Receita Federal vai monitorar 43 mil pessoas e empresas em 2018

Pelas regras, serão submetidos à fiscalização diferenciada 8.969 empresas e 30,7 mil pessoas físicas

Em 2018, aproximadamente 43 mil contribuintes, entre pessoas físicas e jurídicas, serão monitorados de forma especial pela Receita Federal. Duas portarias publicadas na semana passada estabeleceram os critérios para os acompanhamentos Diferenciado e Especial, que ocorrem todos os anos nas empresas e pessoas físicas que, juntas, correspondem a 60% da arrecadação federal.

download

Pelas regras, serão submetidos à fiscalização diferenciada 8.969 empresas e 30,7 mil pessoas físicas. Mais 1.023 pessoas jurídicas e 2.377 pessoas físicas serão submetidas ao chamado acompanhamento especial.

Pessoas jurídicas

De acordo com a Receita Federal, serão enquadradas como Pessoas Jurídicas Diferenciadas em 2018 as empresas que tiveram, em 2016, receita bruta acima de R$ 200 milhões, massa salarial acima de R$ 65 milhões, débito declarado no Programa Gerador da Declaração (DCTF) acima de R$ 25 milhões ou débito declarado em Guia de Recolhimento do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço e Informações à Previdência Social (GFIP) acima de R$ 25 milhões.

Já o acompanhamento especial em relação às pessoas jurídicas ocorrerá nas empresas que tiveram, em 2016, receita bruta acima de R$ 1,8 bilhão, massa salarial acima de R$ 200 milhões, débito declarado em DCTF acima de R$ 200 milhões ou débito declarado em GFIP acima de R$ 200 milhões.

Pessoas físicas

Em relação às pessoas físicas, o monitoramento diferenciado vai atingir os contribuintes que declararam, em 2016, rendimentos acima de R$ 10 milhões, bens e direitos acima de R$ 20 milhões ou realizaram operações em renda variável acima de R$ 15 milhões.

Serão enquadrados como contribuintes sob acompanhamento especial aqueles que, em 2016, declararam rendimentos acima de R$ 200 milhões, bens e direitos acima de R$ 500 milhões ou tiveram operações em renda variável acima de R$ 100 milhões.

“Nesse monitoramento, a Receita Federal se utiliza de todas as informações disponíveis, internas e externas, e poderá ainda contatar tais contribuintes para obtenção de esclarecimentos adicionais”, informou o Fisco, em nota.

Por Agência Brasil

Apenas 7% das pequenas empresas estão prontas para o eSocial

A partir de janeiro próximo, empresas com faturamento superior a R$ 78 milhões devem aderir obrigatoriamente ao eSocial, plataforma eletrônica que reunirá informações trabalhistas, previdenciárias, fiscais e tributárias de trabalhadores. A adoção ao novo sistema será em fases, atendendo a uma demanda dos empresários, uma vez que ainda há dificuldades com as adequações às novas exigências. Uma enquete realizada pelo Sindicato das Empresas de Contabilidade e de Assessoramento no Estado de São Paulo (Sescon/SP) com 800 empresários de contabilidade mostra que mais de 70% das organizações de médio e pequeno porte ainda não estão prontas para o eSocial. Apenas 7% concluíram as adaptações necessárias. Para estas empresas, o calendário começa em julho de 2018.

esocial

Para Márcio Massao Shimomoto, presidente do Sescon/SP, o resultado da enquete revela principalmente uma resistência cultural em investir e alterar rotinas. A maioria das empresas consultadas no levantamento (38%) ignora a necessidade de adequação e ainda não assimilou as consequências. “Apesar dos custos e dificuldades iniciais para a adoção completa ao eSocial, as vantagens do sistema são inúmeras, entre elas, o fim do risco de cálculo indevido do INSS, por exemplo, o que resultaria em auto de infração no futuro.”

De acordo com a Receita Federal, diversas obrigações acessórias exigidas atualmente por diferentes órgãos, algumas em duplicidade, serão eliminadas após a implantação completa do novo sistema. A promessa do governo é de maior garantia no cumprimento de direitos previdenciários e trabalhistas, além de racionalização e simplificação do cumprimento das obrigações.

