Cachoeirinha-PE: Presidente da Câmara comemora ação em prol da saúde e bem-estar das mulheres (Outubro Rosa)

Quando chega o mês de outubro, os olhares se voltam totalmente para a saúde da mulher, uma vez que trata-se de um período importante cuja finalidade é reafirmar o movimento mundial de conscientização e mobilização pela detecção precoce do câncer de mama. Assim, a Presidente da Casa, Silvia Xavier, promoveu uma ação destinada às mulheres do município, oferecendo serviços de saúde e bem-estar.

Silvia xavier.Still002

Discurso da Presidente da Câmara em 22/10/20019 (Foto: TV Replay)

WhatsApp Image 2019-10-24 at 09.58.51

(Fotos: Cortesia / WhatsApp)

WhatsApp Image 2019-10-24 at 09.58.50 (1)

WhatsApp Image 2019-10-24 at 09.58.50WhatsApp Image 2019-10-24 at 09.58.49 (3)WhatsApp Image 2019-10-24 at 09.58.49 (2)

WhatsApp Image 2019-10-24 at 09.58.51 (1)

REVEJA SESSÃO NA ÍNTEGRA

Cachoeirinha-PE: OUTUBRO ROSA – Saúde comemora mês de combate ao câncer de mama com alerta às mulheres

Nesta terça-feira (24), a Prefeitura de Cachoeirinha, por meio da Secretaria Municipal de Saúde realizou atividades de mobilização com a comunidade voltada às comemorações do Outubro Rosa, iniciativa que tem como objetivo a conscientização para prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama.

A Secretária de Saúde, Larissa Barreto, junto da equipe do NASF, equipe composta por profissionais de diferentes áreas de conhecimento, que atuam de maneira integrada e apoiando os profissionais das Equipes Saúde da Família, médicos, e demais profissionais da área, estiveram ofertando um mutirão da saúde, no qual as mulheres dispuseram de consultas médicas voltadas à prevenção do câncer de mama, Testes Rápidos, Aferição de PA, Testes de HIT, Vacinas, Atendimento Nutricional, Atendimento Social e Atendimento Psicológico.

Na ocasião, o prefeito Ivaldo Almeida de forma breve, retratou a importância das mulheres estarem participando do evento, e reafirmou o compromisso de continuar desenvolvendo ações em todas as secretarias do município, buscando sempre o melhor para todo cidadão cachoeirinhense.

A Presidente da Câmara, a vereadora Silva Xavier também esteve participando da campanha, e falou em como o autoexame da mama é uma forma de cuidar e conhecer o corpo.

O Outubro Rosa vem conscientizar as mulheres quanto à importância do autocuidado. Tomar a decisão de se cuidar é o primeiro passo para a cura.

IMG_1083 IMG_1087 IMG_1090 IMG_1092 IMG_1096 IMG_1098 IMG_1100 IMG_1101 IMG_1104 IMG_1106 IMG_1107 IMG_1110 IMG_1111 IMG_1113 IMG_1116 IMG_1118 IMG_1120 IMG_1121 IMG_1122 IMG_1123 IMG_1126 IMG_1130 IMG_1133 IMG_1134 IMG_1135 IMG_1138 IMG_1139 IMG_1142 IMG_1143 IMG_1145 IMG_1148 IMG_1150 IMG_1151 IMG_1153 IMG_1155 IMG_1157 IMG_1159 IMG_1161 IMG_1162 IMG_1164 IMG_1166 IMG_1168 IMG_1174 IMG_1178 IMG_1181 IMG_1186 IMG_1189 IMG_1191 IMG_1193 IMG_1197 IMG_1198 IMG_1203 IMG_1205 IMG_1209 IMG_1211 IMG_1213 IMG_1214 IMG_1215 IMG_1218 IMG_1220 IMG_1222 IMG_1226 IMG_1228 IMG_1229 IMG_1232 IMG_1233 IMG_1236 IMG_1238 IMG_1239 IMG_1241 IMG_1243 IMG_1245 IMG_1247 IMG_1248 IMG_1249 IMG_1255 IMG_1256 IMG_1257 IMG_1258 IMG_1259 IMG_1263 IMG_1267 IMG_1268 IMG_1269 IMG_1272 IMG_1273 IMG_1275 IMG_1276 IMG_1278

Cachoeirinha-PE: Secretaria de Saúde promove campanha preventiva ao câncer de mama nesta quarta-feira (24)

A Secretaria Municipal de Saúde de Cachoeirinha promoverá nesta quarta-feira (24) uma série de atividades que marcam o mês de prevenção e combate ao câncer de mama. As ações que integram o Outubro Rosa são promovidas em diversas unidades de saúde do município, no sentido de conscientizar as mulheres quanto à importância do autocuidado.

c1034feeb8e544b33d1fc604d40ae043_XL

O evento será realizado na Academia das Cidades, e trará profissionais que estarão esclarecendo questões relacionadas à saúde da mulher, além de ofertar consultas médicas voltadas à prevenção do câncer de mama.

A programação envolverá mutirão de:

  • Testes Rápidos;
  • Aferição de PA;
  • Testes de HIT;
  • Vacinas;
  • Atendimento Médico;
  • Atendimento Nutricional;
  • Atendimento Social
  • Atendimento Psicológico;
  • Agendamento para emissão de RG e de Carteira de Trabalho.

Segundo o Inca, o câncer de mama pode ser detectado em fases iniciais, aumentando consideravelmente as chances de tratamento e cura. Por isso, é importante que as mulheres na faixa de rastreamento, aquelas acima de 50 e até 69 anos, ou, com histórico da patologia na família, procurem periodicamente o serviço de saúde para realização do exame.

Sintomas

Podem surgir alterações na pele que recobre a mama, como abaulamentos ou retrações, inclusive no mamilo, ou aspecto semelhante à casca de laranja. Secreção no mamilo também é um sinal de alerta. O sintoma do câncer palpável é o nódulo (caroço) no seio, acompanhado ou não de dor mamária. Podem também surgir nódulos palpáveis na axila. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), o câncer de mama é o segundo tipo mais frequente no mundo. Mais comum entre as mulheres, ele responde por 22% dos casos novos a cada ano.

