, em algumas situações uma luz artificial é necessária, como fotos a noite. E não é preciso andar com um estúdio móvel para resolver o problema, basta usar a criatividade, por exemplo, aproveitar a luz de uma vitrine ou usar uma lanterna, as melhores lanternas para fazer fotos são de Led porque elas possuem luz direta.

a20

Evite o flash na frente do espelho

Nesse contexto ele é considerado o inimigo das boas fotos, ou seja não se deve usar esse recurso quando estiver fotografando em frente ao espelho, porque ele irá rebater a luz. Mesmo em ambientes com pouca luminosidade, o melhor é sempre procurar uma luz mais adequada do que apelar para o flash.

a21

Conheça seu melhor ângulo

Escolha ângulos que te valorizem. Evite tirar foto de frente, busque diferentes ângulos para mostrar suas feições. Virando a cabeça alguns graus para a esquerda, suas feições faciais parecerão menos retas. Segurar a câmera um pouco mais alto do que sua cabeça, de forma que ela fique apontando para baixo ou seja,  para você, isso faz com que seus olhos pareçam maiores e ajudam a evitar o “nariz de batata”.

Conheça o seu “melhor lado” e tire uma foto desse lado do rosto. Este é o lado do seu rosto que parece mais balanceado e simétrico.

Evite a aproximação da câmera para não haver distorção, fotos feitas de baixo para cima podem lhe deixar mais atraente.

a22

De preferência a câmera frontal.

Geralmente a câmera traseira costuma ser padrão nos smartphones. Porém, a maioria dos modelos novos já tem recursos para fazer clique de frente. “Selfies” exigem que você cheque ângulos e fundos, o que só pode ser feito com a câmera frontal. Invista em um telefone com o recurso para melhorar suas fotos e evitar que seu braço ou mão apareça quando virar o aparelho.

a23

Evite o “duck face”

Esqueça aquele biquinho que algumas moças fazem com os lábios em todas as fotos que publicam. O chamado “duck face” (ou biquinho de pato) é motivo de risada em nove a cada dez fotos publicadas em redes sociais. Pois poses fazendo muque, fingindo que está dormindo, ou fingir ser pego de surpresa, são consideradas ultrapassadas.

Tirar uma selfie e fingir que alguém tirou é difícil de fazer. Haverá alguma dica na sua postura ou ação que irá lhe desmentir e lhe deixará exposto a críticas. Se você fizer isso com um leve sorriso, as pessoas irão entender que é tudo uma armação intencional.

a24

Agora, que vocês já sabem os macetes é só praticar, espero que com essas dicas suas selfies fiquem ainda melhor…

Assista, comente, curta, compartilhe e divulgue. Mande sugestões e críticas. Nossos contatos:

Colunista: Amanda Rocha

Imagens: Amanda Rocha

1618675_510444782399512_1995515606_n

TV Replay, o que é bom se repete!

Escada-PE: Coluna de fotografia – Click-se: Por que gostamos de fotografia?

Imagens fazem parte do nosso cotidiano, estamos o tempo todo cercados por imagens que articulam nosso sistema visual, através de revistas, anúncios, panfletos até mesmo em uma simples embalagem de produtos.

No momento que olhamos uma imagem, dificilmente prestamos atenção no motivo pelo qual ela nos atraiu. Passamos página por página olhando a fotografia e pensamos: Que imagem interessante! Sem se quer ao menos ler uma linha para ver do que se trata o assunto, e mudamos de página. O porquê desse comportamento nunca será perguntado por pura preguiça de responder.

a10

É a mesma coisa que perguntar a uma criança, porque ela gosta de ouvir histórias contadas pelos pais, certamente ela iria responder:  Porque eu sinto que assim posso ter atenção, porque me sinto acalentada. É ai que te pergunto

O que essas respostas têm a ver com a Fotografia?

Simplesmente tudo. Podemos gostar de uma imagem por vários motivos, e são esses motivos que mostrarei a vocês de uma forma bem peculiar afinal, gosto não se discute, e cada pessoa tem a sua preferência. Tentarei explicar o porquê de acordo com meu ponto de vista.