Cronograma

Ainda segundo a enquete, mesmo com o anúncio da implantação em fases, muitas empresas de médio e pequeno porte consideram o prazo apertado (31%) com a justificativa de que ainda há dúvidas. De acordo com 16% dos entrevistados, entre as incertezas estão as alterações provocadas pela reforma trabalhista. Entretanto, a Receita Federal garante que o sistema já contempla as mudanças na legislação, incluindo na ferramenta campos específicos para o fracionamento das férias em até três períodos, para as novas modalidades de contratação como trabalho intermitente ou home office, e para a inclusão de diversos tipos de jornada. Uma parcela dos empresários consultados na enquete (8%) ainda não está preparada devido aos custos das adequações.

Na primeira fase, em janeiro de 2018, as empresas deverão inserir no novo sistema as tabelas e parâmetros utilizados na folha de pagamento: salários, descontos, local onde o trabalhador exerce a atividade e horários de trabalho. Na segunda fase, prevista para março, deverão ser inseridas as ocorrências não periódicas: admissões, demissões, férias e afastamentos. Na terceira fase, que deve ocorrer em maio, serão inseridos eventos periódicos como INSS e FGTS. E na fase seguinte, ainda sem data definida, estão previstos: itens relacionados à segurança do trabalho, mudanças de cargo e informações relacionadas a riscos ambientais.

A expectativa da Receita Federal é que a primeira fase atinja cerca de 14 mil contribuintes. O presidente do Sescon/SP lembra que empresas com faturamento inferior a R$ 78 milhões também precisam estar preparadas. “A adoção ao sistema implica em custos. Não dá para deixar para a última hora”, adverte.

Aplicativo ajuda o MEI a organizar finanças da empresa

Lançado em maio de 2016, o aplicativo Meu Negócio em Dia ganhou nova versão. Formulada em parceria entre a Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) e o Sebrae, a ferramenta permite que donos de pequenos negócios, principalmente os MEI, organizem as finanças da empresa, analisem receitas, despesas e a viabilidade do empreendimento. No seu primeiro ano, o aplicativo teve mais de 15 mil downloads.

digital

As novidades facilitam ainda mais o controle da vida financeira dos empresários. A tela inicial já mostra as entradas e saídas do mês e o saldo do dia. Para incluir um pagamento ou recebimento, basta clicar nos botões Nova Entrada ou Nova Saída e pronto: você tem seu fluxo de caixa à mão, em uma única tela e sempre atualizado. Outra facilidade é a opção, para usuários do sistema iOS, de fazer uma cópia de segurança (backup) das informações.

Das principais funcionalidades que permanecem no aplicativo, a Calculadora do Empresário permite comparar os custos dos principais produtos e serviços financeiros destinados à pessoa jurídica disponíveis no mercado. “O MEI costuma ser um empreendedor solitário, que cuida pessoalmente de várias frentes, do caixa ao atendimento do cliente. Nesse contexto, o aplicativo serve como ferramenta de gestão empresarial extremamente útil para fornecer informações que poderão auxiliar os empresários a tomarem as melhores decisões para o seu negócio”, afirma o presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos.

Na época do lançamento do aplicativo, em 2016, uma pesquisa encomendada pela Febraban e pelo Sebrae demonstrou que 56% dos MEI não faziam uma correta separação entre suas finanças pessoais e de suas empresas, o que reforçou a importância de iniciativas como o Meu Negócio em Dia. “Isso mostra a importância da educação financeira para esse público. É preciso entender como funcionam os produtos bancários e quais são os mais indicados para cada circunstância”, explica o diretor de Educação Financeira da Febraban, Fábio Moraes.

O aplicativo Meu Negócio em Dia está disponível para smartphones que operam nos sistemas iOs, Android e Windows Phone. O download está disponível gratuitamente nas lojas de aplicativos dos respectivos sistemas operacionais e no site http://www.meubolsoemdia.com.br/canal-do-empreendedor.
SEBRAE 45 ANOS

O Sebrae comemora este ano quatro décadas e meia de atuação em defesa dos pequenos negócios. As micro e pequenas empresas representam 98,5/% do total de empreendedores no Brasil, respondem por 27% do PIB nacional e geram mais da metade dos empregos no país. Formalização, inovação, redução da burocracia, ampliação do acesso ao crédito e melhoria do ambiente legal fazem parte do compromisso do Sebrae com os pequenos negócios. Conheça no portal Sebrae os números e a história do empreendedorismo no Brasil: https://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae

Câmara de Deputados autoriza os microempreendedores a utilizarem suas residências para sediar empresas

20

Nesta quinta-feira (15), a Câmara dos Deputados aprovou  um projeto que autoriza o microempreendedor individual (MEI) a usar o endereço da sua residência como sede da empresa. No entanto, a liberação vale somente nos casos em que a atividade não precisar de um local próprio para ser exercida. O texto seguirá para o Senado.

