Blog de Airton Sousa: Arbitragem dá título ao Náutico

                                                    IMG-20180408-WA0023(2)

Outra vez o Campeonato Pernambucano de Futebol é decidido pelo homem do apito a exemplo do ano passado a favor do Sport contra o Salgueiro. A arbitragem de Nielson Nogueira vinha bem, sendo inclusive elogiada pela crônica até os 28 minutos do primeiro tempo, quando da anulação do gol legítimo do Central.

Uma bola difícil, é verdade! No entanto, o auxiliar estava na mesma linha da bola. Cleberson Nascimento, que na cara de pau levantou o bastão, sendo automaticamente atendido pelo árbitro principal. A jogada foi tão legítima que nenhum jogador do Náutico contestou o gol patativa.

O melhor momento do Náutico antes do gol patativa, foi uma bola na trave aos 3 minutos de jogo, pelo camisa nove timbu, e algumas jogadas ofensivas sem tanto perigo. De resto, aos 20 minutos, Junior Lemos chutava por fora, aos 22 minutos era a vez de Leandro Costa, aos 24 minutos uma bola chutada por Fernando Pires, além da cabeçada de Douglas Carioca, aos 35 minutos.

Daí observar-se que o gol do Central, saiu no melhor momento do jogo. Nada mais de quatro oportunidade, onde a mais perigosa foi a jogada de Fernando Pires. Porém, aos 28 minutos houve a anulação do gol legítimo do Central e nem assim o time se intimidou, porque aos 35 minutos Douglas Carioca de virada chutava uma bola perigosa.

Para completar o que aconteceu no primeiro tempo, surge o gol do Náutico aos 44 minutos, uma falha do lateral Eduardo camisa 2. Ortigoza aproveita e chuta indefensável para o gol patativa. O tempo que saiu o gol timbu, foi uma ducha fria no elenco patativa, que foi ao vestiário perdendo injustamente por 1 x 0.

Na volta para o segundo tempo, o Central voltou com Lucas Silva no lugar de Gildo, que inclusive ninguém entendeu a sua escalação, e o Náutico voltou com Jobson. O Náutico veio pressionando e aos 13 minutos aconteceu o segundo gol, através de Jobson. Novamente falha do setor direito do Central.

Com 2 x 0 no jogo, esperava-se que o Central baixasse a cabeça, nada disso. O time partiu para cima com a entrada de Itacaré e a saída de Douglas Carioca cansado. Aos 25 minutos  o zagueiro Camacho coloca a mão na bola e o árbitro não tinha outra opção, se não marcar o pênalti que foi muito bem  cobrado por Leandro Costa diminuindo o placar do jogo.

A partir daí, o Central cresceu em busca do empate, enquanto que o Náutico aceitou a pressão, sem condição de reagir. Aos 32 minutos Lucas Silva aproveita uma largada de bola do goleiro Bruno, aos 35 minutos Junior Lemos coloca uma bola na trave, e  aos 48 minutos, a grande chance perdida por Lucas Silva.

Final de jogo, vitória de 2 x 1 para o Náutico e o título de Campeão depois de 13 anos sem conquistar o título. Uma grande festa na Arena, com um público de 42.352 pessoas e uma renda de R$ 956.694,00. Destacado-se a presença das torcidas do Náutico e do Central, uma verdadeira festa, antes, durante e após o jogo. Agora o time timbu prepara-se para o jogo da Copa do Brasil, nesta quarta-feira (11) contra a Ponte Preta em Campinas.

Quanto ao Central, agora prepara-se para estrear no Campeonato Brasileiro da série-D na Bahia, contra a equipe da Jacuípense. Com relação ao trio de arbitragem, debitar a Diretoria do Central a responsabilidade de aceitar, porque todos sabiam  inclusive os dirigentes que os árbitros de Pernambuco não merecem credibiidade e deveriam ter providenciado um trio de arbitragem fora do nosso Estado, sendo  assim pagou caro, muito caro, pela economia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>