Prevenção

Evitar a obesidade, através de dieta equilibrada e prática regular de exercícios físicos, é uma recomendação básica para prevenir o câncer de mama, uma vez que o excesso de peso aumenta o risco de desenvolver a doença. A ingestão de álcool, mesmo em quantidade moderada, é contraindicada, pois é fator de risco para esse tipo de tumor.

Embora a hereditariedade seja responsável por apenas 10% do total de casos, mulheres com história familiar de câncer de mama, especialmente se uma ou mais parentes de primeiro grau (mãe ou irmãs) foram acometidas antes dos 50 anos, apresentam maior risco de desenvolver a doença. Esse grupo deve ser acompanhado por médico a partir dos 35 anos.

Primeira menstruação precoce, menopausa tardia (após os 50 anos), primeira gravidez após os 30 anos e não ter tido filhos também constituem fatores de risco para o câncer de mama.

O Outubro Rosa foi criado no início da década de 90, mesma época em que o símbolo da prevenção ao câncer de mama, o laço cor-de-rosa, foi lançado pela Fundação Susan G. Komen for the Cure e distribuído aos participantes da primeira Corrida pela Cura, realizada em Nova York (EUA) e, desde então, promovido anualmente em diversos países.

 

Outubro Rosa – 10 atitudes valiosas para te ajudar a elevar a sua autoestima durante o tratamento de Câncer

A autoestima durante o tratamento de Câncer é um assunto muito recorrente.

Será que elevar a autoestima dos pacientes oncológicos é mesmo tão importante? 

Nesse momento, não devemos focar simplesmente no nosso tratamento e cura?

capa

Pois é justamente  aí que a nossa autoestima entra.

Acontece que elevar a autoestima faz com que qualquer  pessoa faça escolhas positivas para si mesma.  E, eu nem preciso dizer o quanto essa atitude pode influenciar o resultado do tratamento, não é mesmo ?

Em primeiro lugar, quero deixar claro que autoestima não é só se sentir feia ou bonita, gostar da sua aparência ou não. Você não aumenta a sua autoestima só com uma visita ao salão de beleza ou comprando uma roupa nova…

Embora, a gente adore essas “coisinhas de menina”, na verdade, o buraco é muito mais embaixo!

O que é autoestima, afinal ?

É acreditar no  seu próprio valor, enxergar-se como alguém especial e sentir-se merecedora de amor,  sucesso,  saúde, alegria e de tudo de bom que a vida possa nos oferecer.

Entendeu agora por que o buraco é mais embaixo ?

Bem, se nutrir esse sentimento por nós mesmas quando a vida vai bem não é tão simples… Imagina o grau de dificuldade para reconstruirmos a autoestima durante o tratamento de Câncer !

Digo RECONSTRUIR, porque é exatamente isso que precisamos fazer!

Já que o câncer destrói, entre outras coisas, a nossa autoimagem, autoconfiança e, consequentemente, autoestima.

O câncer, especialmente de mama,  mexe profundamente na nossa feminidade: Ele arranca nossos cabelos, nos deixa cicatrizes , ganhamos peso e/ou ficamos inchadas com os corticoides. Em pouco tempo, já não gostamos do que vemos no espelho.

E como se não bastasse o massacre na nossa autoimagem, o câncer  também atinge em cheio na nossa autoconfiança.

Por conta do tratamento, nós  somos obrigadas a parar de trabalhar e já não nos sentimos tão uteis e produtivas. E pra completar o pacote, muitos amigos  e familiares se afastam…

Então, a nossa autoconfiança, ou seja,  a forma como nos enxergamos e nos relacionamos com as pessoas e com o mundo também fica abalada…

Enfim, não estamos falando apenas de um sentimento que temos por nós mesmas. Mais que isso, estamos falando de pensamentos e comportamentos que temos relacionados a nós mesmas, Ok?

Por isso,  é muito comum e perfeitamente compreensível que a nossa autoestima e autoconfiança vá parar no dedão do pé enquanto temos que encarar um tratamento de  câncer. já que, TUDO colabora para que isso aconteça!

Mas por outro lado, é possível você conseguir transformar esse período de tantos “prejuízos”  em “lucro” : Já pensou na possibilidade de transformar todas as suas perdas em ganhos?

E sair dessa história toda com o seu amor próprio nas alturas, se amando cada dia mais ?

E se você se surpreender ao descobrir uma mulher  maravilhosa escondida  aí dentro de você e  ainda de quebra se apaixonar por ela ?

Eu sei, eu sei, nesse momento pode ser que os seus sapatos estejam muito apertados. E você não consiga pensar em nada além do desejo de que essa “festa” acabe logo e você volte correndo  para casa – para sua vidinha de antes do câncer …

Mas, e se eu te disser que o seu tratamento vai durar o tempo que tem que  durar e até o término dele,  você tem duas escolhas:

  • Sofrer  ainda mais com seus sapatos apertados, valorizando todas as suas perdas e dores,  contando cada minuto pra tudo acabar logo. 
  • Aproveitar esse momento difícil e sofrido para aprender,  se conhecer melhor e iniciar um romance com a pessoa mais incrível que você já conheceu : VOCÊ !

Parece loucura, eu sei, mas não é impossível. E mais que isso, posso te garantir que vale à pena!

Eu não fui a única mulher que terminou o tratamento mais amadurecida e com a autoestima fortalecida. E nem serei a ultima!

Esse é o meu convite pra você, use essa doença para levar o seu amor próprio  para outro nível. Acredite: É possível!

E para te incentivar nessa jornada , quero compartilhar com você algumas atitudes que me ajudaram muito a reconstruir a minha autoestima durante o tratamento de Câncer.

Por Patrícia Figueiredo em dascoisasquetenhoaprendido.com.br

Vídeo: Ministério da Saúde

Aprovado projeto que obriga SUS a fazer cirurgia reparadora de câncer de mama

De acordo com o texto, as mutilações decorrentes de tratamento de câncer poderão ser reconstruídas assim que forem alcançadas as ‘condições clínicas requeridas’

Os senadores aprovaram, na noite desta quarta-feira (8), projeto que obriga as redes pública e privada de saúde a promover cirurgia plástica reparadora da mama nos dois seios das mulheres vítimas de câncer. Caso vire lei, será criada a chamada simetrização, que prevê a reconstrução mamária em ambos os seios, mesmo que a doença se manifeste em apenas um dos lados.

