PT avalia ‘plano B’ após oficializar candidatura de Lula; TSE já considerou o ex-presidente inelegível

O PT oficializou no início da tarde deste sábado, 4, a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado na Lava Jato por corrupção e lavagem de dinheiro e cumprindo prisão em Curitiba desde 7 de abril. Formalmente, Lula está indicado para ser, pela sexta vez, o candidato do partido à Presidência da República. Poucas horas depois, porém, a cúpula petista passou a discutir, sem a presença do ex-presidente, a possibilidade de deflagrar já o “plano B” na disputa pelo Palácio do Planalto. O nome mais cotado é o do ex-prefeito Fernando Haddad.

Screenshot_20180805-155505~2Aos participantes do Encontro Nacional do partido – que teve poderes de convenção – a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, disse que advogados devem ouvir Lula ainda hoje, em Curitiba, antes de o martelo ser batido. A escolha de Haddad, mesmo como vice, passa imediatamente para o mundo político a mensagem de que o PT desistiu de manter o nome de Lula até o limite da Justiça e decidiu partir para uma alternativa eleitoral concreta.

O partido oficializou a candidatura de Lula três dias após o presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Luis Fux, ter afirmado que “condenado é inelegível”.

Ao receber a visita de dirigentes petistas na sexta-feira, na capital paranaense, Lula pediu que o partido mantivesse o plano de ganhar tempo e só indicar o vice até o dia 14. O ex-presidente, contudo, deu carta branca para que a direção tomasse outra decisão em caso de risco à presença do partido na disputa presidencial. Lula orientou o PT a consultar as reações a três nomes: Haddad, Gleisi e o ex-ministro Jaques Wagner – que declinou da missão.

O PT trabalha ainda com a possibilidade remota de Ciro Gomes (PDT) e Manuela d’Ávila (PCdoB) abrirem mão das candidaturas para assumir o cargo de vice. A aliança com o PCdoB está bem encaminhada, mas o PDT é um sonho distante. Haddad é o preferido mas ainda enfrenta a resistência de setores do partido em São Paulo e de movimentos sociais.

Lula foi aclamado por unanimidade na convenção do PT. Por enquanto, a sigla terá como aliados os nanicos PCO e PROS.

Por Agência Estado

PT aprova resolução para apoiar candidatura de Lula à Presidência

Cúpula petista se encontrou neste sábado (16). O ex-presidente Lula participou de reuniões no evento

“Absolutamente convencido” de que Lula é o “plano A do povo brasileiro” e único nome com “condições de ganhar a eleição”, o PT trabalhará para evitar a fratura no campo de centro-esquerda. E o caminho é “dialogar com companheiros” que ventilam candidaturas paralelas, como PSOL (Guilherme Boulos), PC do B (Manuela D’ávila) e PDT (Ciro Gomes). Movimentos como a Frente Brasil Popular e Povo Sem Medo também serão procurados.

Lula Foto: Anderson Stevens/Folha de Pernambuco

Lula
Foto: Anderson Stevens/Folha de Pernambuco

“É muito mais fácil convencê-los disso do que de qualquer outra coisa”, disse Alexandre Padilha, vice-presidente do partido, em reunião do Diretório Nacional da legenda neste sábado (16), num hotel na região central paulistana. No encontro, a sigla aprovou uma resolução para apoiar a candidatura de Lula independentemente do resultado de 24 de janeiro, dia do julgamento do recurso apresentado por Lula no caso do tríplex do Guarujá.

Da CUT ao MTST de Boulos, vários grupos de esquerda combinam um acampamento em frente ao tribunal, num desagravo ao réu. O ex-presidente passou pelo hotel onde a cúpula petista se encontrou, e por lá participou de reuniões paralelas para discutir políticas para alianças regionais. Segundo Padilha, elas serão analisadas “caso a caso” e submetidas à “lógica nacional”.