Aprovada por unanimidade, com o apoio de 353 votos, a medida tem como objetivo facilitar a adesão de microempreendedores ao Simples Nacional, regime tributário simplificado para empresas de pequeno e médio porte.

Atualmente, leis estaduais costumam vetar o uso do endereço residencial para o cadastro de empresas. A lei federal sobre o tema não impedia o cadastro nesses casos.

Para o deputado Luiz Carlos Hauly (PSDB-PR), a mudança na legislação representa uma das principais conquistas da microempresa.

“A Câmara toma uma das principais iniciativas em favor do empreendedorismo”, disse Hauly.

Pelos cálculos dele, a alteração poderá trazer para a legalidade cerca de 7 milhões de autônomos em todo o país.

Do G1

TV Replay, o que é bom se repete!

Cachoeirinha-PE: Sua empresa já tem um Sistema de automação comercial fiscal? Saiba como funciona

Toda empresa que possui estratégia, precisa ter uma missão e uma visão. Com estratégias, uma empresa atinge seus objetivos, antecipa seus problemas, além de ter uma vida mais longa, diminuindo o risco de insucesso.

Para isso um dos requisitos é estar munido de um sistema de automação comercial e fiscal homologado, que venha a dar respaldo e aparato para todo o conhecimento interno e externo de tudo que está acontecendo na sua empresa.

O Sistema GDOOR, será comercializado na cidade pela POWERTEC e poderá ser usado por  micro e pequenas empresas do comércio, onde vem trazer soluções simples e eficazes para o gerenciamento de sua empresa.

1

Para adquirir o sistema basta ligar para Powertec!

Cel.:(81) 9778-0002/9755-6913

 

TV Replay, o que é bom se repete!

Cachoeirinha-PE: Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste ajuda a mudar realidade de empresas pernambucanas

Nesta terça-feira (15), a caravana dos representantes do Ministério da Integração Nacional , estiveram na Câmara de Vereadores explicando as condições, facilidades e os benefícios da linha de crédito. 

O empresário de Cachoeirinha (PE), Joanã da Silva Ferreira, começou a sua empresa de confecção de pijamas infantis há três anos. Na época, a ‘Pan Fux’ era tocada por apenas seis funcionários. Hoje, graças aos recursos obtidos por meio do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE) – financiados pelo Banco do Nordeste -, a empresa de Joanã dobrou o número de empregados e o faturamento também. “Posso garantir que essa foi a solução de todos os meus problemas”, afirma o empresário. 

Ele conheceu a linha de crédito por meio de seu gerente bancário, em 2011. Joanã conta que investiu o dinheiro na aquisição de novas máquinas e na contratação de pessoal. “Agora, eu atendo consumidores de Sergipe ao Rio Grande do Norte e já estou precisando ampliar novamente o meu espaço físico e o maquinário”, conta o empresário, que obteve o recurso do FNE em novembro do ano passado. 

Assim como Joanã Ferreira, o empresário Mário Freitas Filho – que atua na área de locação de guindastes e transportes especiais, em Caruaru (PE) – também recorreu ao Fundo e teve o faturamento e o RH de seu negócio dobrados. Atualmente, a sua empresa, a ‘CODEQUIP’, possui um quadro de 50 funcionários e existe há cerca de 20 anos no mercado. 

Mário revela que, com a aquisição do financiamento, pôde investir mais R$ 10 milhões na renovação da frota e aquisição de novos veículos para ampliar a sua área de atuação. “Pude modernizar a minha empresa e, consequentemente, gerar empregos na região. Sem dúvidas, indicaria aos empresários a recorrerem a esta linha de crédito, pois as condições de pagamento e taxa de juros facilitam muito o nosso caminho”, garante ele.    

A Caravana tem o objetivo de aproximar Micros e Pequenas Empresas (MPEs) dos recursos do FNE e, assim, aumentar o número de empreendedores e as aplicações do Fundo. A ação faz parte de uma série de eventos que serão promovidos pelo interior dos estados da área de atuação do banco, considerados com economia estagnada. 