Screenshot_20171109-093818~2

Aprovada no Senado, a proposta precisa ser analisada pelos deputados antes de seguir para sanção presidencial. De acordo com o texto, as mutilações decorrentes de tratamento de câncer poderão ser reconstruídas assim que forem alcançadas as “condições clínicas requeridas”.

A relatora do projeto, senadora Marta Suplicy (PMDB-SP), ampliou o direito às mulheres que usam planos de saúde, já que antes a obrigação se estendia apenas a cirurgias gratuitas do Sistema Único de Saúde (SUS).

“Os procedimentos de simetrização da mama contralateral e de reconstrução do complexo aréolo-mamilar integram a cirurgia plástica reconstrutiva”, diz o projeto que pretende alterar a legislação sobre o assunto.

Por Agência Brasil

Caruaru-PE: 9ª Campanha de Prevenção das Doenças da Mama termina com mais de 10 mil atendimentos e 15 casos avançados

 

Fotos: André Ráguine

Fotos: André Ráguine

Chegou ao fim, no último domingo (29), a 9 ª Campanha de Prevenção das Doenças da Mama, realizada pela Clínica Manoel Florêncio Diagnósticos e a Câmara Setorial da Saúde da Acic. O evento, idealizado pelo médico Manoel Florêncio, é realizado todos os anos, desde 2008, no mês de outubro, quando se tem a ação mundial do “Outubro Rosa”, incentivando a prevenção do câncer de mama.

Fotos: André Ráguine

Fotos: André Ráguine

Foram sete dias de campanha, com o propósito não só de prevenir o câncer de mama, mas também de salvar vidas. De acordo com dados levantados pela organização, mais de 10 mil mulheres foram atendidas, com o maior número de casos descobertos na história da campanha, com 15 casos avançados – destes, seis foram confirmados por mamografia. Até o ano passado, a média anual era de quatro novos casos descobertos.

Ainda segundo a organização, foram encaminhadas 300 pacientes para mamografia, sendo 100 para a Clínica Manoel Florêncio Diagnósticos e 200 para a rede credenciada do município. Foram mais de 100 profissionais envolvidos, entre eles, estudantes de Medicina da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), de Enfermagem do Centro Universitário do Vale do Ipojuca (Unifavip DeVry) e da Associação Caruaruense de Ensino Superior (Asces Unita) e médicos da Clínica Manoel Florêncio Diagnósticos, que realizaram os exames de ultrassonografia mamária, além de estudantes de outras áreas de atuação, do Cebrac, que trabalharam na organização.

Fotos: André Ráguine

Fotos: André Ráguine

Criador da campanha, Dr. Manoel Florêncio destacou a importância e o objetivo do evento.

“A campanha foi um sucesso. Estamos felizes por poder levar a essas mulheres a oportunidade de serem examinadas, para que elas possam aprender a se tocar e, consequentemente, prevenir o câncer de mama. A função da campanha é essa, de elas se tocarem e não chegarem aqui com caroços”, ressaltou o médico.

TV Replay, o que é bom se repete!

Apesar de raro, câncer de mama também pode afetar homens; saiba como se prevenir

Por ser pouco conhecido, a maioria dos casos são identificados em estágio avançado

Você sabia que o câncer de mama não é uma doença exclusiva das mulheres? Ela também pode ser detectada em homens. São raros os casos, mas 1% dos casos foram detectados em homens.

Muitos se recusam a fazer a mamografia, mas os especialistas alertam que não é pelo fato da mama ser menos desenvolvida nos homens e por terem níveis reduzidos de hormônios femininos, que estão imunes a doença.

Screenshot_20171019-184134~2

São vários os fatores que podem aumentar o risco dos homens desenvolverem câncer de mama: envelhecimento, hereditariedade, síndrome de Klinefelter (condição congênita que afeta 0,1% dos homens, que fazem com que não produzam espermatozoides funcionais), exposição às radiações, alcoolismo e outros.

Vale lembrar que algumas pessoas com muitos fatores de risco, muitas vezes não desenvolvem a doença, já outros, sem nenhum, podem a vir a tê-la.

O tratamento do câncer de mama nos homens é similar ao das mulheres. O paciente terá que fazer quimioterapia, radioterapia, cirurgia e hormonioterapia.

A melhor maneira de prevenir o câncer de mama tanto nos homens, quanto nas mulheres é adotar hábitos saudáveis, controlar o peso, evitar bebidas alcoólicas e cigarros.

O câncer de mama é uma doença causada pela reprodução de células anormais da mama, que formam um tumor. Existem vários tipos de câncer de mama e alguns se desenvolvem mais rápido que os outros.

Segundo o Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva, o câncer de mama é o câncer mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil, depois do câncer de pele não melanoma. A cada ano, a doença responde cerca de 25% dos casos novos.

Outubro Rosa – Amamentação ajuda a prevenir o câncer de mama

A amamentação gera inúmeros benefícios para a saúde da mãe e do bebê. A prevenção do câncer de mama é um deles. O risco de contrair a doença diminui 4,3% a cada 12 meses de duração de amamentação, estima um estudo com mulheres de 30 diferentes nacionalidades, publicado em 2002. Essa proteção independe de idade, etnia, paridade e situação hormonal (pré ou pós- menopausa).

Amamentar_Câncer_de_Mama

Neste ano, a revisão do Fundo Mundial para Pesquisas sobre Câncer (World Cancer Research Fund – WCRF) sobre lactação e câncer de mama aponta que a amamentação provavelmente diminui o risco de câncer de mama em mulheres até a pós-menopausa. 

Segundo o editor científico da Revista Brasileira de Cancerologia, Ronaldo Corrêa, vários estudos realizados nos últimos 30 anos mostram a associação entre a amamentação e a prevenção do câncer de mama. “Existe uma correlação linear entre o tempo da amamentação e o grau de proteção. Ou seja, quanto mais a mulher amamenta e por mais tempo – se ela teve dois, três partos, e nesses partos ela amamentou durante muito tempo – menor o risco, em comparação com mulheres que não tiveram tantos partos e não amamentaram por tanto tempo”, afirma.