Na prática, significa dizer que, “para eleger a maior bancada possível [no Congresso], o PT pode se aliar a legendas hoje êmulas no campo federal, como o PMDB de Michel Temer, a quem petistas chamam de “golpista”. “Mas as dinâmicas regionais têm que ser devidamente acompanhadas pela Executiva [da sigla], fazendo a esperança vencer o ódio.”

A reportagem apurou que alas mais à esquerda do partido defenderam restringir as alianças àqueles que não foram favoráveis ao impeachment de Dilma Rousseff. Mas a cúpula decidiu não fechar questão, ao menos por ora.

Por apoio a Lula, o PT pode se unir a algozes que selaram a destituição de Dilma, como o jornal mostrou em outubro. O partido abriria mão de lançar candidatos a governador em até 16 Estados em 2018 para apoiar nomes de outras legendas. Em troca, os petistas querem espaço em palanques regionais fortes para sua chapa presidencial.

Há dúvidas, em outros partidos de centro-esquerda e nos bastidores de setores petistas, de que Lula consiga concorrer, já que seu futuro político depende de uma decisão a ser tomada pelo TRF (Tribunal Regional Federal) da 4ª Região no dia 24 de janeiro. É quando os desembargadores da corte porto-alegrense votarão os recursos que a defesa do petista apresentou para recorrer da condenação de Lula a nove anos e meio de prisão na Lava Jato. Há vários quadros possíveis, da absolvição a uma campanha em 2018 com liminares e novos recursos.

Por Folhapress

Olinda-PE: Armando Monteiro ainda tem poucos apoios na cidade

Atualmente, em Olinda, os apoios à candidatura do senador Armando Monteiro (PTB) ao Governo de Pernambuco está limitada ao grupo do Professor Marcelo Gonçalves, primeiro suplente de vereador e presidente do diretório municipal trabalhista, a deputada estadual Tereza Leitão (PT) e ao vereador Marcelo Santa Cruz (PT).

Dos 17 vereadores da Casa Bernardo Vieira de Melo, 16 devem apoiar a candidatura do candidato da Frente Popular, Paulo Câmara (PSB). O professor Marcelo torce para que o PDT seja anunciado como o novo partido aliado à candidatura de Armando Monteiro. Em Olinda, o PDT tem dois vereadores. Mas ninguém sabe se irão se engajar na campanha do senador trabalhista.

Com o apoio ou não dos pedetistas olindenses, o Professor Marcelo afirma que o PTB da cidade está trabalhando intensamente para conseguir uma votação expressiva para Armando Monteiro e para deputados estaduais e federais da legenda trabalhista.

“Armando sempre foi bem votado pelos olindenses, mas agora tempos o compromisso de melhorar ainda mais essa performance”, afirmou o Professor Marcelo. Amanhã (24), ele realiza encontro com cerca de 150 lideranças comunitárias de Olinda para discutir os problemas da cidade a apresentar a plataforma de trabalho da candidatura do PTB ao Governo do Estado.
Foto da Internet

Foto da Internet

TV Replay, o que é bom se repete!

Caruaru-PE: Fernando Bezerra, agora cidadão caruaruense!

O ex-ministro Fernando Bezerra Coelho (PSB) foi agraciado com o Título de Cidadão Caruaruense nesta segunda (11), numa solenidade realizada no Fórum Juiz Demóstenes Batista Veras. Cerca de 400 pessoas estavam presentes, entre elas: o prefeito Zé Queiroz e o deputado federal Wolney Queiroz, ambos do PDT, assim como vereadores de Caruaru e outras cidades do Agreste, além de deputados estaduais.

2

Foto: Vladimir Barreto/Ascom Câmara

FBC é dado como certo para ser o escolhido por Eduardo Campos para ser o sucessor no Palácio do Campo das Princesas.

O Título de Cidadão foi um projeto aprovado pela câmara de vereadores, motivado pela desenvoltura do político em favor do desenvolvimento da Capital do Agreste.

Ainda como ministro da integração nacional, Fernando Bezerra recentemente assinou um convênio no valor de R$ 31 milhões para a pavimentação de vias de acesso à zona rural do município, beneficiando assim a capital do forró.

