Pernambuco: Luto – Música nordestina perde o Maestro Camarão

A música nordestina está em luto. Morreu hoje pela manhã no Hospital Santa João o maestro Camarão, uma das referências do autêntico forró nordestino. O instrumentista de 75 anos fazia hemodiálise  há anos e não teria resistido à complicações cardíacas. Autor de parcerias com Ivan Bulhões e Azulão, Camarão era um mestre na sanfona. 

Nascido em Fazenda Velha, distrito de Brejo da Madre de Deus, Camarão dedicou a maior parte de sua vida à música, sobretudo, à sanfona. O interesse pelo instrumento surgiu dentro da própria família. O oito baixos do seu pai, que era deixado na cama quando ele ia para a roça, foi descoberto por Camarão. “Maria Bonita” foi tocada pelo menino aos sete anos de idade. Aos 20 anos, Camarão ingressou na Rádio Difusora de Caruaru, onde grandes músicos como Sivuca e Hermeto Pascoal também estiveram. Camarão recebeu grande influência de Luiz Gonzaga, inclusive na produção de seus primeiros discos. 3
 
Reconhecido por ventilar o ritmo regional por sopros de sax, trompete e trombone, Camarão tem grande importância na efervescência musical do Estado de Pernambuco. Em 1968, ele cria a primeira banda de forró do Brasil, a Banda do Camarão. 4 Entre os discos, podemos citar: Camarão, Forró pra Frente, Na Toca do Camarão – Camarão e seu Acordeon, A Bandinha do Camarão, Camarão plays Forró, Banda do Camarão, Forrofando em Caruaru.

Desde a década de 1980, Camarão mora no Recife, onde ministra aulas de sanfona na Escola de Acordeon de Ouro, fundada por ele e localizada em Areias. Foi homenageado no São João de Caruaru em 1999 e de Recife no ano de 2007. Camarão obteve o título de Patrimônio Vivo de Pernambuco em 2003.

Entrega do Título de Cidadão a Camarão foi feita no Pátio do Forró pelo saudoso Lambreta

Era uma noite de domingo de 2007. O Maestro Camarão iria fazer um show no Pátio do Forró. O então vereador Lambreta aproveitou a ocasião para entregar o Título de Cidadão de Caruaru ao forrozeiro. No palco estavam o radialista Antônio Silva, que era o locutor oficial do São João e Lambreta chegou com o tradicional chapéu para entregar a honraria. Lembro de cada detalhe.

Camarão ficou muito emocionado, agradeceu a Lambreta e a Caruaru, já que após mais de 20 anos fazendo a alegria de muitos forrozeiros, finalmente era reconhecido pela cidade que praticamente tinha adotado para viver e fazer sucesso. A lembrança me veio a tona, foi uma noite inesquecível. Também nunca mais esqueci pelo fato de ser uma das últimas aparições públicas do vereador Lambreta, que depois viria a falecer.

A Bandinha do Camarão era um estrondo no Palhoção do Petrópolis

Fim da década de 1970 e início dos anos 80. O São João de Caruaru tinha uma casa de show chamada Palhoção do Petrópolis. A casa de show arrastava multidões e trazia shows dos grandes nomes da época, como Luiz Gonzaga, Os Três do Nordeste, Jorge de Altinho e tantos outros. Mas durante vários anos, a atração principal era a Bandinha do Camarão.

Os mais antigos dizem que era um estrondo. Nos dias das apresentações do grupo o Forró do Marrone, como era também conhecido o Palhoção do Petrópolis, ficava lotado de gente para arrastar o pé. Além de Camarão, artistas locais também faziam parte da Bandinha. Uma delas era a cantora Joana Angélica (foto acima), principal vocalista da Bandinha.

Foram vários anos de muito sucesso e ficaram as saudades. Após o Palhoção outras casas surgiram, como é o caso do Forrozão de João Luiz, que teve início no antigo Campo de Monta e depois foi para o atual local.

As homenagens de Caruaru ao Maestro Camarão

Além do Título de Cidadão entregue pelo vereador Lambreta em 2007, o Maestro Camarão recebeu várias homenagens em Caruaru. No ano de 2002, por exemplo, ele foi agraciado com a homenagem do São João daquele ano. Ao lado de Dominguinhos ele foi homenageado pelos 50 anos de carreira. Os dois fizeram uma apresentação emocionante. Camarão também foi homenageado do São João em 1999.

No ano de 2007 o sanfoneiro recebeu mais uma homenagem. Ele recebeu a medalha do Sesquicentenário, oferecida pela prefeitura de Caruaru para lembrar os 150 anos da cidade. Também houve uma boa articulação para que ele fosse eleito Patrimônio Vivo de Pernambuco, já que foi uma indicação da Assembleia Legislativa e teve participação de caruaruenses para a honraria.

No São João do ano passado, no dia 01 de junho, primeiro domingo de São João em Caruaru, os forrozeiros chegaram cedo para assistir à primeira apresentação da noite, o cantor Camarão, entrava no palco trazendo a grande novidade do show, a participação especial do seu filho Salatiel que cantou e animou o público junto do seu genitor.

Maestro Camarão, com 65 anos de carreira e seu filho com 26 anos de carreira encantaram os forrozeiros com o show intitulado “Cantando o Nordeste”, uma apresentação recheada de emoções e manifestações populares características do Nordeste, a exemplo do forró, baião, frevo, xote e ciranda.

“Comecei a cantar aos seis anos de idade e já produzi 30 discos ao longo da vida.”, disse Camarão.

Outra presença marcante, no show de Camarão na referida data, foi a apresentação especial do sanfoneiro mirim Vinícios, que faz parte da Orquestra de Violinos, projeto social da prefeitura de Caruaru.

3

1 2

Do Blog do Mário Flávio

TV REPLAY

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>