PUNIÇÃO – Câmara aumenta pena para motorista alcoolizado que provocar acidente com morte

Pelo texto, a punição para o crime será de reclusão de cinco a oito anos

A Câmara dos Deputados aprovou hoje (6) o aumento da pena para motoristas sob efeito de álcool ou drogas que provocar acidente com morte. Pelo texto, a punição para o crime será de reclusão de cinco a oito anos. O Projeto de Lei 5568/13, de autoria da deputada Keiko Ota (PSB-SP), já passou pelo Senado e agora segue para sanção presidencial.

O texto original da Câmara, aprovado em setembro de 2015, estabelecia pena de detenção de dois a quatro anos. Foto: Eduarda Abelenda/Cortesia

O texto original da Câmara, aprovado em setembro de 2015, estabelecia pena de detenção de dois a quatro anos. Foto: Eduarda Abelenda/Cortesia

O texto original da Câmara, aprovado em setembro de 2015, estabelecia pena de detenção de dois a quatro anos. Com o prazo alterado pelo Senado, a matéria precisou retornar para votação pelos deputados. A atual penalidade administrativa de suspensão ou proibição de se obter a permissão ou a habilitação para dirigir veículo automotor continua valendo.

No plenário, os deputados rejeitaram duas alterações ao texto feitas pelo Senado, uma delas a que acabava com o limite máximo de álcool a partir do qual o condutor flagrado pode ser condenado a pena de detenção de seis meses a três anos, multa e suspensão da carteira ou proibição de obtê-la. Atualmente, é prevista pena para o condutor flagrado dirigindo com concentração igual ou superior a 6 decigramas de álcool por litro de sangue ou igual ou superior a 0,3 miligrama de álcool por litro de ar nos pulmões.

As novas regras entrarão em vigor após 120 dias da publicação da lei.

Por Agência Brasil

 

Gameleira-PE: Homem é encontrado morto por populares

Na tarde desta quarta-feira (11/03/2015), em Gameleira, cidade Mata Sul de Pernambuco, foi encontrado morto o Sr. José Severino de Vasconcelos, com a idade de  53 anos, por moradores da região.

Segundo populares que residem nas proximidades da ponte seca, o mesmo faleceu decorrente do alcoolismo e ataque epilético.

A Equipe da TV Replay conversou com o comissário da Polícia Civil que estava de plantão, o Sr. Flavio Luiz da Silva, que falou sobre o caso:

flavio

2
“A vítima encontrada morta, trata-se do Sr. José Severino de Vasconcelos, 53 anos de idade, profissão ignorada. A Polícia foi acionada para averiguar o ocorrido e segundo comentários de populares, a vítima era dependente de Álcool e sofria de ataques epilíticos, que pode ter causado sua morte, mas a polícia continuará nas investigações do caso para saber de fato o que realmente aconteceu com a vítima.”

IMG-20150311-WA0016

A polícia esta investigando a origem da morte da vítima e sendo assim, o mesmo foi encaminhado ao IML (Instituto Médico Legal).

Assista, comente, curta, comente e divulgue. Mande sugestões e denúncias. Nossos contatos:

Facebook: CENTRAL GAMELEIRA
Email:jornalismo@tvreplay.com.br
Portal:www.tvreplay.com.br
Watssapp: 81 – 99317525

TV Replay, informações é aqui!

 

Gameleira-PE: Acidente de trânsito com vítima fatal

Em Gameleira, cidade Mata Sul de Pernambuco, no Engenho Bom Sucesso, aconteceu um trágico acidente de moto, onde fez mais uma vítima fatal nas estradas.

A equipe da TV Replay esteve em busca de informações, onde o Sr. Ozeias Idalino da Silva, Comissário de Polícia Civil de plantão falou sobre o caso:

2014-08-15 09.37.26“Ontem por volta das 20h20 no engenho Bom Sucesso  e nas margens da PE 73, houve um acidente de trânsito com vítima fatal, vitimando Janderson Gustavo Feliz do Nascimento que estava pilotando uma motocicleta Honda, Titan 150, onde perdeu o controle da moto vindo a colidir na traseira de um caminhão Mercedes Benz. A vítima tinha 21 anos e faleceu no local do acidente.”

