Ribeirão-PE: Investigações sobre o caso da Vila Rica

Após quase dois meses de investigações, a Polícia Militar, prendeu na última quinta-feira, (16-10), por volta das 10h, no município de Gameleira, Zona da Mata Sul, Heleno José de Barros, mas conhecido por “Leno”, assassino que matou com 14 (quatorze) golpes de faca peixeira sua companheira identificada por Maria Adriana de Lima, no dia 31 de agosto deste ano, em Ribeirão.

A captura do acusado, se deu através de informações de colaboradores, feitas a equipe de Inteligência do 10º BPM,  onde davam conta, que o assassino estaria escondido em casa de parentes na Rua Tiradentes, nº 55, bairro Santa Luzia, cidade de Gameleira.

k2

k1

A ROCAM foi acionada, onde foi feito um reconhecimento da área para atuação das equipes, e montado uma vigilância, por volta das 13h as equipes entraram em ação com um cerco policial na área, e consequentemente uma abordagem a residência do alvo, sendo o mesmo localizado, e lido o referido Mandado de Prisão em seu desfavor. O Heleno não esboçou nenhuma reação, tendo o mesmo confessado a pratica delituosa; em seguida apresentado a DP local e encaminhado a Cadeia Publica de Ribeirão.

k3

Na última quarta-feira, (15-10), profissionais que compõem a Secretária da Mulher, do município de Ribeirão, realizaram um protesto na Câmara dos Vereadores, sobre a violência contra as mulheres. Dentre os casos mais recentes, está esse homicídio da vítima Maria Adriana de Lima, que residia na Rua da Independência, bairro Vila Rica, em Ribeirão, e que segundo os familiares, ela tinha um relacionamento instável com o companheiro há cerca três meses e, o motivo da fatalidade teria sido ocasionado por ciúmes.

k7

Conversamos com a Sr.ª Adriana Patrícia (Coordenadora do Centro de Referência à Mulher), que nos informou, de acordo com alguns depoimentos que os familiares lhe haviam prestado:

“Maria Adriana tinha vindo do trabalho e depois foi a um bar com Heleno; logo em seguida, partiram para casa onde os dois brigaram; após a discussão, os vizinhos ouviram um silêncio, e quando se dirigiram à casa da vítima, por volta das 18h, ela se encontrara em óbito”.

 “A partir do momento que nós soubemos do crime; entramos em contato com a polícia e, consequentemente, foi instaurado o inquérito” disse a Sr.ª Sheylla Santos, Secretária da Mulher, da cidade de Ribeirão, que ainda destacou a importância e a eficiência do trabalho realizado pela instituição:

“Assim que a mulher é agredida, nós levamos o caso à polícia. Ao longo do processo, nós perguntamos se a mesma quer algum acompanhamento de um psicólogo, assistente social e advogada, logo, passamos a frequentar a casa da mulher, fazendo, portanto, uma análise ao todo.

A Secretaria da Mulher, o Poder Judiciário, e as Polícias Civil e Militar realizam esse trabalho em conjunto”.

Para a secretária, essa operação é classificada como uma rede, um depende do outro.

k5

Da esquerda para a direita: Adriana Patrícia (Coordenadora do Centro de Referência à Mulher), Sheylla Santos (Secretária da Mulher), Ana Maria (Assistente Social) e Adjaní Agostinho (Psicólogo).

A Sra. Sheylla Santos, ainda ressaltou, sobre a função da Lei Maria da Penha:

“Apesar das críticas e dos elevados números que a lei Maria da Penha possui, é possível ver uma aplicabilidade da mesma, referente às campanhas feitas nos bairros e nas escolas de Ribeirão, como forma de conscientizar as pessoas, que essa violência não é normal; e que a denúncia, pode ser feita para a secretaria da mulher, pelo telefone (81) 8759-0513 (operadora OI) ou pelo disque 180”.

k6

Reportagem e imagens: Kimberly Silva

TV Replay, o que é bom se repete!