Blog de Airton Sousa: Uma decisão inconsequente

Após a derrota para o Oeste, e a manutenção do time na série B, vários comentários foram veiculados sobre a saída de Givanildo Oliveira, do comando técnico do Clube Náutico Capibaribe. No entanto, esperava-se que o bom senso prevalecesse, mesmo porque o melhor caminho seria, no mínimo, a manutenção do treinador, a seleção dos jogadores que iriam ficar e os reforços para 2017. Porém, nesta sexta-feira(02), a Diretoria do clube anunciou a saída de Givanildo Oliveira e automaticamente a contratação do Pernambucano Dado Cavalcanti, que estava recentemente no Paysandu e  volta ao timbu, consolidando a sua segunda passagem no time.

A saída ou chegada de um profissional, é um fato de rotina, mesmo porque o imediatismo sempre prevalece no futebol Brasileiro. Sempre que acontece uma decisão, observa-se que além da precipitação, uma decisão injusta e humilhante, em razão da maneira como Givanildo chegou no clube, com um time limitado, precedido de resultados negativos e com uma perspectiva de rebaixamento.

Givanildo remontou o time, sem condições nem reforços substanciais, que teve, de início, uma sequência de sete vitórias. Algumas derrotas aconteceram, principalmente fora de casa, exemplo a que aconteceu com a Luverdense,  o Clube de Regatas Brasil, o Avaí sofrendo uma goleada, e o estopim de tudo, que foi a derrota na última rodada para o Oeste, que provocou a ausência do time na primeira divisão do próximo ano. Reafirmo e vejo como precipitadas e injustas tais decisões, a dispensa do treinador, que não tem nada a ver com a falta de dinheiro para as contratações e a manutenção de peças que dariam um suporte estrutural, para o início das competições em 2017.

Acho até que Dado Cavalcanti, poderá fazer um bom trabalho, desde que seja dada condições para isso, com reforços, pagamento em dia e outros aspectos importantes para bons resultados. Entretanto, a saída de Givanildo é que não foi bem explicada. Porém, quando se trata de dirigente de futebol e suas decisões, sempre entendemos como mais um fato inconsequente e pouco convincente. Givanildo segue seu trabalho para onde for, e com muita dignidade, e Dado Cavalcanti com certeza terá muita dor de cabeça para remontar o time em 2017.

Foto: INternet

Foto: INternet

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>