Caruaru-PE: Polícia Civil apresenta resultado da Operação Ponto Final 2

A Polícia Civil de Pernambuco, apresentou em coletiva de imprensa, através do delegado Erick Lessa a conclusão do inquérito da Operação Ponto Final 2. Segundo o chefe do inquérito, existia a tentativa de criar a CPI da CGU para tentar extorquir dinheiro do prefeito Zé Queiroz. Ele afirmou que os vereadores Evandro Silva (PMDB) – autor do requerimento se criou a CPI, Neto (PMN) e Val de Cachoeira Seca (DEM) eram os líderes do que a Polícia chamou de organização criminosa. Segundo a investigação, o trio ofereceu dinheiro aos vereadores Val das Rendeiras e Pastor Jadiel Nascimento, ambos do Pros, para que os dois assinassem o requerimento, que criou a CPI.

De acordo com Lessa, foram oferecidos 30 mil reais para cada um, divididos em duas parcelas de 15 mil. Quando foi preso, o Pastor Jadiel disse que o dinheiro era emprestado, fato negado pela Polícia, já que os vereadores Val e Neto pressionavam para que Jadiel devolvessem o dinheiro.

14 02 13 Caruaru-PE Coletiva de Imprensa.Still001

TV Replay, o que é bom se repete!

Caruaru-PE: Vereador Evandro Silva: “Nessa CPI a raposa vai tomar conta do galinheiro”

Com o objetivo de levar aos eleitores informações a respeito dos projetos, das ações e explicações do Legislativo Municipal, a TV Replay esteve presente na Casa Vereador José Carlos Florêncio em Caruaru/PE.

Reunião ocorrida em 26.11.2013.

O vereador Evandro Silva (PMDB) usou a tribuna da Câmara para reclamar da reforma administrativa que a prefeitura enviou para a casa e ainda reclamou da escolha do relator e presidente da CPI da CGU. Ele criticou e disse que os vereadores foram parciais na votação de Marcelo Gomes para presidente e Romildo Oscar para relator da mesma. Segundo ele, houve mais uma vez a influência do Executivo na indicação dos nomes.

“Isso é um descaramento o que ocorre aqui. Temos apenas um membro de oposição na CPI e esperava pela paridade, o que não houve. Aí veja a incoerência, nas outras duas CPIs os requerentes foram votados e escolhidos presidentes, eu nem fui o relator. Vejam como é o jogo desse Parlamento. Que CPI é essa? É a raposa que vai tomar conta de galinheiro, o que fizerem aqui é até antiético, mas garanto que essa CPI não vai se tornar pizza, esse é o sentimento que fica, já que desde o início o governo não queria que essa Comissão fosse criada”, bradou o vereador na Tribuna.

Ele ainda disse que não vai desanimar com a decisão. “Isso é vergonhoso, podem vir aqui me acusar do que quiser, mas não posso aceitar isso calado. Se eu estava com o botijão de 13 quilos ele vai aumentar ainda mais agora. Não vou prometer nada, mas vamos fazer o possível para que não termine em pizza ou arrumadinho”, disse. /Fonte matéria escrita: Blog do Mário Flávio

Assista, comente, curta, compartilhe e divulgue. Mande sugestões e críticas.

Nossos contatos:

Facebook: TV REPLAY

Email: tvreplay@tvreplay.com.br

Site: www.tvreplay.com.br

Confira!

TV Replay, o que é bom se repete!

Caruaru-PE: Vereador falou sobre ação do CPI

O Vereador Eduardo Cantarelli esteve na Câmara de Vereadores nesta última quinta-feira dia 24 de outubro, e falou sobre inquérito que foi aberto para investigar o Prefeito Zé Queiroz.

Confira!

TV Replay, o que é bom se repete!

Caruaru-PE: Sessão Câmara Vereadores – Governistas usam Regimento e derrubam CPI

O vereador Evandro Silva (PMDB) apresentou o requerimento com as oito assinaturas necessárias para a instalação da CPI da CGU. Ele garantiu que a Lei Orgânica a o Regimento Interno da Câmara permitem que com esse número de assinaturas a CPI pode ser aprovada.

