Náutico: Em mais um jogo fraco tecnicamente, timbu empata sem gols contra o Santa

Júlio César foi o destaque do time alvirrubro ao defender pênalti no segundo tempo. Foto: Marlon Costa/FPF

Júlio César foi  destaque do time alvirrubro ao defender pênalti. Foto: Marlon Costa/FPF

Pressionado e precisando da vitória para voltar a figurar no grupo dos quatro melhores classificados, o Náutico não conseguiu superar o Santa Cruz na tarde do domingo (01), e acabou ficando no 0×0 contra a equipe coral, com destaque para o goleiro Júlio César que defendeu uma penalidade máxima cobrada pelo atacante tricolor Betinho na etapa complementar.

A expectativa era que as duas equipes apresentassem um melhor futebol referente ao primeiro confronto na última quarta-feira (25), quando o Santa venceu o Náutico de virada por 2×1, mas o que se viu, mais uma vez, foi um futebol fraco apresentado pelas duas equipes.

No primeiro tempo, o ataque do Náutico praticamente inexistiu, chegando uma única vez com relativo perigo a meta do arqueiro coral Fred com Renato que cruzou para a grande área, mas a zaga do Santa afastou o perigo.

No segundo tempo o clube coral voltou mais organizado e foi criando oportunidades atrás de oportunidades, até que teve a grande chance do jogo aos sete minutos quando o lateral direito Moisés foi derrubado dentro da grande área: pênalti. Betinho foi para a cobrança e o goleiro Júlio César defendeu, garantindo o 0×0 no placar.

Aos poucos o Náutico acordou e criou duas boas oportunidades, aos 18 minutos Bruno Alves cruzava com perigo, o zagueiro Danny Morais afastava, mas a bola passou rente a trave direita do goleiro Fred, e aos 38, em defesa arrojada onde foi preciso pegar a bola nos pés do atacante Josimar, o arqueiro tricolor impedia o gol do adversário. Final de jogo: Santa Cruz 0×0 Náutico.

O time alvirrubro que se prepara agora para a Copa do Nordeste, onde na quinta-feira (05), recebe O Piauí-PI, às 21h50, na Arena Pernambuco.

Público presente no clássico: 14.714 Renda: R$ 379.735

TV Replay, o que é bom se repete!

Náutico: Volante encara com naturalidade a pressão sofrida

João Ananias diz que as cobranças por resultados são normais

João Ananias diz que as cobranças da diretoria e torcedores por resultados são normais

Fora da zona de classificação a próxima fase do campeonato pernambucano, perdeu os dois clássicos disputados esse ano no certame estadual; só isso já são ingredientes para cobranças, e mais cobranças, por parte da diretoria e torcida alvirrubra.

Não se classificar a fase final do campeonato pernambucano pode acarretar muitos prejuízos ao clube, financeiros principalmente. Ficaria de fora da Copa do Nordeste de 2015, e ficaria arriscado de não participar da Copa do Brasil do ano que vem também, situação vivida pelo co-irmão Santa Cruz nesse ano que está esbarrando nessas dificuldades.

“Quando o time não está ganhando, existe essa pressão por parte do treinador, da diretoria, dos torcedores, mas somos sabedores do que precisamos fazer. Temos que mudar a postura, ter posse de bola, ter mais vontade para vencer o Santa Cruz no domingo”, falou o tranquilo João Ananias.

Sobre o técnico Moacir Júnior, e a possibilidade da demissão do treinador caso não consiga um resultado positivo diante do Santa Cruz no domingo (01), João comentou:

TV Replay, o que é bom se repete!

Náutico: De virada, timbu perde para o Santa Cruz e sai da zona de classificação

Apesar do placar, o clássico foi fraco tecnicamente. Crédito: Marlon Costa/FPF)

Em jogo marcado por polêmica, equipe alvirrubra perde segundo clássico no ano.                                                                         (Crédito: Marlon Costa/FPF)

Com um futebol abaixo do esperado o Náutico amargou na noite da quarta-feira (25), a sua segunda derrota em clássicos desse ano. Dessa vez perdeu para o Santa Cruz, de virada, pelo placar de 2×1. Para o Náutico marcou o atacante Renato, e para os tricolores o zagueiro Alemão e o atacante Betinho.

