Blog de Airton Sousa: Situação crítica do Central de hoje

O Central com quase cem anos de existência, tem tido Dirigentes e Dirigentes, passando por fases muito mais negativas, do que positivas, e a história está aí para comprovar o que estamos escrevendo. O torcedor da patativa, está muito bem convencido das dificuldades, dos problemas, dos descasos, do abandono e da falta de credibilidade.

O atual Presidente do Central, no auge da sua vaidade e orgulho, sepulta de uma maneira rápida e emergente, o nome e a tradição esportiva que o clube com muito sacrifício construiu,  através de Dirigentes que mereciam respeito e se faziam impor, o que não é o caso do atual Presidente, que em razão da falta de transparência, deixa o clube na atual situação.

Tenho escrito e comentado muito pouco a respeito do alvi-negro, porque são tantas coisas negativas, tantos erros, que não vale a pena perder tempo, porque temos espaços importantes no rádio e também nesse blog, para levar notícias merecedoras da ocupação de espaços.

O atual Presidente, falou recentemente a uma emissora de rádio, que esse cronista, comentava conforme a conveniência do ex-presidente do Central, Sivaldo Oliveira. Puro engano, porque os espaços que ocupo, são espaços com assuntos analisados de maneira profissional e imparcial desse cronista, e sempre foi assim desde o início da minha vida no rádio e na televisão.

Para que a cidade julgue o atual Presidente, basta citarmos alguns fatos para apreciação. A Campanha do Central o ano passado, nos campeonatos Estadual e Brasileiro; a campanha até agora no atual Hexagonal; a situação financeira do clube junto aos seus funcionários; além de uma perspectiva de tudo ser repetido como em 2016, lamentavelmente.

O torcedor do Central que faça o seu julgamento. Será que a atual gestão patativa, está correspondendo? Será que o trabalho do Presidente tem sido um trabalho cheio de apoio e credibilidade? A situação financeira, o abandono do Lacerdão e outros itens merecem o apoio, ou a rejeição do sócio?

Infelizmente é o Central que sofre, que agoniza, que já passou do fundo do poço, é de novo vitima da inconsequência daquele é o pior presidente da história da patativa do Agreste. Triste resumo de uma tradição, que causou ao longo da sua existência, tanto desencanto a sua torcida. É bom pedir ao Presidente Licius Cavalcante, respeito ao nome do Central, e a história de 35 anos desse cronista, que já passou por prefixos famosos e importantes, no rádio e na televisão, e que tem um marco na crônica esportiva.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>