Cachoeirinha-PE: Forró de Verdade também é na Seladrilha

Com a chegada dos festejos juninos, os donos de selarias e artesãos, uma vez que Cachoeirinha é conhecida por ser a cidade do couro e aço, se uniram para comemorar a chegada deste período em clima de muito forró.

A SELADRILHA, drilha formada por estes, aconteceu na noite desta sexta-feira (06), na Rua Siqueira Campos, conhecida por rua das Selarias, onde com blusas personalizadas do evento, todos dançaram ao som de reboques e a participação da Banda da cidade, Forró de Verdade que fez o povo arrastar o pé.

DSC_0053 DSC_0051 DSC_0050 DSC_0049 DSC_0044 DSC_0045 DSC_0046 DSC_0047 DSC_0048 DSC_0042 DSC_0041 DSC_0040 DSC_0039 DSC_0038 DSC_0037 DSC_0036 DSC_0035 DSC_0034 DSC_0033 DSC_0028 DSC_0029 DSC_0030 DSC_0031 DSC_0032 DSC_0018 DSC_0020 DSC_0019 DSC_0021 DSC_0022 DSC_0023 DSC_0024 DSC_0025 DSC_0026 DSC_0027 DSC_0009 DSC_0010 DSC_0011 DSC_0012

DSC_0052

É forró nos quatro cantos do nordeste, e a cidade do couro e aço já está em clima de São João e copa do mundo!!!

TV Replay, vem forrozar com a gente!

 

Video exposição fotográfica de Cachoeirinha celebra cinquentenário de emancipação

A exposição em Cachoeirinha conta, por meio de fotos, vídeos e palestras, a história da cidade que este ano comemora 50 anos de emancipação política. A exposição ficará até o dia 1° de julho com os seguintes horários de visitação: segunda à sábado – 08h às 12h e das 14h às 22h, e aos domingos das 14h às 18h.

Projeto de própria particularidade, o idealizador e organizador Miguel Simões de Almeida há sete anos vem colhendo material para por em prática o seu projeto. Em parceria com a Secretaria de Cultura, comerciantes locais e a população em geral, o Sr. Miguel Simões conseguiu montar um acervo com 500 fotografias e vídeos. Confira a entrevista.

1ª) Qual a importância dos cidadãos cachoeirinhenses deve ter ao conhecer esses 50 anos de história da nossa cidade?

A importância para os visitantes e moradores de nossa cidade é trazer a memória tudo que se foi preservado, homenageando as pessoas que fizeram por cachoeirinha e contribuíram para que hoje tudo isto pudesse ser lembrado.

2ª) Nesses 50 anos que a exposição representa, o que a cidade alcançou?

Se partirmos dos relatos retratados pelos antigos moradores que fizeram parte dessa história, muita coisa foi mudada, evidente que muita coisa pra melhor, isso é fato, porém, algumas coisas ficaram esquecidas, pois, Cachoeirinha não só deve ser lembrada por ser a cidade do couro e aço, queijo e carne do sol, mas também lembrar que já existiu em nossa cidade obras que hoje poderiam ter se tornado patrimônio cultural da cidade, como: o antigo cruzeiro, o centro social, o clube Rio Una, que infelizmente, só poderão ser vistos através da nossa exposição, pois, as mesmas ou não existem mais ou foram modificadas pelo tempo e pela falta de interesse de nós mesmos.

3ª) O que esperas de Cachoeirinha para o futuro com o conhecimento do passado?

Trazer a tona principalmente para os jovens à simplicidade, o respeito e a história viva de personalidades políticas, religiosas, cívicas que fizeram de nossa cachoeirinha o que ela é hoje, fixando uma história de vida que viesse nos trazer reflexão.

      

Visitem e revivam essa história :)