Caruaru-PE: Calendário do abastecimento de água do mês de novembro é divulgado

Cronograma provisório começou após município receber água do ‘Prata’.
Rodízio em Caruaru é dividido em três períodos, por dias da semana.

O calendário de abastecimento de água para o mês de novembro em Caruaru, Agreste Pernambucano, foi divulgado pela Companhia Pernambucana de Saneamento nesta terça-feira (03). De acordo com a assessoria de imprensa da Compesa, o fornecimento – dividido em três períodos: de segunda a quarta-feira, de quarta a sexta e de sexta a segunda – é realizado em sistema de rodízio de um dia e meio com e cinco dias e meio sem água nas torneiras; um dia com e seis sem; dois dias com e cinco sem; e três dias com e quatro sem abastecimento.

Ainda segundo a assessoria, o cronograma é provisório e foi produzido a partir da inversão do Sistema do Prata da estação de tratamento do Bairro Petrópolis para a do Salgado, que só recebia água de Jucazinho.

rodízio 1 rodízio 2 rodízio 3

Entenda
O Sistema Jucazinho deixou de abastecer Caruaru, no Agreste de Pernambuco. A iniciativa foi tomada desde o dia 25 de agosto, devido ao colapso no manancial. De acordo com a assessoria de imprensa da Compesa, a população passou a receber – no dia 28 – água exclusivamente do Sistema do Prata. A medida visou a evitar que 40% do município tivesse o abastecimento suspenso. O Prata contava, à época, com 81,1% da capacidade total. O reservatório fica em Bonito, também no Agreste.

Para que o fornecimento em Caruaru passasse a ser feito exclusivamente pelo Prata, uma obra emergencial no valor de R$ 1,3 milhões foi realizada. O objetivo foi o de inverter o fluxo de água da estação de tratamento localizada no Bairro Petrópolis para a que fica no Bairro do Salgado. Esta recebia água apenas de Jucazinho. O procedimento foi necessário para minimizar a demanda desta barragem. “A dificuldade de abastecimento nos últimos dias foi em função dessa transição dos sistemas, mas vamos regularizar o fornecimento gradativamente”, disse a gerente regional da Compesa, Nyadja Menezes.

A gestora acrescentou que a inversão foi necessária para evitar que outros municípios deixem de ser abastecidos por Jucazinho, que está com apenas 3,1% da capacidade, devido à estiagem na área da Bacia do Capibaribe.

Do G1 Caruaru

TV Nova Replay, o que é bom se repete!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>