Dilma traiu seu eleitorado, diz Lula a jornal espanhol

Lula diz que erro de Dilma foi promover o ajuste fiscal porque tinha prometido manter as despesas nas eleições de 2014

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse, em entrevista ao jornal espanhol “El Mundo”, que a ex-presidente Dilma Rousseff “traiu seu eleitorado” ao promover o ajuste fiscal porque tinha prometido manter as despesas nas eleições de 2014.

Lula e Dilma Foto: José Cruz / Agência Brasil

Lula e Dilma
Foto: José Cruz / Agência Brasil

Segundo ele, esse foi o segundo erro da presidente. O maior, afirmou, foi a política de desoneração às empresas. “Começamos a perder credibilidade. O ano de 2015 foi muito semelhante ao de 1999, quando FHC teve uma popularidade de 8% e o Brasil quebrou três vezes. Mas o presidente da Câmara era Michel Temer e ele o ajudou. Nós tivemos o Eduardo Cunha.”

Na entrevista, publicada no último domingo (22), Lula diz ter certeza de que, assim como ele, Dilma pensa que ele deveria ter concorrido em seu lugar nas eleições de 2014.

Ao responder se estava arrependido por não ter disputado, Lula disse que não porque foi leal a Dilma. “Ela tinha direito de ser reeleita. Mas eu pensei nisso muitas vezes e eu sei que Dilma também. O que acontece é que eu não sou o tipo de pessoa que se arrepende”.

Ao ser questionado sobre a hipótese de não concorrer, Lula disse que espera disputar a Presidência, mas que “ninguém é imprescindível”. “Existem milhares de Lulas.”

Por Folhapress

STF decide hoje se muda rito do processo de impeachment de Dilma

Ministro Luiz Edson Fachin distribui voto que propõe rito do processo contra a presidente Dilma Rousseff. Líderes da oposição pressionam pela manutenção das decisões na Câmara. Partidos da base do governo pedem o afastamento de Cunha da Presidência da Casa.

20151216075118533044i

O ministro Luiz Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), entregou nesta terça-feira (15) aos ministros da Corte a minuta do voto, com cerca de 100 páginas, sobre o rito de impeachment que deve apresentar na sessão desta quarta-feira (16).

Na última quarta-feira, Fachin afirmou que iria propor um novo rito, em substituição ao proposto pela Lei nº 1.079 de 1950, que define os crimes de responsabilidade e como deve acontecer o julgamento. O ministro suspendeu, no início do mês, a instalação da comissão especial que vai analisar o pedido de impedimento da presidente Dilma Rousseff — após a eleição, por voto fechado, de chapa com 39 membros na Câmara dos Deputados. A liminar foi motivada pela Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 378, do PCdoB, que questiona a lei de 1950 e o acolhimento do pedido e solicita que a votação seja aberta.

Na manhã desta terça (15), o ministro recebeu líderes da oposição, que defenderam a manutenção das decisões já tomadas na Câmara. Segundo os parlamentares, elas respeitaram a lei e o regimento interno, inclusive a votação secreta. Participaram da reunião Carlos Sampaio (PSDB-SP), Rubens Bueno (PPS-PR), Paulinho da Força (SD-SP), Mendonça Filho (DEM-PE), Bruno Araújo (PSDB-PE) e Pauderney Avelino (DEM-AM).

“Estamos falando da admissibilidade, pela Câmara, do processo de julgamento do mérito e da decisão final no Senado. Estamos falando da questão da votação secreta na comissão especial e da eleição, que se dá com base na Lei 1.079, que trata do impeachment e, especificamente, também falamos da questão da chapa alternativa”, disse Rubens Bueno.

Líder do PSDB na Câmara, Carlos Sampaio afirmou que a eleição da chapa foi secreta porque “o regimento interno da Câmara diz o seguinte: apenas as eleições da Casa se darão em voto secreto, e uma comissão processante contra a presidente da República se dá pelo voto secreto porque é uma eleição e para evitar a ingerência do Poder Executivo sobre os deputados.”

Do Correio Braziliense

Nova Replay, informações é aqui

Política pode tirar Dilma do Planalto

Por Inaldo Sampaio – Blog Mário Flávio

A presidente do Brasil, Dilma Rousseff, não será afastada do seu cargo por desonestidade, como ocorreu com Collor, tampouco por conta das “pedaladas fiscais” identificadas pelo TCU. Dilma deverá perder o cargo por não ter mais nada a fazer à frente do governo. Atirou o Brasil na mais grave crise dos últimos 20 anos e não tem força política para mudar o rumo dos acontecimentos.

Chegou ao poder pela política e pela política deverá sair antes do tempo, chame-se isto “golpe ou impeachment”. A presidente não tem mais apoio popular para ficar no governo e o respaldo político que o Congresso lhe dá está se evaporando.

Os 199 votos que ela obteve na eleição para a escolha dos membros da comissão do impeachment da Câmara Federal podem virar 100 em pouco tempo se Brasil chegar a 2016 pior do que está saindo de 2015. Dilma Rousseff perdeu o apoio do Congresso, da grande imprensa, e das elites políticas e econômicas, e só um milagre a salvará.

Nova Replay, nós estamos onde a notícia está!

E agora, teremos impeachment? Você sabe o que é?

brazil-dilma-rousseff

Nesta quarta-feira (02), o presidente da Câmara de Deputados, Eduardo Cunha, autorizou a abertura do processo de impeachment da presidente do Brasil, Dilma Rousseff. Diante deste fato, uma comissão especial será criada na Câmara com 66 deputados titulares e o mesmo número de suplentes. Será elaborado um parecer pelo prosseguimento do processo de impeachment e para ser aprovado, o parecer precisará do apoio de pelo menos dois terços dos 513 deputados, ou seja, é necessário que haja no mínimo 342 votos. Se os parlamentares decidirem pela abertura do processo de impeachment, a presidente Dilma será obrigada a se afastar do cargo por 180 dias e o processo será julgado pelo Senado.

No ano de 1992 o presidente brasileiro Fernando Collor de Melo foi impossibilitado de dar continuidade ao seu trabalho como representante do Brasil por causa de um impeachment, que levou pessoas de todas as idades às ruas com seus rostos pintados de verde e amarelo, sendo conhecidos como “os caras pintadas”, a clamarem por justiça e democracia. E agora, teremos impeachment pela segunda vez no nosso país? Você sabe o que é?

1. O que é impeachment? impeachment ocorre quando certas autoridades praticam um crime de responsabilidade. Trata-se de uma situação muito grave, na qual a autoridade que comete a infração perde o cargo e sofre sérias consequências, tais como a inabilitação para o exercício de função pública por certo tempo. Vale esclarecer que algumas autoridades podem ser alvo do processo de impeachment (v. Artigo 52, incisos I e II da Constituição Federal), mas o caso mais citado e que será privilegiado neste breve artigo é o caso do impeachment do Presidente da República.

2. O que é crime de responsabilidade? O crime de responsabilidade representa, em verdade, uma infração político-administrativa, sendo importante citar alguns casos regrados pelo artigo 85 da Constituição, assim como pelo artigo  da Lei nº 1079/50, que especifica as hipóteses constitucionais. São exemplos o caso de o Presidente da República atentar contra a Constituição, contra o exercício dos direitos, contra a probidade na administração, ou quanto ao cumprimento de leis e decisões judiciais.

3. Como ocorre o processo de impeachment? A acusação parte de qualquer cidadão brasileiro contra o Presidente da República (artigo 14 da Lei nº 1079/50). Primeiramente, ocorre um juízo de admissibilidade pela Câmara dos Deputados, que precisa autorizar o início do processo por 2/3 dos seus membros. Após, ocorre o julgamento pelo Senado Federal, presidido pelo Presidente do Supremo Tribunal Federal. Para que o Presidente seja condenado também será necessária uma votação por 2/3 dos Senadores, conforme o artigo 86 da Constituição Federal.

4. Quais as sanções no caso de condenação do Presidente? Caso seja condenado, o Presidente da República perde o cargo, assim como fica inabilitado para o exercício de função pública por 8 anos, sem prejuízo de outras sanções judiciais cabíveis (artigo 52parágrafo único, da Constituição Federal).

5. Quem ocupa a Presidência? Com o impeachment do Presidente ocorre a vacância do cargo, sendo que o sucessor natural do Presidente é o Vice-Presidente da República (artigo 79 da Constituição Federal). Caso o Vice-Presidente não possa assumir por algum impedimento, podem ocupar a Presidência, temporariamente, o Presidente da Câmara dos Deputados, do Senado Federal ou do Supremo Tribunal Federal, nesta ordem (artigo 80 da Constituição).