O mecanismo responsável para tal proteção ainda não foi completamente esclarecido, mas existem várias hipóteses para isso. “Tem uma hipótese que afirma que enquanto a mulher amamenta, ela bloqueia os ciclos ovulatórios, diminuindo a sobrecarga hormonal. Ou seja, ela deixa de produzir um quantitativo maior de hormônios femininos nessa fase. Então, isso poderia ser uma explicação plausível, uma vez que grande parte dos casos de câncer de mama sofrem influência dos hormônios femininos”, explica Corrêa.

Outra hipótese seria o fato da maior exfoliação das células dos ductos mamários durante a amamentação e a grande morte programada das células mamárias após a amamentação promoverem a remoção de células com alguma alteração genética.

Em resumo, amamentar provavelmente diminui o risco de câncer de mama em mulheres na pré e pós menopausa, além de estar associado a outros benefícios de saúde para a mulher e para a criança. Manter o peso ideal para a idade, praticar atividades físicas regularmente, não consumir álcool, consumir diariamente uma dieta rica em frutas, verduras e legumes também contribuem para diminuir o risco de câncer de mama.

Câncer de mama

O câncer de mama é o câncer mais frequente no mundo e entre as mulheres, depois do de pele não melanoma, com uma estimativa de mais de dois milhões de casos novos e cerca de 530 mil mortes em 2015 no mundo. Entre 2005 e 2015, no mundo, estima-se que houve um incremento de 43% dos casos de câncer de mama, sendo 2/3 deste crescimento devido ao crescimento e envelhecimento da população. No Brasil, estimam-se 57,9 mil casos novos em 2016/2017.

No Brasil, a recomendação do Ministério da Saúde – assim como a da Organização Mundial da Saúde e a de outros países – é a realização da mamografia de rastreamento (quando não há sinais nem sintomas) em mulheres de 50 a 69 anos, uma vez a cada dois anos.

Para tratar o câncer de mama, o SUS oferece cirurgias oncológicas (mastectomia, conservadoras e reconstrução mamária), radioterapia e quimioterapia. Em 2016, foram um total de 18.488 cirurgias de mastectomias e cirurgias conservadoras, 2,8 milhões de procedimentos de campos de radioterapia e 1.184.622 sessões de quimioterapia, além de 3.348 cirurgias de reconstrução mamária. Cabe destacar que o SUS garante a oferta gratuita de exame de mamografia para as mulheres em todas as faixas etárias, desde que exista recomendação médica.

Do Blog da Saúde

Cachoeirinha-PE: Outubro Rosa – Presidente da Câmara ressalta importância do auto-exame e da mamografia para prevenção ao câncer de mama

Durante todo este mês, as atenções estão voltadas à orientação e prevenção ao câncer de mama. O Outubro Rosa, como é denominado o período, surgiu nos Estados Unidos em 1990 e hoje, celebrado em todo o mundo, visa ampliar as discussões sobre o assunto.

O tema foi abordado na sessão da última terça-feira (03/10) da Câmara Municipal de Cachoeirinha pela Presidente da Casa, Silvia Xavier, onde destacou a importância da prevenção, já que na maioria dos casos, o diagnóstico precoce é determinante para a cura da paciente.

Silvia Xavier TV Replay

Em tribuna, a presidente enfatizou a necessidade dos homens também realizarem o auto-exame, uma vez que apesar do câncer de mama ser comumente associado apenas às mulheres, os homens também podem desenvolver a doença.

Os números no Brasil

O câncer de mama é o segundo tipo de tumor mais frequente no mundo e o mais comum entre as mulheres, excluindo-se o câncer de pele.

Estudos realizados pelo Instituto Nacional do Câncer (INCA) comprovaram que em 2014 aconteceram mais de 57 mil casos de câncer de mama no Brasil.

Nos Estados Unidos, estima-se que em 2014 foram diagnosticados mais de 200 mil novos casos em mulheres e 40 mil mortes. Embora o câncer de mama atinja, com maior frequência, pessoas do sexo feminino, a doença também pode afetar os homens. Foram mais de dois mil casos e cerca de 430 mortes, nesse mesmo ano, de acordo com o National Cancer Institute.

Principais sintomas:

Nódulos palpáveis na mama ou região das axilas.

Alterações na pele que recobre o local do nódulo.

Região da mama com aspecto parecido a uma casca de laranja.

Fatores de risco:

O câncer de mama geralmente afeta as mulheres acima dos 35 anos e os principais fatores de risco são: mulher que teve a menstruação precocemente; primeira gravidez após os 30 anos; não ter filhos e menopausa depois dos 50 anos, que é considerada tardia.

O histórico familiar é também um dos principais fatores de risco, principalmente se um ou mais parentes de primeiro grau, como mãe e irmã, tiveram a doença antes dos 50 anos.

Como prevenir?

Para a prevenção do câncer de mama é importante realizar o autoexame, apalpando as mamas, que a própria mulher deve fazer mensalmente a partir dos 20 anos de idade. Esse autoexame deve ser feito entre o quarto e o sexto dia depois do fim do fluxo menstrual. As mulheres que não menstruam devem escolher uma data para fazer a avaliação.

Outro método de prevenção é fazer exame de mamografia rotineiramente de acordo com a indicação do ginecologista.  Quanto mais cedo detectar o tumor, maiores a chances de se obter a cura. Na etapa inicial da doença, a probabilidade de cura é de 95%. Além disso, é importante ter hábitos saudáveis, fazer atividade física regularmente, não fumar, ingerir pouca bebida alcoólica e ter uma alimentação equilibrada evitando alimentos gordurosos.