IMG-20150222-WA0001IMG-20150222-WA000220150221_215528

Assista, comente, curta, comente e divulgue. Mande sugestões e denúncias. Nossos contatos:

Facebook: CENTRAL GAMELEIRA Email:jornalismo@tvreplay.com.br

Portal:www.tvreplay.com.br

Watssapp: 81 – 99317525

Reportagem e Imagens: Patrícia Silva

TV Replay, nós estamos onde a noticia está!

Gameleira-PE: Você conhece algum amigo usuários de álcool ou drogas? Indique o CAPS!

Em Gameleira, cidade Mata Sul Pernambucana, a TV Replay esteve no CAPS- Centro de Atenção Psicossocial, para saber como funciona esse órgão de saúde do SUS.

A Sra. Erilane Leite da Silva, Assistente Social, conta o que é CAPS no município:

Foto0242 Foto0244Foto0241

“O CAPS(Centro de Atenção Psicossocial) é um serviço de saúde de ordem público e aberto a toda a comunidade, ou seja, é um local para o tratamento de pessoas que sofrem de doenças de origem psicossociais como neuroses graves e persistentes psicoses, transtornos mentais e outras doenças que se enquadrem nessas características.

Atendemos pessoas que apresentem essas características, bem como ou seja, que possuam essas condições e que tenham dificuldades em conviver socialmente.

Nosso objetivo é acolher os pacientes com transtornos mentais, estimular sua integração social, convívio familiar, dar apoio na sua regeneração dentro do contexto de autonomia diferente daquela realidade em que antes as pessoas só podiam ser tratadas dentro de hospitais psiquiátricos e separadas da sociedade.

Procuramos oferecer um ótimo atendimento com uma equipe de médicos e psicológicos capacitados nesta  área, para que possa atendê-los com maior comodidade, integrá-los a um âmbito social, cultural, dentro do nosso município.”

Foto0243Agora toda a população que precisar de um atendimento voltado para a área assistencial e psicossocial pode contar com o serviço do CAPS, que fica localizado na Rua José Bonifácio nº23, Bairro Santa Luzia.

Assista, comente, curta, comente e divulgue. Mande sugestões e denúncias. Nossos contatos:

Facebook: CENTRAL GAMELEIRA
Email:jornalismo@tvreplay.com.br
Portal:www.tvreplay.com.br
Watssapp: 81 – 99317525

TV Replay, o que é bom se repete!

Garanhuns-PE: Capacitação regional visa melhor atendimento ao usuário de drogas e seus familiares

A V GERES – Gerência Regional de Saúde está capacitando turmas de profissionais em vários municípios da região, no Projeto “Caminhos do Cuidado”, que se configura na formação de agentes comunitários de saúde, auxiliares e técnicos de enfermagem da saúde da família – saúde mental com ênfase em crack, álcool e outras drogas, visando melhorar a atenção ao usuário e seus familiares, através da Rede de Atenção Básica à Saúde.

Algumas cidades já foram contempladas, como Águas Belas; Garanhuns e Itaíba, aliás, foi formada uma turma no município de Itaíba com as tutoras Luselle Ferro e Janaína Ramos, onde os ACSs e ATENFs encerraram com apresentação teatral para os diversos secretários municipais e profissionais de saúde, relatando a importância de trabalhar o atendimento aos usuários de drogas, visando sempre a redução de danos.

O projeto Caminhos do Cuidado envolve  as instituições Fiocruz (RJ), através do Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica (ICICT), o Grupo Hospitalar Conceição (RS) e a Rede de Escolas Técnicas do SUS. O Ministério da Saúde está oferecendo desde 2013 e 2014, cursos de formação para a totalidade dos agentes comunitários de saúde distribuídos por todos os estados e regiões do país.

Além desse público de agentes comunitários, o projeto vai abranger ainda um auxiliar ou técnico de enfermagem por cada equipe de saúde da família, perfazendo um total de 290.760 trabalhadores em saúde, que estarão recebendo informações sobre os melhores procedimentos e as práticas mais eficientes para o atendimento aos usuários de drogas, visando sempre a redução de danos.

Esta ação se insere no eixo do Cuidado do plano integrado de combate às drogas ‘Crack, é Possível Vencer’, sob responsabilidade do Ministério da Saúde e articulado pela Casa Civil.”

download

TV Replay, o que é bom se repete!

Autópsia de Cory Monteith constata heroína e álcool no sangue do ator – Mais um que a droga venceu!

Os resultados foram divulgados pelo Departamento de Polícia de Vancouver, no Canadá, nesta terça-feira, 16. Ator morrreu no sábado, 13.