Contudo, caso o Vice-Presidente também não possa exercer a Presidência por alguma razão definitiva, deve-se questionar o momento em que ocorreu a situação, incidindo o artigo 81 da Constituição: caso tanto a ausência definitiva do Presidente e do Vice tenham acontecido nos 2 primeiros anos de mandato, são convocadas novas eleições diretas; caso tenham ocorrido nos últimos 2 anos de mandato, o Congresso Nacional deve realizar eleições indiretas para a escolha dos novos ocupantes da Presidência da República. Em qualquer dos casos, os novos eleitos deverão completar o tempo remanescente do mandato dos antecessores.

Do JusBrasil

Todos os estados e o DF participaram de protestos contra o governo Dilma

Brasileiros foram às ruas neste domingo (16) em 205 cidades em todos os estados e no Distrito Federal em protesto contra o governo da presidente Dilma Rousseff (PT).

brazil-rousseff-_paulo_whitaker_reuters_3

Foto: Reprodução/ G1 – Protesto na Avenida Paulista em São Paulo reuniu 350 mil, segundo a PM, 1 milhão, segundo organizadores e 135, segundo o Datafolha.

As manifestações levaram mais pessoas às ruas do que as de 12 abril, mas menos do que as de 15 março, segundo a polícia e os organizadores. A PM estimou em 879 mil o total de manifestantes deste domingo. Em abril, foram 701 mil e em março, 2,4 milhões.

Considerando os números dos organizadores, participaram 2 milhões neste domingo, 1,5 milhão em abril e 3 milhões em março.

Grande parte dos manifestantes pedia a renúncia ou o impeachment da presidente e cobrava o fim da corrupção. Pela primeira vez, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi fortemente criticado. Muitos participantes vestiam verde amarelo e levavam bandeiras do Brasil. Também foram vistas faixas com referência à Operação Lava Jato e elogiando o juiz Sérgio Moro.

Na noite deste domingo, o Instituto Lula divulgou nota na qual afirmou que o ex-presidente jamais cometeu ilegalidades antes, durante ou depois de seus dois mandatos.

“Lula foi preso na ditadura porque defendia a liberdade de expressão e organização política. O povo brasileiro sabe que ele só pode ser acusado de ter promovido a melhora das condições de vida e acabado com a fome de milhões de brasileiros, o que para alguns parece ser um crime político intolerável. Lula jamais cometeu qualquer ilegalidade antes, durante ou depois de seus dois governos”, afirmou o instituto na nota.

Pela primeira vez, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) discursou em um protesto do tipo.

“O Brasil despertou. É o povo na rua que vai permitir a superação da crise. Não é este governo, que não tem mais autoridade, nem credibilidade”, disse o senador e candidato derrotado na campanha presidencial de 2014. Falando em cima de um trio elétrico em Belo Horizonte, Aécio evitou responder questões sobre o impeachment.

Algumas manifestações isoladas defendiam a intervenção militar no Brasil (o pedido de intervenção militar é uma atitude ilegal e frontalmente contrária à Constituição; em seu artigo 5º, a Constituição diz que “constitui crime inafiançável e imprescritível a ação de grupos armados, civis ou militares, contra a ordem constitucional e o Estado Democrático”).

Fora do Brasil, cerca de 50 pessoas protestaram em Lisboa, capital de Portugal, relatou André Luis Azevedo, correspondente da TV Globo. O protesto foi na Praça Camões, no Chiado, tradicional local de manifestações e ponto turístico. Os manifestantes levaram bandeiras e muitos cartazes de “Fora PT”, “Fora Dilma” e “Fora Lula”. No fim, cantaram o hino nacional.

Ato pró-PT

Em contraponto aos atos contra Dilma, militantes, centrais sindicais e movimentos sociais fizeram um protesto em frente ao Instituto Lula, na Zona Sul de São Paulo. Vestidos com camisas vermelhas, manifestantes gritavam palavras de ordem: “Não vai ter golpe”, “o Lula é meu amigo, mexeu com ele mexeu comigo” e “o povo na rua/ coxinha recua”. Eles foram recebidos com um churrasco.

Do G1

TV REPLAY, INFOMAÇÃO É AQUI!

Caruaru-PE: Cerca de 40 pessoas saíram às ruas em protesto contra Dilma e o PT neste domingo (16)

O último domingo (16) foi marcado por protestos contra o Governo Dilma e o PT em várias cidades espalhadas pelo Brasil. A cidade de Caruaru contou com uma manifestação tímida. A concentração foi no Marco Zero da cidade. De acordo com a organização do evento, uma média de quarenta pessoas participaram do ato.

protesto

A Destra não fez a contagem dos manifestantes e a Polícia Militar não esteve presente ao ato, que foi organizado por integrantes de uma loja Maçônica da cidade. Em seguida, eles fizeram uma passeata pelas principais ruas de Caruaru. A manifestação terminou com os integrantes do protesto cantando hino nacional. De acordo com o organizador, Abel Vieira, a inspiração para a mobilização veio da frase de Santo Agostinho:

“A esperança tem duas filhas lindas, a indignação e a coragem; a indignação nos ensina a não aceitar as coisas como estão; a coragem, a mudá-las.” – afirmou Abel

Do Blog do Mário Flávio

TV REPLAY, O QUE É BOM SE REPETE!

Brasil: Ministro Gilmar Mendes pediu investigação da Polícia Federal nas contas de Dilma Rousseff

Gilmar Mendes é o Vice-Presidente do Tribunal Superior Eleitoral, e quer obter informações da Policia Federal sobre indícios de crime de lavagem de dinheiro cometido por duas empresas de publicidade. a investigação seria de indícios de irregularidades nas prestações de contas da campanha a presidente de Dilma Rousseff. As apurações foram pedidas pelo PSDB no pedido de cassação de mandato feito contra o PT.  Quem trás maiores detalhes é a Revista Istoé.

Segunda a revista o Ministro Gilmar Mendes encaminhou ofício à PF para que apure os detalhes relacionados à prestação de serviços da Focal Comunicação Visual, que recebeu R$ 24 milhões da campanha da Presidente Dilma Rousseff. Gilmar Mendes quer também maiores detalhes sobre os contratos da empresa VTPB que trabalhou na campanha petista ao custo de R$ 23 milhões.

Existem suspeitas, segunda a revista tanto da Focal, quanto a VTPB terem recebido dinheiro do esquema de desvios da Petrobras. Essas transações, conforme a delação premiada do dono da UTC, o engenheiro Ricardo Pessoa, foram fruto de negociações do atual ministro da Secretaria de Comunicação Social, Edinho Silva.

No pedido de cassação protocolado pelo PSDB, foi alegado que a campanha de Dilma e Temer praticou abuso de poder econômico, por ter recebido doações de empreiteiras que estavam sendo investigadas ainda na Lava Jato e que esses valores superaram a soma das despesas de todos os demais candidatos à Presidência da República, nas eleições de 2014. Se comprovado os fatos, poderíamos ter uma reviravolta política na nação.

 Aqui você encontra a matéria na íntegra da revista Istoé:

http://www.istoe.com.br/reportagens/426766_PF+MIRA+A+CAMPANHA+DA+PRESIDENTE?pathImagens=&path=&actualArea=internalPage

Foto: Jornalggn

Foto: Jornalggn

TV Replay, o que é bom se repete!

 

Deputado Jarbas Vasconcelos falou sobre a crise, escândalos no país e falta d’água

O Deputado Federal por Pernambuco, Jarbas Vasconcelos (PMDB), esteve em Caruaru, prestigiando o Seminário Todos por Pernambuco, no último fim de semana. Após a participação no evento, o parlamentar concedeu entrevista ao repórter Edvaldo Magalhães, no Shopping Difusora, e entre outros assuntos, falou sobre a crise que o país atravessa e foi taxativo ao afirmar que a culpa é da presidente Dilma Rousseff (PT). Jarbas, comentou os escândalos no Brasil e lamentou a falta d’água.

Confira!

Jarbas Vasconcelos

TV Replay, o que é bom se repete!

Cara a Cara com Edvaldo Magalhães: Empreendedor tira todas as dúvidas sobre o Cidade das Compras e diz que o projeto de transferência da feira da sulanca é uma caixa preta

Neste programa Cara a Cara, Edvaldo Magalhães, entrevista o empreendedor Elias Tergilene, sócio do empreendimento Cidade das Compras, que será construído as margens da BR-104, terras que pertencem ao município de Riacho das Almas.

Elias Tergilene fala sobre os cercas de 20 mil cadastros para o empreendimento, a diferença entre o Cidade das Compras e a transferência da Feira da Sulanca, a estrutura que será construída, das 32 feiras que irão funcionar no interior do empreendimento, o Santuário de Frei Damião que será construído no local, entre outros questionamentos feitos por Edvaldo Magalhães no 1º bloco do programa.

No 2º bloco o empreendedor Elias Tergilene afirma que o dinheiro para construir a obra já está depositado no banco, ninguém pagará antecipadamente para alugar ou comprar algum boxe. Para Elias, o projeto de transferência da feira da sulanca é uma caixa preta.