Referências

Instituto Nacional de Câncer
http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/tiposdecancer/site/home+/mama/cancer_mama

Centro de Combate ao Câncer
http://www.cccancer.net/downloads/mama_net.pdf

National Cancer Institute
http://www.cancer.gov/cancertopics/types/breast

Associação de Obstetrícia e Ginecologia de do Estado de São Paulo
http://www.sogesp.com.br/canal-saude-mulher/guia-de-saude-e-bem-estar/rastreamento-do-cancer-de-mama-e-do-colo-do-utero

Hospital Albert Eintein
http://www.einstein.br/einstein-saude/vida-saudavel/crianca-e-adolescente/Paginas/ha-hora-certa-para-ser-mulher.aspx

Outubro Rosa – Câncer de mama atinge mulheres cada vez mais jovens

Campanha alerta para a necessidade do diagnóstico precoce da doença na luta pela cura: mamografias e autoexames devem fazer parte da rotina feminina

Os seios são fontes de várias simbologias em diferentes culturas. Motivo de inspiração e desejo, são também o órgão da amamentação, da feminilidade e do prazer. A mama, contudo, adoece. O câncer é o mal que mais acomete essa glândula — 28% do total de tumores —, sendo o tipo que mais provoca a morte de mulheres no Brasil. Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), a estimativa é de 60 mil novos casos por ano em mulheres cada vez mais jovens. Quanto mais cedo, porém, o diagnóstico, mais chances de cura. A entidade informa que, quando descoberto no início, há 95% de probabilidade de recuperação total.

“O câncer de mama é uma patologia que, se diagnosticada precocemente, tem mais chances de ser tratada e diminui a possibilidade de tratamentos, como a quimioterapia e até a mastectomia”, explica Fernanda Salum, mastologista do Hospital Universitário de Brasília. O tratamento do câncer de mama foi uma dolorosa batalha para a coordenadora parlamentar de relações institucionais Patrícia Goulart, 52 anos, que perdeu duas irmãs para a doença. “Uma delas teve um câncer que não era compatível com o remédio, enquanto a outra apresentou sintomas muito agressivos e não teve tempo. Passei por todas as etapas, começando com o autoexame, e tenho certeza de que as medidas preventivas me fizeram estar aqui hoje”, conta.

Margareth Vicente ficou abalada com a descoberta da doença, mas a enfrentou com otimismo: "Fiquei careca, usava lenços lindos, sempre de batom". foto: Luís Nova/CB

Margareth Vicente ficou abalada com a descoberta da doença, mas a enfrentou com otimismo: “Fiquei careca, usava lenços lindos, sempre de batom”. foto: Luís Nova/CB

Após quase um ano de quimioterapia e recuperação de uma mastectomia para tirar os dois seios, Patrícia finalmente se curou. Hoje, vê as cicatrizes com naturalidade e pretende tatuar flores no local da cirurgia. Nos próximos 10 anos, ela precisa de medicamentos com hormônios. “Mas agora é vida normal. Sou divorciada, saio com frequência, conheço pessoas diferentes e, sim, eu paquero. Tive vergonha, mas hoje tenho orgulho do meu novo modelo de corpo”, comenta. Os lenços que Patrícia usou enquanto estava sem cabelos foram repassados a uma amiga. Hoje, a “sacolinha da sorte” está com a sexta “dona”. “A gente passou de uma para a outra, como um símbolo de luta, mas de sorte também.”

Com o objetivo de chamar a atenção e divulgar histórias como a de Patrícia, surgiu, na década de 1990, no Estados Unidos, a campanha Outubro rosa, hoje difundida em diversos países. No Brasil, a primeira iniciativa partiu de um grupo de mulheres, em 2002, e foi marcada pela iluminação rosa do Obelisco do Ibirapuera, em São Paulo — em 2 de outubro, na comemoração dos 70 anos do encerramento da revolução, o monumento ficou iluminado com a cor da campanha.

Anos mais tarde, entidades relacionadas ao câncer de mama iluminaram de rosa monumentos e prédios em diversas cidades. Aos poucos, o Brasil foi ganhado a simbólica cor em todas as capitais e o mês de outubro tornou-se símbolo da luta pela prevenção e tratamento. “A gente vê que, em outubro, aumenta a solicitação por mamografia. A fila cresce e a quantidade de exames, também”, diz Fernanda Salum. O Ministério da Saúde registra um crescimento de 35% na realização de exames, que passou de 3 milhões, em 2010, para 4,1 milhões em 2016. Até julho deste ano, foram realizados um total de 2,1 milhões de testes.

20171001113731835547e (1)

Bom humor

A jornalista Margareth Aparecida Vicente, 56, venceu a doença. Aos 50, quando se submeteu a exames de rotina, recebeu o diagnóstico do tumor, em fase inicial. Ela diz que, no começo, ficou abalada, mas depois resolveu encarar tudo com bom humor. “Eu tinha duas opções: ou fazia o tratamento de mal com o mundo, ou fazia o tratamento de bem com tudo, o que facilitaria muito a minha vida”, ressalta. “Fiquei careca, usava lenços lindos, sempre de batom, sempre de maquiagem, não parei de trabalhar”, afirma, sorridente. No caso de Margareth, os médicos fizeram uma cirurgia chamada quadrantectomia, em que é retirado somente o quadrante onde o tumor está localizado. Quando se pensa na doença, logo vem à mente a retirada total do seio, mas isso não é uma regra. “Se o câncer for pequeno e a mama, não tão pequena, a gente consegue retirar o tumor preservando o seio”, frisa Fernanda Salum.

Na luta pela cura, Margareth percebeu a dificuldade no acesso às informações sobre a doença e na forma como as mulheres lidavam com a situação. Foi então que criou o blog Mama Mia, para falar da experiência e divulgar conhecimento sobre a patologia. “Passa a ser uma missão. O meu blog é para ajudar as pessoas de maneira bem-humorada e descontraída. Eu fazia entrevistas com médicos, esclarecendo o que é mito e o que é realidade”, conta. A partir daí, a jornalista entrou para um grupo de mulheres que têm ou tiveram câncer. Hoje, é coordenadora da turma e já ajudou mais de 4 mil pessoas a passarem pela doença com a cabeça erguida. “Somos todas amigas que se amam, trabalhamos juntas para ajudar mais mulheres, compartilhamos informações que a gente não conversa com o médico, como dicas para cabelo, unha, pele”, relata.