Tecnicamente não há muito o que comentar. O futebol das duas equipes ficou muito aquém de um futebol que o clássico do tamanho de Náutico e Santa Cruz merecem.

Com vários erros de trocas de passes, o time alvirrubro parecia nervoso dentro de campo, e contou com a sorte quando um chute despretensioso do atacante Waldson do Santa, acertava a trave esquerda do goleiro Júlio César.

O gol do Náutico saiu aos 34 minutos do primeiro tempo, quando Fillipe Soutto encontrou Renato na marca do pênalti, com o atacante alvirrubro marcando o primeiro gol da noite. Só que oito minutos depois, o Santa empatava a partida, após saída errada do goleiro Júlio César, que não afastou totalmente a bola da grande área, Guilherme Biteco pegou a bola e cruzou para Alemão estufar as redes. Final do primeiro tempo: 1×1.

Já na etapa complementar os dois times seguiram perdendo boas oportunidades, Renato perdeu um gol incrível, onde o goleiro Fred já estava totalmente fora do lance, a ansiedade do jogador alvirrubro atrapalhou, e ele chutou pra fora.

O castigo veio aos 42 minutos, num lance que gera polêmica, pois houve falta de Emerson Santos do Santa no jogador do Náutico David, mas o juiz da partida, Gilberto Castro Júnior não marcou, Renatinho cruzou e Betinho virou a partida dando números finais ao jogo: Náutico 1×2 Santa Cruz.

Com esse resultado, o timbu caiu pra quinta colocação com cinco pontos, um a menos que o Santa Cruz, e nesse momento estaria fora da semifinal do pernambucano. O próximo compromisso do Náutico será contra o mesmo Santa Cruz, no domingo (01), também na Arena Pernambuco.

TV Replay, o que é bom se repete!

NÁUTICO: Moacir Júnior escondendo o jogo para o clássico

Treinador realiza treino secreto e não revela time para o clássico diante do Santa Cruz

Treinador realiza treino secreto e não revela time para o clássico diante do Santa Cruz

A sete chaves! É assim que está sendo mantida a escalação do time do Náutico para o confronto dessa quarta-feira (25), no clássico contra o Santa Cruz, às 22hs, na Arena Pernambuco, pela quinta rodada do hexagonal do título, do campeonato pernambucano.

O time alvirrubro está na terceira colocação com cinco pontos, enquanto o tricolor do arruda está na lanterna com apenas três. Diante desse cenário, o técnico Moacir Júnior sabe da importância de um resultado positivo, pois uma derrota, dependendo da combinação de alguns resultados, poderia deixar o time fora dos quatro melhores classificados.

Tanta precaução talvez tenha sido o principal motivo para realização de um treino de portões fechados, onde a imprensa só esteve autorizada a estar no local para as coletivas, e depois foi convidada a deixar o CT Wilson Campos.

“Na verdade é um jogo de 180 minutos, mais os acréscimos. Temos que encarar com muita responsabilidade, com muita intensidade, vamos fazer cada minuto desse 180 o melhor, porque sabemos que ao final desse tempo podemos estar muito bem perto da classificação”, disse Moacir.

Quando perguntado quem estava mais pressionado, Náutico ou Santa Cruz, ele foi categórico:

Sobre o provável time: Júlio César. David, Elivelton (Diego), Flávio e Gáston. João Ananias, Fillipe Soutto, Bruno Alves e Patrick Vieira. Renato (João Paulo) e Josimar.

TV Replay, o que é bom se repete!