No 3º bloco do programa, Elias Tergilene diz porque o empreendimento será erguido em terras de Riacho das Almas e não em Caruaru, dá detalhes do lançamento da pedra fundamental com as presenças de autoridades políticas, como a presidente da República, Dilma Rousseff (PT) e do governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), no dia 15 de Abril. O Cidade das Compras terá um Porto Seco e será criado o atacado.com

foto 1 foto 2

TV Replay, o que é bom se repete!

Cara a Cara com Edvaldo Magalhães: Senador Humberto Costa fala sobre as polêmicas da última eleição, como a união de João, Zé e Tony, declarações de Wolney, entre outras – ll Bloco

Neste 2º bloco do programa do Cara a Cara, Edvaldo Magalhães, pede para o Senador por Pernambuco, Humberto Costa (PT) analisar o mandato do atual Governador do estado, João Lyra Neto (PSB).

O Senador Humberto Costa (PT), fala também sobre junção do Governador João Lyra Neto (PSB), do Prefeito de Caruaru José Queiroz (PDT) e do Deputado Estadual por Caruaru Tony Gel (PMDB) no mesmo palanque nas últimas eleições, apoiando as candidaturas de Paulo Câmara (PSB), Fernando Bezerra Coelho (PSB), Marina Silva (PSB) e até Aécio Neves (PSDB), enquanto que o amigo do Prefeito, o suplente de Senador Douglas Cintra (PTB) ficou no palanque oposto, apoiando Armando Monteiro Neto (PTB), João Paulo (PT) e Dilma Rousseff (PT).

O Prefeito de Caruaru, José Queiroz (PDT), foi reeleito com o slogan: “Com a força do Brasil”, com Dilma e Lula apoiando, e nas últimas eleições esteve no palanque adversário; Edvaldo Magalhães, quis saber do Senador Humberto Costa (PT) qual a opinião dele sobre o fato, se o Prefeito perderá com este posicionamento, e sobre as declarações do Deputado Wolney Queiros (PDT), que disse que apoiaria Dilma no 2º turno, tirou foto com Aécio Neves e após a reeleição de Dilma, afirmou que ficaria no governo e não faria oposição.

Confira!

TV Replay, o que é bom se repete!

Cara a Cara com Edvaldo Magalhães: Louise Caroline responde se país está dividido e se o PT poderá ter candidatura própria a Prefeito de Caruaru – lll Bloco

Neste 3º bloco, Louise Caroline Cara a Cara com Edvaldo Magalhães, diz o espera do governo federal a partir de 2015. Caroline, fala se foram o programa Bolsa Família e os votos do Nordeste que reelegeram Dilma Rousseff (PT). Devido a vitória apertada do PT sobre o PSDB no 2º turno, juntando os votos brancos, nulos e obtenções, Edvaldo questiona se o país está dividido ou a presidente Dilma teria minoria.

Louise Caroline (PT), fala a nível municipal, sobre as três principais forças políticas de Caruaru estarem juntas ou separadas nas próximas eleições em 2016, como aconteceu agora em 2014, nas eleições gerais, em um só palanque, e se o Partido dos Trabalhadores poderá ter candidatura própria na majoritária.

Confira todos os blocos!

Bloco 1

Bloco 2

TV Replay, o que é bom se repete!

Cara a Cara com Edvaldo Magalhães: Louise Caroline tem 15 anos na militância do PT – I Bloco

Neste primeiro bloco do programa Cara a Cara, Edvaldo Magalhães, recebe Louise Caroline, ex- Secretária da Mulher e de Participação Social de Caruaru, atualmente professora de administração pública na Faculdade Asces e membro do diretório nacional do Partido dos Trabalhadores (PT).

Louise Caroline (PT), começou no diretório acadêmico da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), foi candidata a Vereadora pelo PT em 2008, não conseguindo se eleger, passou três anos e meio a frente da Secretaria da Mulher e um ano como Secretária de Participação Social, saindo para integrar a campanha a reeleição da Presidente da República Dilma Rousseff (PT). Louise Caroline, entrou na política muito jovem, porém, já  fazem quase 15 anos..

Confira!

Cara a Cara com Edvaldo Magalhães Louise Caroline.Still001

TV Replay, o que´é bom se repete!

Caruaru-PE: Vereador Demóstenes Veras analisa vitória do PT nas eleições gerais

O Vereador Demóstenes Veras (Pros), concedeu entrevista a reportagem da TV Replay, na Câmara de Vereadores de Caruaru, e falou sobre a vitória da Presidente da República, Dilma Rousseff (PT), nas eleições gerais, realizadas em dois turnos, neste ano de 2014.

Confira!

Sequence 02.Still007

TV Replay, o que´é bom se repete!

Escada-PE: Números finais do 2º turno das eleições 2014 no município

Tranquilidade, esta foi a palavra para definir bem, como foi a votação do 2º turno das eleições para Presidente do Brasil no município de Escada.

Pouca movimentação nas ruas, seções praticamente vazias, nenhuma anormalidade com as urnas. Segundo a  Polícia Militar, nenhuma ocorrência de perturbação da ordem pública ou de crimes eleitorais.

Por conta da falta de filas, e agilidade na votação, pois o eleitor só tinha que digitar uma opção de voto, a sensação que se tinha na cidade, era que a população não tinha ido voltar, e com isso o número de abstenções teria sido alto.

IMG-20141027-WA0071

Nossa equipe foi ao Cartório Eleitoral, onde o Analista  Jurídico, Gustavo Holder, nos informou que não houve registros de anormalidades durante o processo eleitoral, transcorrendo tudo com a mais absoluta  tranquilidade e dentro do que se esperava.

O resultado que garantiu vitória para a candidata Dilma Rousseff na cidade, você acompanha abaixo os números:

CANDIDATO:

13 – DILMA VANA ROUSSEFF     –     27.111 – 75,54%

45 – AÉCIO NEVES DA CUNHA –      8.778 – 24,46%

 

Total de Votos Apurados –            42.282

Votos Válidos –                               35.889 –    93,83%

Votos em Branco –                          841 –          2,20%

Votos Nulos –                                 1.520 –         3,97%

Abstenção –                                   4.032 –          9,54%

TV Replay, agora faz parte da vida dos escadenses, desta forma a notícia será noticiada todos os dias e em todos os momentos, fazendo com que Escada possa se comunicar em tempo real e deixar assim seus moradores informados de tudo que acontece e em todos os lugares.

Assista, comente, curta, compartilhe e divulgue. Mande sugestões e denúncias. Nossos contatos:

Reportagem e imagens: Alison Lima

TV Replay, o que é bom se repete!

Dilma perde mais eleitores do que Aécio para o 2º turno, diz Datafolha

A presidente Dilma Rousseff (PT) perdeu para o rival Aécio Neves (PSDB) parte dos eleitores que votaram nela no primeiro turno, mostra pesquisa Datafolha.

O mesmo ocorre com o tucano, mas em percentual inferior ao dos votos perdidos pela petista.

Segundo levantamento Datafolha concluído na quinta-feira (9), se a eleição fosse nesse dia, 6% dos eleitores que afirmaram ter votado em Dilma Rousseff no primeiro turno escolheriam o tucano no segundo turno. No caso de Aécio Neves, a migração de votos para a petista seria de 2%.

Editoria de Arte/Folhapress

Considerando apenas os votos válidos, Dilma perderia 6% dos votos, e Aécio, 3%.

Dilma Rousseff terminou o primeiro turno à frente, com 43,268 milhões de votos, ou 41,59% do total dos válidos. Aécio Neves teve 34,897 milhões de votos, 33,55% dos válidos.

Na última pesquisa do Datafolha, ambos aparecem em empate técnico nas intenções de voto para o segundo turno. O tucano, porém, está numericamente à frente, com 51% das intenções, contra 49% de Dilma.

É a primeira vez que ele lidera nas pesquisas do instituto. A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

Dos que disseram ter votado em Dilma, 88% afirmaram que “com certeza” repetiriam o voto no dia 26 de outubro. Daqueles que optaram por Aécio, 91% permaneceriam fiéis.

Entre os dilmistas, 3% não sabiam em quem votar no pleito final das eleições presidenciais. No caso tucano, esse percentual era de 2%.

MIGRANTES

Os votos “migrantes” surgem com mais força agora. Antes do primeiro turno, os percentuais eram bem menores.

Pesquisa Datafolha finalizada em 30 de setembro mostrava que, num cenário em que os dois candidatos fossem para o segundo turno, 2% dos votos da petista iriam para o tucano, enquanto 1% dos eleitores dele migrariam para a candidatura do PT.

