Lula diz que é pai e mãe da transposição e dispara sobre candidatura: “Se eu for é para ganhar as eleições”

Lula-1-300x200

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu, durante visita a Monteiro, no interior da Paraíba, neste domingo (19), que os brasileiros não desanimem. A cidade de cerca de 30 mil habitantes é uma das beneficiadas pela Transposição do Rio Francisco. A visita do ex-presidente e da comitiva mudou o cenário da cidade do sertão nordestino. As estradas, hotéis e pousadas da região ficaram completamente lotadas.

Durante a fala para um público estimado em 100 mil pessoas, Lula disse ter orgulho de ter iniciado o projeto do “Velho Chico”.“Tenho muito orgulho de ter tido a coragem de iniciar esse projeto. Se eles têm vergonha, nós não temos. Dilma e eu, nós temos orgulho de dizer: somos pai, mãe, irmão, primo, tio e sobrinho da Transposição das águas do São Francisco”, afirmou.

Apesar do sucesso das obras da Transposição, Lula reforçou que o problema da seca no Nordeste ainda não está resolvido. “O fato da água estar aqui não significa que o problema está resolvido, porque está cheio de gente morrendo de seca na beira do São Francisco e do açude. Agora é preciso levar para a adutora, tratar a água e levar para a torneira. Esse projeto tem compromisso com 290 comunidades para que a água possa chegar para ele plantar o mínimo necessário”

No palco, ele voltou a defender o povo nordestino e relembrou os ataques que vem sofrendo ao longo dos últimos anos. “Vocês sabem o que eles estão tentando fazer comigo. Eu só queria avisar pra eles, se eles quiserem brigar comigo, eles vão brigar comigo nas ruas desse País, para que o povo possa ser o senhor da razão nessa disputa. Eu estou a espera de um empresário me denunciar, que eles digam se tem um real na minha conta porque, se tiver, eu não preciso nem me defender”.

“Eu aprendi a andar de cabeça erguida, de pescoço esticado, venci os preconceitos. Se querem me prejudicar, criem vergonha e não prejudiquem 204 milhões de pessoas”, completou o ex-presidente.

Sobre uma possível candidatura à Presidência da República em 2018, Lula disse: “nem sei se estarei vivo para ser candidato em 2018”. E, em seguida, completou: “eu sei que o que eles querem é impedir que eu seja candidato. E tá muito longe para decidir candidato”.

No entanto, o ex-presidente enviou um recado para aqueles que tentam impedir uma possível candidatura. “Eles pedem a Deus para eu não ser candidato, porque se eu for é para ganhar as eleições. Não prejudiquem o povo brasileiro. Não prejudiquem a aposentadoria do povo, não mexam na legislação trabalhista”.

Ao final da fala para o povo sertanejo, Lula brincou e disse sair da região “frustrado”, pois não conseguiu mergulhar nas águas do rio São Francisco.

Lula começou a fala com um agradecimento e relembra a infância dura no sertão, quando a mãe o levou, juntamente com os irmãos, para São Paulo.

“Sair de onde saí, chegar onde cheguei e virar presidente do Brasil é só com a mão de Deus e a mão do povo brasileiro que isso pode acontecer”, ao lembrar os conselhos do ex-governador de Pernambuco, Miguel Arraes, que orientou Lula sobre a Transnordestina e a Transposição do São Francisco.

“Quando eu virei presidente, eu comecei a pensar por que não fazer a Transposição? Naquele tempo era difícil pensar isso. É verdade que Dom Pedro II disse que daria a última jóia da coroa para fazer a Transposição e não fez a Transposição. Depois dele, todos os presidentes até 2003 de alguma forma prometeram, e essa promessa não saiu do papel”, lembrou.

O ex-presidente, que estava acompanhado de diversos ex-governadores, ex-ministros, parlamentares e dirigentes do PT, como Rui Falcão, fez um agradecimento especial a algumas pessoas, entre elas Ciro Gomes, Dilma Rousseff e Jaques Wagner.

Do Blog do Mário Flávio

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>