1

“A meta do governo federal, de promover maior distribuição dos recursos, foi alcançada em 2012, quando todos os municípios da área de atuação dos fundos regionais foram contemplados com, ao menos, um financiamento. Agora, em 2013, a meta é dar continuidade e intensificar esse trabalho, promovendo uma maior inclusão social e a democratização do acesso ao crédito, ampliando os financiamentos para os pequenos e médios empreendedores, rurais e urbanos, sobretudo nas regiões menos assistidas pela rede bancária”, garantiu o secretario de Fundos e Incentivos Fiscais do Ministério da Integração Nacional, Jenner Rêgo.  

Pernambuco: Polo de Confecção em alta

O setor têxtil corresponde a 77% do PIB de Pernambuco e gera 100 mil postos de ocupação em dez municípios do Agreste, entre eles: Caruaru, Toritama e Santa Cruz do Capibaribe, segundo estudo do Sebrae. Não é à toa que a Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado (Sdec) fechou seu primeiro contrato de gestão com o Núcleo Gestor da Cadeia Têxtil  (NTCPE) e irá aportar R$ 1,3 milhões no projeto. O objetivo principal da parceria é ganhar novos mercados e se consolidar nos já existentes. Os novos campos de atuação serão definidos pelas entidades que compõem o núcleo como o Sindvest e Sindtêxtil. Atualmente, a maioria das peças produzidas na região são consumidas pelos próprios pernambucanos e estados do Norte e Nordeste. O aporte inicial da Sdec será aplicado na compra de equipamentos e em outras ações. Mal começou e o núcleo está captando outros parceiros como é o caso da Petroquímica Suape, que investirá cerca de R$ 160 mil na iniciativa.

Nos dez municípios, o faturamento da indústria têxtil em 2011 foi superior a R$ 1 bilhão. O faturamento médio anual das empresas foi de R$ 88 mil.

Fonte: Folha de Pernambuco

Receita vai alertar contribuintes com irregularidades no Simples Nacional

Os contribuintes incluídos no Simples Nacional poderão receber a partir de amanhã (16) alertas ao acessarem o portal do sistema na internet. A nova estratégia da Receita é para para informar os contribuintes sobre irregularidades nas informações. A estratégia faz parte do Programa Alerta Simples Nacional e permite a autorregularização, com a correção de erros e inconsistências. Na primeira fase, serão emitidos 29 mil alertas sobre as irregularidades. Os avisos serão vistos até o fim de outubro e, a partir de dezembro, a Receita começa a fiscalização dos que não fizeram as correções.

1

“É uma nova forma de relação da Receita com os contribuintes do Simples, que não têm uma consultoria como os grandes contribuintes. Sendo assim, na segunda-feira será lançado o programa com a finalidade de tornar transparente a divergência de informações”, disse Iágaro Jung Martins, coordenador-geral de Fiscalização do órgão.

Para detectar as irregularidades, A receita cruzou dados do Sistema Integrado de Administração Financeira (Siafi) e da movimentação do cartão de crédito por meio da Declaração de Operação com Cartão de Crédito (Decred). A diferença detectada chega a R$ 5,98 bilhões e o crédito tributário a favor dos cofres públicos pode ficar em 10% deste valor.

“A ideia é permitir que esses contribuintes possam se autorregularizar e com isso deixarem de ser fiscalizados pela Receita Federa e pelas receitas dos estados, Distrito Federal e municípios. Assim evitam a multa de ofício”, informou Iágaro Jung Martins. A multa para que for pego, destacou, varia de 75% a 225% do valor devido.

Atualmente, existem mais de 3,4 milhões de contribuintes que optam pelo Simples, que é um regime compartilhado de arrecadação, cobrança e fiscalização de tributos aplicável às microempresas e empresas de pequeno porte. Abrange a participação de todos os entes federados (União, estados, Distrito Federal e municípios) e é administrado por um comitê gestor.

“Nenhum contribuinte precisa ir até um posto da Receita Federal para fazer a autorregularização, que deve ser feito por meio da internet, e o comportamento dos contribuintes irregulares serão monitorados pelos nossos sistemas de banco de dados”, destacou Iágaro Martins.

Link para o Simples Nacional: http://www8.receita.fazenda.gov.br/SimplesNacional/Default.aspx

Fonte: Agência Brasil

Caruaru-PE: Participe, desenvolva… é o SEBRAE trazendo recursos que pode mudar sua vida!

3 1 2

Pernambuco tem 64 novos projetos industriais, e Vitória será contemplada

Empresas somam investimento de R$ 1,7 bilhão e vão gerar 5.927 empregos.