Prevenção

Além da mamografia, o Outubro rosa alerta para a importância do autoexame. Segundo pesquisa do Inca, de 2016, 66,2% das descobertas da doença ocorrem pelas próprias pacientes. O coordenador-geral de Oncologia do Hospital Santa Lúcia, Fernando Maluf, ressalta a importância do autoexame, mesmo em quem tem menos de 40 anos. “A incidência em mulheres novas vem aumentando”, informa. “A mamografia anual para essas mulheres não é necessária, exceto nos casos de histórico familiar.” Segundo Maluf, uma em cada 10 mulheres tem ou vai ter o tumor. “A incidência vem crescendo entre 5% e 10% nos últimos 10 anos. A população está envelhecendo, e isso (a doença) está muito relacionada à obesidade, ao sedentarismo. Os tumores femininos talvez sejam os que mais têm apresentado crescimento”, adverte.

Os sinais do corpo

Apesar de o câncer ser uma doença, na maioria das vezes, com desenvolvimento silencioso, algumas mulheres sentem mudanças no corpo. Os sintomas incluem nódulo na mama, secreção com sangue pelo mamilo e alterações na forma ou na textura do mamilo ou da mama. O tratamento depende da fase do tumor. Pode incluir quimioterapia, radioterapia e cirurgia.

“Envolve, na maioria, cirurgia e radioterapia. Em 70% dos casos, também são feitos tratamentos anti-hormonais”, explica o coordenador-geral de Oncologia do Hospital Santa Lúcia, Fernando Maluf. Esses procedimentos se tornam mais complicados conforme o estágio do tumor. “Quando está avançando e é agressivo, ou quando a mulher não faz acompanhamento, a taxa de cura cai para 50%, 40%.”

É consenso entre especialistas e mulheres curadas que a doença não deve ser encarada como um bicho de sete cabeças. Em 19 de outubro, é comemorado o Dia Internacional contra o Câncer de Mama, que, mais uma vez, lembra a todas de cuidar da própria saúde.

Por: Aline Brito - Correio Braziliense

Por: Bernardo Bittar - Correio Braziliense

Cachoeirinha-PE: Secretarias de Saúde e Assistência Social em parceria encerram o Outubro Rosa e dão início ao Novembro Azul

A cidade de Cachoeirinha-PE durante o mês passado, vivenciou o “Outubro Rosa”, uma programação nacional que tem por objetivo proporcionar às mulheres uma atenção maior na sua saúde principalmente no quesito Câncer de Mama. No município aconteceram aulas de Zumba, realização de exames e atendimentos nos PSF’s (Programa Saúde da Família) de todos os bairros da cidade.

Na noite da última quarta-feira (04), aconteceu o encerramento do Outubro Rosa, onde representantes das secretarias de Saúde (Diretora Marisla Macedo) e de Assistência Social (Secretária Andréa Paula) estiveram presentes. Na ocasião, aulas de aeroboxe e zumba marcaram a noite, onde um grande público de mulheres de todas as idades e alguns homens estiveram participando do evento.

Fechando as programações do Outubro Rosa, Márcia Carla, uma paciente residente na cidade, agente de saúde, diagnosticada com cancêr de mama, deu seu depoimento de cura e levou grande parte do público a se emocionar; ela foi acometida pela doença em 2014, e na noite desta quarta-feira, relatou sua luta até chegar ao momento da vitória.

Márcia passou por cirurgias, quimioterapias, radioterapias, exames e mais exames para que nesta quarta (04) pudesse contar seu testemunho. Tendo Deus como o responsável por sua cura, Márcia cantou com o público uma canção que emocionou a todos e a mesma fez questão de dizer às mulheres que a prevenção da doença logo no início, a probabilidade dos resultados serem positivos é bem maior.

márcia

Além do encerramento do Outubro Rosa, deu-se início as programações do Novembro Azul, um mês voltado para o combate ao Câncer de Próstata. Homens a partir de 50 anos (ou 45, se houver casos de câncer de próstata na família) devem procurar seus PSF’s (Programa Saúde da Família) para realização dos exames preventivos desta doença que tem levado muitos homens a óbito.

Exercício físico foi o que não faltou durante a programação. Movimentos de boxe, com ritmos que embalaram o público, mexeram os esqueletos dos homens e mulheres presentes.

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21

IMG_20151104_182235658 IMG_20151104_182252025 IMG_20151104_182410186 IMG_20151104_182429017 IMG_20151104_183057737 IMG_20151104_183107480 IMG_20151104_184931930 IMG_20151104_185226685 IMG_20151104_185232712 IMG_20151104_185240519 IMG_20151104_185248821

1

Estas ações realizadas no município são mais que plausíveis, pois elas são a concretização do direito à saúde de qualidade do cidadão brasileiro. É importante que a população valorize estas oportunidades e cuidem de sua saúde, preservando seu corpo e sua vida dos perigos da morte.

TV Nova Replay, o que é bom se repete!

Arcoverde-PE: “Projeto Colmeia” oferece Feira de saúde e cidadania para população da cidade

A cidade de Arcoverde-PE recebe nesta quarta-feira (28) e quinta-feira (29), a oitava edição do Projeto Colmeia – Feira de Saúde e Cidadania, que aporta na unidade do Sesc, no centro do município, com serviços gratuitos à população. A novidade deste ano é a Feira de Adoção de Animais, uma parceria com a ONG “Amor Animal”, que vai oferecer a oportunidade de 20 cães e gatos ganharem um lar. Para adotar, é necessário ser maior de idade e apresentar o RG e o comprovante de residência.

A população poderá contar com serviços como: atendimento médico, avaliação física e nutricional, orientação e prevenção ao câncer de mama, aferição de pressão, teste de glicemia, colesterol, Sífilis, HIV e Hepatite C. Além disso, uma parceria com a Fundação Altino Ventura disponibilizará o exame de visão, sendo necessário apresentar o RG, CPF, o comprovante de residência e o Cartão do SUS.

No local, haverá ainda orientações jurídicas, previdenciárias, informações sobre o Cadastro do Bolsa Família, e ainda emissão da segunda via da Certidão de Nascimento. Atividades de lazer como Jump, Step e Aeróbica estão na programação. No dia 29, às 16h30, o Projeto Colmeia movimenta a quinta edição do casamento comunitário com a participação de 26 casais.

