Blog de Airton Sousa: Nem Givanildo fez o Náutico vencer

Com um primeiro tempo em que as equipes tiveram mais poder defensivo do que ofensivo, poucas foram as chances de gols dos dois times. Náutico e Bahia jogaram o tempo todo pelo meio, esquecendo as laterais do campo, e isso tornou o jogo muito tumultuado, com uma disputa extremamente individual. Só no final do primeiro tempo, o Bahia teve uma oportunidade pontual de gol, com o jogador Moisés, enquanto que o Náutico teve uma bola na trave com Renan Oliveira,  jogador que no esquema do técnico Givanildo, atuou mais avançado.

No segundo tempo, as equipes voltaram sem alterações, e a exemplo do primeiro tempo, pouca criatividade e também poucas finalizações. Aos 19 minutos, Bergson e Rony perderam uma boa oportunidade, com uma troca de passes. O erro maior do time timbu, era a insistência das bolas rifadas, passando a trabalhar com um futebol aéreo, principalmente após a entrada de Vinícius. O jogo e o empate só beneficiou o Bahia, que mesmo com a expulsão de Moisés, valorizou cada minuto, porque o empate favorecia ao time baiano. Após 35 minutos, os jogadores começaram a sentir o desgaste físico, e o jogo ficou mais ainda lento.

No final, só deu mesmo o 0 x 0, que só favoreceu ao Bahia. E o Náutico vira mais uma rodada sem vencer, mesmo com a estreia do técnico Givanildo, acostumado a promover a ascensão dos times que dirigiu, de uma série para outra. O público de 4.859 torcedores, e uma renda de R$ 65.970,00. Na coletiva após o jogo, o treinador do Náutico afirmou a necessidade urgente de um camisa nove, autêntico. O próximo jogo do timbu, é fora de casa, contra o Joinville. Hoje o Náutico soma 32 pontos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>