 

Cory Monteith (Foto: AFP / Agência)

Cory Monteith (Foto: AFP / Agência)

O resultado da autópsia de Cory Monteith constatou que havia heroína e álcool no sangue do ator, que morreu no sábado, 13. O exame foi divulgado nesta terça-feira, 16, pelo Departamento de Polícia de Vancouver, no Canadá, que investiga o caso.

“Nós agora temos a causa da morte no trágico caso de Cory Monteith e esta foi por causa da mistura de drogas envolvendo principalmente heroína e álcool”, disse a legista Barbara McLintock no comunicado.

Cory Monteith, de 31 anos, que interpretava o Finn Hudson na série teen “Glee”, foi encontrado morto em um quarto do hotel Pacific Rim, em Vancouver, no Canadá.

Ainda de acordo com o boletim divulgado pelo Departamento de Polícia, a investigação sobre a morte do ator continuará e não há nenhum outro detalhe sobre o caso no momento. Quando a investigação for concluída, um relatório médico legista será emitido. 

“Nesse momento não há evidências que sugiram que a morte de Monteith tenha sido outra coisa senão um trágico acidente”, afirmou ainda a legista no comunicado.

Barbara McLintock anuncia causa da morte de Cory Monteith (Foto: Reprodução / Youtube)

Barbara McLintock anuncia causa da morte de
Cory Monteith (Foto: Reprodução / Youtube)

A família do ator já tomou conhecimento sobre as causas da morte. O comunicado pede ainda que seja respeitada a privacidade da família neste momento.

Anteriormente, a polícia canadense tinha afirmado durante entrevista que não havia indícios de que a morte do ator foi causada por uso de drogas ilícitas.

Segundo a rede CTV, durante a coletiva realizada nesta segunda-feira, 15, o sargento Randy Fincham não comentou sobre o estado do quarto em que Cory foi encontrado morto e nem se eles acharam drogas no local, mas ressaltou que não há nada para indicar que a morte de Monteith foi devido ao uso de drogas ilícitas e que a polícia agora aguarda o resultado da avaliação do legista.

“Nós entendemos que existe um grande interesse público neste caso e tentaremos ter os resultados no melhor tempo possível, mas sem comprometer a integridade da investigação e dos testes”, disse o sargento na ocasião.

Fincham também declarou que a polícia de Vancouver está impressionada com a repercussão da morte do ator: “Estamos recebendo centenas de ligações por hora sobre o caso e o mesmo número de emails. A morte de Monteith obviamente mexeu com muitas pessoas e famílias, que assistiam ao programa.”

Encontro do A.A. 

Cory Monteith lutou contra o seu vício até alguns dias antes de morrer. Segundo o site americano “Radar Oline”, o ator esteve em um encontro do grupo Alcoólicos Anônimos dias antes de morrer em Vancouver, no Canadá.

“Cory esteve em um encontro dos Alcóolicos Anônimos quando ele chegou em Vancouver com alguns amigos dele e com alguns amigos meus”, disse um amigo do ator ao site. “Eles já tinham participado de reuniões do grupo anteriormente”, completou.

O amigo disse ainda que Vancouver era um refúgio seguro para Cory. “Vancouver é um bom lugar para se manter firme quando você está no centro das atenções e tentando ficar sóbrio”, disse. “Ficar firme é a chave para a sobriedade e isso é o que Vancouver podia oferecer ao Cory. Ele chamava de ‘casa’ e ele tinha amigos que o conheciam há muito tempo”, afirmou ainda. “Cory também trabalhou ajudando as crianças a ficarem longe das drogas”, disse.

E apesar de Cory ter passado a última noite em um bar com os amigos, a fonte, que estava lá, insistiu que ele não estava bebendo. “É tão trágico que ele está sendo retratado como alguém que bebe muito e ele aparentemente não estava embriagado”, disse a fonte.

Quando saiu do bar, Cory foi até uma boate, mas a fonte disse que se manteve discreto por lá também. “Ele saiu pouco tempo depois de chegar. Ele aparentemente foi para ver o que estava acontecendo por lá e depois foi embora”, disse. O hotel Pacific Rim, onde o corpo do ator foi encontrado horas depois, fica localizado a poucos quarteirões do local.