Pernambucano 2014: Central goleia o Porto e entra no G4

Vitória por 5 a 0 sobre o Gavião deixou a patativa com 12 pontos, dependendo das próprias forças para avançar ás semifinais do Campeonato Pernambucano 2014

Porto-PE e Central duelaram pela última vez no Campeonato Pernambucano de 2014. No confronto válido pela 9ª rodada do hexagonal do título, a Patativa venceu o rival de goleada, no Estádio Lacerdão, por 4 a 0. Com o resultado a equipe centralina conseguiu voltar à zona de classificação ocupando a 4ª colocação, com 12 pontos conquistados.

O Gavião do Agreste continua sem vencer um Clássico Matuto há três anos. No Pernambucano 2014, o tricolor caruaruense obteve três derrotas e um empate contra o time alvinegro. Nesta segunda fase o time sofreu duas derrotas.

26-03-2014.Still001

O Central encara pela última rodada a equipe do Santa Cruz, no Estádio Lacerdão, às 16h. O time alvinegro depende apenas das próprias forças e só precisa de uma vitória contra a Cobra Coral para se garantir nas semifinais da competição. O já eliminado Porto-PE enfrenta o Salgueiro pela última rodada do hexagonal, no Estádio Otávio Limeira Alves, às 16h do próximo domingo.

Vitória garantida pelo Central no primeiro tempo.

Bastou a bola rolar no Estádio Lacerdão para a Patativa tomar a iniciativa de abrir o placar. Depois de duas tentativas do time da casa, veio o prêmio aos 24 minutos em uma cobrança de falta perfeita de Danilo Pires. A bola passou por cima da barreira e foi morrer no fundo das redes.

O Gavião do Agreste sentiu o golpe e o alvinegro aproveitou as oportunidades que foram criadas. Aos 27 minutos o goleiro do Porto-PE, Tiago Régis, cortou mal a bola que ficou de graça para os centralinos. Erivelton recebeu depois da confusão e mandou no alto, sem chances de defesa. Central 2 a 0.

E quem pensou que a equipe centralina iria começar apenas a tocar bola para passar o tempo, se enganou. O time da casa foi pra cima e marcou o terceiro gol. Danilo Lins recebeu um belo cruzamento e só cumprimentou a bola para as redes. Fazendo 3 a 0 para o Central.

2ª tempo

Na volta para a segunda etapa, o time centralino manteve o ritmo forte e chegou logo ao quarto gol. Aos 19 minutos depois de uma boa troca de passes, a bola parou no pé de Jailton que estufou as redes. Danilo Lins ainda marcou o quinto gol. Em uma boa cobrança de pênalti, bola num canto goleiro no outro. Aí sim, o time alvinegro começou a tocar bola e administrar o resultado. Placar final: Porto-PE 0, Central 5.

Brasileirão – Série D: Ypiranga vence o clássico da sulanca de virada

Em jogo válido pela 6ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série D, no Grupo A3, Ypiranga recebeu a Patativa, no Otávio Limeira Alves em Santa Cruz do Capibaribe/PE, e venceu o jogo por 2 x 1.

A equipe do Central saiu na frente após a falha da zaga da maquina de custura. Mas a Pataitiva não estava bem, e o Ypiranga empatou ainda no 1º tempo. E no início do 2º tempo passou a frente do marcador, com ajuda do zagueiro do Central que empurrou pra dentro.

Central perdeu a 2ª colocação para o Ypiranga que agora tem 7 pontos. A Patativa segue em 3º, com 6 pontos, e recebe o Guarany de Sobral/CE no Lacerdão, no próximo Domingo (4).

 

Técnico coral espera, pelo menos, 40 mil torcedores na partida contra o Salgueiro

Na hora de convocar a torcida para apoiar o time em momentos decisivos, o técnico Zé Teodoro não pensa duas vezes. E para o embate contra o Salgueiro, às 20h30, desta quinta-feira, o treinador fez questão de cobrar a presença dos torcedores para lotar o Arruda. De acordo com o comandante, a expectativa é de que o público supere o do jogo da seleção brasileira no amistoso contra a China, na última segunda.

