Canhotinho-PE: “…Por essa razão a política não me faz bem, me faz mal…” – Vereador Plácido Roberto

Com o compromisso já firmado, estivemos cobrindo mais uma vez, a reunião da Câmara de Vereadores, esta, a 18ª e última do 2º período legislativo de 2013, ocorrida na quinta-feira (12), para desta forma, deixarmos toda população informada do que está acontecendo e sobre o que estão tratando nossos representantes do poder legislativo.

Nesta reunião, todos os vereadores presentes usaram a tribuna, o vereador Plácido Roberto foi o 8º a falar, confira:

Plácido Roberto – Atento sempre à palavra de Deus eu fico, seja do evangélico, seja do cristão, pois tudo é palavra de Deus, e aquele que crê, qualquer palavra por mais pequena que seja a frase, isso nos fortalece, é como se dentro de nós nascesse uma nova vida, quando se ouve a palavra de Deus, é como se uma terra seca que não plantasse nada, de repente sentisse que tudo floresce, tudo “envivesse”, a palavra de Deus é vida para aqueles que tiveram a graça de Deus…

…Meus amigos, Deus é misericórdia, Deus é amor, nós somos frágeis, somos investidos de pecados, por mais que a gente ajoelhe, fique de pé ou sentado, e reconheça as nossas falhas, quando reconhecemos as nossas falhas é porque Deus está nos dando mais uma oportunidade de nos redimir…

…Respeito muito o eleitor, não gosto de andar, porque um dia, nesse cantinho aqui que estou, eu dizia que não compro voto, e não compro mesmo não, não dou um “vintém” trocado a homem nenhum, quanto menos aquele que está em uma “bodega” tomando cachaça, votem em mim se achar que eu mereço, vote em mim por reconhecimento, também nunca fiz muita coisa aqui em troca de votos, sou um péssimo “pedidor”, mas sou bom servidor, com isso, quero dizer aos Senhores que eu estou saindo, meu amigo Edilberto está saindo, vão ficar os Senhores, acredito, não sou contra nem a favor da maneira que vocês chegam aqui nesta casa, eu apenas exponho a minha maneira de ser, gostaria muito de ir a enterros de amigos que falecem, mas às vezes eu percebo que na missa de “defunto”, no próprio funeral, às vezes não está ali o sentimento mais puro, e sim uma presença atrás de um voto, isso me dói, me fere, eu não vou, estar em festa, estar pegando na mão de eleitor, se eu pegar é cumprimentando de coração, pela amizade que eu tenho, jamais futuramente tentando ter um voto desse sujeito, fique com seu voto, não quero, por essa razão a política não me faz bem, me faz mal.

Desejo a todos meu muito obrigado e que Deus nos proteja e que esses três anos que vêm sejam de paz, harmonia e prosperidade para todos nós.

DSCF3641TV Replay, o que é bom se repete!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>