O Datafolha dá outra informação que mostra um grande contingente que pode estar disposto a mudar de voto. Entre os aecistas de primeiro turno, 14% dizem que talvez votassem em Dilma no segundo. O percentual de dilmistas que poderiam virar aecistas é o dobro: 28%.

Há empate entre aqueles que talvez mantivessem o voto no mesmo candidato: 8% para cada lado.

O crescimento dos eleitores de Dilma perdidos para Aécio no segundo coincidem com o aparecimento de novas denúncias envolvendo a Petrobras.

O ex-diretor da estatal Paulo Roberto Costa e o doleiro Alberto Youssef apontaram em interrogatório à Justiça que desvios de recursos da empresa abasteciam o caixa do PT e dos PP e PMDB. O PT nega. Porém, não há como afirmar que a razão desse comportamento é o escândalo da Petrobras -ou apenas ele.

É comum haver eleitores que mudam de escolha de um turno para outro. Em 2006, por exemplo, o então candidato à Presidência Geraldo Alckmin (PSDB) recebeu menos votos no segundo turno do que havia tido no primeiro. Naquele ano, ele perdeu 2,4 milhões de eleitores, e Lula (PT) foi reeleito presidente.

Também há eleitores que rechaçam uma das candidaturas e que votam em quem não é de sua preferência para que outro candidato não tenha chance de vencer.

Seria o caso, por exemplo, de eleitores que optariam por Aécio para evitar que Marina fosse à disputa final, temendo que ela saísse vitoriosa, e que no segundo turno escolhessem o PT.

  Editoria de Arte/Folhapress  

REJEIÇÃO

No último Datafolha, o percentual de eleitores que disseram ter votado em Dilma, mas que não votariam de novo nela de jeito nenhum é de 3%. No caso de Aécio, essa rejeição é de 1%.

Também pesa negativamente sob Dilma parte considerável daqueles que optaram por Marina Silva (PSB) na primeira fase da disputa, e que afirmam não votar na petista de jeito nenhum agora: 65%. Entre os marineiros, a rejeição a Aécio é de 18%.

Dos eleitores de Marina, 66% devem optar por Aécio, e 18%, por Dilma. Na pesquisa de 30 de setembro, 25% dos marineiros optariam pela petista caso a ex-senadora ficasse de fora do segundo turno.

Como Marina recebeu 22,177 milhões de votos, terminando com 21,32% dos válidos, seus eleitores são fundamentais para decidir quem irá governar o país nos próximos quatro anos.

A rejeição também é alta entre aqueles que votaram em branco ou nulo -e que somaram mais de 11 milhões de votos, a quarta maior força eleitoral no primeiro turno. Entre eles, 63% afirmaram não votar de jeito nenhum em Dilma no segundo turno. A rejeição ao tucano, nessa faixa, é de 43%.

Editoria de Arte/Folhapress

Folha Online

Primeiro Turno: Dilma tem 36; Marina, 27,4; Aécio 17,6

Pesquisa CNT/MDA divulgada nesta terça-feira (23) mostra que a presidente Dilma Rousseff ampliou a vantagem que tinha em relação à Marina Silva no primeiro turno da corrida ao Palácio do Planalto. Dilma oscilou de 38,1% para 36% das intenções de voto, mas Marina caiu de 33,5% para 27,4% na comparação para a sondagem divulgada do dia 9 de setembro. O candidato do PSDB, Aécio Neves, subiu de 14,7% para 17,6%.

1

Segundo a CNT, foram entrevistadas 2.002 pessoas, em 137 municípios de 25 unidades federativas das cinco regiões do País, nos dias 20 e 21 de setembro. A margem de erro da pesquisa é de 2,2 pontos porcentuais para mais ou para menos. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral sob o número BR-00753/2014.

Brasil: Nova pesquisa Ibope encomendada pela CNI mostra empate entre Dilma e Marina no segundo turno

A pesquisa Ibope que foi divulgada nesta sexta-feira,  foi realizada entre os últimos dias 5 e 8, o que significa que foi feita antes da pesquisa Datafolha divulgada na última quarta (10) e realizada entre os dia 8 e 9.

Dilma Rousseff (PT): 39%
Marina Silva (PSB): 31%
Aécio Neves (PSDB): 15%
Pastor Everaldo (PSC): 1%

- Branco/nulo: 8%
- Não sabe/não respondeu: 5%

Segundo turno

- Marina Silva: 43%
- Dilma Rousseff: 42%
- Branco/nulo: 10%
- Não sabe/não respondeu: 5%

- Dilma Rousseff: 48%
- Aécio Neves: 33%
- Branco/nulo: 13%
- Não sabe/não respondeu: 6%

- Marina Silva: 51%
- Aécio Neves: 27%
- Brancos e nulos: 14%
- Não sabe/não respondeu: 8%

O Ibope ouviu 2.002 eleitores em 144 municípios entre a última sexta (5) e última segunda-feira (8). A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%, o que quer dizer que, se levarmos em conta a margem de erro de dois pontos para mais ou para menos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%. Pesquisa foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) sob o protocolo BR-00593/2014.

 

Foto: Imagem da internet

Foto: Imagem da internet

TV Replay, o que é bom se repete!

Caruaru-PE: Marcelo Gomes comemora reajuste salarial de agentes comunitários

O vereador Marcelo Gomes (PSB), comemorou a aprovação de projetos para reajuste salarial de funcionários púbicos encaminhados pelo Executivo. As propostas foram aprovadas por unanimidade na reunião pública desta quinta-feira (28), na Câmara Municipal de Caruaru.

Estiveram na pauta o reajuste salarial para agentes comunitários de saúde e de combate à endemias – que passam a receber o piso nacional de R$ 1.014,00, técnicos e auxiliares de enfermagem terão aumento de 5,68%, além da revisão do piso para os médicos efetivos de Caruaru, que passam a receber R$ 4.277,20.

“A lei do piso para agentes comunitários e de endemias é recente, foi aprovada há pouco tempo pela presidente Dilma Rousseff, então não se pode falar que esta lei demorou a chegar. Além disso, o prefeito José Queiroz assinou a lei que efetivou os agentes de saúde, no primeiro ano de sua gestão. O aumento salarial tem verba federal, mas tem muita verba municipal. É apenas para os efetivos como forma de incentivo para aqueles que batalharam para chegar onde estão. Sou à favor do aumento!”, frisou Marcelo Gomes.

Além dos reajustes, a Lei de Diretrizes Orçamentárias para 2015, apresentada pelo Executivo, foi aprovada por unanimidade, no mesmo dia o Orçamento do Poder Legislativo foi aprovado pelo Plenário.

unnamed (1)

TV Replay, o que é bom se repete!

Cara a Cara com Edvaldo Magalhães: Nome forte para substituir Eduardo Campos e novas pesquisas eleitorais – lll Bloco

Neste 3º bloco do Programa Cara a Cara, Edvaldo Magalhães, pergunta ao Analista Político, Mário Benning, como ficará o guia eleitoral no rádio e na tv, que já estava gravado para ser veiculado a partir da próxima terça-feira (19.08) com a presença do ex-Governador e Presidenciável Eduardo Campos (PSB), que faleceu nesta quarta-feira (13.08), no Boqueirão, em Santos-SP, litoral paulista, vítima de acidente aéreo.

Mário Benning, afirma que o nome de Marina Silva (PSB), que era a candidata a vice-presidente na chapa encabeçada por Eduardo Campos (PSB), é o nome natural e o nome mais forte para o substituir e disputar as próximas eleições gerais no país em 05 de Outubro próximo.

Para Mário Benning, as pesquisas que vinham apontando a atual Presidente da República, Dilma Rousseff (PT) na frente e com uma certa vantagem, o tucano Aécio Neves (PSDB) em segundo lugar e Eduardo Campos (PSB), em terceiro, agora pode ser totalmente alterada com o nome provável de Marina Silva (PSB), que na última eleição no país, obteve cerca de 20 milhões de votos. O quadro agora, é outro, segundo Mário Benning.

Confira!

TV Replay, o que é bom se repete!

Cara a Cara com Edvaldo Magalhães: Presidente do PT em Caruaru analisa uniões e divisões dos políticos nesta campanha eleitoral e se apoia candidatura de Rogério Meneses – lll Bloco

Neste lll bloco do Programa Cara a Cara, Edvaldo Magalhães, faz vários questionamentos ao Presidente do Diretório Municipal do Partido dos Trabalhadores (PT), Adilson Lira, começando pelas uniões e divisões dos políticos neste campanha eleitoral para as eleições gerais de 05 de Outubro deste ano.