A convocação para a torcida tem dois motivos. Um deles é por conta da arrecadação do clube, que depende em boa parte dos públicos nos jogos no Arruda. Apesar do momento financeiro delicado, Zé Teodoro garantiu que o grupo está focado nos objetivos do campeonato. Para o técnico, o momento é de superação no Santa Cruz.

Com Fabrício Ceará impedido de atuar por questões contratuais, Paulista será titular hoje

A oportunidade apareceu e o atacante Paulista quer fazer de tudo para não deixá-la passar. Confirmado por Zé Teodoro na equipe titular do Santa Cruz contra o Salgueiro, nesta quinta-feira, no Arruda, o jogador terá pela primeira vez nesta Série C a chance de estar entre os onze e comentou que o esforço agora é para não sair mais.

Disposto a realizar uma função de mais movimentação, pedido do próprio treinador Zé Teodoro, o atacante confirmou que seu propósito é se doar pela equipe nas quatro linhas. E, por ser adepto do discurso de que “jogo bom é jogo ganho”, ele confirmou que a preocupação da equipe será com os três pontos.

Sobre a necessidade de vencer o Salgueiro dentro de casa para se firmar no G-4, o jogador despachou qualquer tipo de pressão no elenco. Para ele, vale mais a cobrança dos próprios jogadores.

Santa Cruz e Salgueiro se enfrentam hoje no Arruda

Duas torcidas fiéis, sempre presentes no estádio, reencontros frequentes, jogos decisivos, polêmicas e rivalidade em campo, são algumas coisas que definem um clássico. Requisitos que Santa Cruz x Salgueiro vem preenchendo nas últimas temporadas. Hoje à noite, os dois clubes se enfrentam pela sexta vez no ano. Será no Arruda, às 20h30. Uma partida decisiva, que vale o sono tranquilo no G4 do Grupo A da Série C.

No caso do Santa, o empate é suficiente até mesmo para ultrapassar o Paysandu, terceiro colocado. Mas incorrerá em blasfêmia o tricolor definir como bom resultado a conquista de apenas um ponto na noite de hoje. Com uma campanha decepcionante fora de casa, sem uma vitória sequer, o time só está no G4 por conta dos resultados no Arruda. Que, observando bem, deixam a desejar. São três vitórias e dois empates. Na matemática coral, quatro pontos perdidos.

Vencer, portanto, é uma obrigação para o Santa Cruz. Que entrará em campo com uma novidade no ataque. Sem contar com Fabrício Ceará, jogador vinculado ao Salgueiro e impedido de atuar por cláusula contratual, o técnico Zé Teodoro escolheu Paulista para formar dupla com Dênis Marques. E confirmou a escalação. Adepto das surpresas nos clássicos e impossibilitado de realizar treinos secretos durante a semana, a escolha pode ter sido uma estratégia de Zé. A entrada de Flávio Caça-Rato com a camisa 11 não deve ser descartada.

Nas outras posições, não há mistério. A única possível dúvida foi dissipada antes mesmo do treino de ontem. Na mesma entrevista que anunciou Paulista no ataque, o treinador confirmou a escalação de Memo, poupado do treino da terça-feira porque estava com sintomas de virose. Sem Chicão, suspenso por acumular três cartões amarelos, Zé Teodoro optou por Sandro Manoel. E vai promover o retorno do meia Leozinho, recuperado de contusão.

Atacante Gilsinho conhece bem Waldemar Lemos e pode começar pela primeira vez como titular com a camisa rubro-negra no domingo

Cotado para assumir a titularidade no Sport, o atacante Gilsinho espera fazer da velocidade uma arma para convencer o técnico Waldemar Lemos, de que pode ser a solução para o setor, que não marca gols há seis rodadas.

Acostumado ao estilo de Waldemar Lemos, com quem já trabalhou em 2007, quando defendia o Paulista de Jundiaí, o atacante elogiou a postura do treinador. Mas não acredita que será beneficiado por já ter sido comandado por ele.

Mesmo sem garantir a sua entrada entre os titulares, Gilsinho acredita que o Sport tentará usufruir da velocidade para surpreender o Náutico. Para Gilsinho, o fato de Waldemar Lemos ter passado muito tempo no comando técnico do Náutico também poderá ser utilizado pelo Sport.