Colmeia – A iniciativa, que tem como objetivo assegurar a programação de saúde e cidadania, existe desde 1988 no Recife e se estendeu às cidades de Caruaru, Garanhuns, Petrolina e Camaragibe. O Colmeia já alcançou cerca de um milhão de atendimentos.

_55bda9c7b0a29eb83dc8c34ca2c86303

TV Nova Replay, o que é bom se repete!

Cachoeirinha-PE: Programações do Outubro Rosa iniciam-se nesta sexta (02) no município

01

O Outubro Rosa é um movimento que se originou nos Estados Unidos, na década de 1990, e tem como objetivo estimular a participação da sociedade no combate ao Câncer de Mama. Durante todo o mês, celebrações são realizadas a partir de eventos que contam com palestras, realizações de exames, atendimentos médicos e tudo isto, no intuito de conscientizar e informar à população feminina, os riscos e cuidados desta doença.

A cidade de Cachoeirinha-PE não ficará de fora. A partir desta sexta-feira (02), será iniciada uma série de programações durante todo o mês de outubro, direcionadas a todas as mulheres cachoeirinhenses.

A abertura será nesta sexta (03), na Academia das Cidades, a partir das 18h. Serão realizadas palestras com a equipe do NASF (Núcleos de Apoio à Saúde da Família) e com a Dra. Denúsia Elias. Um stand será instalado, e na ocasião, serão realizadas Aferição de Pressão, Medição de Glicemia e realização de testes rápidos de HIV. Para finalizar o primeiro dia da programação, haverá uma Aula de Zumba, com o professor Gilmar Xavier e contará com o paredão de Valdir.

CONFIRA TODA A PROGRAMAÇÃO DO OUTUBRO ROSA:

  • 08/10 – Missa para as mulheres;
  • 08 e 22/ 10 – Realização de vacinação: influenza, hepatite b;
  • 16 e 30/10 – Aulas de Zumba;
  • 05, 19, 26/10 – Palestra da equipe do NASF na Policlínica;
  • 30/10ENCERRAMENTO: Palestra com psicólogo Matheus; Stand da saúde.

Programação das Equipes de Saúde da Família:

  • Palestras com a equipe do NASF;
  • Consultas médicas de orientação e encaminhamento;
  • Exames de citologia;
  • Atendimento odontológico.
  1. 07/10 – PSF Vila Pombos;
  2. 13/10 – PSF Centro;
  3. 14/10 – PSF – Vila Noêmia;
  4. 19/10 – PSF Caldeirão;
  5. 21/10 – PSF Vila Tancredo Neves;
  6. 26/10 – PSF Vila Cabanas;
  7. 27/10 – PSF Centro II;
  8. 28/10 – PSF VilaLacasa.

É importante que todas as mulheres cachoeirinhenses estejam engajadas neste evento, visto que toda atenção e todo atendimento será voltado para a saúde da mulher no combate ao câncer de mama. O Outubro Rosa está sendo direcionado pela Secretaria de Saúde, de Assistência Social em parceria com a Prefeitura.

TV Replay, o que é bom se repete!

Garanhuns-PE: Vereador quer disponibilizar cirurgia de reconstrução mamária para pacientes

O vereador Gil PM (PRB), preocupado com a saúde e bem estar da mulher, protocolou requerimento endereçado ao Chefe do Poder Executivo de Garanhuns, solicitando que em parceria com o Governo do Estado, firme convênios com clinicas e hospitais em nossa cidade, para viabilizar a realização de cirurgia de reconstrução mamária em pacientes com câncer de mama, que fizeram retirada total ou parcial do seio.

Por ano, cerca de 578 pacientes morrem em Pernambuco por causa do câncer de mama. Também anualmente, o Instituto Nacional de Câncer estima a ocorrência de mais de mil novos casos da doença no Estado. Em casos extremos, o câncer de mama requer a necessidade da retirada do seio.

Na avaliação do vereador, a medida permitirá uma nova realidade para as mulheres que fizeram mastectomia. “Cerca de 31% dos casamentos terminam depois do procedimento, e 64% das mulheres que passaram por esse tipo de cirurgia se sentem inferiorizadas na sociedade. E ter as mamas reconstruídas é um renascimento para a mulher. O impacto na autoestima, no relacionamento afetivo e na vida social é muito grande”, afirmou Gil PM.

O pedido do Parlamentar tem como base a Lei 12.802/2013, que obriga o Sistema Único de Saúde (SUS) a fazer a cirurgia plástica reparadora da mama logo em seguida à retirada do câncer, quando houver condições médicas, e a Lei 12.732/2012, que dispõe sobre o prazo para iniciar tratamento de pacientes com neoplasia maligna, em seu artigo 4º diz que os estados que apresentarem carência de serviços especializados em oncologia deverão produzir planos regionais para a área. 

unnamed (1)

unnamed

TV Replay, o que é bom se repete!

Canhotinho-PE: Participe da caminhada contra o câncer de mama

Amanhã, dia 25, acontecerá a culminância da Campanha Outubro Rosa na cidade. A concentração se realizará a partir das 08:00h na Secretaria de Saúde, onde seguirão em caminhada até a praça de eventos, local que serão oferecidos vários serviços relacionados à campanha.

Mulheres, compareçam, façam o exame, ou mesmo acompanhem e abracem essa causa.

Homens, incentivem suas esposas, mães, filhas e quem mais vocês amam, a participarem deste grandioso evento.

“Declare seu amor por você mesma na luta contra o câncer de mama”

 

1380387_447003712087441_1415482325_n

Foto: Divulgação

TV Replay, o que é bom se repete!

Canhotinho-PE: Saiba como fazer o autoexame do câncer de mama

A prefeitura Municipal de Canhotinho, através da Secretaria de Saúde, está disponibilizando um folheto explicativo com todo o procedimento para a realização do autoexame de mama. Se ainda não viu, confira aqui:

1 – De frente para o espelho, sem roupa, com as mãos na cintura, observe as mamas e vejas se são iguais.

2 – Com as mãos para cima, observe se as mamas são iguais e se os mamilos estão na mesma altura.

3 – Coloque a mão direita na nuca e com a outra mão apalpe a mama direita com movimentos circulares, procurando por caroços.