O advogado Adilson Lira (PT), analisa a união das principais forças políticas de Caruaru  juntas em um mesmo palanque nesta eleições, ou seja, o Prefeito José Queiroz (PDT) e o Deputado Estadual Tony Gel (PMDB) adversários políticos, além do Governador de Pernambuco, João Lyra Neto (PSB), estarem apoiando as candidaturas de Paulo Câmara (Governo) e Fernando Bezerra Coelho (Senado) no estado e Eduardo Campos (PSB) em nível nacional, enquanto que o Senador Douglas Cintra (PTB) amigo pessoal e aliado político do Prefeito José Queiroz, está em palanque oposto, apoiando as candidaturas de Armando Monteiro Neto para o governo (PTB) e João Paulo para o Senado (PT) e Dilma Rousseff para a reeleição em nível nacional (PT).

Edvaldo Magalhães, pergunta a Adilson Lira, se o diretório municipal do PT apoia a candidatura do seu filiado Rogério Meneses (PT) para Deputado Estadual ou se apoia uma candidatura de fora, que é chamada popularmente como forasteira.  Adilson Lira, analisa a pesquisa para presidência da República, e fala sobre a críticas do ex-aliado do PT e atual presidenciável Eduardo Campos (PSB) ao governo federal. Outro assunto destacado, é a falta de um parlamentar do PT na Câmara de Vereadores de Caruaru.

Confira todos os blocos!


TV Replay, o que é bom se repete!

Cara a Cara com Edvaldo Magalhães: Militantes do PT que estão no Governo apoiam candidaturas de oposição e presidente diz se é ou não incoerência – ll Bloco

Neste ll bloco do Programa Cara a Cara, Edvaldo Magalhães, pergunta ao Presidente do Diretório Municipal do Partido dos Trabalhadores, advogado Adilson Lira, se não existe incoerência no partido está no governo municipal, já que o diretório estadual determinou a saída de membros do PT do governo Eduardo Campos (PSB) e em Caruaru o partido continua aliado ao atual Prefeito José Queiroz (PDT) que apoia as candidaturas de Paulo Câmara e Fernando Bezerra Coelho (PSB) no estado e Eduardo Campos (PSB) em nível nacional, enquanto que o PT apoia as candidaturas de Armando Monteiro Neto (PTB) e João Paulo (PT) no estado e Dilma Rousseff (PT) nacionalmente.

Segundo o Presidente do Diretório Municipal do Partido dos Trabalhadores (PT), advogado Adilson Lira, mesmo estando trabalhando no governo municipal, que apoia candidaturas contrárias ao partido nas atuais eleições gerais, os membros do PT vão apoiar e trabalhar para os candidatos que fazem oposição ao Poder Executivo Municipal.

Confira!

TV Replay, o que é bom se repete!

Cara a Cara com Edvaldo Magalhães: Douglas Cintra fala se Caruaru tem palanque duplo – III Bloco

Neste 3º e último bloco do Programa Cara a Cara, Edvaldo Magalhães, indaga o empresário e suplente de Senador por Pernambuco, Douglas Cintra (PTB), sobre quem é que se contradiz, o PTB nacional ao apoiar a candidatura do tucano Aécio Neves (PSDB) ou os membros do partido aqui no estado ao apoiarem a reeleição da atual Presidente Dilma Rousseff (PT).

Douglas responde ainda se Caruaru tem palanque duplo, e sobre a decisão do atual Prefeito José Queiroz (PDT) de não apoiar a sua chapa, mas sim a de Paulo Câmara (PSB), mesmo o PDT apoiando a candidatura de Armando Monteiro Neto (PTB).

Confira todos os blocos!

TV Replay, o que é bom se repete!

Pernambuco: Parceria com Ministério da Cultura e Ancine renderá R$ 20 milhões para o audiovisual

O governador João Lyra Neto participou, junto com a presidente Dilma Rousseff, do lançamento do Programa Brasil de Todas as Telas. A iniciativa objetiva ser o maior programa de desenvolvimento do setor do audiovisual, transformando o Brasil num dos cinco maiores centros produtores e programadores de conteúdos do Mundo. A solenidade de lançamento ocorreu na tarde desta terça-feira (01/07), no Palácio do Planalto, em Brasília. Na ocasião, João Lyra Neto, que administra um Estado que figura entre os três maiores produtores de audiovisual do Brasil, reforçou a parceria de Pernambuco com o Ministério da Cultura e a Agência Nacional do Cinema (Ancine).

O Estado de Pernambuco aderiu recentemente à chamada Pública Nº 1 da Ancine e aguarda um aporte de R$ 8,5 milhões do Fundo Setorial do Audiovisual. Esses recursos suplementarão o Edital do Audiovisual de Pernambuco (Funcultura Audiovisual) para os anos de 2014/2015. No último ano, o Funcultura garantiu investimentos de R$ 11,5 milhões, o que, somados aos recursos federais, proporcionaria um aporte total de R$ 20 milhões para o próximo ano.

“A tradição pernambucana na área do audiovisual se consolidou ainda mais a partir do Edital do Audiovisual de Pernambuco (Funcultura Audiovisual) com um estímulo maior para a produção local, em valores a cada ano maiores”, destacou o governador, lembrando que, desde 2007 até 2014, já foram investidos no setor do audiovisual recursos da ordem de R$ 55,5 milhões, beneficiando 568 projetos, via editais. “Em 2006, o investimento era de R$ 500 mil. No ano da atual gestão, esse valor vem numa crescente, chegando a R$ 11,5 milhões em 2013/2014″, ressaltou o secretário de Cultura, Marcelo Canuto.

Recentemente fixado como Lei pelo governador João Lyra Neto, o Funcultura Audiovisual é uma referência nacional para o setor e considerado um dos instrumentos mais transparentes e importantes na área no País. Lançado anualmente, o edital do Funcultura abrange toda a área de audiovisual, desde cineclubes a longas metragens.

MAIS AÇÕES – O fortalecimento da cadeira produtiva do cinema em Pernambuco passa ainda por ações de difusão, como o projeto Cinema na Estrada, que nos últimos dois anos realizou 100 exibições em 78 cidades ou distritos do Estado. A ação acontece dentro do circuito de festivais de cultura intitulados Pernambuco Nação Cultural, realizado durante todo o ano, atingindo todas as macrorregiões de Pernambuco, em locais onde o acesso à produção e a equipamentos culturais, como o cinema, é restrito ou mesmo inexistente.

Em 2008, o Governo do Estado criou o Festival de Cinema de Triunfo, um festival de caráter nacional, cujo objetivo é interiorizar as ações de cinema. Este ano, o festival acontece de 4 a 9 de agosto, reunindo 42 produções e cineastas de 11 estados brasileiros. Outra ação governamental importante é o FestCINE, que está na 15ª edição. O evento é direcionado exclusivamente aos curtas de Pernambuco.
O já citado edital do Funcultura Audiovisual proporciona, além da produção de conteúdos, o desenvolvimento e fortalecimento de outros festivais de cinema, produzidos por entidades da iniciativa privada. Em 2006, existiam nove festivais de cinema em Pernambuco. Em 2012, esse número passou para 30.

São políticas públicas como esta que fazem do cinema pernambucano um dos mais aclamados e premiados do país, pela crítica e instituições nacionais e internacionais. Entre os filmes de cineastas pernambucanos mais premiados nos últimos anos, estão “O Som ao Redor” (Kléber Mendonça Filho), “Febre do Rato” (Cláudio Assis), “Tatuagem” (Hilton Lacerda), “Eles Voltam” (Marcelo Lordello), “Era uma vez Eu, Verônica” (Marcelo Gomes), “Boa Sorte meu Amor” (Daniel Aragão), “Doméstica” (Gabriel Mascaro), “Rio Doce-CDU” (Adelina Pontual), “Pernambucanos” (Nilton Pereira), entre outros.

Reprodução da Internet

Reprodução da Internet

TV Replay, o que é bom se repete!

Cara a Cara com Edvaldo Magalhães: Rogério Meneses confirma candidatura a deputado e dobradinha com Dilson Peixoto – I Bloco

Neste Programa Cara a Cara, Edvaldo Magalhães, entrevista Rogério Meneses (PT), que é natural de Imaculada (PB), mas reside em Caruaru desde 1990. Já foi chefe do escritório regional do Ibama, Presidente da Câmara de Vereadores de Caruaru e Coordenador da 4ª Ciretran, sempre tendo como lema o combate a corrupção.

Neste 1º bloco do programa, Rogério Meneses (PT), confirma que é pré-candidado a Deputado Estadual por Caruaru e que fará dobradinha com Dilson Peixoto (PT), apoiando as candidaturas de Armando Monteiro Neto (PTB) para o governo de Pernambuco, João Paulo (PT) para o senado e a reeleição da atual presidente Dilma Rousseff (PT).

Rogério Meneses (PT), é violeiro e fala sobre o evento em que participou em Recife, capital pernambucana, quando Dilma pegou sua viola e ajudou a divulga-lo.

Confira!

1TV Replay, o que é bom se repete!