Separados por agosto: Com três vitórias e um empate no mês, Náutico se distanciou na classificação do Sport, que perdeu os cinco duelos

O mês de agosto reservou momentos distintos para Náutico e Sport. Enquanto o Timbu atingiu seu melhor momento na Série A, o Leão não poderia ter alcançado um desempenho pior. Os caminhos foram inversos. O Alvirrubro subiu na tabela, se distanciando do rival, que só fez cair, até chegar à zona de rebaixamento. No domingo, as equipes se enfrentarão. Se cruzam num momento chave da competição. O Náutico tenta se consolidar. O Sport, se recuperar. Pontos valiosíssimos no fechamento do primeiro turno da Série A.

O início da caminhada foi titubeante. Com um elenco em formação, o Náutico oscilou bastante. Em agosto, enfim, encontrou o tão perseguido equilíbrio. A vitória sobre o Santos por 3 a 0 abriu os caminhos. O empate em 0 a 0 diante do Internacional, no Beira-Rio, mostrou que estava no rumo certo. Mas a derrota para o Flamengo logo em seguida foi um alerta: erros são fatais na Série A.

O Náutico aprendeu a lição. E depois dali usou a sua principal arma neste campeonato, os Aflitos. Em casa, atingiu o ápice com uma vitória diante do São Paulo: 3 a 0 incontestável. No jogo seguinte, contra o Bahia, porém, o time atuou com cinco desfalques. E sentiu as ausências. Mas não deixou de lutar. Foi recompensada por isso com uma vitória aos 42 minutos do segundo tempo.

Para os rubro-negros, o mês de agosto agravou consideravelmente a crise que já rondava a Ilha do Retiro. O Leão, que já vinha de uma sequência de quatro partidas sem vencer, entrou em campo cinco vezes, alcançando a “façanha” de não conseguir ponto algum. Pressionado, o então técnico Vágner Mancini testou várias formações, mas o time não respondeu e o treinador perdeu o emprego.

Na Ilha do Retiro ou longe dela, o Sport até conseguiu fazer frente a adversários complicados, mas sofreu com as falhas de seus sistemas defensivo e ofensivo. A chegada de Waldemar Lemos trouxe uma tênue esperança de que agosto possa terminar de maneira diferente para o Leão. Restam os confrontos com o Náutico e com o Flamengo.

Willian Rocha é mais um a pedir casa cheia

Normalmente, para um jogador se tornar ídolo de uma torcida em um clube de futebol, é necessário no mínimo que ele tenha conquistado alguns títulos e tenha um bom número de jogos realizados. No Sport, um jogador está fora dessa regra. O zagueiro e lateral-esquerdo Willian Rocha só realizou quatro jogos com a camisa rubro-negra, mas já pode se considerar um dos atletas do atual elenco com mais identificação com a torcida.

Logo em sua estreia, ainda no Campeonato Pernambucano, Rocha foi um dos destaques do Sport e marcou um gol na vitória sobre o Ypiranga. No jogo seguinte, contra o Náutico, ele voltou a marcar e a jogar bem. Tudo se encaminhava na mais perfeita ordem até que, contra o Salgueiro, ele rompeu os ligamentos cruzados do joelho esquerdo e teve que passar seis meses afastado dos gramados.

Apesar da ausência, Willian Rocha nunca foi esquecido pela nação rubro-negra. No último sábado, diante do Fluminense, ele voltou a jogar e a defender as cores do Sport com muita garra. Nas redes sociais, os rubro-negros elogiaram o retorno do camisa 36 e contam com ele no clássico do próximo domingo, contra o Náutico.

Ao mesmo tempo, Willian Rocha também afirmou contar e muito com o torcedor rubro-negro no clássico do próximo domingo. Em entrevista coletiva concedida nesta quarta-feira, ele afirmou que não quer ver um lugar vazio sequer do lado da torcida do Sport na Ilha do Retiro.