O evento durou pouco mais de um hora e contou com discursos do Presidente da Câmara de Vereadores de Caruaru, Leonardo Chaves (PSD), do autor da propositura e do homenageado. Fernando Bezerra Coelho lembrou das benesses que viabilizou para o interior do Estado e apontou o governador Eduardo Campos como futuro Presidente do Brasil.

Foto: Vladimir Barreto/Ascom Câmara

Foto: Vladimir Barreto/Ascom Câmara

O evento findou com um coquetel servido aos convidados.

Fonte: Partes do texto retirado do Blog de Mário Flávio

 

 

Para FBC, candidato apoiado por Eduardo será o favorito na eleição para governador em 2014

O ex-ministro da Integração Nacional, e postulante ao governo de Pernambuco, Fernando Bezerra Coelho (PSB), em conversa com a equipe do blog, posicionou-se sobre o cenário político no estado de Pernambuco. Sobre o momento atual, no qual seu nome é cotado como pré-candidato ao governo estadual, FBC disse como recebe essa notícia.

Foto: Vladimir Barreto

Foto: Vladimir Barreto

“Na realidade o PSB no momento está concentrando as suas energias, a sua prioridade para construção daquilo que Eduardo Campos chama do acordo programático do PSB e a REDE de SUSTENTABILIDADE da ex-senadora Marina Silva, que vai traduzir os compromissos do PSB com a sociedade brasileira. Portanto as energias do PSB estão voltadas para a consolidação do projeto presidencial. A disputa estadual, o nome que terá a responsabilidade de liderar a Frente Popular de Pernambuco no pleito de 2014, o debate deverá ser iniciado e faremos essas consultas sob a coordenação do governador. Eu acredito que entre fevereiro e março, iremos consultar as lideranças do PSB como as que vão integrar a Frente Popular. Temos diversos nomes não só o meu, mas outros como o vice-governador João Lyra, os secretários de estado Paulo Câmara, Tadeu Alencar, Milton Coelho, Danilo Cabral, Antônio Figueira, esses nomes vêm sendo lembrados justamente porque o governo de Campos é o mais bem avaliado”, disse o ex-ministro.

Sobre o candidato do PSB a ser indicado pelo governador Eduardo Campos, Fernando Bezerra Coelho afirmou está cedo para comentar o cenário. “Ainda é cedo pra gente falar em termos de nomes, mas o que eu tenho dito é de que na realidade dois sentimentos vão prevalecer nas eleições do próximo ano. O primeiro é o sentimento do reconhecimento, o povo pernambucano sabe que Pernambuco está no caminho certo e o povo reconhece grandes avanços promovidos pelo governador na educação, saúde e infraestrutura. Não quer dizer que todos os problemas do Estado tenham sido resolvidos, mas há o reconhecimento do trabalho de Campos. O segundo sentimento é o da autoestima, o orgulho do povo de Pernambuco em ver pela primeira vez um filho da terra que fez política aqui. Por conta desses sentimentos o candidato do PSB será o favorito para vencer o pleito”, garantiu FBC.

FBC comentou ainda sobre a recente publicação do deputado federal Wolney Queiroz (PDT) no Twitter, chamando-o de ‘futuro governador’. “Eu fico muito feliz, primeiro porque sou amigo do deputado Wolney, e fico feliz que ele se posicione no sentido de apoiar o nosso nome para quando das consultas que vierem a serem realizadas dentro da Frente Popular, e ter o apoio do PDT é uma coisa muito importante no sentido de construir a unidade de todos os partidos que integram a Frente Popular de Pernambuco”, disse.

Sobre o seu relacionamento com o vice-governador do Estado de Pernambuco, João Lyra (PSB), o ex-ministro afirmou estar em clima de paz. “Muito boa! Eu estive com o vice-governador recentemente em seu gabinete, temos uma amizade que vem desde a campanha de 2006, e essa amizade mais próxima já era com Fernando Lyra, porque tenho um grande respeito por essa figura pública que ele foi, e já acompanho a trajetória de João Lyra a muito tempo como prefeito de Caruaru, deputado estadual e agora vice-governador. João foi um dos primeiros a apoiar Eduardo Campos na sua trajetória, e sempre contei com o apoio e as orientações de Lyra. Portanto, João Lyra é uma peça importante no processo político de 2014”, ressaltou Fernando Bezerra Coelho.