 

Pernambuco terá 64 novos projetos industriais, com projeção de investimento de R$ 1,7 bilhão e geração de 5.927 empregos. A carteira de negócios foi aprovada, ontem, na 80ª reunião do Conselho Estadual de Política Industrial, Comercial e de Serviços (Condic), realizada na Agência de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco. Diante da ameaçada de fim dos incentivos fiscais no País, o governo de Pernambuco decidiu aprovar o maior número de projetos nesta terceira reunião de 2012.
Os empreendimentos aprovados estão distribuídos em 25 municípios, em todas as regiões de desenvolvimento do Estado. “O volume significativo de investimentos é uma demonstração de que a economia de Pernambuco continua crescendo, a despeito da crise mundial. Nos próximos 10 anos, a previsão é que Pernambuco seja o terceiro Estado com maior nível de industrialização do País”, comemora o secretário estadual de Desenvolvimento, Frederico Amâncio.
Na lista dos 64 projetos industriais, o maior é o da Cervejaria Petrópolis, que assinou protocolo de intenção com o governo em agosto e teve a indústria aprovada na reunião de ontem. A companhia vai investir R$ 852,6 milhões em uma fábrica no município de Itapissuma e gerar 474 empregos. A boa notícia é que o ranking dos dez maiores projetos também contempla o interior (veja arte abaixo). Caruaru vai ganhar uma unidade da indústria de cerâmica Inbracer (R$ 57,1 milhões) e Vitória de Santo Antão terá uma planta da Roca Metais (R$ 42,3 milhões). Só a Inbracer vai gerar quase mil empregos.
Além dos projetos industriais, o Condic também aprovou projetos de implantação de nove centros de distribuição, que serão responsáveis pelo recolhimento de R$ 16,5 milhões em ICMS. São CDs da Cargill, das drogarias Big Ben, J. Macêdo e outros. A lista inclui, ainda, duas centrais de importação que vão somar compras anuais de R$ 40,8 milhões.
O secretário da Fazenda, Paulo Câmara, comentou que a votação no Supremo Tribunal Federal (STF) da súmula que acaba com a guerra fiscal entre os Estados foi adiada por conta do julgamento do Mensalão, que ocupou a pauta do STF. Leia mais na edição impressa do JC.

 

Do JC Online

Tenho uma empresa. E agora o que Fazer?

Na série empresas, como administrar? O consultor Rosimael Losasi dá dicas para quem tem uma empresa aberta. Confira.

Como conseguir um emprego?

Wallace Espíndola - Administrador

Conseguir um emprego é alvo da cobiça de milhares de pessoas por dia. Porém, vale lembrar que esta é uma das tarefas mais árduas que existem. Por isso, devemos nos prender no que é ” certo e errado na hora da entrevista de emprego.”

Você acha que está preparado para enfrentar uma entrevista de seleção de emprego? Tem as respostas na ponta da língua? Pois saiba que as entrevistas andam muito diferentes daquelas que eram feitas antigamente.

Os especialistas em recursos humanos têm apostado em perguntas inesperadas, capazes de desconcertar até o mais preparado dos candidatos. As pessoas também têm muita dificuldade de falar das suas qualidades. Então é importante saber falar bem de você.

Então vamos abordar 05 dicas de perguntas diferentes que hoje estão sendo feitas nas entrevistas de seleção de emprego:

  • Inglês fluente / Espanhol?

Muitas vezes idiomas são testados e o entrevistador inicia uma conversação no idioma testando o candidato. O que mente fluência ficará absolutamente sem chão.

  • Fale-me sobre como construiu a sua carreira.

Demonstre que tem um plano de carreira, que deseja progredir e que consegue, sim, projetar seu futuro próximo. A ambição, desde que não demonstrada de forma excessiva, costuma ser bem vista pelos recrutadores.

  • O que você conhece sobre a nossa empresa?

É importante conhecer a empresa para qual está se candidatando.

  • Qual o seu diferencial competitivo?

Dê exemplos concretos que comprovem a sua organização e o fato de que você não costuma deixar trabalho acumulado. Se for o caso, pode até contar, de forma resumida, um dia de trabalho típico, mostrando como faz para executar todas as tarefas diárias.

  • Como você trabalha sob pressão?

O recomendado é  mostrar que o estresse não é um problema e que faz parte do trabalho. Se possível, ilustre com situações já vivenciadas em que precisou atuar sob pressão. Outra dica é pontuar que a pressão pode servir como um combustível para agir de maneira ainda mais eficaz, mas diga também de que maneira procura compensar isso e como busca relaxar após uma situação estressante.

Cuidado nas respostas e bom emprego.