Blog de Airton Sousa: No Brasileiro uma vitoria e duas derrotas

Campeonato-brasileiro-2017

Já sabíamos que seria um jogo difícil, e quase impossível o Santa Cruz voltar de Porto Alegre com um resultado positivo no jogo contra o  Internacional. Porém, o time tricolor surpreendeu pelo esquema aplicado durante o jogo e pela determinação dos jogadores dentro de campo, produzindo um bom futebol contra o líder absoluto da serie-B e diante de uma grande torcida.

O primeiro gol do jogo foi aos 9 minutos, através de um pênalti  onde outra vez com o critério de bola na mão, ou mão na bola deixa o árbitro a vontade para a marcação. O jogador Guilherme Matos caído, a bola bateu em sua mão e o árbitro assinalou a penalidade máxima. Na cobrança o jogador Dalessandro  cobrou e colocou o Internacional  na frente do placar.

Nem assim o Santa Cruz se rendeu, continuou jogando aberto, partindo para cima, no entanto a fragilidade ofensiva não permitia que o empate acontecesse, terminando o primeiro tempo com a vitória parcial do time gaúcho. Porém, todos foram unanimes em afirmar o bom futebol jogado pelo time pernambucano.

No segundo tempo, o Santa Cruz voltou com o mesmo comportamento, porém os jogadores João Paulo e Primão, não conseguiam fazer a transição  para os atacantes e aos poucos o Internacional aumentava o seu volume de jogo.  Aos 25 minutos, o jogador Danilo lança Dalessandro que ganha de Anderson Sales e chuta indefensável contra o gol de Julio César, fazendo 2 x 0.

 Com a derrota e os resultados do Goiás e Figueirense, o Santa Cruz voltou a zona de rebaixamento. O próximo jogo será contra o America de Minas,sábado (07) no Arruda  às 19 horas, onde o time mais do que nunca terá que vencer se quizer sair da zona de rebaixamento, e sabemos que não é fácil o jogo contra o time mineiro, vice-lider da série B.

Em Caruaru, dentro do desespero que caracteriza cada jogo do Náutico, o time alvi-rubro enfrentou ao Boa Esporte. Também um jogo difícil pela campanha do Boa Esporte, e pelas limitações do Náutico. Porém os comandados de Roberto Fernandes, não economizaram garra e determinação, mesmo diante da boa qualidade técnica do time mineiro.

Aos 20 minutos outra vez uma questão dos critérios, bola na mão, ou mão na bola, e o jogador Diones é atingido pela bola, e o árbitro pune o Boa Esportes, marcando o pênalti. Na cobrança o jogador Rafinha cobrou e  colocou o Náutico na frente do placar. Se o Boa estava bem no jogo, aumentou o volume e os jogadores Paulinho, Felipe Matheus e Taciano, puxavam o time para cima do Náutico, o que podemos dizer que o time de Varginha mesmo perdendo, foi melhor no primeiro tempo.

No segundo tempo  o Náutico recuou, tentando administrar o resultado. Aos 36 minutos Gilmar coloca a mão na bola, o árbitro marca a penalidade, que é desperdiçada pelo jogador Felipe Matheus, com uma grande defesa de Jeferson.  A tentativa do Boa Esporte  com as bolas aéreas exigia da zaga alvi-rubra mais empenho. Aos 44 minutos o Náutico carimbava a vitória com um chute forte de Tico. O Náutico venceu por 2 x 0, continua na décima nona posição e joga sexta-feira contra o Goiás, fora de casa.

Finalmente a expectativa do jogo entre São Paulo e Sport no Morumbí. O São Paulo na tentativa de sair da zona de rebaixamento, e o Sport  buscando a vitória  depois  de oito jogos sem  vencer. O resultado no final do jogo, foi melhor para o São Paulo que venceu por 1 x 0, gol marcado aos 35 minutos do primeiro tempo pelo jogador Marcos Guilherme.

No inicio da partida um certo equilíbrio, inclusive com uma bola na trave do jogador Anselmo, em seguida os jogadores Lucas Prato, Cueva e Ernandes, chamaram a responsabilidade do jogo e o São Paulo envolveu o time leonino, principalmente da meia cancha para frente, além do mais contando com a ajuda de Wesley que esteve mal o tempo todo no jogo.

 Uma partida  de poucos chutes e muitos passes errados. O São Paulo teve 55% de aproveitamento, contra 45% do Sport, no primeiro tempo. Aos 47 minutos, um chute de Prato, quase ampliava o placar, porém Magrão evitou o gol  com uma grande defesa. Terminando a primeira etapa com a vitória parcial do time paulista.