Fonte: Por Ana Rebeca Passos/Blog Mário Flávio

Eduardo bate Dilma pela primeira vez em Pernambuco

Pela primeira vez, faltando um ano para as eleições, o governador Eduardo Campos (PSB) bate a presidente Dilma na corrida presidencial. Segundo pesquisa do Instituto Opinião, contratada com exclusividade por este blog, Eduardo aparece na frente com 37.4%, cinco pontos de vantagem em relação à Dilma, que vem em segundo com 32.3%.

1

Ainda sem partido definido, a ex-senadora Marina Silva desponta em terceiro lugar com 11.9%, enquanto o tucano Aécio Neves tem apenas 2,5%. Brancos e nulos somam 8.2%. Na espontânea, entretanto, Dilma aparece na frente com 17.9% e Eduardo tem 6.6%, enquanto Lula aparece com 7.3%.

A pesquisa foi a campo entre os dias 13 e 18 deste mês, em 80 municípios do Estado, sendo aplicados dois mil questionários, com margem de erro de 2,2 pontos percentuais para baixo ou para cima.

Eduardo bate Dilma na Região Metropolitana e na Zona da Mata, mas perde nos sertões e nos agrestes. No Grande Recife aparece com 38,1% e Dilma 23,7. Na Zona da Mata a diferença é de 45,3% para 33,3%. Nas demais regiões, a vantagem passa a ser da presidente.

No Agreste, Dilma tem 39,1% contra 33,4% de Eduardo. No Alto Sertão, a presidente desponta com 42,5% contra 34,5% de Eduardo, enquanto no São Francisco Dilma tem 40,5% e Eduardo 35.8%. Já a candidata Marina Silva tem seu maior percentual na Região Metropolitana – 15,6%.

Nas demais regiões, Marina aparece com 10% na Zona da Mata, 10,3% no Agreste, 8,4% no Alto Sertão e 4,6% no Sertão do São Francisco. O tucano Aécio Neves aparece com 3,1% no Grande, 2% na Zona da Mata, 2% no Agreste, 1,8% no Alto Sertão e 3,1% no São Francisco.

ESTRATIFICAÇÃO


Os maiores percentuais da indicação de voto para Eduardo na corrida ao Planalto se encontram entre os eleitores com renda familiar de três a cinco salários (41,7%), entre os eleitores jovens na faixa etária de 16 a 24 anos (39,5%) e entre os eleitores com grau de instrução até a 4ª série (38,3%).

Seus menores índices aparecem entre os eleitores com renda familiar acima de 10 salários (32,2%), entre os eleitores na faixa etária acima de 60 anos (35.1%) e entre os eleitores com grau de instrução superior (35.4%). Quanto ao sexo, a maioria dos seus eleitores é homem – 39,2% contra 36,1% das mulheres.

A presidente Dilma tem seus maiores percentuais entre os eleitores com grau de instrução até a 4ª série (42,1%), entre os eleitores com renda familiar até um salário mínimo (40,9%) e entre os eleitores na faixa etária acima de 60 anos (36,8%). Entre os homens, tem 31,9% e entre as mulheres 32,5%.

Os menores percentuais de Dilma aparecem entre os eleitores com renda familiar acima de 10 salários (21%), entre os eleitores com grau de instrução superior (22,2%) e entre os eleitores na faixa etária de 25 a 34 anos (30,2%).

2

Fonte: http://www.blogdomagno.com.br/index.php?cod_pagina=118740

Caruaru-PE: João Lyra lidera intenções de votos para governador

1

Levantamento produzido pelo Instituto Opinião (Campina Grande) com exclusividade para este blog apontou que o vice-governador João Lyra Neto (PDT) lidera as intenções de votos entre os eleitores de Caruaru (Agreste do Estado) para uma disputa pelo Governo de Pernambuco.