Pela iluminação:

a11

Essa é a imagem que fotografei, em uma tarde numa pista de cooper. Nesse caso, usei a iluminação natural. por ser a luz a mais perfeita, não poderia ter sido melhor escolhida. Luz natural é ideal para fotos. As vezes nos preocupamos com que tipo de luz usar, e acabamos nos esquecendo de usar os recursos mais simples e acessível a qualquer pessoa. Os melhores horários para se fotografar com a luz solar são ao amanhecer e ao entardecer.

Pela cor:

a12

Segundo pesquisadores, cores desempenham um papel importante na nossa percepção visual, uma vez que influencia, nossas reações sobre o mundo que nos rodeia.

As cores possuem vários efeitos sobre as pessoas, algumas tem o poder de estimular áreas do cérebro, podendo promover excitação ou tranquilidade.

Pela nostalgia:

a13

Sabe quando alguma imagem nos traz de volta algumas lembranças? Com essa, eu me vi caminhando no sitio de meus avós. Deu aquela saudade enorme da minha infância, em que eu podia brincar de bolo de barro, em que eu podia pular no rio, em que eu corria com meus primos e fazia bagunça até anoitecer.

Pelo fotógrafo:

a14

Pela admiração que tem pelo trabalho do profissional, iluminação bastante trabalhada, criatividade produção impecável.

Tenho certeza que algum dia, vocês já tiveram essa curiosidade, espero ter esclarecido suas dúvidas!

Assista, comente, curta, compartilhe e divulgue. Mande sugestões e críticas. Nossos contatos:

Colunista: Amanda Rocha

1618675_510444782399512_1995515606_n

TV Replay, o que é bom se repete!

Escada-PE: “Fotografia é a minha segunda linguagem”, Diz fotógrafa Amanda Rocha

Novidade na programação da TV Replay em Escada, a partir de agora, a fotógrafa Amanda Rocha, irá assinar uma coluna semanal sobre fotografias.

Amanda Rocha, é Paulistana, tem 27 anos, está cursando o último período de graduação tecnológica em fotografia na faculdade Mauricio de Nassau em Recife.

 1618675_510444782399512_1995515606_n

Em entrevista a nossa equipe, Amanda falou da sua paixão pela fotografia, e o que os nossos internautas podem esperar da sua coluna:

“Fotografia é minha segunda linguagem, é uma forma de traduzir o mundo em imagens atraentes, através de uma mensagem que envolva a pessoa que observa com o objetivo de despertar nela algum sentimento.

É importante saber, que quando fotografamos, levamos para dentro da imagem nosso infinito particular, nossa maneira única de ver o que está ao nosso redor, todas as nossas vivências, e ao mesmo tempo que fazemos isso, criamos um universo de inúmeras possibilidades.

Nossa maior câmera fotográfica é a nossa imaginação.

Minha outra paixão, que na verdade anda lado a lado com a fotografia é a música e não vivo sem a companhia dela.

Os internautas podem esperar da nossa coluna, muitas novidades do mundo da fotografia, tipos de lentes, ângulos, a luz ideal, feiras e muitas dicas de como fazer uma foto perfeita.”

 a2 a1

Assista, comente, curta, compartilhe e divulgue. Mande sugestões e críticas. Nossos contatos:

Imagens: Amanda Rocha

TV Replay, o que é bom se repete!

Caruaru-PE: Secretaria de Educação e UFRPE incentivam iniciação à inclusão digital

A Gerência de Juventude, em parceria com o COMUDI – Grupo de Pesquisa em Comunicação, Diretos, Cidadania e Mudanças Sociais da UFRPE – Universidade Federal Rural de Pernambuco, abre inscrições para a Oficina de Inclusão Digital (fotografia, cinema e animação), que acontecerá aos sábados, das 14h às 17h, na Casa das Juventudes Urbana.   

