Ex-prefeita e advogado presos por fraudes de R$ 1,5 milhão em duas prefeituras

Fraudes ocorreram entre 2013 e 2016

Uma ex-prefeita, um advogado e mais sete pessoas foram presas suspeitas de participação em fraudes em licitações nas prefeituras de Gameleira e Amaraji, ambas na Zona da Mata Sul de Pernambuco. Nas fraudes, foram desviados cerca de R$ 1,5 milhão em três anos, entre 2013 e 2016. Além da prisão dos suspeitos,foram apreendidos documentos, aparelhos eletrônicos e veículos que, segundo a Polícia Civil Pernambuco, foram adquiridos com dinheiro oriundo das ações criminosas. Todas são alvos das operações “Carta Marcada” e “Sequência Real”, ambas deflagradas na manhã dessa quarta-feira (7).

Coletiva de imprensa das operações “Carta Marcada” e “Sequência Real” Foto: Armando Holanda/Portal FolhaPE

Coletiva de imprensa das operações “Carta Marcada” e “Sequência Real”
Foto: Armando Holanda/Portal FolhaPE

De acordo com a Polícia Civil, o advogado Geraldo Gonçalves de Melo era o grande articulador das fraudes. “Ele [o advogado] atuava tanto quanto pessoa física quanto jurídica. Ele possuía uma empresa de prestação de serviços jurídicos, técnicos e contábil, mas não havia nenhum profissional da área contábil nessa empresa, que a gente acredita ser fantasma”, detalhou a delegada responsável pelo caso, Isabela Veras. 

A delegada relatou ainda que, entre 2013 e 2016, a Prefeitura de Gameleira mantinha o mesmo tipo de contrato com duas empresas do mesmo ramo. “Na mesma época em que Yeda Augusta Santos de Oliveira era prefeita, ela mantinha contrato com duas empresas do mesmo ramo atuando na mesma área. Mas nenhuma delas existia, de fato, fisicamente”, complementou a delegada.

De acordo com a delegada, entre os materiais apreendidos, está um cofre que contém materiais que vão ajudar nas investigações. “Dentro deste cofre, estavam os contratos das licitações fraudadas”, disse.

As ações bloquearam as contas bancárias e os bens do advogado; da esposa dele, Andreia Lucia de Freitas Peixoto; e da filha do casal, Yara Freitas (filha). Segundo a Polícia Civil, os investigados possuíam imóveis ou endereços de trabalho nas cidades de Amaraji, Gameleira, Recife, Jaboatão dos Guararapes, São Lourenço, Ribeirão, Escada e Tamandaré. 

Por Folhape

Uma ideia sobre “Ex-prefeita e advogado presos por fraudes de R$ 1,5 milhão em duas prefeituras

Todos os cometários são de responsabilidade de seus autores e não significa o pensamento da TV Replay. Cada um responderá por suas próprias ações.

  1. É difícil encontrar um gestor público que tenha caráter. A maioria é ladrão do dinheiro do servidor municipal. Em toda prefeitura há sempre um riacho onde correm águas poluídas. Agora é a vez de Gameleira e Amaraji. Essas licitações são um verdadeiro escândalo. Em 99,99% delas há sempre uma safadeza. Não há fiscalização. O TCE é ineficaz. Haja revolta. Um cidadão indignado. Luiz Félix.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>