No segundo tempo, o Sport volta com Osvaldo, tentando impor  velocidade ao time, e já aos 10 minutos Rogério no giro, quase marcava. Muitos passes errados nos dois times e aos 20 minutos o jogador Marcinho entra, para fazer o São Paulo avançar. Depois aos 22 minutos entram Thalísson e Tomás, com um erro do treinador Wanderley Luxemburgo, quando tirou o jogador  Anselmo, considerado o melhor em campo.

O jogo caiu após 30 minutos e somente aos 35  Shaylon chuta contra a meta de Magrão, enquanto que Osvaldo perdeu  uma chance aos 47 minutos, chutando por fora , além de uma cabeçada de Tomás aos 49 minutos, para uma defesa de Cidão, considerado o melhor jogador por parte do São Paulo. Com a vitoria, o São Paulo foi para a  décima quarta posição com 31 pontos, enquanto o Sport foi a décima sexta com 30 pontos, podendo entrar na zona de rebaixamento, caso a Ponte Preta vença nesta segunda-feira (02), ao  Flamengo.

Blog de Airton Sousa: Pernambucanos jogam de olho nos concorrentes

                                           sns

Pernambucanos jogam de olho nos concorrentes os seus resultados e com os resultados dos  concorrentes. O Náutico joga do Lacerdão, em Caruaru contra o Boa Esporte, o adversário não incomoda porque está bem a frente somando 37 pontos, na nona colocação. Até aí tudo bem, porém ABC, Goiás e Figueirense ,  caso vençam distanciam-se mais ainda do alvi-rubro de Pernambuco.

Para o Náutico, pela situação na tabela e para tentar resistir ao rebaixamento, tem que fazer o seu dever de casa, buscando somar pontos coisa que não vem acontecendo, daí a situação complicada  na competição. O técnico Roberto Fernandes, outra vez meche no time, tentando com isso dá nova motivação. Quanto ao Boa Esporte, é um time organizado tecnicamente e vem fazendo uma boa campanha no meio da tabela.

Com uma situação um pouco parecida com a do Náutico, o Santa Cruz tem um jogo extremamente difícil, contra o líder da série-B, o Internacional que venceu nessa quarta-feira (27), ao América Mineiro no Beira Rio, assumindo a liderança da competição. É desnecessário dizer, que o jogo é difícil para o tricolor e que o time gaúcho é franco favorito .

O Santa Cruz tem 29 pontos, é o décimo sexto colocado, com a mesma pontuação tem o Figueirense, também com 29 pontos e a frente do tricolor está a equipe da Luverdense com 31 pontos, obrigando o Santa Cruz a lutar pelo menos por um empate, porque a esta altura o empate seria considerado um bom resultado, fato que fica difícil acontecer.

Por sua vez, no domingo a tarde o Sport que também se encontra em uma situação complicada, joga no Morumbí contra o time do São Paulo, que está a duas posições abaixo do rubro negro pernambucano, e que tem 28 pontos, ou seja dois pontos a menos, fazendo um jogo decisivo diante da sua torcida, que promete lotar o Estádio do Morumbí.

A situação do Sport encurta cada vez mais, porque tem algumas equipes rodeando o rubro-negro. O Bahia tem 30 pontos, sendo o décimo terceiro colocado, o Sport também tem 30 pontos ficando na décima quarta, o Avaí é outro que tem 30 pontos na décima quinta posição, o Vitória tem 29 pontos é o décimo sexto e finalmente o São Paulo é o décimo sétimo, com 28 pontos, ao lado da Ponte Preta também com 28 pontos.

Observa-se que a depender do resultado do Sport e de alguns concorrentes, o rubro negro Pernambucano, pode virar a 27ª.  rodada na zona de rebaixamento, o que será um desastre para o treinador, o grupo de jogadores, a torcida e os dirigentes que fizeram um investimento alto para a competição, e estão diante de uma ameaça dessas,  não sei  se para o bem, ou para o mal,  Diego Sousa e Patrick, não poderão jogar.

Com certeza, as três torcidas de Pernambuco, viverão nesse sábado e domingo, momentos de muita expectativa, em razão da situação dos nossos representantes no Campeonato Brasileiro, onde ninguém sabe concretamente o que pode acontecer. Porém  uma coisa é certa, todos os três clubes possuem elencos limitados, inconstantes e distantes de grandes perspectivas até o final da competição, o que é lamentável, porque traduz principalmente a incapacidade dos dirigentes de gerir com sucessos os clubes.