O público alvo é jovem de 14 a 17 anos e o principal objetivo é a utilização das mídias como emancipação da juventude.  

As inscrições poderão ser realizadas na Casa das Juventudes Urbana, que fica localizada na Rua Maria Celestina de Queiroz, 109, no bairro São Francisco ou na Gerência de Juventude, na sede da Secretaria de Educação, das 8h às 13 horas. Mais informações, podem ser adquiridas através do telefone: 3701-1333, Ramal 215.

749-360-76269677

TV Replay, o que é bom se repete!

Garanhuns-PE: Casa Galeria Galpão abriga diversas artes no Festival de Inverno

O prédio do antigo fórum se transforma em um abrigo de pura cultura e arte nesse 24º Festival de Inverno. O local é palco de diversas atrações, entre fotografia, artes plásticas, artes visuais e dança. Os visitantes do local também poderão conseguir informações sobre as intervenções artísticas que acontecem nas ruas de Garanhuns. O espaço funciona das 16h às 21h e é localizado na Avenida Dantas Barreto, 34, bairro Santo Antônio. A Casa Galeria Galpão segue com programação até o sábado (26).

A Casa Galeria Galpão é rica em detalhes. Todas as salas e espaços montados foram desenvolvidos com um capricho especial de seus idealizadores. A novidade, para este ano, foi o palco montado no interior do espaço para as apresentações de dança.

Entre as diversas artes expostas, inclusive de artistas de Garanhuns, destacam-se “Memória da Pedra”, de Iezu Kaeru, “Instantâneas de África”, de Diego de Niglio; “Planos, entrelaçamentos e a memória”, de Janaina Castoldi; “Coração: Desenhando afetos”, de Java Araújo; “Beco Vernacular” de Arthur Braga, Helder Herick e Janaína Branco; “Transformação Íntima do Corpo Huma-Nu”, da artista eslovaca e mestre em artes visuais Maria Bieliková, “Casa de La Nina – Circograma” de Sabrine Souza e Nadielly de Souza, entre outras.

Outro destaque na Casa é a exposição “Sobre as Sete Colinas”, de Camille Alexis. A parede pintada logo na entrada da galeria contém belíssimas imagens que contam os primórdios da cidade das flores. Trechos de conflitos com os quilombolas, os detalhes do desenvolvimento de fazenda à vila e consequentemente cidade, são uns dos exemplos.

Fotos: Samara Pontes

Fotos: Samara Pontes

unnamed (1)

 

unnamed

TV Replay, o que é bom se repete!

Garanhuns-PE: Divulgada programação do Festival de Inverno (FIG)

A programação do 24ª Festival de Inverno de Garanhuns (FIG) foi divulgada nesta quinta-feira (03). O evento será realizado entre os dias 17 e 26 de julho. A grade conta com artistas como: Vanessa da Mata, Sidney Magal, Zé Ramalho, Fábio Junior, Alceu Valença, Ângela Maria, Otto, Marcelo Jeneci, Céu, José Augusto, Valdir Santos, as bandas Titãs e Nação Zumbi.

A expectativa é que o FIG faça circular em torno de 500 mil pessoas em Garanhuns, nos dias do evento, com centenas de atrações espalhadas por mais de dez polos de atração. A grade do 24º FIG será composta por artistas nacionais e locais, que inscreveram suas propostas na convocatória, além de alguns convidados.

O FIG mantém seu perfil de festival de cultura que, para além dos shows, promove os mais diversos segmentos da arte, como a Dança, Teatro, Circo, Literatura, Audiovisual, Moda, Fotografia, Cultura Popular, Artesanato, além de focar suas ações na promoção da Economia Criativa, Patrimônio e Preservação Cultural, e Formação.

A programação valoriza a produção pernambucana, sem deixar de abrir espaço para atrações de relevância nacional. A divulgação completa será disponibilizada através do portal www.cultura.pe.gov.br e www.garanhuns.pe.gov.br.

10462891_729360557102570_2194394382841858038_n

TV Replay, o que é bom se repete!