Cory Monteith e a namorada, Lea Michele (Foto: Jonathan Leibson/ Getty Images)

Cory Monteith e a namorada, Lea Michele
(Foto: Jonathan Leibson/ Getty Images)

A morte
A polícia do Canadá disse ter recebido um chamado da BC Ambulance Service, serviço de emergência médica do Canadá, por volta das 22h38 (horário local), relatando uma morte repentina em um quarto do 21º andar do hotel Pacific Rim. Os policiais chegaram ao local em 10 minutos.

Segundo a agência de notícias CNN, o corpo de Cory Monteith foi encontrado pela equipe do hotel. Depois que ele perdeu o horário do check out – ele estava hospedado desde o dia 6 no local -, funcionários resolveram ir a seu quarto para ver o que havia acontecido e o encontraram morto, aparentemente há algumas horas.

Através da análise das câmeras de segurança, a polícia, no princípio, descartou a possilidade de assassinato. Na imagens, Cory pode ser visto chegando ao seu quarto sozinho, na noite anterior, apesar de algumas pessoas terem sido vistas na porta mais cedo. A perícia feita no local onde estava o corpo também não mostrou indícios de violência.

Lea Michele, namorada de Cory Monteith, soube da morte do ator por telefone, segundo informações do site “Showbiz Spy”, que também afirma que os dois teriam terminado seu namoro recentemente, antes dela viajar com amigos para o México. “Lea caiu em lágrimas. Cory era o mundo para ela. Eles passaram por muitas coisas juntos”, disse uma fonte do site. O representante da atriz enviou um comunicado à imprensa na manhã do domingo, 14, pedindo solidariedade com o momento difícil que Lea atravessa. “Pedimos gentilmente que respeitem a privacidade de Lea”, diz o documento.

Em abril deste ano, o ator passou um período em uma clínica reabilitação após se internar voluntariamente para tratar sua dependência química – assumida em 2011, em uma entrevista à revista “Parade”. Na ocasião, ele contou que começou a usar drogas com 13 anos e que foi internado pela primeira vez em 2009, por interferência da mãe e de amigos.

Fonte: http://ego.globo.com/famosos/noticia/2013/07/autopsia-de-cory-monteith-constata-heroina-e-alcool-no-sangue-do-ator.html

Recife-PE: Mãe mata filho dentro de casa após tarde de bebedeira

Mulher de 54 anos esfaqueou filho de 36 no bairro de Jardim São Paulo, Zona Oeste do Recife.

Uma mulher de 54 anos é acusada de matar o filho de 36 no final da tarde desta quinta-feira (11), em Jardim São Paulo, Zona Oeste do Recife. Idalva Lima da Silva foi detida pela polícia e levada para o  Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Segundo informações de vizinhos e familiares, os dois passaram a tarde consumindo bebida alcóolica na sala de casa, na Rua Real, quando iniciaram uma discussão e a mãe teria esfaqueado Charles Feliciano da Silva.

2

No DHPP, a acusada afirmou que a morte do filho foi um acidente e que ela teria apenas se defendido quando ele, durante um briga por causa da neta, a agrediu. Ela afirmou, inclusive, que a vítima costumava se comportar agressivamente em casa.

Durante o depoimento, Idalva Lima ainda afirmou que, após desferir um golpe de faca no coração do filho, chamou um vizinho e pediu que ele acionasse o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU).

Fonte: http://jconline.ne10.uol.com.br/canal/cidades/policia/noticia/2013/07/11/mae-mata-filho-dentro-de-casa-apos-tarde-de-bebedeira-89666.php

Alcoolismo atinge cerca de 5,8 milhões de pessoas no país

imagesalcoolHistórico de consumo abusivo de álcool, síndrome de abstinência e manutenção do uso, mesmo com problemas físicos e sociais relacionados, é o tripé que caracteriza a dependência em álcool, segundo a psiquiatra Ana Cecília Marques, professora da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

O tratamento da doença, que atinge cerca de 5,8 milhões de pessoas no país, segundo o Levantamento Domiciliar sobre o Uso de Drogas Psicotrópicas no Brasil, de 2005, não é fácil: dura pelo menos um ano e meio em sua fase mais intensiva e tem índice de recaída de cerca de 50% nos primeiros 12 meses.

“Ele precisa preencher os três critérios. Um só não basta para se considerar dependente”, destaca a psiquiatra. Ela explica que o consumo contínuo e abusivo leva a uma tolerância cada vez maior do usuário à bebida. “O corpo acostuma-se com o [álcool]. Ele resiste mais e, para obter o efeito que tinha no começo com uma lata de cerveja, precisará tomar cinco”. A falta do álcool provoca uma série de sintomas graves, como elevação da pressão arterial, tremores, enjoo, vômito e, em alguns pacientes, até mesmo convulsão. Esse é o quadro da síndrome de abstinência.