João Lyra é o candidato preferido de 38,8% dos caruaruenses entrevistados, seguido pelo senador Armando Monteiro Neto (PTB), com 16%, e do deputado federal João Paulo (PT), que registrou 6,5%.

A lista tem continuidade com o deputado estadual Daniel Coelho (PSDB) em quarto lugar, com 5,2%, seguido pelo ministro Fernando Bezerra Coelho (PSB), com 1,3%, e, por último, aparece o prefeito de Petrolina, Julio Lossio (PMDB), com 1%. Brancos e nulos somam 8,7%; indecisos, 22,5%.

O vice-governador lidera entre o eleitorado masculino (41,3%), entre os que possuem de 16 a 24 anos (43,3%), com grau de instrução até a quarta série (43,5%) e com renda familiar de até um salário mínimo (43,3%).

Sua maior rejeição encontra-se entre as mulheres (37,1%), entre os que possuem idade acima dos 60 anos (30,8%), que possuem ensino superior completo (32,1%) e que recebem de três a cinco salários mínimos (35,6%).

O senador aparece melhor entre o eleitorado do sexo masculino (19,1%), que possui idade entre 45 e 59 anos (23,6%), com ensino superior completo (21%) e mantém o índice entre os que recebem de um a três, de três a cinco e acima de cinco salários mínimos (16,7%).

Os índices caem entre as mulheres (13,5%), entre eleitores na faixa etária de 25 a 34 anos (11,2%), que estudaram até a quarta série (13,2%) e que recebem até um salário mínimo (12,5%).

O Instituto Opinião ouviu 600 eleitores caruaruenses entre os dias 3 e 4 de agosto. A margem de erro é de quatro pontos percentuais, para mais ou para menos.

METODOLOGIA - Foram aplicados 600 questionários entre os dias 3 e 4 de agosto, com margem de erro de quatro pontos percentuais, para baixou ou para cima.

A modalidade de pesquisa adotada envolveu a técnica de Survey, que consiste na aplicação de questionários estruturados e padronizados a uma amostra representativa do universo de investigação.

Foram realizadas entrevistas pessoais e domiciliares. As entrevistas foram realizadas por duas equipes de entrevistadores, devidamente treinadas para abordagem desse tipo de público; supervisionadas pelos coordenadores de campo da Opinião – Pesquisas Sociais Ltda.

As entrevistas foram realizadas nos seguintes bairros: Agamenon Magalhães, Alto do Moura, Boa Vista I e II, Caiucá, Cedro, Centenário, Centro, Cidade Jardim, Divinópolis, Indianópolis, Inocoop, Jardim Panorama, João Mota, José Carlos de Oliveira, Kennedy, Loteamento José Liberato.

E ainda: Luiz Gonzaga, Maria Auxiliadora, Maria Goreth, Maurício de Nassau, Monte Bom Jesus, Nova Caruaru, Petrópolis, Rendeiras, Riachão, Salgado, Santa Rosa, São Francisco, São João da Escócia, Universitário, Vassoural e Vila Padre Inácio.

Na zona rural, com os moradores de Cachoeira Seca, Juá, Lajes, Murici, Rafael e Terra Vermelha.

grafico gde

 

Fonte: Blog do Magno Martins

Caruaru-PE: Empresário rompe com Queiroz e disputa mandato de federal

Nas eleições proporcionais de 2014 em Caruaru, novos quadros políticos devem se apresentar tanto para deputado estadual quanto para federal. Historicamente ligado ao grupo do prefeito José Queiroz (PDT), com quem rompeu recentemente, o empresário Kiko Beltrão (sem partido) analisa vários convites partidários para disputar uma vaga na Câmara dos Deputados.

1

Se entrar, tendência mais provável, deve adotar um discurso de oposição a Queiroz, cujo candidato a deputado federal do seu grupo é o filho Wolney Queiroz. Há quem diga que a candidatura de Kiko tende a subtrair mais votos nos redutos de Wolney.