“O torcedor é fundamental para o nosso time. Precisamos deles mais do que nunca neste momento que vivemos. Foi importante ver no início da semana o apoio deles nos treinos. Isso nos deixou ainda mais motivados. No domingo, a Ilha do REtiro tem que estar lotada para que o espírito guerreiro do Leão possa falar mais alto”, comentou ele.

Cicinho elogia trabalho de Waldemar

Um dos jogadores mais experientes do Sport e com passagens por grandes clubes do futebol mundial como Roma e Real Madrid, o lateral-direito Cicinho está enfrentando uma experiência nova na Ilha do Retiro. Desde a chegada do técnico Waldemar Lemos, alguns treinos diferentes estão sendo realizados. E todos aprovados pelos atletas.

“Nós estamos envolvidos nesse trabalho do Waldemar. Quando o atleta não procura saber o motivo daquela atividade acaba fazendo só por fazer e não é isso que está acontecendo aqui. Vocês podem ver que todos nós estamos envolvidos, ninguém reclama e todo mundo sabe que o trabalho tem o seu valor porque ele é estudado”, comenta o lateral-direito Cicinho.

Entre as novidades apresentadas pelo técnico Waldemar Lemos estão as cambalhotas no meio das atividades. Para Cicinho, isso pode ajudar em jogo. “Nunca tinha treinando assim, mas isso ajuda. É como se você tivesse tomado uma trombada sem esperar e com esse trabalho você passa a ter o discernimento mais rápido de onde está e de onde está a bola. É bem legal”, disse ele.

Mesmo ainda sem saber se será titular diante do Náutico, no próximo domingo, Cicinho se disse ansioso e animado para o clássico. No entanto, garante que o campeonato não será decidido nesta partida. “Não podemos pensar apenas no clássico. O campeonato é longo e não adianta ir bem no clássico e cair de rendimento nos outros jogos”, disse Cicinho, que garantiu ser pé quente em clássicos.

“Na minha carreira eu ganhei mais do que perdi. No São Paulo, por exemplo, passamos dois anos sem perder um clássico sequer. Também tive um bom retrospecto na Roma e nunca perdi para o Barcelona jogando pelo Real Madrid. Espero manter esse retrospecto apesar de saber que será um jogo muito difícil e complicado”, disse o camisa 12 do Leão.

Rubro-negros confiam na força da Ilha do Retiro para superar o Náutico

Após duas derrotas, contra Botafogo e Fluminense, durante sua “mini-excursão” no Rio de Janeiro, o Sport retorna à Ilha do Retiro, no próximo domingo, para enfrentar o Náutico e tentar interromper uma sequência de nove jogos sem vitórias. Se o momento do clube, que ocupa a zona de rebaixamento, poderia desmotivar o elenco, o histórico contra o Timbu anima o grupo.

Sem perder para o rival, na Ilha do Retiro, há oito anos, os atletas do Sport acreditam que o fato de jogar ao lado de sua torcida será determinante para que o Rubro-negro reencontre o bom futebol. Embora tenha reafirmado a fase do Timbu, Cicinho chamou a responsabilidade e colocou o Sport como favorito, diferentemente de Moacir, que havia classificado o adversário como favorito.

Determinado a tirar o Sport da zona de rebaixamento, o zagueiro Willian Rocha relembrou uma das celebres frases do ex-técnico leonino, Mazola Júnior, ao comentar qual será o espirito do elenco para a partida do próximo domingo.

Waldemar quer a Ilha lotada no domingo

“Queria dizer para vocês que vi com o presidente a possibilidade de se ter uma redução no preço dos ingresso para que a gente possa contar com a torcida em campo no domingo. Esse jogo pode ser um grande passo para a frente. Está havendo um esforço e um empenho muito grande aqui conforme eu sempre falei. Achei o grupo excelente. Maravilhoso de trabalhar. Ninguém esta recuando e por isso pedi ao presidente essa redução nos ingressos. Estamos precisando do apoio da torcida. Precisamos ter um comportamento de acreditar sempre em quem veste a camisa do Sport. Temos que acreditar a qualquer preço porque existe um trabalho aqui. Essa fé e essa crença é porque está acontecendo alguma coisa de verdade e nós temos condições de reverter esse quadro. Estou otimista para esta partida contra o Náutico. Precisamos da participação da torcida. Que ela venha nos apoiar. Agradeço desde já a colaboração”, disse Waldemar Lemos.