Cara a Cara com Edvaldo Magalhães: Humberto Costa fala sobre HMV, BRs e investimentos industriais e de infra-estrutura no estado – lll Bloco

Neste 3º Bloco do Cara a Cara, com Edvaldo Magalhães, o Senador Humberto Costa (PT), fala sobre a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobrás. Ele é a favor da CPI mesmo em ano eleitoral, porém, tem algumas restrições e espera que ela cumpra o seu papel.

O Senador Humberto Costa (PT), comenta a greve da Polícia Militar de Pernambuco (PMPE), entende a demanda dos policias, e destaca o transtorno e a forma firme, adequada e democrática do atual governador João Lyra Neto (PSB) e o apoio que o governo federal, através da Presidente Dilma Rousseff (PT) deu.

O Senador Humberto Costa (PT), fala sobre o seu trabalho em Brasília, procurando apresentar projetos e trazer recursos para Pernambuco, além de defender o governo federal. Ele também falou sobre os recursos para o Hospital Mestre Vitalino. Segundo ele, falta investimentos industriais e infra-estrutura, duplicação da BR-104, recuperação da BR-232, e sobre a BR-423.

Confira todos os blocos!

TV Replay, o que é bom se repete!

Cara a Cara com Edvaldo Magalhães: João Paulo fala sobre CPI da Petrobrás e críticas do Governo do PT – ll Bloco

No II Bloco do Programa Cara a Cara, o Deputado Federal e pré-candidato ao Senado por Pernambuco, João Paulo (PT), fala sobre a CPI da Petrobrás, e críticas do pré-candidato a Presidente da República, Aécio Neves (PSDB), ao governo federal, alegando fraude do PT no comparativo da inflação nos governos Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e Dilma Rousseff (PT).

Capturar

l Bloco

Confira!

TV Replay, o que é bom se repete!

Caruaru-PE: Leonardo Chaves critica investimentos na saúde pública

Durante a 23ª Reunião Ordinária, da Câmara de Vereadores de Caruaru, na noite desta terça-feira (06.05), ao usar o “a part”, o Presidente da Casa Jornalista José Carlos Florêncio, Leonardo Chaves (PSD), falou que a saúde pública no país está deficitária, e que a Presidente da República, Dilma Rousseff (PT), repassa apenas 6% do Orçamento Anual do País à saúde.

Na mesma reunião, três requerimentos e uma indicação de autoria do Presidente Leonardo Chaves (PSD) foram aprovados por unanimidade, que são estes:

Requerimento nº 963/2014, voto de pesar pelo falecimento do Senhor Marco José dos Santos Silva;

Requerimento nº 967/2014, semáforo na via local da BR-232, proximidade do Viaduto de acesso ao Bairro Agamenon Magalhães, em Caruaru;

Requerimento nº 968/2014, iluminação na via local da BR-232, proximidade do viaduto de acesso ao Bairro Agamenon Magalhães, em Caruaru;

Indicação nº 66/2014, construção de quatro escolas de ensino médio na zona rural de Caruaru.

Confira!

lguiiiulTV Replay, o que é bom se repete!

Pesquisa Ibope aponta vitória da presidente Dilma no 1º turno

Foi divulgada nesta segunda-feira a pesquisa Ibope que aponta a vitória da presidente Dilma Rousseff (PT) no primeiro turno das eleições presidenciais de 2014. Segundo a pesquisa, a presidente aparece com 43% das intenções de voto enquanto os adversários, o senador Aécio Neves (PSDB) e o governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB), teriam respectivamente 14% e 7%. Os votos brancos ou nulos somam 21% e os indecisos, 15%.

1

Apesar da pesquisa realizada pelo mesmo instituto em outubro também ter mostrado a vitória da presidente Dilma no primeiro turno, o governador de Pernambuco possuía 10% e, agora, caiu para 7%. Na especulação de outros cenários, mudando os adversários da petista para o ex-governador de São Paulo José Serra (PSDB) e a ex-senadora Marina Silva (PSB), também não haveria segundo turno, e Dilma seria reeleita com 40% . O tucano teria 17% e a neo-socialista 15%. Brancos e nulos 16% e 11% de indecisos. 

O Ibope realizou a pesquisa nos dias 7 a 11 deste mês, em 142 municípios do país, contabilizando 2.002 entrevistados. A margem de erro é de dois pontos percentuais.

Fonte: diáriodepernambuco

Rádios poderão operar em AM e FM por cinco anos

As emissoras de rádio que operam na frequência AM e quiserem migrar para FM poderão operar nas duas faixas por até cinco anos. Além disso, as quase 2 mil emissoras AM terão um ano para decidir se mudam de frequência. Na semana passada, a presidenta Dilma Rousseff assinou decreto que permite essa migração.

No programa Café com a Presidente, veiculado hoje (11) pela Rádio Nacional, Dilma Rousseff disse que “só devem continuar como [emissoras] AM aquelas rádios que têm alcance maior, chegando a pegar, às vezes, todo o estado”.

1

A presidenta observou, ainda, que a migração das rádios para a faixa de frequência AM é um “salto tecnológico” e que, ao migrar para a banda FM, as rádios AM terão a vantagem de poder transmitir sua programação por meio de celulares e tablets, “o que vai ajudá-las também a conquistar as novas gerações”.

Além disso, Dilma lembrou que a mudança de faixa poderá significar “a sobrevivência dessas pequenas rádios que estão em todo o nosso país” já que várias delas sofrem interferências com o funcionamento de aparelhos celulares, eletrodomésticos e carros. Agora, segundo a presidenta, está colocado o desafio, para o governo, de criar condições para a transição.

O decreto que autorização a migração das rádios AM para a faixa FM foi assinado pela presidenta Dilma Rousseff na última quinta-feira (7), Dia do Radialista. A medida atende a um pleito do setor, preocupado com o aumento dos níveis de interferência na faixa AM. No discurso de assinatura da medida, Dilma disse que as rádios AM são um patrimônio do país e que o Estado deve dar as condições para que elas continuem prestando serviços e se adaptando.

A presidenta também relembrou programas da Rádio Nacional que ouvia na infância, de vozes e artistas que fizeram sucesso no veículo de comunicação. Ela citou ainda o programa Café com a Presidenta, que, a seu ver, a permite chegar mais perto da população, como se estivesse em uma conversa com as pessoas.

Em sua conta no Twitter, na semana passada, Dilma destacou que a migração das rádios AM para FM significará mais qualidade de transmissão com menos ruídos e interferências, permitindo às emissoras de rádio ampliar a audiência. “Sou fã de rádio. Cresci ouvindo radionovelas e por muito tempo testemunhei como o rádio foi o eixo da integração da cultura e da identidade nacional.”

No programa Café com a Presidenta desta segunda, Dilma recordou que, quando morou em Belo Horizonte, sua mãe e sua tia ouviam radionovelas transmitidas pela Rádio Nacional, como O Direito de Nascer. “ Eu gostava muito de escutar Jerônimo, o Herói do Sertão, e acompanhava as aventuras deste primeiro herói brasileiro do rádio. Outro programa do qual me lembro é o Repórter Esso, que dava as notícias do que estava acontecendo no Brasil e no mundo, e que meu pai gostava de ouvir todos os dias”, acrescentou.

Edição: Marcos Chagas

Fonte: Agência Brasil

Dilma seria reeleita no primeiro turno, segundo pesquisa Datafolha

Segundo pesquisa publicada hoje no Jornal Folha de São Paulo, realizada pelo Datafolha, nesta última sexta-feira(11), a presidente Dilma Rousseff estaria reeleita ainda no primeiro turno se a eleição fosse contra os dois candidatos mais prováveis: Aécio Neves do PSDB e Eduardo Campos do PSB.

O Datafolha fez 2.517 entrevistas em 154 municípios, e aponta uma margem de erro de 2 pontos para mais ou para menos.

Dilma Rousseff teria 42% das intenções de voto;

Aécio Neves, 21%;

Eduardo Campos,15%.

Brancos, nulos ou nenhum somam 16%.

Outros 7% não sabem em quem votar.

Onde está o eleitorado de cada um?

Até 2 salários mínimos: Dilma Rousseff, 50%; Aécio Neves 15%; Eduardo Campos 15%; Brancos, Nulos, Nenhum 13%; Não Sabe 7%

De 2 a 5 salários mínimos: Dilma Rousseff, 39%; Aécio Neves 24%; Eduardo Campos 13%; Brancos, Nulos, Nenhum 17%; Não Sabe 6%

De 5 a 10 salários mínimos: Dilma Rousseff, 33%; Aécio Neves 25%; Eduardo Campos 16%; Brancos, Nulos, Nenhum 20%; Não Sabe 7%

Mais de 10 salários mínimos: Dilma Rousseff, 28%; Aécio Neves 29%; Eduardo Campos 20%; Brancos, Nulos, Nenhum 18%; Não Sabe 4%

O data folha ainda fez outras simulações. Das 4 testadas, em 3 Dilma não venceria no primeiro turno. Disputando contra Maria Silva e José Serra, a situação seria a mais difícil possível. Dilma 37%, Mariana 28% e Serra 20%.