O terceiro critério para caracterização da dependência alcoólica está ligado aos problemas de relacionamento e de saúde provocados pelo consumo abusivo. “O indivíduo tem problemas no trabalho por causa da bebida. Ele perde o dia de trabalho mas, mesmo assim, bebe de novo”. A professora destaca que, além da questão profissional, devem ser considerados diversos aspectos da vida do paciente, como problemas familiares, afetivos, econômicos, entre outros.

Em relação às outras drogas, a psiquiatra informou que o tratamento da dependência de álcool se diferencia principalmente na primeira fase, que dura em média dois meses. “Cada substância tem uma forma de atuar no cérebro, portanto, vai exigir, principalmente na primeira fase do tratamento, diferentes procedimentos farmacológicos para que a gente consiga promover a estabilização do paciente”, explica.

De acordo com a médica, o álcool se enquadra na categoria de substâncias psicotrópicas depressoras, juntamente com os inalantes, o clorofórmio, o éter e os calmantes. Há também as drogas estimulantes, como a cocaína, a cafeína e a nicotina, e as perturbadoras do sistema nervoso central, como a maconha e o LSD.

“Na segunda e terceira fases, o tratamento entra em uma etapa mais semelhante, que é quando você vai se aprofundar no diagnóstico e preparar o individuo para não ter recaída”, acrescenta.

A segunda fase do tratamento, a chamada estabilização, quando se trabalha a prevenção da recaída, dura, em média, de oito a dez meses. Nessa etapa, são percebidas e tratadas as doenças correlatas adquiridas pelo consumo do álcool e, então, o paciente é preparado para readquirir o controle sobre droga. “A dependência é a doença da perda do controle sobre o consumo de determinada substância. [É feito um trabalho] para que ele volte a se controlar, a entender esse processo e readquirir a autonomia. Não é mais a droga que manda nele”.

A psiquiatra destaca que, nesse processo, a recaída é entendida como algo normal e que não invalida o tratamento. “Ele pode ter uma recaída e não é que o tratamento não esteja no caminho certo ou que ele não queira se tratar. Faz parte da doença, é um episódio de agudização dessa doença crônica que é a dependência do álcool. Faz parte recair”, esclarece.

Na terceira etapa, que dura cerca de seis meses, ocorre o “desmame da tutela do tratamento”. “Ele está manejando essa nova autonomia. Ele volta para as avaliações com menos frequência”. Por fim, o paciente passa a ir ao médico com maiores intervalos entre as consultas. “Ele segue em tratamento como qualquer indivíduo que tem doença crônica. Pelo menos uma vez por ano, ele passa pelo médico. A bem da verdade, [no tratamento dessas] doenças crônicas, a gente não dá alta”.

Levantamento feito em 2005 pelo Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas (Cebrid), da Unifesp, e pela Secretaria Nacional Antidrogas (Senad), mostra que o uso do álcool prevalece entre os homens em todas as faixas etárias. Mais de 80% deles declararam fazer uso de álcool. Entre as mulheres, o percentual cai para 68,3%.

No que diz respeito à dependência, eles também estão na frente. O índice de dependentes do sexo masculino (19,5%) é quase três vezes o do sexo feminino (6,9%). A faixa etária de 18 a 24 anos, por sua vez, apresenta os maiores índices, com 27,4% de dependentes entre os homens e 12,1% entre as mulheres.

Agência Brasil

Álcool + Volante: durante São João de Caruaru causa acidentes frequentes

Durante o período de São João, a preocupação com o número de acidentes preocupa a Polícia Rodoviária Federal, para tentar evitar e diminuir o número de registros, a PRF está realizando desde o dia 02 de Junho, ação e fiscalização nas BR’s 232 e 104. O balanço preliminar informa que motoristas embriagados são constantes durante esse período. Só neste ultimo domingo, quatro pessoas foram presas por cometerem a irregularidade. Segundo o inspetor Dannyel Albuquerque, essas pessoas também se envolveram em acidentes “Nós só ficamos sabendo que elas estavam embriagadas porque nossa equipe recebeu o chamado de acidente, quando chegamos lá fizemos o teste que deu positivo, elas foram encaminhadas à Polícia Civil.”, disse assim o inspetor.