Lateral rubro-negro acredita que o momento do adversário é absolutamente favorável para o confronto do domingo

Com a má fase vivida pelo Sport, que não vence há nove rodadas, o lateral-direito Moacir não titubeou ao ser questionado sobre quem é o favorito para o clássico contra o Náutico, no próximo domingo, na Ilha do Retiro.

Chateado com a colocação do Sport na tabela de classificação, Moacir afirmou que os jogadores precisam conquistar uma vitória contra o Timbu, para que a paz volte ao Leão da Ilha.

Contudo, se o momento no Campeonato Brasileiro é favorável ao Timbu, o Leão leva uma larga vantagem nos últimos confrontos na Ilha do Retiro. Dentro dos seus domínios, o Sport não perde para o adversário desde 2004, quando foi derrotado por 3 a 1. O panorama agradou Moacir, que espera manter a escrita no próximo domingo.

Sport x Naútico – Ingressos à venda

A partir da próxima quinta-feira (23/08/12), os torcedores poderão comprar os ingressos para o Clássico dos Clássicos. O jogo encerrará o primeiro turno do Brasileirão para os times pernambucanos. O Leão e o Timbu se encontram no domingo, às 18h30m, na Ilha do Retiro.

Valores

Meia entrada, sócio e meia-entrada (visitante) – R$ 20,00
Arquibancada, assento especial (sócio) e arquibancada (visitante) – R$ 40,00
Cadeira sócio, cadeira ampliação e assento especial (não-sócio) – R$ 60,00
Cadeira (não-sócio) – R$ 80,00

Dirigente do Sport prevê mais contratações para o Brasileirão

A contratação de Waldemar Lemos não deverá ser a única medida da diretoria do Sport para aliviar a crise que o clube enfrenta. Após duas rodadas ocupando a zona de rebaixamento, os dirigentes se mobilizam para reforçar o elenco.

O dirigente ressaltou as dificuldades que o Sport irá encontrar para conseguir encontrar atletas que possam qualificar o elenco.

Incomodado com o momento vivido pelo Sport, Cícero acredita que o clássico contra o Náutico, no próximo domingo, na Ilha do Retiro, poderá servir para melhorar os ares no clube. Os times se enfrentam a partir das 18h30m.

Weslley confiante na vitória

O Santa Cruz que ocupa a quarta posição, segue pensando numa sequência de vitórias para embalar de vez na competição. O próximo adversário será o Paysandu, onde deverá ser um jogo muito disputado, já que as duas equipes brigam pelas primeiras posições do grupo A.

Para o meia Weslley o Santa Cruz tem oportunidade de chegar a ponta da tabela, pois esse jogo é um confronto direto.

O Santa Cruz precisa resolver a partida logo no início para evitar grande pressão, já que esse jogo é encarado como um clássico pelo porte das duas equipes. Mais uma vitória na série C serviria de motivação para toda a equipe.

Gideão fora do gol

Após perder a vaga de titular no gol do Náutico, Gideão tenta correr por fora para não ficar de fora. Atleta diz que entende a posição do técnico, mas que queria estar no time.

Ídolo do alvirrubro no ano passado, o goleiro ficou surpreso com a definição da equipe técnica. Mas como bom profissional, vai esperar sua oportunidade e mostrar que tem valor para ser o camisa um do Náutico.

Segundo o técnico Gallo, sua opção por Felipe, foi porque para ele: “Gideão é uma pérola bruta, que precisa ser trabalhada, principalmente na reposição e na saída de bola”.

Vamos aguardar para ver o que vai dar.