Kiko é engenheiro e já ocupou vários cargos públicos. Em Caruaru, foi secretário de Obras e presidente da Empresa de Urbanização (2009-2010). Assumiu a Secretaria de Infraestrutura e ocupou a superintendência do Departamento Nacional de Estradas (DNIT) no governo do ex-presidente Lula (PT).

O seu rompimento com o prefeito Queiroz, com quem se aliou durante 30 anos, repercute intensamente em Caruaru. “Recebi uma convocação e estou sendo estimulado a disputar um mandato para Câmara dos Deputados”, diz Kiko, adiantando que seu propósito é trabalhar uma política diferenciada para o município, que no seu entender, está virando uma capitania hereditária das mais diversas correntes políticas tradicionais do município. “Queremos o fim do apadrinhamento político, da política de pai para filho”, alfineta.

Fonte: Blog do Magno

Eduardo pode desistir da candidatura, avalia Lula

Segundo relatos, hipótese foi debatida em encontro com Dilma em Brasília.

lula

Os recentes movimentos do governador Eduardo Campos (PSB-PE) estão deixando em dúvida o ex-presidente Lula e alguns petistas.

Em reunião ontem no Palácio da Alvorada com a presidente Dilma Rousseff, Lula disse ainda apostar nas chances de o aliado desistir de disputar a Presidência em 2014, conforme duas pessoas que ouviram relatos do encontro. Internamente, a hipótese de desistência parte da avaliação de que o pernambucano optou por se recolher após meses de exposição e críticas veladas ao governo.

Também participaram da conversa o ministro Aloizio Mercadante (Educação), o chefe de gabinete de Dilma, Giles Azevedo, o presidente do PT, Rui Falcão, e o marqueteiro João Santana. (Informações da Folha de S.Paulo)

Fonte: http://www.blogdomagno.com.br/

Primeira-dama de Pernambuco pode ser candidata à Câmara Federal

1

 

A família Arraes pode ter uma nova candidata à deputada federal nas eleições de 2014. Nos bastidores, o nome da mulher do governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), surge como uma das opções do clã para ocupar a “vaga” da ex-deputada e mãe do socialista Ana Arraes, que renunciou ao cargo depois de ser nomeada ministra do Tribunal de Contas da União (TCU) em 2011. A informação foi destaque do jornal Folha de S. Paulo deste domingo (5), mas já era ventilada no estado desde que Campos começou a trilhar o caminho de sua candidatura ao Palácio do Planalto.

De perfil discreto, a primeira-dama não gosta de dar entrevista e prefere não criar polêmicas. Aliados próximos ao governador, porém, descrevem a mulher de Campos como atuante nos bastidores e conselheira do marido. Renata Campos é economista e funcionária pública do Tribunal de Contas de Pernambuco (TCE). Quando o marido assumiu o governo, ela foi cedida à administração estadual, onde passou a comandar o programa “Mãe Coruja”, destinado a grávidas pobres.

A mulher do governador seria a escolhida por ele para herdar o espólio eleitoral da família na Câmara Federal. Há quase 30 anos, a família Arraes tem representante no Congresso Nacional. O ex-governador Miguel Arraes, avô de Eduardo, foi eleito deputado federal três vezes, a exemplo do neto. A eleição de Renata garantiria os votos em “casa” e daria apoio decisivo ao marido na eleição de 2014, pleito que ele pode disputar a eleição presidencial.

“Não seria estranho o governador apresentar a mulher como candidata. A relação familiar não foi impedimento para uma experiência ocorrida recentemente (as eleições de Ana Arraes)”, disse Túlio Velho Barreto, cientista político da Fundação Joaquim Nabuco. Barreto, contudo, diz acreditar que o governador ainda deverá calcular o impacto que a indicação da mulher e prováveis acusações de “nepotismo” e “coronelismo” terão sobre o seu voo nacional.

Fonte: http://www.diariodepernambuco.com.br