No início de agosto, a situação era essa: Dilma tinha 35%; Marina 26%; Aécio 13%; Eduardo Campos, 8%.

Como Marina Silva, filiou-se ao PSB, não tem como ela concorrer as eleições para 2014; no entanto não se sabe ainda onde essa aliança irá chegar, pois Marina poderá ser a candidata e Eduardo Campos, o vice dela, ou ainda em outro cenário, Eduardo Campos como presidente e Marina Silva como vice. Na verdade, tudo ainda está muito indefinido.

Dilma venceria também em todas as simulações de segundo turno. Contra Marina, ganha por 47% a 41%. Contra Serra, por 51% a 33%. Contra Aécio, 54% a 31%. Contra Eduardo Campos, 54% a 28%. Se bem que é verdade que em uma situação de segundo turno, seria uma nova eleição para quem tem 47% contra 41% em simulação, hoje, há um ano das eleições

Quando a pesquisa pergunta quem conhece os candidatos, vem uma surpresa:

Dilma Rousseff é conhecida de 99% dos brasileiros;

José Serra de 98%;

Marina Silva de 88%;

Aécio Neves de 78%

e Eduardo Campos por apenas 57%, ou seja, um desconhecido para metade da população brasileira, o que explica uma votação tão baixa. Resta saber se depois da TV, ele passará a ser conhecido para o bem ou para rejeição.

1

eleicao

 

PSB de Eduardo Campos, decide entregar cargos no governo

Numa decisão surpreendente, o PSB deve entregar nesta quarta-feira (18) os cargos que detém no governo Dilma Rousseff, inclusive os dos ministros Fernando Bezerra Coelho (Integração Nacional) e Leônidas Cristino (Secretaria de Portos).

A decisão deve ser anunciada em reunião na sede do partido na manhã desta quarta.

Na tarde desta terça, o presidente do partido, governador Eduardo Campos (PE), fechou uma rodada de conversas, inclusive com os dois ministros do partido.

“Não vamos ficar nesse balcão de cargos”, desabafou Campos, segundo relato de um parlamentar que presenciou uma das reuniões.

Nessas conversas, Campos disse que, mesmo sem cargos, vai ajudar o governo no que for necessário. “Para fazer o que for importante para o país, não precisamos de cargos”, disse o governador, segundo o mesmo parlamentar.

Nos últimos dias, integrantes do PT e do Palácio do Planalto pressionavam para que o PSB entregasse os cargos. A presidente Dilma Rousseff não escondeu sua irritação depois que Eduardo Campos reuniu-se recentemente com o senador Aécio Neves (PSDB-MG), em Recife, e fez críticas ao governo. Mas o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu reservadamente que este não era o momento de hostilizar Eduardo Campos.

Nesta quarta, apesar de sair do governo, o PSB deve adotar uma posição “respeitosa” a Lula e destacar a importância da Frente Popular, a aliança criada em 1989 na primeira eleição que o ex-presidente disputou.

Nas palavras de um integrante da comissão executiva do PSB, a decisão de entregar cargos dará “dignidade” ao partido e aos próprios ministros. “Fernando Bezerra e Leônidas Cristino estavam em uma situação delicada no governo”, afirmou ao Blog esse membro da executiva.

A mesma fonte ressaltou que o anúncio da decisão do partido ocorrerá em um dia simbólico, no qual o Supremo Tribunal Federal decidirá sobre os embargos infringentes, que, se aceitos, poderão levar a um novo julgamento de parte dos réus condenados.

“Jamais Eduardo Campos ficaria submisso ao governo por causa de cargos. Coragem e ousadia são características do governador”, disse.

Apesar de entregar os cargos, o PSB não anunciará Campos como candidato à Presidência da República em 2014. Mas o gesto é a primeira etapa concreta de consolidação da candidatura.

Foto: Imagem da internet

Foto: Imagem da internet

Fonte: http://g1.globo.com/platb/blog-do-camarotti/2013/09/17/psb-decide-entregar-cargos-no-governo/

Dilma Rousseff não ganharia eleições no primeiro turno hoje, diz pesquisa

Pesquisa de intenção de voto para as eleições presidenciais de 2014 divulgada nesta terça-feira (16) pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT) mostra que, no caso de uma possível candidatura, a presidente Dilma Rousseff (PT) tem 14,8% da intenção espontânea de voto, quando não são apresentadas opções de candidatos. Na pesquisa da CNT anterior, de junho, o percentual era 52,8%.

1

Em segundo lugar, os entrevistados citam o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (10,5%), seguido por Marina Silva (5,9%), Aécio Neves (4,9%), Eduardo Campos (1,4%), José Serra (1,2%) e Joaquim Barbosa (0,7%). Na pesquisa estimulada, quando são apresentados os nomes de possíveis candidatos, a presidente Dilma tem 33,4% da intenção de voto. Nesse cenário, Marina Silva tem 20,7% da intenção de voto, Aécio Neves, 15,2% e Eduardo Campos, 7,4%. Os que não sabem ou não responderam são 5,4% e brancos e nulos somam 17,9%.

Questionados se votariam na presidente Dilma no caso de candidatura em 2014, 20,5% escolheram a opção em que Dilma seria a única em quem votariam, 30,7% responderam que ela é uma candidata em quem poderiam votar e 44,7% escolheram a opção de que não votariam nela de jeito nenhum. Nesta edição da pesquisa foram entrevistadas 2.002 mil pessoas, em 134 municípios de 20 estados, entre os dias 7 e 10 de julho.

Fonte: Agência Brasil

Pernambuco: Presidente Dilma Rousseff cumpre agenda nesta segunda-feira

A presidente Dilma Roussef chega a Pernambuco nesta segunda-feira. Na agenda da petista, dois compromissos: um no município de Ipojuca, onde participa da solenidade de entrega do navio Zumbi dos Palmares,o outro será em São Lourenço da Mata, onde dará o pontapé inicial para inauguração da Arena Pernambuco, que vai sediar jogos da Copa das Confederações e da Copa do Mundo.

1

Foto: Internet

Dilma Rousseff esteve em Serra Talhada, no Sertão, no dia 23 de março para anunciar investimentos na área de recursos hídricos e de convivência com a seca. Na época, a visita dela gerou grande expectativa em razão do estremecimento com o governador Eduardo Campos (PSB), eventual candidato à Presidência da República em 2014. Apesar da solenidade oficial, o clima entre os dois não foi dos mais amistosos.

Agora, a nova agenda da presidente em Pernambuco acontece no momento em que especula-se que Eduardo teria desacelerado os compromissos fora do estado em busca de apoio político para o projeto 2014, porque estaria sofrendo pressão dos petistas, uma vez que o PSB continua na base governista.

Brasil: Ustra diz que Dilma integrou grupo terrorista para implantar comunismo

O coronel reformado Carlos Alberto Brilhante Ustra, que foi chefe de órgão de repressão política durante a ditadura militar, afirmou nesta sexta-feira (10) em depoimento à Comissão Nacional da Verdade (CNV) que a presidente Dilma Rousseff participou de organização terrorista com intenção de implantar o comunismo. Para Ustra, se os militares não tivessem lutado, o Brasil estaria sob “a ditadura do proletariado”.

A assessoria de imprensa da presidência disse que o Planalto ainda não tem conhecimento das declarações de Ustra. Informou ainda que o Planalto vai buscar o teor do depoimento e só então vai definir se haverá ou não um posicionamento.

Ustra foi o chefe do DOI-Codi, órgão de repressão política durante o regime militar, de 29 de setembro de 1970 e 23 de janeiro de 1974.

1

Carlos Alberto Brilhante Ustra, coronel reformado e ex-comandante do DOI-Codi-SP entre 1970 e 1974 (Foto: Sérgio Lima/Folhapress)
O coronel reformado Carl

“Todas as organizações terroristas, em todos os seus estatutos. Está lá escrito claramente que o objetivo final era a implantação de uma ditadura do proletariado, o comunismo – derrubar os militares e implantar o comunismo. Isso consta de todas as organizações”, afirmou.

“Inclusive nas quatro organizações terroristas que nossa presidenta da República participou. Ela participou de quatro organizações terroristas que tinham isso, de implantar o comunismo. Estávamos lutando pela democracia e estávamos lutando contra o comunismo. Se não fosse a nossa luta, se não tivéssemos lutado, eu não estaria aqui porque eu já teria ido para o ‘paredón’. Os senhores teriam um regime comunista, um regime como o de Fidel Castro [ex-presidente de Cuba]”, completou Ustra.