4 – Faça uma pressão suave com os dedos nos mamilos e na auréola, observando se sai algum líquido.

5 – Coloque a mão em baixo do braço, na axila, indo em direção à mama e faça movimentos circulares, procurando por caroços ou alguma sensação estranha.

6 – Deitada na cama, coloque a mão direita na nuca, e com a outra faça toda a apalpação da mama e da axila direita.

7 – Repita todo o processo na mama esquerda.

 Índice

TV Replay, o que é bom se repete!

Seios envelhecem mais rápido do que as outras partes do corpo feminino

Descoberta pode explicar o motivo de o câncer de mama ser o tipo mais comum de câncer entre as mulheres

Fonte da imagem: shutterstock

Fonte da imagem: shutterstock

Durante um estudo os pesquisadores analisaram milhares de amostras de vários tipos de tecidos, dando especial atenção a um processo natural chamado metilação, no qual ocorre uma alteração química no DNA. Segundo explicaram, conforme envelhecemos o padrão dessas alterações químicas vão mudando e, a partir da avaliação dessas mudanças é possível determinar a idade de alguém com 96% de precisão.

Envelhecimento mamário

Fonte da imagem: shutterstock

Fonte da imagem: shutterstock

Foi através dessas análises que os cientistas perceberam que tecidos e órgãos envelhecem com ritmos diferentes, e que se estiverem doentes — com câncer, por exemplo — a velocidade é muito mais rápida. No entanto, ao estudar as células saudáveis, os pesquisadores observaram que os seios envelhecem mais depressa do que outras partes do corpo feminino. Em média, essas estruturas mostraram ter entre 2 e 3 anos mais do que a idade das mulheres.

Para os cientistas, o ritmo de envelhecimento dos seios provavelmente se deve à constante exposição dessas estruturas aos hormônios. Aliás, como o envelhecimento é considerado um fator de risco para o desenvolvimento do câncer de mama, o estudo sugere que o ritmo acelerado de envelhecimento desse tecido pode explicar o motivo de esse ser o tipo de câncer mais comum entre as mulheres.

CSI

Fonte da imagem: pixabay

Fonte da imagem: pixabay

Os pesquisadores explicaram que o novo sistema, além de poder ser empregado para determinar o ritmo de envelhecimento de órgãos e tecidos — e potencialmente ajudar no diagnóstico de câncer, apontando o envelhecimento precoce de células através de biópsias —, também pode ser utilizado pela medicina forense. Como o método funciona com amostras de sangue, ele pode ser aplicado para revelar a idade de suspeitos, por exemplo.

O outro sistema em uso para determinar a idade de alguém está baseado na análise do comprimento dos telômeros — as pontinhas dos cromossomos, que vão diminuindo como se fossem pavios de velas conforme envelhecemos —, mas apresenta apenas 53% de precisão. O método desenvolvido agora está disponível livremente para que outros cientistas possam utilizá-lo, e a ideia é que as duas técnicas sejam aplicadas em conjunto.

Isso sem contar que o estudo pode ajudar os cientistas a entender o processo de envelhecimento. Além disso, uma vez os pesquisadores entendam qual é o papel da metilação no envelhecimento, quem sabe eles não descubram uma forma de reduzir a velocidade desse processo?

Fonte: NewScientist

 

Excesso de peso pode aumentar o risco de câncer de mama

Qualidade de vida e rotina de exames são fundamentais na prevenção.

1

 

Uma pesquisa recente da Universidade de Colorado, nos EUA, realizada com roedores, reforçou o que os médicos já sabiam: a obesidade na pós-menopausa aumenta o risco relativo do câncer de mama, que é o de maior incidência entre as brasileiras e também o que mais mata mulheres no país. Segundo estudo do Instituto Nacional do Câncer (INCA), estima-se que em 2013 cerca de 52.680 mulheres sejam diagnosticadas com a doença.

Por isso, a Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo) alerta sobre a importância de uma vida saudável na pós-menopausa, aliada a uma rotina de exames, para prevenção e tratamento do câncer de mama.

O presidente da Comissão Nacional Especializada em Mamografia da Febrasgo, Paulo Mauricio Soares Pereira, explica que o tecido adiposo na pós-menopausa é o responsável pela conversão periférica do estrogênio e a atuação deste no tecido mamário aumenta a proliferação celular, uma das condições necessárias para o desenvolvimento das neoplasias, ou seja, células do câncer. “A busca pela saúde e por uma melhor qualidade de vida deve ser constante, independente da faixa etária”, diz.

Segundo o presidente da Comissão Nacional Especializada em Mastologia da Febrasgo, Afonso Celso Pinto Nazario, o fator obesidade gera um aumento em torno de 1,2%. Ou seja: se o risco em uma determinada população é de 100 casos para cada 100 mil mulheres, em obesas na pós-menopausa passa a ser de 120 casos para cada 100 mil mulheres. “O estilo de vida saudável, que se constitui no tripé alimentação balanceada, prática regular de atividade física e controle do stress físico-emocional, ao diminuir a ansiedade e depressão, pode contribuir para reduzir o risco de câncer de mama”, afirma.

Por ser uma doença decorrente de diversos fatores interligados, não existe uma única medida preventiva para o câncer de mama. Mas o Dr. Afonso Nazario reforça que a principal arma ainda é a detecção precoce por meio de mamografia anual a partir dos 40 anos. Ao ser diagnosticado em fases iniciais, as taxas de cura podem chegar a até 95%. E o melhor, com tratamentos pouco agressivos e mantendo o aspecto estético das mamas.

“Mesmo com informações disponíveis, muitas mulheres deixam de fazer a mamografia com a periodicidade necessária por não apresentarem sintomas ou pela dificuldade de acesso ao exame na rede pública. É comum também as mulheres se despreocuparem da prevenção porque não têm nenhum parente próximo com a doença, mas isto é um erro: 90% das vítimas não possuem histórico familiar”, alerta.

Por isso, é importante que na pós-menopausa a mulher continue a ser acompanhada por um médico especialista, que saberá como identificar qualquer sinal da doença e orientá-la da melhor forma caso haja alguma alteração que coloque em risco sua saúde e sua vida.

Fonte: http://www.bolsademulher.com