“Disse que tinha sete assinaturas para criar a CPI da CGU e zombaram de mim. Pois bem, estou aqui com as oito necessárias para dar entrada hoje no pedido de abertura da mesma. Fica aqui o meu recado para os que zombaram. A CPI não tem o intuito de condenar ninguém, apenas realizar uma investigação sobre os possíveis indícios de irregularidades. Vamos acompanhar a mesma com responsabilidade e se for comprovado que o prefeito é isento, vou vir aqui de público para dizer que ele não deve”,

O anúncio das oito assinaturas causou inquietação na base do governo. E começou uma série de ligações por parte dos governistas.

Após muita discussão e bate-boca entre vereadores de situação e oposição o presidente da Câmara de Caruaru, Leonardo Chaves (PSD), usou o Regimento Interno da Câmara para levar o requerimento que pedia a criação da CPI ao plenário. Segundo o decano da Casa, qualquer requerimento deve ser apreciado em plenário. Com isso, houve a votação e o documento teria que ser aprovado por maioria simples.

Como o governo tem maioria na Casa, a criação da CPI foi derrotada. Foram 11 votos para que a Comissão não seja criada e nove para que a mesma fosse efetivada.

Fonte: Blog do Mário Flávio, por Mário Flávio
Reportagem em vídeo: Edvaldo Magalhães

Caruaru-PE: Sessão da Câmara – Votação de CPI da CGU é adiada novamente, oposição e situação discutem motivos

Mais uma vez o vereador Evandro Silva (PMDB) retirou de pauta a apreciação de pedido de abertura de CPI, na reunião dessa terça (20) na Câmara Municipal, para investigar irregularidades apontadas por relatório da Controladoria-Geral da União em 2011 em Caruaru, referente ao uso de recursos federais. O motivo é que ele ainda não conseguiu a sinalização positiva de pelo menos mais dois vereadores para aprovar o pedido. Ele precisa de 8, mas tem 6.

CGU encontra sinais de uso inadequado de dinheiro da educação no Nordeste

download (8)

O dinheiro do Fundeb, cerca de R$ 100 bilhões por ano, deve ser aplicado obrigatoriamente na educação básica e para complementar o salário dos professores.

 A Controladoria Geral da União encontrou sinais de uso inadequado de dinheiro da educação ao analisar dados de mais de cem municípios. Em quase todos há problemas.

O dinheiro do Fundeb, cerca de R$ 100 bilhões por ano, deve ser aplicado obrigatoriamente na educação básica e para complementar o salário dos professores. O fundo tem recursos dos governos municipais, estaduais e federal.

A Controladoria Geral da União fiscalizou a aplicação do dinheiro em 120 municípios do Nordeste e quatro estados: Alagoas, Pernambuco, Piauí e Pará, na Região Norte.

Em 73 casos, o dinheiro foi gasto de forma incompatível com o objetivo do fundo; 52 gastaram o dinheiro em desconformidade com a legislação; em 49, houve fraude nas licitações; em 28, foram encontradas irregularidades na execução dos contratos; em 21, houve saque de dinheiro na boca do caixa, e em 12, as despesas foram superfaturadas.

Os fiscais descobriram, por exemplo, que um caminhão pau de arara foi comprado para o transporte escolar de crianças. Empresas contratadas com recursos do fundo tinham endereço falso.

“A gente poderia talvez ter melhores resultados se esses recursos que estão hoje lá fossem bem aplicados”, afirmou Carlos Higino, secretário-geral da CGU.

A fiscalização também descobriu muitos casos de professores recebendo salários abaixo do piso nacional, que hoje é de R$ 1.567. O relatório da CGU será enviado ao Ministério Público e à Advocacia Geral da União, para tentar recuperar o dinheiro desviado e punir os responsáveis.

O Ministério da Educação declarou que as irregularidades devem ser punidas com rigor. E que estados e municípios devem criar mecanismos para garantir o cumprimento da lei, no caso do piso salarial.

Informações do JN Rede globo