Nos anos 1960, a presidente Dilma Rousseff integrou as organizações clandestinas Política Operária (Polop), Comando de Libertação Nacional (Colina) e Vanguarda Armada Revolucionária Palmares (VAR-Palmares), dedicadas a combater a ditadura militar. Condenada por “subversão”, passou três anos presa no presídio Tiradentes, em São Paulo (entre 1970 e 1972). No final dos anos 1970, no Rio Grande do Sul, ajudou a fundar o PDT, de Leonel Brizola. Em 1990, filiou-se ao PT.

Ao chegar à audiência, antes das perguntas dos conselheiros, Ustra pediu para fazer uma declaração inicial. Em seguida, o conselheiro José Carlos Dias começou a fazer as perguntas. Apesar de ter conseguido autorização na justiça para permanecer calado, Ustra respondeu a alguns questionamentos.

Porém, indagado sobre o que eram os instrumentos de tortura pau de arara e cadeira do dragão e com que frequência eram utilizados contra os presos, Ustra respondeu: “Está tudo escrito no meu livro, não vou responder”.

“A titulo de cooperação, entreguei à Comissão da Verdade um livro com mais de 600 páginas onde detalho tudo, como era feitas as prisões, os inquéritos, tudo o que aconteceu. O meu depoimento que prestei está ali. Agi com consciência, agi com tranquilidade, nunca ocultei cadáver, nunca cometi assassinatos, sempre agi dentro da lei e da ordem. Nunca fui um assassino, graças a Deus nunca fui”, disse.

“Eu não vou me entregar. Eu lutei, lutei, lutei. Tudo o que eu tenho que declarar eu já disse, está no livro. Nesse momento, me asseguro o direito de me manter calado reforçando a decisão do juiz da 12ª  Vara de Justiça”, disse.

Antes de Ustra, o ex-servidor do DOI-Codi de São Paulo Marival Chaves Dias do Canto afirmou em depoimento à CNV, que, durante a gestão do ex-coronel, cadáveres de militantes mortos em centros clandestinos de tortura eram exibidos como “troféus” a agentes do órgão.

Ocultação de cadáver
Em abril, Ustra e o delegado aposentado Alcides Singillo, que atuou no Departamento de Ordem Política e Social de São Paulo (Deops-SP) foram denunciados pelo Ministério Público Federal em São Paulo (MPF–SP) por ocultação de cadáver na ditadura militar. De acordo com o MPF-SP, os restos mortais do estudante de medicina Hirohaki Torigoe, de 27 anos, estão desaparecidos desde 5 de janeiro de 1972.

De acordo com o MPF, a denúncia protocolada em abril é a terceira contra Ustra. As ações  anteriores tratavam de crimes de sequestro de militantes.

Fonte: http://g1.globo.com/politica/noticia/2013/05/ustra-diz-que-dilma-integrou-grupo-terrorista-para-implantar-comunismo.html

Ampliação do Brasil sem Miséria é fato histórico que superou prazos e metas

dilmaA presidente Dilma Rousseff disse hoje (25) que a ampliação do Programa Brasil sem Miséria é um fato histórico que superou prazos e metas. Com as mudanças, cerca de 2,5 milhões de brasileiros cadastrados no Bolsa Família vão receber complemento para ultrapassar a renda de R$ 70 por pessoa, considerado o patamar que supera a linha da extrema pobreza.

“Isso significa que viramos uma página, uma página decisiva de uma longa história de exclusão social e agora nós damos mais um passo para construir um Brasil sem miséria”, avaliou Dilma.

No programa semanal Café com a Presidenta, ela lembrou que, desde o ano passado, famílias com crianças de até 15 anos já tinham direito ao benefício de R$ 70 por pessoa. “O enorme sucesso do Brasil Carinhoso nos mostrou o caminho: que era possível e que podíamos avançar ainda mais e garantir a todas as famílias brasileiras que recebem o Bolsa Família uma renda de pelo menos R$ 70 por pessoa, tirando-as da chamada pobreza extrema”, lembrou.

O próximo passo, segundo Dilma, é localizar pessoas que vivem na extrema pobreza e que ainda estão fora do cadastro único. A estimativa do governo federal é que 700 mil famílias vivam nesta situação e não recebam benefício algum. “Vencemos a pobreza extrema visível e agora vamos atrás da pobreza extrema invisível, aquela que teima em fugir dos nossos olhos e dos nossos programas sociais”, destacou.

“Contamos com a valiosa parceria das prefeituras e dos estados para percorrer as periferias das grandes cidades, as comunidades ribeirinhas e extrativistas lá na Amazônia, procurar no Semiárido do Nordeste e, no Nordeste em geral, nas áreas rurais e em todos os cantos desse enorme país, identificando as pessoas em situação de extrema pobreza e dando a elas o acesso a todas as ações do Brasil sem Miséria”, completou.

Agência Brasil

Dilma começa 2013 com desafios na economia, infraestrutura e área social

A presidente Dilma Rousseff completou metade de seu mandato com 78% de popularidade, mas começa 2013 com o desafio de conter a desaceleração da economia, pôr em prática o pacote de melhorias na infraestrutura e logística, além de ampliar o alcance dos programas sociais para tirar cerca de 6 milhões de brasileiros da extrema pobreza.

Em 2012, o Brasil atingiu o menor índice de desemprego da história (1,7 milhão de postos de trabalho gerados até outubro) e cerca de 4 milhões desde o começo do governo Dilma. O fortalecimento do emprego e do mercado interno deverá ser mantido como estratégia do governo para continuar a enfrentar a crise econômica em 2013. Depois do crescimento de 2,7% em 2011,  a economia brasileira deve alcançar apenas 1% em 2012.

Ao longo do ano, a área econômica apostou em medidas de desoneração, tanto para o setor produtivo quanto para os consumidores, como a redução do Imposto sobre ProdutosIndustrializados (IPI), prorrogada mais de uma vez.

Na área de infraestrutura, no segundo semestre Dilma lançou um pacote de concessões para o setor de logística – com investimentos de R$ 133 bilhões em 15,7 mil quilômetros de rodovias e ferrovias,  para o setor elétrico – que vão resultar na redução de tarifas de enrgia para os consumidores. Também foram divulgadas medidas para a modernização de portos e aeroportos.

Além do pacote de concessões, em 2012, segundo números do governo, 38,5% das obras e ações de grande complexidade da segunda etapa do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2) foram concluídas, com R$ 272,7 bilhões executados até agora. No entanto, obras importante para o país, como as dos estádios para a Copa da Confederações e Copa do Mundo não foram concluídas no tempo previsto.

No combate à pobreza –  principal meta de seu governo, segundo palavras da própria presidente – os números foram positivos em 2102, mas ainda restam 3,4% da população do país na extrema pobreza, cerca de R$ 6,5 milhões de brasileiros. Estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), lançado no fim de dezembro, mostrou que a criação do Programa Brasil Carinhoso, um braço do Brasil sem Miséria voltado a crianças de até seis anos, alcançou bons resultados na retirada de brasileiros da faixa de extrema pobreza, principalmente nessa faixa etária.

O desafio da presidente na área social para a próxima metade de seu mandato será manter o ritmo de ações e conseguir atingir todas as famílias em situação de vulnerabilidade social. Segundo o Ipea, se o Brasil Carinhoso tivesse sido implementado em 2011, a taxa de pobreza extrema poderia ter caído para 0,8% da população, muito abaixo dos 3,4% calculado pelo instituto.

No Congresso Nacional, depois de 2012 com relação delicada e pelo menos uma grande derrota, a primeira tarefa do governo será aprovar o Orçamento de 2013, que não foi votado no fim de dezembro e só irá a plenário dia 5 de fevereiro.

O clima político tenso em alguns momentos – com a abertura da comissão parlamentar mista de inquérito (CPMI) para investigar as relações do bicheiro Carlinhos Cachoeira e as convocações de ministros para depor em comissões – não chegou a prejudicar consideravelmente as votações de interesse do governo.

Na lista de projetos que passaram pelo Congresso, estão medidas provisórias como a que criou a Empresa de Planejamento e Logística (EPL) e a que que tratou da renovação das concessões de empresas do setor elétrico e da redução em 20% na conta de luz, além dos os projetos de reajuste salarial do funcionalismo público federal, da distribuição dos royalties do petróleo, a Lei Geral da Copa, a reserva de cotas sociais e raciais nas universidades públicas e a extensão do Regime Diferenciado de Contratações (RDC) para as obras do Programa de Aceleração do Crescimento e para a área da saúde.

A grande derrota foi o Código Florestal, que dividiu a base aliada e foi aprovado conforme interesses da bancada ruralista , contrariando a proposta defendida pelo Executivo e flexibilizando a legislação ambiental brasileira.

Fonte: transcrição do site http://agenciabrasil.ebc.com.br, acesso dia 03/01/2013.